Category: Saúde

Walfredo Gurgel é o primeiro hospital do NE a implantar telemedicina

telemedicina-walfredo

Mais uma parceria entre o Ministério da Saúde (MS) e o Hospital Israelita Albert Einstein traz benefícios à assistência prestada aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que chegam ao Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG). Através do envio de informações sobre a condição de saúde do paciente, uma interação entre profissionais médicos (um do hospital e um do Einstein) proporcionará a conclusão de um diagnóstico com maior segurança. O Walfredo Gurgel é o primeiro hospital do NE a contar com a nova tecnologia.

O sistema funciona através de uma máquina que realiza uma conferência com áudio e vídeo. A ideia é que este contato com um outro profissional possa servir como uma segunda opinião, nas situações em que o médico não tiver totalmente certo sobre que procedimentos deve adotar com determinado paciente.

Os primeiros testes e treinamentos aconteceram durante a terça-feira (19). Pela manhã, um paciente foi avaliado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Bernadete e a conversa aconteceu entre os médicos sem intercorrências na comunicação. À tarde, um novo teste na UTI Geral também obteve sucesso.

Pesquisadores da UFRN descobrem genes associados aos cânceres de ovário, do colorretal e da leucemia mieloide

pesquisadores

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) participaram do estudo que mapeou quais genes são inibidores da formação e do desenvolvimento dos cânceres de ovário, do colorretal e da leucemia aguda mieloide. A descoberta está ligada aos supressores de instabilidade do genoma, responsáveis por manter o equilíbrio, ou seja, de diminuir a taxa de mutações nas células e o surgimento de doenças, entre elas os tumores.

Os professores do Instituto do Cérebro (ICe), Sandro José de Souza, do Instituto Metrópole Digital (IMD), Jorge Estefano Santana de Souza, e o aluno de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Bioinformática, André Fonseca, juntamente com especialistas da Universidade da Califórnia (EUA) utilizaram técnicas da Genética, para definir quais genes são supressores da instabilidade no modelo de levedura (fungos utilizados na fermentação de pães e da cerveja) e da Bioinformática, que permitiu estudar esses genes em diferentes tipos de tumores humanos.

Na opinião de Sandro José de Souza, o estudo veio contribuir com o “desenvolvimento de terapias, cujos alvos seriam os supressores de instabilidade. Qualquer agente terapêutico que tenha como alvo o restabelecimento da função de um supressor teria um impacto na clínica”, vislumbra.

A pesquisa foi publicada na revista Nature Communications. O próximo passo é estudar o mesmo grupo de genes em cerca de 15 outros tipos de câncer. Além dos pesquisadores da UFRN, Sandro José de Souza, Jorge Estefano Santana de Souza e André Fonseca, a descoberta contou com as participações de cientistas da Universidade da Califórnia, que são Christopher D. Putmam, Anjara Srivatsan, Rahul V. Nene, Sandra L. Martinez, Sarah P. Clotfelter, Sara N. Bell, Steve B. Somach e Richard D. Kolodner.

Secretaria de Saúde antecipa vacinação contra H1N1 no RN

antecipa_gripe

A Secretaria de Saúde do Rio Grande do Norte (Sesap) antecipou para o dia 25 de abril o início da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza (H1N1). Durante a campanha, serão imunizados grupos prioritários. A campanha segue até o dia 20 de maio.

Devem ser imunizados idosos, crianças de 6 meses até 5 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias pós-parto), trabalhadores da área da saúde, povos indígenas, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional e adolescentes e jovens sob medida socioeducativas (12 a 21 anos).

Na última sexta-feira (14), o Programa Nacional de Imunizações (PNI) realizou o repasse de parte das doses destinadas ao RN. A população a ser vacinada no estado é de 776.019 mil pessoas, de acordo com dados do Programa Estadual de Imunizações da Sesap.

Do G1

Em ‘conversa tranquila’, secretário de Saúde do RN põe cargo à disposição

16/04/2016 13h06 - Atualizado em 16/04/2016 13h09 Em 'conversa tranquila', secretário de Saúde do RN põe cargo à disposição Assessoria diz que Lagreca deve ficar até o governador nomear substituto. 'Prevaleceu o entendimento e o reconhecimento ao trabalho realizado', diz. Do G1 RN FACEBOOK Ricardo Lagreca concedeu entrevista nesta quinta em Natal (Foto: Divulgação/Sesap) Ricardo Lagreca colocou cargo à disposição do governador Robinson Faria (Foto: Divulgação/Sesap)

O secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, médico José Ricardo Lagreca, colocou o cargo à disposição do governador Robinson Faria. Segundo a assessoria de comunicação do governo, o fato aconteceu em meio a uma “conversa tranquila, em que prevaleceu o entendimento e o reconhecimento ao trabalho realizado”.

Segundo nota enviada à imprensa neste sábado (16), a assessoria afirma que o secretário assegurou que permanecerá à frente da pasta, ainda na condução da Saúde estadual, “até que seja definido um novo nome”. O motivo da saída, no entanto, não foi revelado.

A assessoria complementa que o governador deverá anunciar o substituto de Lagreca nos próximos dias.

Mortes causadas por H1N1 chegam a 91 em SP; vacinação atinge 1/3 da meta

9rwdz5llqf_2yd9j1vuwl_file

Notícias R7 – Em uma semana, o número de mortes confirmadas por gripe H1N1 no Estado de São Paulo subiu de 70 para 91, alta de 30%, conforme balanço divulgado nesta sexta-feira (15), pela Secretaria Estadual da Saúde. O número é nove vezes maior do que o registrado em todo o ano passado, quando dez pessoas morreram pela doença. O medo do surto precoce nas cidades paulistas teve reflexo na adesão à campanha de vacinação contra a gripe, iniciada no dia 4 para profissionais de saúde e no dia 11 para idosos, gestantes, crianças e indígenas da capital e da região metropolitana. Em duas semanas de imunização, 36% do público-alvo já foi vacinado.

O balanço mais recente da secretaria mostra ainda que já foram notificados 715 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) causados pelo H1N1 neste ano, ante 33 registrados em todo o ano de 2015. Tratam-se dos relatos graves da doença, que exigem internação. Somados todos os tipos de gripe, o Estado já acumula 886 casos de SRAG e 96 óbitos.

Também ontem a secretaria divulgou que 1,6 milhão já recebeu a vacina contra a gripe no Estado de São Paulo, somados os públicos-alvo da capital, da Grande São Paulo e de 67 municípios da região de São José do Rio Preto, onde o surto teve início. O número é 74% maior do que o público vacinado na primeira semana da campanha do ano passado, quando o produto já estava disponível para todos os grupos de risco e em todo o Estado. Na ocasião, 916 mil pessoas foram imunizadas.

Neste ano, ainda não foi iniciada a vacinação para doentes crônicos e puérperas (mulheres que deram à luz há menos de 45 dias) da capital e da Grande São Paulo, que começarão a ser imunizados na próxima segunda-feira, e para o restante dos paulistas que fazem parte dos grupos de risco mas que não moram em nenhuma das regiões onde o imunizante foi oferecido de forma antecipada. Estes só poderão imunizar-se a partir do dia 30, quando a campanha nacional será iniciada.

Comparando os balanços da primeira semana de campanha de 2015 e 2016, é possível ver que o maior crescimento na adesão aconteceu nos grupos dos profissionais de saúde e das crianças. No ano passado, foram 70,8 mil trabalhadores e 123,9 mil crianças imunizadas. Neste ano, já são 402,3 mil e 396,2 mil, respectivamente. Podem ser vacinados maiores de 6 meses até 5 anos incompletos.

Já entre os idosos, o número de imunizados passou de 576 mil para 779 mil no período analisado. No grupo de gestantes, a adesão cresceu de 46,7 mil para 65,2 mil, mesmo com os números do ano passado incluindo também puérperas.

Boa notícia

Para Renato Kfouri, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a alta adesão à campanha já era esperada com o aumento de casos da doença e deve ser comemorada. “É bastante prudente essa procura antecipada porque, depois de aplicada, a vacina ainda demora cerca de três semanas para fazer efeito, então, quanto antes os grupos de risco se imunizarem, mais cedo teremos a população protegida.”

O especialista afirma que a expectativa é de que a meta governamental de vacinar 80% do público-alvo seja atingida daqui a duas semanas no Estado de São Paulo. “No ano passado, só chegamos a esse índice no fim de junho. Infelizmente, nossa cultura é de se preocupar com um problema somente depois que ele aparece”, diz. Conforme o Estado mostrou no fim de março, o índice de paulistas vacinados contra a gripe em 2015 foi o menor dos últimos três anos.

Presidente Dilma sanciona lei que libera ‘pílula do câncer’

fosfoetanolamina

Apesar de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter visto com preocupação a liberação sem garantia de eficácia e segurança, a presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou a lei que autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética, apelidada de “pílula do câncer”, por pacientes diagnosticados com tumores malignos.

A sanção da lei número 13.269, de 13 de abril de 2016, foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (14). O artigo 1º destaca que “esta Lei autoriza o uso da substância fosfoetanolamina sintética por pacientes diagnosticados com neoplasia maligna”.

O artigo 2º ressalta, porém, que só “poderão fazer uso da fosfoetanolamina sintética, por livre escolha”, os pacientes que apresentarem “laudo médico que comprove o diagnóstico” e “assinatura de termo de consentimento e responsabilidade pelo paciente ou seu representante legal”.

Aprovação no Congresso
O Senado aprovou no dia 22 de março, em votação simbólica, o projeto de lei que permite a fabricação, distribuição e o uso da fosfoetanolamina sintética. Como não houve alterações ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados, o projeto seguiu para a sanção presidencial.

Desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) para o tratamento de tumor maligno, a substância é apontada como possível cura para diferentes tipos de câncer, mas não passou por esses testes em humanos e não tem eficácia comprovada.

“Ficam permitidas a produção e manufatura, importação, distribuição e prescrição, dispensação, posse ou uso da fosfoetanolamina sintética, direcionadas aos usos de que trata esta lei, independentemente de registro sanitário, em caráter excepcional, enquanto estiverem em curso estudos clínicos acerca dessa substância”, diz o texto.

O projeto ressalva, porém, que a produção da “pílula do câncer” só pode ser feita por “agentes regularmente autorizados e licenciados pela autoridade sanitária competente”.

Surgimento da pílula
A fosfoetanolamina sintética começou a ser estudada no Instituto de Química da USP em São Carlos, pelo pesquisador Gilberto Chierice, hoje aposentado. Apesar de não ter sido testada cientificamente em seres humanos, as cápsulas foram entregues de graça a pacientes com câncer por mais de 20 anos.

Em junho do ano passado, a USP interrompeu a distribuição e os pacientes começaram a recorrer da decisão na Justiça. Em outubro deste ano, a briga foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou a produção e distribuição do produto.

Mas, desde novembro, por causa de uma nova decisão judicial, a distribuição da substância estava proibida. A polícia chegou a fechar um laboratório em Conchal (SP), que estava produzindo ilegalmente a substância.

Fechamento laboratório
A Universidade de São Paulo (USP) tinha fechado no dia 1º de abril o laboratório de São Carlos que produzia a fosfoetanolamina sintética.

Salão Wanuzia & Melo participa do dia da beleza das mães do GACC

download

O Salão Wanuzia e Melo participa, mais uma vez, do Projeto Mãe Luz que tem como objetivo resgatar a autoestima das mães de crianças carentes assistidas pelo Grupo de Apoio à Criança com Câncer do Rio Grande do Norte – GACC-RN.

Na manhã desta terça (13) e quarta-feira (14), a partir das 9 horas, seis mães serão transformadas no Salão Wanuzia & Melo para que possam participar de um ensaio fotográfico. Elas terão direito a todo procedimento de beleza que for necessário para quem fiquem ainda mais belas como corte de cabelo, relaxamento, manicure, maquiagem, escova e até mesmo penteado, se for o caso.

O Salão Wanuzia & Melo entende que a mulher quando se sente bem, arrumada, com a autoestima elevada, fica mais fortalecida e, neste caso específico, são mulheres que necessitam muito mais de atenção, carinho e afeto.

Câncer

O Câncer Infantil é uma doença que demanda um longo tratamento, invasivo e doloroso. Na maioria dos casos, as mães são acompanhantes de dedicação exclusiva dos filhos. As mães e seus filhos passam juntos por fases desgastantes em um processo devastador onde o amor próprio é testado. Neste momento, é fundamental estimular seu apreço e os cuidados com seu bem estar físico e mental. 

Projeto

O ponto alto do projeto será a exposição com as fotografias desta e das edições anteriores, que acontecerá no shopping Midway Mall no próximo mês de Maio, em alusão ao Dia das Mães.

Donos de imóveis fechados têm 48h para marcar visita da SMS em Natal

650x375_casas-focos-de-dengue-em-feira_1542674

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) estabeleceu um prazo de 48 horas para que os proprietários de imóveis fechados agendem uma visita do agente de endemias para que seja feito o trabalho de combate e controle do mosquito Aedes aegypti. A SMS tem uma lista de pelo menos 40 imóveis que estão fechados.

O prazo para os proprietários dos imóveis entrarem em contato com a SMS é de 48 horas a contar a partir desta segunda-feira (11). Os proprietários devem entrar em contato com os telefones 0800 281 4031, 3232-8176 ou 3232-8608.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde de Natal, Juliana Araújo, explica que o não agendamento do proprietário, resultará na aplicação de medidas legais como “a entrada forçada em imóveis públicos e particulares, em caso de abandono ou ausência, e, ainda na aplicação de penalidades cabíveis”.

Confira a lista dos imóveis fechados:

Rua Amapolas, 593, Mirassol;

Rua Padre João Maria, 426, Felipe Camarão

Rua Areia, vizinho ao nº 12, Cidade da Esperança;

Rua Célio Petrovich, 14, Quintas;

Rua do Motor, 14, Quintas;

Rua Jornalista Djair Dantas Pereira de Macedo, 1383, lagoa Nova;

Rua Humberto de Campos, 107, Cidade Satélite;

Rua Ouro Branco, 34, Jiqui, Neópolis;

Rua das Crendices, 1006, Lagoa Azul;

Rua Euclides da Cunha, 425, Pitimbu;

Avenida Deodoro da Fonseca,vizinho ao nº 760, Cidade Alta;

Rua Humberto Monte, 1948, Candelária;

Rua dos Imigrantes, vizinho ao nº 532, Pajuçara II;

Rua Deputado Marcílio Furtado, 255, Pitimbu;

Rua Ângelo Varela, vizinho ao nº 1111, Tirol;

Rua Henry Koster, 1026, Tirol;

Rua Praia de Boa Viagem, 2226, Ponta Negra;

Rua Vale do Miranda, 1732, Tirol;

Rua Miraí, 117, Felipe Camarão;

Rua Aníbal Correia, 2679, Candelária;

Rua Monte Sinai, 1828, Capim Macio;

Rua Santa Sé, 46, Santarém;

Rua Otávio Lamartine, 506 A, Petrópolis;

Rua Jardim Acácia, 587, Parque dos Coqueiros;

Rua Amapolas, 563, Mirassol;

Rua Senador José Ferreira de Souza, 1944, Candelária;

Rua Serra do Tomabdor, 7933, Pitimbu;

Rua Itararé, 284, Lagoa Azul;

Rua Guilherme Tinoco, 1261, Barro Vermelho;

Rua Guilherme Tinoco, 1264, Barro Vermelho;

Rua Guilherme Tinoco, 1251, Barro Vermelho;

Rua Sargento Ovídio, 586, Barro Vermelho;

Rua Francisca Paula Alves, 1182, Barro Vermelho

Rua Rio Curuá, 7714, Cidade Satélite;

Rua Professor Fontes Galvão, 720, Petrópolis;

Rua Açu, 560, Petrópolis;

Rua Monsenhor José Paulino, 1056, Tirol;

Avenida Alexandrino de Alencar, 1262, Tirol;

Rua Rio Curuá, 7714, Cidade Satélite;

Rua Cachoeirinha, 110, Nossa Senhora da Apresentação.

Estudantes distribuem repelente natural contra Aedes aegypti em Natal

Estudantes produzem repelente natural Natal (Foto: Lili Oliveira)
Estudantes produzem repelente natural Natal (Foto: Lili Oliveira)

G1 – Estudantes de Natal produziram um repelente natural que combate a ação do Aedes aegypti, mosquito que transmite dengue, chikungunya e zika. Com baixo custo e produção rápida, o repelente tem como base o cravo da índia, que possui propriedades que ajudam na prevenção do mosquito. Os alunos da 2ª série do Ensino Médio do Colégio Nossa Senhora das Neves confeccionaram cerca de mil frascos do repelente.

O material será distribuído nesta quinta-feira (7), quando se comemora o Dia Mundial da Saúde, nos intervalos das aulas nos turnos matutino, vespertino e noturno. Um grupo de estudantes ainda fará uma encenação sobre as causas e consequências das doenças transmitidas pelo Aedes no pátio da escola. O objetivo é conscientizar e mobilizar alunos, pais, professores e funcionários da instituição.

O repelente foi desenvolvido no laboratório de ciências do colégio e passou por um processo de pesquisa, criação, observação e teste na própria instituição. Os jovens usaram cravo da índia, que foi manipulado com álcool de cereais e misturado ao óleo corporal de amêndoas. Todos os produtos utilizados são de origem vegetal e qualquer pessoa pode usar, inclusive, mulheres grávidas e bebês a partir do segundo mês de vida.

Ao longo da semana também serão desenvolvidas atividades específicas para cada nível de ensino como palestras, entrega de panfletos, confecção de cartazes, vídeos que serão veiculados na internet e no circuito interno de TV da instituição, elaboração de cordéis, além da vistoria para combater possíveis criadouros do mosquito. A programação faz parte da Semana Nacional de Mobilização de combate ao mosquito Aedes aegypti, promovida pelo Ministério da Educação em parceria com a Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec).

A quem interessa deter a “pílula do câncer”?

Exame – USP lacra o laboratório da “pílula do câncer”
Pílula: o encerramento da produção teria sido determinado pelo reitor da universidade, Marco Antonio Zago
Pílula: o encerramento da produção teria sido determinado pelo reitor da universidade, Marco Antonio Zago

São Carlos – A Universidade de São Paulo (USP) lacrou o laboratório em São Carlos, interior paulista, que vinha produzindo a fosfoetanolamina sintética, a polêmica “pílula do câncer”.

A substância, que estava sendo fabricada no Instituto de Química, vinha sendo entregue a pacientes que obtiveram na Justiça liminar para seu uso.

Nesta semana, porém, advogados e pacientes que foram à USP encontraram o laboratório fechado.

Funcionários contaram que a universidade não tem mais como cumprir as decisões judiciais porque a substância parou de ser produzida e não há mais estoque.

O encerramento da produção teria sido determinado pelo reitor da universidade, Marco Antonio Zago.

A fosfoetanolamina não passou por testes clínicos, não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e não é considerada um medicamento.

Em nota oficial, a USP informou que lacrou o laboratório porque a produção ficava a cargo de um único servidor técnico – um químico -, que foi cedido à Secretaria Estadual de Saúde, a pedido, para auxiliar na produção da substância para testes de uso terapêutico.

A nota informa também que a patente da substância pertence a um professor aposentado da USP e a outras pessoas, de modo que a universidade não pode produzir a substância, sob pena de responsabilização penal.

“Por fim, ressaltamos que a USP não é uma indústria química ou farmacêutica e não tem condições de produzir essa substância em larga escala.”

O professor aposentado Gilberto Chierice, químico que desenvolveu a fórmula usada na pílula, foi denunciado à polícia pela Procuradoria-Geral da USP por curandeirismo e crime contra a saúde pública.

A reportagem procurou a USP NA , para detalhar o caso e a questão jurídica. A universidade optou por não falar sobre o caso.

De Rene Moreira, do Estadão Conteúdo

RN tem 13 casos notificados suspeitos de influenza, diz Sesap

vacina

O Rio Grande do Norte tem 13 casos notificados suspeitos de influenza. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) que agendou para 30 de abril o ‘Dia D’ da vacinação contra a doença. Os casos notificados estão nos municípios de Lagoa Nova (1), Parnamirim (1) e Natal (11).

De acordo com a coordenadora de Promoção à Saúde (CPS), Cláudia Frederico, o quadro epidemiológico atual não configura motivo para pânico na população nem para antecipação da vacina, e por essa razão a Sesap mantém sua rotina de trabalho, atualização dos profissionais, intensificação das orientações e monitoramento dos casos suspeitos para detectar mutação do vírus.

“O quadro não é motivo para alarme, apenas para continuarmos vigilantes, intensificando sobretudo a orientação para que a população se antecipe a algumas situações e evite, por exemplo, os aglomerados, sobretudo em ambientes fechados”, esclareceu a coordenadora.

Com relação aos medicamentos para combater a gripe, a Sesap está solicitando a ampliação do estoque de medicamentos e fazendo o levantamento do quantitativo nos hospitais descentralizados.

Além de orientar a população a evitar aglomerados, a Saúde está fazendo as seguintes orientações:
– Lavar as mãos com água e sabão, especialmente após tossir ou espirrar;
– Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca com lenço descartável;
– Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
– Lavar as mãos frequentemente e não levar as mãos sujas aos olhos, nariz e boca.

Do G1

Natal recebe II Simpósio ‘Dialogando Sobre o Autismo’

Logo

Entre os dias 8 e 9 de abril, Natal será sede do II Simpósio ‘Dialogando Sobre o Autismo’. O evento vai reunir profissionais da área de saúde e educação para debater temas relacionados aos Transtornos do Espectro Autista. O simpósio acontecerá no Holiday Inn, na Zona Sul da cidade. A inscrição custa R$ 200 e pode ser feita através do site oficial do evento (CLIQUE AQUI).

Além de pais e profissionais que tratam do autismo, o evento é voltado para a sociedade e debaterá diversas questões que envolvem o transtorno. Serão debatidos temas como a importância do diagnóstico, avaliação e intervenção precoce no autismo, reflexões sobre comunicação e linguagem e atendimento educacional especializado. O autismo é uma condição permanente. Sendo assim, a criança que nasce com autismo se tornará um adulto com autismo.

Entre os palestrantes, o evento traz neuropediatras, geneticistas, psiquiatras, gastropediatras, dentistas, pedagogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos e psicólogos. O objetivo é promover a maior troca de informação possível entre os profissionais, familiares e participantes da sociedade em geral.

Serviço
II Simpósio Dialogando Sobre o Autismo
Data: 08 e 09 de abril
Horário: 8h às 19h
Local: Holiday Inn (Av. Sen. Salgado Filho – 1906)
Valor: R$ 200,00

Ministério da Saúde começa a distribuir aos estados vacina contra H1N1 no dia 1º

 

H1N1 Influenza Virus
H1N1 Influenza Virus

O Ministério da Saúde divulgou o calendário de distribuição da vacina contra a gripe A (H1N1). A campanha nacional terá início no dia 30 de abril, porém, no dia 1º a pasta começa a distribuir o imunizante aos estados.

Normalmente os surtos de H1N1, um dos tipos da Influenza A, acontecem a partir de junho, com a chegada do inverno, mas, no estado de São Paulo, por exemplo, casos graves da doença começaram a ser registrados mais cedo. A campanha nacional vai de 30 de abril a 20 de maio, mas, com a chegada do imunizante mais cedo, os estados e municípios poderão antecipar a aplicação da forma mais conveniente para a região.

Segundo o Ministério da Saúde, nas três primeiras remessas, que vão de 1º a 15 de abril, os estados receberão 25,6 milhões de doses, que corresponde a 48% do total a ser enviado para a campanha deste ano. Desse montante, serão entregues 5,7 milhões de doses para o estado de São Paulo.

Na capital paulista, oito pessoas morreram este ano em decorrência do vírus. No ano passado não houve registro de mortes.

A ocorrência da Influenza A (H1N1) é maior no inverno. No entanto, a transmissão também pode ocorrer de forma acentuada no verão.

Os principais sintomas da gripe A (H1N1) são infecção aguda das vias aéreas e febre – em geral mais acentuada em crianças do que em adultos. Também podem surgir calafrios, mal-estar, dor de cabeça e de garganta, moleza e tosse seca, além de diarreia, vômito, fadiga e rouquidão.

A prevenção da doença é feita com regras básicas de higiene, como cobrir a boca ao tossir ou espirrar e lavar as mãos com frequência. Também se deve evitar permanecer por muito tempo em ambientes fechados, sem ventilação e com aglomeração de pessoas.

EUA recomendam que casais expostos ao zika esperem seis meses para engravidar

1458991748225-zikaO Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA emitiu, nesta sexta-feira (25), orientações recomendando a casais expostos ao zika vírus para esperarem para engravidar. A doença tem sido associado a um surto de casos de microcefalia, malformação grave que causa lesões irreparáveis e pode levar bebês à morte, cujo epicentro é o Brasil.

As autoridades de saúde destacaram que as recomendações foram baseadas em dados limitados sobre a persistência do zika no sangue e no sêmen.

Ainda não foi provado que o vírus causa microcefalia em bebês, mas evidências crescentes sugerem a ligação. A condição retarda o crescimento da cabeça e do cérebro, levando a problemas de desenvolvimento.

O Brasil diz ter confirmado mais de 900 casos de microcefalia e considera que a maior parte deles estão relacionados a infecções causadas pelo zika nas mães. O País ainda investiga mais 4.300 suspeitas da malformação.

Ig

Senado aprova projeto que libera uso e fabricação da ‘pílula do câncer’

RTEmagicC_ff9fe9e854.jpg

O Senado aprovou nesta terça-feira (22), em votação simbólica, o projeto de lei que que permite a fabricação, distribuição e o uso da fosfoetanolamina sintética, conhecida como “pílula do câncer”. Como não houve alterações ao texto aprovado pela Câmara dos Deputados, o projeto segue agora para a sanção presidencial.

Desenvolvida pela Universidade de São Paulo (USP) para o tratamento de tumor maligno, a substância é apontada como possível cura para diferentes tipos de câncer, mas não passou por esses testes em humanos e não tem eficácia comprovada, por isso não é considerada um remédio. Ela não tem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e seus efeitos nos pacientes ainda são desconhecidos.

Pelo projeto aprovado, pacientes com tumor maligno poderão usar a “pílula do câncer”, desde que exista laudo médico que comprove a doença. O paciente ou seu representante legal terá ainda que assinar um termo de consentimento ou responsabilidade. A proposta vai além e também permite a fabricação da fosfoetanolamina sintética mesmo sem registro sanitário.