Category: Saúde

Covid-19: Por falta dos 30 respiradores que Fátima Bezerra pagou e nunca chegaram, agora, em 16 dias, 39 pessoas morrem à espera de UTI no RN

Sistema de Saúde do RN sofre pressão por leitos de Covid-19.  — Foto: Ariel Dantas
Sistema de Saúde do RN sofre pressão por leitos de Covid-19. — Foto: Ariel Dantas

A situação é assustadora, mas também de irresponsabilidade por parte do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, da governadora Fátima Bezerra. Pois no início da pandemia, o governo federal mandou R$ 4.947.535,80 para aquisição de respiradores para UTIs no RN.

Fátima se uniu ao Consórcio Nordeste e fizeram uma compra, pagaram, e os respiradores nuca chegaram. Então, só existe um culpado pelas mortes das pessoas pela falta da UTIs, é o governo estadual que após um ano ainda não recebeu os referidos respiradores pagos.

Agora, a manchete do G1RN diz que “em 16 dias, 39 pacientes morreram antes mesmo de conseguirem acesso a um leito destinado ao tratamento da Covid-19 no Rio Grande do Norte. Desse total, 23 (58%) foram somente na região metropolitana de Natal.”

Os números refletem casos em que o pedido de regulação para um leito foi suspenso pelo falecimento do paciente. Além dos óbitos, o estado teve 43 pedidos de regulação para leitos suspensos por falta de transporte. A região metropolitana foi responsável por 28 cancelamentos desse tipo.

Os dados compilados entre os dias 12 e 28 de fevereiro constam do documento “Rio Grande do Norte: ‘uma nova onda'”, construído por um grupo de pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológico em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que analisam a situação recente no estado.

A partir do período de carnaval, foi observado aumento de cerca de 48% nas solicitações por internações em leitos covid-19, em um intervalo de duas semanas, somente na região metropolitana de Natal.

O aumento da demanda por leitos levou o estado a determinar toque de recolher das 22h às 5h, além de suspensão de aulas presenciais, cultos, missas entre outras atividades. A capital determinou fechamento da orla marítima nos finais de semana e feriados.

No início da tarde desta segunda-feira (1º), o estado estava com 92,7% de ocupação dos leitos críticos para Covid-19, de acordo com o Sistema Regula RN, criado pelo Lais e usado pelo governo do estado para administrar a regulação de leitos para Covid-19 no Rio Grande do Norte.

Pelo menos 12 hospitais com leitos da rede pública estavam com todas as UTIs ocupadas e outros cinco tinham taxa acima de 90%. A rede privada também opera com praticamente o total de leitos na região metropolitana.

“A situação no estado do Rio Grande do Norte é considerada grave. Diante dos estudos apresentados, é possível afirmar que, atualmente, a Região Metropolitana é a principal responsável pelos aumentos das internações por Covid-19 em todo o RN. Todavia, as demais regiões também não estão em uma situação confortável, logo, todas as autoridades públicas do estado devem estar atentas aos indicadores assistenciais (leitos covid-19) e aos dados epidemiológicos diariamente publicados pela SESAP/RN”, apontam os pesquisadores.

G1

‘IVERMECTINA reduz mortalidade pela Covid’ – diz infectologista do RN

Dra. Roberta diz confirma que a Ivermectina reduz internamento e mortalidade / foto da Internet

Neste sábado, 27, a infectologista Roberta Lacerda defendeu o uso da ivermectina como medicamento de tratamento precoce contra a Covid-19, em uma entrevista à rádio 96 FM de Natal. Segundo a especialista, países como Índia, México e Peru tiveram sucesso ao controlar o avanço do vírus após especialistas adotarem o uso do composto como forma de profilaxia, reduzindo a mortalidade dos infectados.


Durante a conversa, a especialista disse que desde novembro de 2020 a curva dos gráficos que indicam casos no Rio Grande do Norte estão subindo, mas que em julho do ano passado, houve uma queda que não poderia ser explicada apenas pelo distanciamento. “Havia 40% de distanciamento, tenho isso gravado na minha mente. Era no nosso dizer do Alecrim ‘calcinha jovem, Covid na canela’. Não havia ninguém parado em Natal. Houve queda e ninguém explicou isso. E todo mundo ficou colocando: ‘não tem nada a ver com tratamento precoce, não tem nada a ver com ivermectina, isso é falácia’”, relembrou. 

Roberta ainda falou sobre as acusações de que a escolha pelo medicamento se tratava como uma tentativa desesperada de frear o avanço do vírus no estado. “A gente estava comendo os livros, engolindo artigos, fazendo reuniões científicas com os caras na Espanha, com os caras lá no Canadá”, defendeu. 

Ainda na entrevista, a infectologista disse que houve avanço em países em que foram feitos tratamentos precoces com o uso da ivermectina. “Podem olhar dentro da internet as curvas do Peru e da Índia. Uttar Pradesh, uma população de 210 milhões de pessoas dentro da Índia. Bilhões de pessoas e ninguém explica porque ela zerou a mortalidade dia 8 de fevereiro e não ouço falar nada disso na mídia. Não existe nenhuma palavra na mídia convencional sobre os processos exitosos do controle da pandemia no Peru, no México, agora na Índia e em todos os países que estão liberando o uso da ivermectina”, apontou. 

Durante a entrevista, a infectologista voltou a defender o chamado tratamento precoce. “As pessoas estão morrendo com fila no Rio Grande, 3 ambulâncias com paciente entubado porque não tem vaga. Estão enganando a população desde o ínicio, há um ano, com uma falácia que não tem tratamento precoce”, disse. 

Em outro ponto da entrevista, ela apontou uma estratégia combinada para combater o coronavírus. “Desde o início eu disse: ‘a estratégia tem que ser combinada’. É vacina, é tratamento internado, é tratamento precoce, porque não se investiu em nenhuma pesquisa de tratamento precoce. A Organização Mundial da Saúde (OMS) é conhecida como o órgão que tem que zelar pela saúde pública, com medicamentos baratos, custo efetivo e que possam ser orais e de fácil acesso para a população”, falou. 

A especialista criticou a OMS no que diz respeito ao uso da ivermectina. “45 anos de estudo com a ivermectina, 4,7 bilhões de dólares, mais de 200 milhões de pessoas curadas de doenças na África como Filariose, oncocercose, escabiose, pediculose. A OMS faz uma metanálise para fazer tratamento de escabiose em massa com ivermectina mas não aceita para Covid”.

Roberta Lacerda falou sobre casos em que os pacientes são mandados de volta para casa. “Tem alguém na minha frente sofrendo há cinco dias com febre, dor no corpo e diarreia e estão mandando para casa com dipirona dizendo que esta pessoa não precisa fazer nada. Isto é criminoso. Isso é uma falácia. Eu não concebo que as pessoas até este momento não estão à vontade com as evidências porque não tem corpo racional, com qualidade, que já tem, não é mais momento para dizer que não tem qualidade”, pontuou. 

A especialista também aproveitou a entrevista para se posicionar em relação à vacina para combater a Covid-19. “Em nenhuma pandemia se investiu tanto só em vacina. Eu não sou contra a vacina. Mas a gente tem que entender que ela é uma prevenção”, defendeu.


Agora RN

Ivermectina: O que já se sabe sobre os benefícios contra a Covid-19

Foto da Internet

Falta consenso científico mundial sobre o assunto, mas há cada vez mais médicos convencidos de que aquela substância (Ivermectina) é uma solução segura e barata contra os efeitos da Covid-19 no nosso organismo.

O Infarmed está a analisar, a Agência Europeia do Medicamento também, mas Germano de Sousa, esse mesmo, o bastonário da Ordem dos Médicos entre 1999 e 2004, especialista em patologia clínica e professor da Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa, já está a tomar. “Uso pessoalmente como uma profilaxia, enquanto aguardo que me chamem para tomar a vacina”, confessou, perante a audiência do webinar recentemente promovido pela Associação Nacional de Farmácias (ANF) sobre o assunto – justificando que, além dos seus 78 anos, o preocupa o facto de todos os dias receber centenas de pessoas no laboratório clínico com o seu nome, suspeitas de estarem infetadas com o coronavírus. E na sua equipa, acrescenta, há mais quatro pessoas a fazer o mesmo. “Há já muitas evidências dos seus benefícios”.

“Enquanto profissionais de saúde e de cidadãos temos o direito e o dever de exigir que as nossas autoridades de saúde tomem uma decisão sobre isto e não fiquem à espera do que dizem as entidades internacionais”, frisa ainda o internista do hospital de S. João no Porto, que já no final do ano passado, questionara também a razão para a Direção Geral da Saúde continuar a recomendar o remdesivir contra a Covid-19, “algo que já não é recomendado pela OMS.” O pior? Continua a não estar “disponível para discutir sobre os fármacos que podem salvar milhares de vidas”.

Divulgada a 10 de fevereiro, aquela sessão da ANF foi convocada para responder às inúmeras dúvidas dos profissionais das farmácias que têm sido confrontadas com um número crescente de prescrições médicas a solicitar a venda daquela substância.

Trata-se de um medicamento antiparasitário aprovado para uso humano desde 1987 e que, em 2015, deu o prémio Nobel da Medicina a dois investigadores, o americano William Campbell e o japonês Satoshi Omura, pelas descobertas sobre o seu uso para combater infeções provocadas por parasitas. Em meados do ano passado, foi apontado em vários estudos clínicos como benéfico no contexto da profilaxia e tratamento dos primeiros sintomas da Covid-19. Disso deram conta também, naquele encontro, os demais médicos que o prescrevem a muitos dos seus doentes – nenhum com registo de hospitalização. “Mas há também resultados de 57 ensaios, todos bastante credíveis”, remata António Ferreira.

Trata-se ainda do mesmo medicamento proposto ao ministério da Saúde no final de 2020 e que criou então algum burburinho. Nessa altura, já um grupo de médicos americanos tinham dirigido um apelo ao Senado para o uso deste fármaco no combate à pandemia, depois de vários casos o sustentarem desde que a substância fora testada in vitro por investigadores australianos que, em 48 horas, conseguiram destruir o coronavírus.

“Não recomendando mais contra o uso de ivermectina, os médicos devem sentir-se mais abertos a prescrever ivermectina como outra opção terapêutica”, lê-se no documento, considerando-se entao que este passo pode abrir caminho para uma futura a aprovação de utilização de emergência pela FDA.

Nas informações acima estão removidas textos de interesses que apenas querem trazer o desespero ao mundo. Pois este blogueiro teve a Covid-19, e não teve gravidades por causa do uso da Ivermectina.

Visão

Ministério da Saúde assina contrato para compra de 20 mi de doses da Covaxin

Bolsonaro descarta substituir Pazuello, apesar de crise na saúde - Prisma -  R7 R7 Planalto
Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS

O Ministério da Saúde assinou, na tarde desta quinta-feira (25), contrato para compra de 20 
milhões de doses da vacina Covaxin junto à Precisa Medicamentos, representante do laboratório indiano Bharat Biotech no Brasil. 

Na manhã desta sexta-feira (26), o laboratório confirmou a assinatura do acordo com a pasta da saúde. A vacina da Covaxin ainda está aguardando autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para realizar os estudos clínicos da fase 3 no Brasil, e ainda não tem eficácia comprovada para aplicação de doses no país. 

O acordo prevê entrega de imunizantes de forma escalonada entre os meses de março e maio.

O investimento total foi de R$ 1,614 bilhão na compra da vacina produzida na Índia. A aquisição permitirá ampliar a vacinação dos brasileiros contra a Covid-19, mas o uso só pode ser feito após a sanção da Anvisa.

Antes de acertar a compra das doses, o Ministério da Saúde dispensou a realização de licitação para a aquisição do imunizante indiano e também da vacina russa Sputnik V.

De acordo com o Ministério da Saúde, as primeiras 8 milhões de doses do imunizante devem começar a chegar no mês de março, em dois lotes de 4 milhões a serem entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato.

Em abril, o governo federal espera receber outras 8 milhões de doses de imunizantes importados da Índia, no prazo de 45 e 60 dias após oficialização da compra. Em maio, é esperado o último lote de doses, com 4 milhões de unidades. 

Distribuição

Março: 8 milhões, sendo 4 milhões + 4 milhões de doses entregues entre 20 e 30 dias após a assinatura do contrato.

Abril: 8 milhões, com 4 milhões + 4 milhões de doses entregues entre 45 e 60 dias após a assinatura do contrato.

Maio: 4 milhões entregues 70 dias após a assinatura do contrato.

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida por institutos indianos foi batizada de
A vacina contra a Covid-19 desenvolvida por institutos indianos foi batizada de Covaxin

Canabidiol: Ministério da Saúde abre consulta pública sobre inclusão de substância no SUS

Folhas da planta cannabis sativa, conhecida como maconha, que dá origem ao canabidiol — Foto: Unsplash
Folhas da planta cannabis sativa, conhecida como maconha, que dá origem ao canabidiol — Foto: Unsplash

Ministério da Saúde abriu uma consulta pública para receber opiniões sobre a inclusão do canabidiol, no Sistema Único de Saúde (SUS), para o tratamento de crianças e adolescentes com epilepsia refratária. As contribuições podem ser feitas até 15 de março, pela internet.

O canabidiol já faz diferença na vidas de famílias do Distrito Federal, que conseguiram o direito de usar a substância (veja abaixo). Agora, a ideia do Ministério da Saúde é ter opiniões, informações e críticas da sociedade e da comunidade científica sobre o tema.

O assunto veio à tona devido à solicitação de uma empresa que quer o canabidiol incluso pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) no Sistema Único de Saúde (SUS). O tema chegou a ser discutido pela pasta no fim do ano passado, porém, a comissão optou por abrir a consulta.

De acordo com a Conitec, 30% dos pacientes com epilepsia são considerados resistentes aos medicamentos. Por isso, o canabidiol seria uma alternativa de tratamento para essas pessoas.

Planta de 'Cannabis sativa', da qual é possível extrair o canabidiol — Foto: Kimzy Nanney/Unsplash

Planta de ‘Cannabis sativa’, da qual é possível extrair o canabidiol — Foto: Kimzy Nanney/Unsplash

A substância em avaliação pelo ministério é chamada comercialmente de Prati-Donaduzzi, um produto de cannabis que não tem tetrahidrocanabinol (THC) – principal substância psicoactiva encontrada nas plantas do gênero cannabis. O produto tem relatório técnico feito pela Conitec e um pedido de incorporação ao SUS produzido pela Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde do Ministério da Saúde (SCTIE/MS).

As contribuições da sociedade serão analisadas pela Conitec. “A expectativa é que sejam apresentadas informações sobre o uso da tecnologia em avaliação, sejam como relatos de experiência ou evidências científicas, que possam contribuir para recomendação final da Comissão”, informou a pasta.

G1

Covid-19: Quase 360 mil pessoas procuraram socorro com sintomas sem ser a doença, sendo apenas síndrome do pânico

Nominuto.com - Portal de notícias e artigos
Foto ilustrativa

De acordo com os números apresentados pela Sesap/RN cerca de quase 360 mil pessoas que chegam aos prontos socorros com os sintomas da doença não são da Covid-19, pois a situação de pânico pregada pela imprensa nacional, de medo, de pavor, deixa muita gente nervosa, findando sofrendo os sintomas e procurando o socorro, sendo apenas síndrome do pânico.

A grande mídia poderia ajudar mais acalmando as pessoas.

RN registra mais 47 internações por causa da Covid-19, 7 óbitos nas últimas 24 horas, 118.035 curados

RN tem 163.515 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Alex Régis
RN tem 163.515 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Alex Régis

O último boletim da Sesap/RN anuncia que houve 7 mortes causado pela Covid-19, nas últimas 24 horas, houve 47 novas internações, mas já contam com quase 120 mil curados, isso sem contar os que adoeceram e não foram nem as UPAs e hospitais.

O número de pessoas internadas por causa da Covid-19 no RN subiu de 697 para 741, sendo 472 na rede pública e 269 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 83,3% na rede pública e segue em 100% na rede privada.

O que chama a atenção nesses números é que quase 360 mil pessoas que chegam aos prontos socorros com os sintomas não são da Covid-19, pois a situação de pânico pregada pela imprensa nacional, de medo, de pavor, deixa muita gente nervosa, findando sofrendo os sintomas e procurando o socorro, sendo apenas síndrome do pânico.

Covid-19: Por falta de investimentos do governo do RN a ocupação de UTIs aumentou; públicas passa de 90%, na rede privada tem 100% de lotação em leitos críticos

Ocupação de leitos críticos para pacientes com Covid acima de 80% em todas as regiões do Rio Grande do Norte. — Foto: Regula RN
Ocupação de leitos críticos para pacientes com Covid acima de 80% em todas as regiões do Rio Grande do Norte. — Foto: Regula RN

A governadora Fátima Bezerra (PT)( continuou sem nada fazer em favor do Estado do Rio Grande do Norte, pois como governante deveria está pronta para a situação atual. Mas assim como o cidadão comum, o governo que coloca medidas infundadas desde março do ano de 2020, nada fez para que as pessoas pudessem ser atendidas melhor um ano depois dos primeiros fatos.

A região metropolitana de Natal chegou a uma ocupação de 92% dos leitos de UTI para Covid-19 na manhã desta quinta-feira (25). Já o boletim da Secretaria de Saúde do Estado divulgado na noite desta quarta-feira (24) registrava que 100% dos leitos críticos nos hospitais da rede privada também estavam ocupados.

No estado, a taxa de ocupação na rede pública ficou em 88,7%, com todas as regiões potiguares apresentando ocupação acima dos 80%. Os dados são do sistema Regula RN, que monitora em tempo real a disponibilidade de leitos na rede pública de saúde.

Por volta das 10h, o sistema Regula RN apresentava uma lista de espera com 25 pacientes que precisavam de leitos críticos, porém a capital e municípios vizinhos contavam apenas com 16 leitos disponíveis na rede pública. Cinco pacientes já regulados aguardavam transporte para um leito. No estado como um todo, eram 31 leitos disponíveis.

Pelo menos 12 hospitais estavam com todos seus leitos críticos ocupados. Em Natal, o Hospital Giselda Trigueiro, o Hospital de Campanha do município e o Hospital Universitário Onofre Lopes estavam com 100% de ocupação. O João Machado ainda contava com 2 UTIs disponíveis e outras 24 ocupadas.

Do total de 287 leitos críticos no sistema público de saúde do estado, 243 estavam ocupados pela manhã e 13 bloqueados. A pressão aumentou mesmo com o incremento do número de leitos. No dia 24 de novembro, o estado tinha 192 leitos operacionais contra Covid-19. Três meses depois, eram 274 nesta quarta-feira (24).

G1RN

.

Hospitais particulares de Natal estão com mais de 90% dos leitos críticos para Covid-19 ocupados

Hospital Rio Grande, em Natal, tem 100% de ocupação — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi
Hospital Rio Grande, em Natal, tem 100% de ocupação — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Os principais hospitais particulares de Natal iniciaram esta segunda-feira (22) com mais de 90% dos leitos críticos para Covid-19 ocupados. O aumento nas unidades privadas acompanha a lotação dos hospitais públicos, que já atinge mais de 90% na Grande Natal e mais de 80% no Rio Grande do Norte.

Quem também passa a sofrer pressão nos leitos para a doença são as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital. A UPA Cidade Satélite amanheceu a segunda-feira com 105% de lotação.

Entre os hospitais privados, o Hospital Rio Grande informou que todos 17 leitos de UTI para Covid-19 e os 20 semi-intensivos estão completamente ocupados. A diretoria do hospital disse ainda que o pronto socorro da unidade teve aumento de 30% no número de atendimentos na semana passada.

No Hospital São Lucas, a ocupação também está em 100% nos leitos para Covid-19, segundo a direção da unidade. O hospital informou ainda que a procura de pacientes com síndrome respiratória cresceu e que, no pronto socorro, o aumento chegou a até 90% nos últimos dias.

Outra unidade em que o atendimento no pronto-socorro aumentou foi o Hospital do Coração. No domingo (21), o hospital precisou fechar o pronto-socorro por 4 horas por não comportar o número de pacientes.

Segundo a direção do hospital, a segunda-feira (22) começou com todos os leitos Covid-19 ocupados. À tarde, a UTI tinha 95% da ocupação.

Já o Hospital da Unimed suspendeu as cirurgias eletivas pelos próximos 14 dias, sendo mantidas apenas as as obstétricas e oncológicas. A unidade não informou qual a porcentagem de ocupação dos leitos críticos, mas disse que está funcionando com quase toda a capacidade, e informou que deve aumentar a capacidade de atendimento em 25% para suportar a demanda, além de abrir novos leitos.

No Hospital Antônio Prudente, do sistema Hapvida, a ocupação nos leitos de UTI para Covid-19 é de 76%.

UPAs têm aumento na ocupação

A situação nas UPAs em Natal também preocupam. Na UPA Cidade Satélite, nesta segunda-feira (22), a ocupação dos leitos Covid-19 chegou a 105%, segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Natal. Quem procurou a unidade teve dificuldade até para ser atendido.

UPA Cidade Satélite, em Natal, tem ocupação de leitos acima de 100% — Foto: Sérgio Henrique Santos

UPA Cidade Satélite, em Natal, tem ocupação de leitos acima de 100% — Foto: Sérgio Henrique Santos

Nas outras UPAs da capital, houve um aumento de ocupação e atendimento, apesar de não apresentarem superlotação.

Na UPA Potengi, na Zona Norte de Natal, a ocupação era de 75% na manhã desta segunda-feira. Na UPA Pajuçara, era de 60%, a mesma ocupação da UPA Cidade da Esperança.

Outra unidade que tem ocupação alta neste inicio de semana é o Hospital dos Pescadores, no bairro das Rocas. Nesta segunda-feira, a ocupação chegou a 90%.

G1RN

Assembleia Legislativa do RN registra 46 casos de Covid-19; três deputados são infectados; estão todos bem

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem 46 casos confirmados entre servidores e parlamentares — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem 46 casos confirmados entre servidores e parlamentares — Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem 46 casos casos confirmados de Covid-19, uma preocupação para servidores e parlamentares. No ano passado, cinco funcionários da ALRN morreram por causa da doença.

Entre os casos confirmados de Covid-19 na Assembleia, três são parlamentares: Getúlio Rêgo (DEM), Kelps Lima (Solidariedade) e Isolda Dantas (PT). Os três se recuperam em casa, cumprindo o isolamento.

Getúlio Rêgo testou positivo há duas semanas, quando cancelou a agenda política e publicou comunicado em uma rede social. “Estou clinicamente bem, apenas com alguns sintomas gripais”, postou. Por telefone, neste sábado (20), o deputado comemorou a recuperação. “Estou sem febre, respirando normal, recuperando o apetite. A doença é muito debilitante, mas a gente está cumprindo os protocolos, isolado. Já estou no 14º dia, e, graças a Deus, a evolução está muito boa”.


Kelps Lima testou positivo no último dia 13 e afirmou que está recolhido em casa desde o dia 11. Os sintomas são leves e ele está sob orientação médica.

Isolda Dantas é o caso mais recente. Ela informou que testou positivo para Covid na sexta-feira (19). Na véspera, a deputada do PT cumpriu agenda política em Pau dos Ferros. Usando máscara, esteve, inclusive, ao lado da governadora Fátima Bezerra (PT), de secretários estaduais e da prefeita de Pau dos Ferros, Marianna Almeida. Segundo a assessoria, “Isolda permanece em casa, em Mossoró, o estado de saúde é muito bom e sem necessidade de internação”.

Segundo a assessoria da ALRN, nem todas as pessoas se contaminaram presencialmente no Palácio José Augusto. Nos gabinetes dos deputados, as atividades são de terça a quinta-feira. Nos outros quatro dias da semana, os funcionários destes gabinetes têm atividades externas e viajam para municípios do interior. De segunda a sexta-feira, apenas os setores administrativos da Assembleia funcionam.

De acordo com a Assembleia Legislativa, quem testa positivo ou tem contato com caso suspeito imediatamente é afastado do trabalho por 14 dias. Diz também que cumpre todas as medidas sanitárias necessárias para evitar a propagação da doença, como uso obrigatório de máscaras, aferição de temperatura e uso de álcool-gel.

Em nota, destacou que “os casos de COVID-19 em todo o Rio Grande do Norte, no Brasil e no mundo continuam sendo registrados. O mais recente levantamento da Assembleia Legislativa lista cerca de 40 servidores que estiveram acometidos da doença, que já se recuperaram ou estão em processo de recuperação. Este ano, a Assembleia não registrou nenhum óbito de servidor”.

G1RN

UFRN confirma que novas variantes do coronavírus estão em circulação no Rio Grande do Norte

Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), coronavírus — Foto: Anastácia Vaz
Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), coronavírus — Foto: Anastácia Vaz

O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) confirmou neste sábado (20) que novas variantes do coronavírus estão circulando no Rio Grande do Norte. A pesquisa foi realizada por meio do sequenciamento genético e está analisando 91 amostras do SARS-CoV-2, provenientes do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

De acordo com o IMT, com materiais genéticos coletados nos meses de dezembro de 2020 e janeiro e fevereiro de 2021, foi possível identificar a linhagem P1, que foi inicialmente encontrada em Manaus, além da linhagem P2, descrita no Rio de Janeiro e que está se disseminando pelo Brasil.

A diretora do IMT-UFRN, Selma Jerônimo, conta que as amostras foram coletadas em dezembro de 2020 e as variantes vêm circulando no Nordeste desde esse período, o que mostra a importância da manutenção da vigilância. Como as novas mutações do vírus estão associadas a uma possível maior dispersão, ela também reforça a importância das medidas de prevenção, como distanciamento social, higiene das mãos e uso de máscaras.

A pesquisa foi financiada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e pelo Ministério da Educação (MEC), com a colaboração de pesquisadores do Laboratório de Bioinformática do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC-MCTI), Ana Tereza Vasconcelos; do IMT-UFRN, Selma Jerônimo e Francisco Freire; do Departamento de Biologia Celular e Genética (DBG-UFRN), Lucymara Fassarella Agnez Lima e Katia Castanho Scortecci; além do Laboratório de Biologia Molecular da Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Selma Jerônimo também alertou sobre o “aumento importante” na quantidade de testes positivos para Covid-19 desde dezembro de 2020, chegando a 64% de exames positivos realizados pela unidade em fevereiro de 2021.

G1RN

RN registra 157.422 casos confirmados e 4 mortes por Covid-19

RN tem 157.422 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Reprodução/EPTV
RN tem 157.422 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Reprodução/EPTV

O Rio Grande do Norte tem 157.422 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia. Foram registradas 3.424 mortes provocadas pela doença no estado. Os dados estão no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap) desta quarta-feira (17).

Em relação ao boletim de terça-feira (16), são 272 novos casos registrados e oito mortes a mais – sendo quatro ocorridas nas últimas 24 horas, em Natal (2), São Gonçalo do Amarante (1) e João Câmara (1).

O estado tem ainda 73.756 casos suspeitos da doença e outros 352.494 descartados. O número de confirmados recuperados segue em 108.220, e o de inconclusivos, tratados como “Síndrome Gripal não especificada”, também se manteve em 65.816.

De acordo com o boletim, 537 pessoas estão internadas no RN por causa da Covid-19, sendo 354 na rede pública e 183 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 63,4% na rede pública e de 73,2% na rede privada.

A Sesap informa ainda que 401.842 testes de Covid-19 foram realizados em todo o estado, sendo 212.252 RT-PCR (conhecidos também como Swab) e 189.590 sorológicos.

Números do coronavírus no RN

  • 157.422 casos confirmados
  • 3.424 mortes
  • 73.756 casos suspeitos
  • 352.494 casos descartados
  • 108.220 confirmados recuperados

G1RN

Vacinação de idosos com idade igual ou superior a 83 anos começa nesta terça-feira em Salvador

Vacinação de idosos com idade igual ou superior a 83 anos começa nesta na terça-feira em Salvador.  — Foto: Bruno Concha/Secom
Vacinação de idosos com idade igual ou superior a 83 anos começa nesta na terça-feira em Salvador. — Foto: Bruno Concha/Secom

A vacinação de idosos com 83 anos ou mais começa nesta terça-feira (16), em Salvador, conforme divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde. Os pontos fixos e drivers-thru funcionarão das 8h às 13h.

As doses estarão disponíveis exclusivamente para os idosos nos drive-thrus do 5º Centro de Saúde, nos Barris; Atakadão, em Fazenda Coutos e no Parque de Exposições, na Paralela.

As salas de vacina do 5ª Centro, USF Plataforma e USF Cajazeiras X também atenderão o público-alvo.

Os idosos que não estão na lista disponibilizada no site da SMS deverão fazer o recadastramento do SUS através do endereço recadastramento.saude.salvador.ba.gov.br ou diretamente no 5ª Centro de Saúde. Neste caso, se o idoso estiver presente no ato do recadastramento poderá ser imunizado.

Vacina Express

Equipes volantes estão realizando imunização domiciliar para idosos acamados ou com dificuldade de locomoção, seguirão com a estratégia de imunização em casa nesta terça para o público agendado. Só poderão fazer a solicitação do serviço domiciliar os idosos que estejam nas faixas etárias da campanha.

Segunda dose

A segunda dose da vacina CoronaVac também começa a ser aplicada nesta terça em Salvador, para quem recebeu a primeira dose em 19 de janeiro, segundo informação do Secretário Municipal da Saúde, Léo Prates, anunciadas no dia 12 de fevereiro.

O esquema da segunda dose vai começar pelos profissionais da saúde da linha de frente, idosos acima de 60 anos que vivem em asilos e indígenas aldeados, que são os grupos imunizados na primeira etapa da vacinação.

Veja mais notícias do estado no G1 Bahia.

Covid-19: Óbitos permanecem em menos de 2,2% dos infectados confirmados no mundo

O coronavírus segue seu curso natural, infectando as pessoas e causando uma imunidade de rebanho, todavia, os óbitos têm permanecido em menos de 2,2% dos contaminados confirmados em todo mundo. Previsão dita pela a maioria dos cientistas mais sérios.

O site denominado de Mapa Covid regista hoje, 14, que foram infectados 108.576.068 pessoas em todo o mundo, com 2.394.694 de mortos, isto é, menos de 2,2%.

No Brasil as contaminações e mortes seguem as mesmas proporções mundiais, pois até esta data, 14, registou-se a infectação de 9.809.754 pessoas, com 238.532 óbitos.

Todavia mantem uma proporção de recuperados em quase 9 milhões de pacientes, possivelmente devido o uso da profilaxia, Ivermectina e Azitromicina, estando em primeiro lugar o país da Índia, que tem uma população que atinge quase 1,5 bilhões de habitantes.

Natal mantém vacinação contra Covid-19 em ponto de drive-thru durante carnaval

Durante o carnaval, vacinação dos profissionais da saúde acontecerá apenas em drive-thru no Via Direta, em Natal — Foto: Sara Cardoso/Inter TV Cabugi
Durante o carnaval, vacinação dos profissionais da saúde acontecerá apenas em drive-thru no Via Direta, em Natal — Foto: Sara Cardoso/Inter TV Cabugi

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal informou que vai continuar a aplicação da segunda dose da vacina CoronaVac nos profissionais de saúde durante o carnaval. De segunda (15) a quarta-feira (17), o único ponto de imunização em funcionamento será o do Shopping Via Direta, no horário das 8h às 16h – tanto para vacinação de pedestres quanto para receber veículos em esquema de drive-thru.

Os outros dois pontos de drive-thru – no ginásio Nélio Dias e na Arena das Dunas – seguirão o ponto facultativo decretado pela prefeitura e só retomam o atendimento na quinta-feira (18).

A SMS lembra que nesta sexta-feira (12) os três drives funcionam normalmente, das 8h às 16h.

George Antunes, secretário municipal de Saúde de Natal, afirmou que “essa medida é necessária uma vez que esse tipo de vacina contra a Covid-19, a CoronaVac, requer um reforço de até 28 dias de acordo com a bula do imunobiológico”.

“A gente pede que aqueles profissionais que se vacinaram na primeira fase verifiquem o cartão vacinal e se atentem ao prazo para retornar nos pontos e receber a segunda dose. Dessa forma, a gente garante uma imunização eficaz e tem certeza de estar no caminho certo para atingir a imunidade coletiva”, explicou.

Idosos

A SMS também garantiu que, durante o carnaval, também fará a aplicação da dose de CoronaVac nos idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPIs). Serão vacinados 492 idosos que residem em 21 instituições.

Também está mantida a continuidade da aplicação da primeira dose nos idosos acamados com 75 anos e mais no município no mesmo período – a SMS recebeu solicitação para vacinar 1.535 idosos. Ainda há o cadastro de acamados que são acompanhados pelas unidades básicas no próprio bairro.

A secretaria lembra que a vacinação dos idosos acamados acontece exclusivamente na casa onde residem, com equipes de estratégia de saúde da família ou do DVS, que vão paramentados e identificados até a casa desses pacientes. O responsável é comunicado por mensagem indicando o dia da visita.

G1RN