Covid-19: Por incapacidade do governo do Estado do RN, 7 municípios endurecem regulamentos contra a liberdade de ir e vir povo

Município de João Câmara, no RN, registrou cinco mortes por Covid-19 em quatro dias — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Município de João Câmara, no RN, registrou cinco mortes por Covid-19 em quatro dias — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Com a falta de resposta positiva por parte do governo do Estado do Rio Grande do Norte, de Fátima Bezerra (PT) em adquirir melhores condições de socorro para o povo que está a mercê da sorte há quase um ano que passou, em busca de soluções contra o coronavírus, 7 municípios do interior publicaram novos decretos prorrogando ou endurecendo as medidas no combate a Covid-19, entre esta quinta (18) e sexta-feira (19).

Nos documentos, as prefeituras citam o aumento do número de casos confirmados da doença como justificativa para a publicação dos novos decretos.

Riachuelo:

No município de Riachuelo, o decreto institui o toque de recolher, proibindo a circulação de pessoas após às 21h. Além disso, estão proibidos eventos pelos próximos 30 dias; restaurantes, lanchonetes e até templos religiosos só podem funcionar com 40% da capacidade; bares e academias de ginásticas ficam fechados pelos próximos 15 dias. Riachuelo tem 6 óbitos e 290 casos confirmados da Covid-19.

Caiçara do Rio do Vento:

Cancelaram shows, festas e qualquer tipo de comemoração com aglomerações, sejam públicas ou privadas, pelos próximos 30 dias.

No decreto também há restrições na capacidade de pessoas em estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes supermercados e farmácias. Nos estabelecimentos comerciais, fica proibida a entrada de mais de duas pessoas da mesma família por vez.

O município também proibiu o uso de som automotivo em vias públicas; restringiu número de pessoas em templos religiosos e suspendeu funcionamento de academias durante 15 dias. O decreto informa que a vigilância sanitária, responsável pela fiscalização, tem autorização para interditar os estabelecimentos. Segundo dados da Sesap, Caiçara do Rio do Vento tem 118 casos confirmados da Covid-19 e 3 óbitos.

Faltou explicar em qual ciência se baseiam para fazer isso.

Brejinho:

Em Brejinho as medidas foram prorrogadas até o dia 5 de março. E em Boa Saúde, as determinações continuam válidas até o dia 21 de março. O município de Brejinho tem 5 óbitos confirmados pela Covid-19.

Boa Saúde:

Com três óbitos registrados, Boa Saúde segue com os mesmos decretos de Brejinho, usando as mesmas táticas passadas que em nada resolveu. Mas eles têm certeza do que estão fazendo, mesmo havendo passado um ano sem solução para os assuntos.

João Câmara:

Com o registro de cinco óbitos em uma semana, a prefeitura de João Câmara publicou um novo decreto nesta quinta-feira (18). O número de óbitos subiu de 20 para 25. Entre as medidas estão o fechamento das escolas particulares que tinham retomados aulas presenciais; fechamento de bares; proibição de venda de bebidas alcoólicas para consumo nos estabelecimentos; cancelamento de eventos públicos e privados que possam provocar aglomerações. O município tem uma população estimada em 35.160 pessoas.

Eles devem ter a certeza que dessa vez vão conseguir matar o vírus. Você acredita?

 Jardim de Angicos:

As medidas de ditaduras são tão cobiçadas que em Jardim de Angicos, que mesmo sem registros de óbitos resolveram adotar o trancamento.

O decreto determina que restaurantes, lanchonetes, praças de alimentação e bares só poderão funcionar através do delivery ou para retirada no local. Casas de eventos e salões de festa, academias e templos religiosos devem permanecer fechados.

O documento orienta ainda a limitação no quantitativo para a venda de produtos de higiene e alimentação, para evitar o esvaziamento do estoque.

São João do Sabugi:

Em São João do Sabugi, na região Seridó, estão suspensos eventos públicos e privados; vendedores ambulantes de outras cidades não poderão atuar nas feiras livres; bares e restaurantes só poderão funcionar com 50% da capacidade até às 22h. A fiscalização será feita através da vigilância com apoio da Polícia Militar. O descumprimento implica em multas e até no fechamento dos estabelecimentos. São João do Sabugi tem 346 casos confirmados da Covid-19 e 6 óbitos.

G1RN