Archive for junho 23rd, 2021

Deputado Albert Dickson destaca pesquisa de Oxford sobre uso da Ivermectina contra Covid. “São mais de 60 pesquisas analisadas comprovando a eficácia.” Diz o parlamentar

Universidade de Oxford testa ivermectina como possível tratamento para  Covid-19
Caixas de ivermectina
Foto: Divulgação/Prefeitura de Itajaí

O deputado estadual Albert Dickson (Pros) destacou na sessão plenária desta quarta-feira (23) a pesquisa realizada pela Universidade de Oxford sobre o uso da Ivermectina no tratamento de pessoas com Covid-19. O parlamentar celebrou os primeiros resultados, que foram favoráveis ao medicamento, e disse que o trabalho científico se une a outros já existentes que confirmam a eficácia do remédio contra o coronavírus.

“Há mais de 1 ano e meio começamos a defender a ivermectina como tratamento precoce. São mais de 60 pesquisas analisadas comprovando a eficácia, nenhuma desaprova o medicamento. E hoje o sistema de comunicação Reuters e a revista Exame publicaram reportagem com relação à pesquisa científica que desaprovou a azitromicina e comprovou a eficácia da ivermectina, feita em Oxford”, disse Albert.

O parlamentar voltou a lamentar o debate político que tem dominado o uso do medicamento no Brasil e enfatizou que sua posição é baseada na “ciência e na prática clínica”, ressaltando que possui “milhares de pacientes atendidos com sucesso por meio do tratamento precoce”. Albert disse ainda que Oxford tem um alto gabarito no mundo científico, sendo inclusive a instituição parceira da farmacêutica Astrazeneca na produção de uma das vacinas utilizadas no Brasil contra a doença.

Deputados aprovam requerimento de Kelps para retomada da CPI da Arena das Dunas

Arena das Dunas — Foto: Rafael Fernandes/Inter TV Cabugi
Arena das Dunas — Foto: Rafael Fernandes/Inter TV Cabugi

Os trabalhos da CPI da Arena das Dunas serão retomados. Na sessão plenária híbrida desta quarta-feira (23), os deputados aprovaram o requerimento do colega Kelps Lima (Solidariedade), que solicita a retomada das investigações acerca do contrato firmado entre a empresa Arena das Dunas Concessões e Eventos S/A, que gerencia a Arena das Dunas e o governo estadual.
 
Durante a votação, o presidente Ezequiel explicou que a retomada da CPI irá ocorrer com a contagem dos dias já trabalhados quando foi aberta, no ano passado, mas posteriormente suspensa devido à impossibilidade de condução dos trabalhos durante a pandemia, uma vez que a Casa estava funcionando somente no sistema remoto.
 
Outra mudança será o ingresso do deputado Kelps, substituindo o ex-deputado e agora prefeito de Mossoró Allyson Bezerra. “Está na hora de retomar esse assunto”, afirmou Kelps.
 
O deputado George Soares (PL) afirmou que é preciso ponderação, equilíbrio, responsabilidade e respeito. “Buscando o que é legítimo, mas não fazendo prejulgamento. Espero que esses dois instrumentos tragam a luz da verdade e acredito que o governo da professora Fátima sairá grande, pela tranquilidade que tem nos transferido, pela responsabilidade que desde o início tem apresentado”, afirmou, referindo-se à CPI da Covid-19, aberta pela oposição.
 
Para a deputada Isolda Dantas (PT) a CPI não pode ser acusatória, mas de investigação. Afirmou que no caso dos trabalhos da CPI da Covid, não pode se iniciar “apontando o dedo” para a governadora. “Temos um secretário de Saúde que é um homem que dedicou uma vida inteira ao SUS e tem uma vida profissional a zelar. Lamento que o requerimento desta CPI use termos que  agravem os profissionais de saúde que deram muito de si para salvar vidas”, afirmou a deputada.
 
 
Também foram aprovados outros projetos parlamentares. Dois deles são de iniciativa do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB): um que institui diretrizes de incentivo e fomento à literatura de cordel nas escolas públicas e privadas do RN e outro que dispõe sobre a velocidade de conexão à internet banda larga ou móvel.
 
O quarto projeto aprovado pelos parlamentares, na sessão desta quarta-feira, tem iniciativa do deputado Francisco do PT e institui, no calendário oficial do RN, o ano de 2021 como o Ano Paulo Freire na Educação do Rio Grande do Norte.

Governo federal diz que não houve favorecimento para compra de qualquer vacina, acusa deputado de mentira sobre compra da Covaxin e anuncia processo

Foto: reprodução/CNN Brasil

O ministro da Secretaria-Geral, Onyx Lorenzoni, e o atual assessor especial da Casa Civil, Elcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde, afirmaram nesta quarta-feira (23/6) que não houve favorecimento para a aquisição de qualquer vacina contra a Covid-19.

Mais cedo, nesta quarta, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) disse que ele e seu irmão, Luis Ricardo Miranda, chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde, alertaram Bolsonaro sobre suspeitas de corrupção no processo de compra da vacina indiana Covaxin.

“Jamais houve favorecimento para aquisição de qualquer vacina. […] Até o presente momento, não foi gasto nenhum real nessa contratação”, emendou Elcio Franco.

Foto: reprodução/CNN Brasil

Onyx afirmou nesta quarta-feira (23/6) que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) determinou que a Casa Civil peça à Polícia Federal para abrir uma investigação para apurar declarações do deputado Luís Miranda (DEM-DF) e atividades de seu irmão, Luis Ricardo Miranda, chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde, acerca do contrato do Ministério da Saúde para a Covaxin, vacina indiana contra a Covid-19.

“O presidente da República, Jair Bolsonaro, determinou que a Polícia Federal abra uma investigação sobre as declarações do deputado Luís Miranda, sobre as atividades do seu irmão, servidor do Ministério da Saúde, e sobre todas essas circunstâncias expostas no dia de hoje”, informou Onyx.

Segundo o ministro, também será aberto um processo interdisciplinar junto à Controladoaria-Geral da União para apurar a conduta do servidor do Ministério da Saúde.

Em tom inflamado, Onyx ameaçou o deputado, após dizer que “Deus tá vendo” ele “mentir deslavadamente”: “Vai ter que pagar, vai ter que se ver conosco”.

O ministro mostrou vários documentos e chegou a dizer que o deputado e o irmão poderiam ter falsificado um deles.

De acordo com documentos do Tribunal de Contas da União (TCU), a Covaxin foi a vacina mais cara negociada pelo governo federal, custando R$ 80,70 a unidade. O valor é quatro vezes maior que o da vacina da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a AstraZeneca, por exemplo.

A CPI da Covid investiga por que o governo agilizou os trâmites na compra da vacina indiana. Segundo um levantamento do TCU, o Ministério da Saúde levou 97 dias para fechar o contrato da Covaxin, enquanto demorou 330 dias para ter um acordo com a Pfizer.

Além disso, o contrato entre o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos para compra da vacina Covaxin foi o único acordo do governo que teve um intermediário sem vínculo com a indústria de vacinas – o que foge do padrão das negociações e contratos de outros imunizantes.

Durante depoimento ao Ministério Público, no inquérito apura a conduta do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, o chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, afirmou que recebeu pressões para favorecer a Precisa Medicamentos em depoimento ao Ministério Público.

O deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) disse, nesta quarta, que ele e seu irmão, Luis Ricardo Miranda, alertaram Bolsonaro sobre as suspeitas. Os irmãos Miranda vão prestar depoimentos, nesta sexta-feira (25/6), na CPI que apura ações e omissões do governo federal durante a pandemia.

Metrópoles

Pesquisa aponta que Bolsonaro ainda tem 47% de aprovação do povo brasileiro; 50% diz ser ruim/péssimo. Basta lembrar das pesqusias de 2018, o presidente perdia sempre

Foto: Sérgio Lima/Poder 360

O presidente Jair Bolsonaro é apontado pelo povo brasileiro com 47% que indicaram ótimo, bom e regular; enquanto 50% reprovaram.

A pesquisa PoderData realizada nesta semana (21-23.jun.2021). As duas taxas variaram negativamente na margem de erro, de 2 pontos percentuais, em relação a duas semanas antes.

Os que dizem não saber como responder são 3%; há 15 dias, eram 1%.

As variações indicam um quadro estável. A taxa de avaliação positiva de Bolsonaro tem variado na faixa de 24% a 30% desde o final de março.

Destaques demográficos

Os homens (37% desse grupo), os que têm de 45 a 59 anos (36%), os moradores da região Norte (40%) e os que ganham mais de 10 salários mínimos (42%) são os estratos que mais aprovam Bolsonaro.

Já os que mais rejeitam o trabalho presidencial são: mulheres (59%), os moradores da região Nordeste (63%), os com ensino superior (61%) e os que ganham de 5 a 10 salários mínimos (62%).

Sobre a pesquisa

Foram 2.500 entrevistas em 445 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Poder 360

Vivaldo Costa fala sobre trabalho e a trajetória da governadora do RN

Crédito da Foto: Eduardo Maia

O deputado estadual Vivaldo Costa (PSD) fez um pronunciamento destacando o trabalho e a trajetória da governadora do Estado, Fátima Bezerra, no horário destinado aos deputados que aconteceu na sessão ordinária desta terça-feira (22), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Ele se posicionou desfavorável à estratégia da oposição ao governo estadual, que, de acordo com ele, busca desvirtuar a imagem da Chefe do Executivo do RN.

“Fátima Bezerra é vista pela população como uma pessoa do bem, séria, preparada, que tem boa vontade para fazer e faz. Ela é uma pessoa de muito valor e contra fatos não há argumento”, destacou Vivaldo Costa.

O parlamentar complementou que o povo do Rio Grande do Norte é justo e sabe julgar muito bem. “O RN já deu a ela o mandato de deputada, de senadora e de governadora. Então, felizmente, ela conta com o povo”, falou.

MP-SP quer obrigar Bolsonaro a fazer chover por causa da seca e possível apagão

MP-SP pede que TCU fiscalize se governo federal está tomando medidas necessárias para evitar seca e apagão (título da matéria)

O desenho da espinha de um peixe foi feito em grafite numa pedra à beira de área seca de reserva do Sistema Cantareira em Nazaré Paulista (SP) em 2015, ano de crise hídrica em sP — Foto: Roosevelt Cassio/Reuters
O desenho da espinha de um peixe foi feito em grafite numa pedra à beira de área seca de reserva do Sistema Cantareira em Nazaré Paulista (SP) em 2015, ano de crise hídrica em sP — Foto: Roosevelt Cassio/Reuters

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) entrou com uma representação no Tribunal de Contas da União (TCU) pedindo que fiscalize se o governo federal está tomando providências para garantir fornecimento de água e energia para a população.

No texto, o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado cita uma reportagem do G1 SP sobre a gravidade da situação de seca dos mananciais que abastecem a região metropolitana de São Paulo para pedir à Corte que acompanhe as ações adotadas pelo governo federal para evitar um novo racionamento de energia decorrente da falta de chuvas que acontece há meses em cinco outros estados que se localizam na bacia do Rio Paraná: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná.

A representação foi protocolada na segunda-feira (31), três dias após o governo federal ter emitido um alerta de emergência hídrica para o período de junho a setembro nos cinco estados. É a primeira vez que um alerta assim é emitido.

O subprocurador pede ao TCU para:

  • verificar a suficiência e a adequação das ações governamentais na gestão da crise hídrica brasileira em curso;
  • solicitar ao ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) que apresente plano de contingência para prevenção de um possível apagão;
  • acompanhar periodicamente as situações dos reservatórios de água do país e as ações do governo no sentido de manter o adequado abastecimento de água e energia para a população.

Em nota, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que coordena o Sistema Interligado Nacional (SIN) responsável por abastecer 99% do país, afirmou que a partir de junho serão implementadas flexibilizações nas restrições hidráulicas relativas às usinas hidrelétricas de Jupiá, Porto Primavera, Ilha Solteira, Três Irmãos, Xingó, Furnas e Mascarenhas de Moraes.

“O objetivo é reduzir o risco da perda do controle hídrico na bacia do rio Paraná. Todas as medidas serão tomadas a partir de junho com o objetivo de garantir a devida governabilidade das cascatas hidráulicas, inclusive quanto à preservação do uso da água, ao longo do período seco de 2021.”

Em nota, o Ministério de Minas e Energia disse que ele e os órgãos técnicos envolvidos na gestão do setor elétrico trabalham desde o final do ano passado em ações para preservação dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas.

As ações propostas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) buscam prevenir que a situação atual, deflagrada pelo pior nível dos reservatórios hidrelétricos em 90 anos, não afete o abastecimento de energia. Leia abaixo as ações tomadas pelo MME e a nota completa enviada pala pasta ao G1.

Seca em SP

Conforme adiantado pelo G1, no caso de São Paulo, a situação atual dos mananciais que abastecem a região metropolitana aponta para uma nova crise hídrica no ano que vem, de acordo com Pedro Luiz Côrtes, professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência Ambiental do Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da Universidade de São Paulo (USP).

O agravante da situação é a previsão de redução de chuvas até o verão do ano que vem.

“A tendência de redução no volume de chuvas vai além do período de estiagem e deve se prolongar no segundo semestre, incluindo o verão 2021-2022, pois temos a perspectiva de retorno do fenômeno La Niña no final deste ano. Com isso, nós não teremos uma recarga dos mananciais em São Paulo como seria desejável e isso pode colocar em risco o nosso abastecimento em 2022”, afirma Côrtes.

Em julho de 2014, no auge da crise hídrica, o volume de água armazenado no Sistema Cantareira chegou a zero, e a Sabesp passou a bombear do Volume Morto, que não foi projetado, originalmente, para uso.

Bacia do Rio Paraná

É primeira vez que o Sistema Nacional de Meteorologia emite um alerta de emergência hídrica, o que reforça a importância das previsões meteorológicas na antecipação e na redução de riscos para a população.

A análise das chuvas feita por um comitê do governo federal entre outubro de 2019 a abril de 2021 para a bacia do Rio Paraná indicou que, com exceção de três meses em que as precipitações ficaram acima da média climatológica, durante a maior parte do período houve predomínio de déficit de precipitação, principalmente a partir de fevereiro de 2021.

Essa condição se mantém em maio com acumulado parcial de 27 milímetros para a bacia, ou seja, abaixo do acumulado climatológico que é de 98 milímetros. Na maior parte da bacia do Rio Paraná a situação se apresenta com risco entre moderado a extremo, considerando-se tanto os últimos 6 e 12 meses, bem como os últimos 48 meses, ou seja, a situação atual de déficit de precipitação é severa.

No trimestre junho-julho-agosto, a previsão indica pouco volume de chuva em toda a bacia. De acordo com o alerta emitido, esta previsão é consistente com a de outros centros internacionais de previsão climática.

O que diz o Operador Nacional do Sistema Elétrico

“O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que coordena o Sistema Interligado Nacional (SIN) responsável por abastecer 99% do País, vem sinalizado desde 2020, que vínhamos enfrentando uma situação hidrológica bastante adversa, com uma escassez hídrica que não permitiu a total recuperação dos níveis dos reservatórios no período de outubro de 2020 a março de 2021, ainda que desde outubro do ano passado, com autorização do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), estivéssemos atuando em diversas frentes e adotando medidas preventivas.

No dia 27 de maio, em reunião extraordinária do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) foram definidas novas medidas de flexibilização de restrições hidráulicas de algumas das principais bacias hidrográficas do SIN com o objetivo de garantir a governabilidade das cascatas. Na ocasião, foi definido que serão implementadas flexibilizações nas restrições hidráulicas relativas às usinas hidrelétricas de Jupiá, Porto Primavera, Ilha Solteira, Três Irmãos, Xingó, Furnas e Mascarenhas de Moraes.

Todas estas deliberações serão apreciadas pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e, posteriormente, encaminhadas ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), por se tratarem de importantes iniciativas para manterem a segurança no abastecimento e no atendimento eletroenergético.

Vale ainda destacar que as ações relativas à flexibilização de restrições hidráulicas de empreendimentos localizados nas bacias dos rios Grande e Paraná visam reduzir o risco da perda do controle hídrico na bacia do rio Paraná. Todas as medidas serão tomadas a partir de junho com o objetivo de garantir a devida governabilidade das cascatas hidráulicas, inclusive quanto à preservação do uso da água, ao longo do período seco de 2021.”

O que diz o Ministério de Minas e Energia

“O Ministério de Minas e Energia (MME) e os órgãos técnicos envolvidos na gestão do setor elétrico trabalham desde o final do ano passado em ações para preservação dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas.

As ações propostas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) buscam prevenir que a situação atual, deflagrada pelo pior nível dos reservatórios hidrelétricos em 90 anos, não afete o abastecimento de energia.

Entre as ações adotadas pelo Governo Federal no planejamento do setor elétrico merecem destaque:

Abril 2019

MME institui grupo de trabalho para a “Modernização do Setor Elétrico” congregando, além do próprio Ministério, o Operador Nacional do Sistema (NOS), a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), com participação dos agentes interessados. O grupo adotou agenda de trabalhos integrada e com perspectivas de curto, médio e longo prazos, em consonância com projetos de lei propostos pelo Governo Federal em andamento no Congresso Nacional.

Julho 2019

A Comissão Permanente para Análise de Metodologias e Programas Computacionais do Setor Elétrico (CPAMP), que trata das metodologias e modelos de referência para análise dos cenários de fornecimento de energia, aprova um aprimoramento na programação da operação e formação dos preços da energia elétrica. O objetivo é conferir previsibilidade. A partir de janeiro de 2021, vigoram preços em “base horária”, em substituição aos preços semanais em três patamares de carga, dando sinais mais adequados para os investimentos no atendimento à demanda.

Outubro 2019

O Grupo de Trabalho para a Modernização do Setor Elétrico apresenta resultados, recomendações e cronograma de implementação. Dentre as medidas anunciadas está a realização de leilão para reforçar o suprimento de capacidade (para horas de maior pico de demanda e menor oferta de geração).

Dezembro 2019

O Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) aprova novos critérios de segurança de suprimento, mais aderentes às transformações da matriz elétrica brasileira nos últimos anos. Isso trouxe indicadores mais efetivos para o planejamento da operação e da expansão do setor, inclusive para contratação de capacidade (suprimento de potência).

Fevereiro 2020

MME aprova e publica o Plano Decenal de Expansão de Energia 2029, com análises detalhadas das condições de suprimento de energia elétrica para os próximos dez anos. O estudo aponta necessidade de planejar leilão para reforço de capacidade (suprimento de potência).

Março 2020

Pandemia de Covid afeta cenários de evolução da carga de energia elétrica, com elevadas incertezas. CMSE recomenda à CPAMP que seja avaliada a incorporação, no modelo de curto prazo (DECOMP), de mecanismo que permita aprimorar a representação das restrições de armazenamento mínimo nos reservatórios.

Abril 2020

Governo Federal emite a MP 950 estabelecendo a chamada “Conta Covid”, que isenta consumidores beneficiários da Tarifa Social do pagamento da conta de luz entre 1º de abril e 30 de junho de 2020.

Agosto 2020

Retomada gradual e consistente do consumo de energia elétrica no Brasil.

Setembro 2020

Governo Federal edita a MP 998, que traz diversos avanços no marco legal do setor elétrico, entre eles a contratação da modalidade “reserva de capacidade” para suprimento de potência.

CMSE recomenda à CPAMP que avalie mecanismos visando elevação estrutural dos níveis de armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas.

Outubro 2020

Em decorrência das vazões abaixo do esperado e baixos níveis dos reservatórios, CMSE autoriza o uso adicional de termelétricas e importação de energia da Argentina e Uruguai. Essa autorização perdura pelos meses seguintes e foi acompanhada de solicitações para flexibilização de restrições operativas em determinadas usinas visando à preservação dos recursos e garantia de suprimento.

Dezembro 2020

Início de campanha do Governo Federal na TV aberta para sensibilizar a população a consumir energia de forma racional e eficiente.

Anunciado pelo MME novo cronograma de leilões para os anos de 2021, 2022 e 2023, inclusive leilão de reserva de capacidade, a partir do segundo semestre de 2021.

CMSE adota nova metodologia para avaliação da necessidade do uso adicional de termelétricas (fora da ordem de mérito), baseada em metas de níveis a serem preservados nos reservatórios. Tal curva de referência tem sido adotada como guia para ações ao longo de 2021.

Fevereiro 2021

MME aprova o Plano Decenal de Expansão de Energia 2030, aderente ao cenário de retomada da economia. Atualizadas projeções que indicam os benefícios de se contratar novos empreendimentos para ampliar a oferta de capacidade.

MME consolida no Plano de Outorgas de Transmissão de Energia Elétrica (POTEE – 2020), a modernização das conversoras de corrente contínua destinadas a escoar a energia da Usina Hidrelétrica de Itaipu, que atende 11,3% do mercado brasileiro.

Março 2021

Com a conversão da MP 998/2020 na Lei 14.120/2021, sancionada pelo Presidente da República, o MME anuncia esforços para realização de Leilão de Reserva de Capacidade, ainda em 2021.

MME promove workshop aberto para apresentação dos avanços e perspectivas de implementação das ações de Modernização do Setor Elétrico. Em uma das sessões, são apresentados os avanços para a contratação de reserva de capacidade.

Abril 2021

Presidente da República sanciona Lei nº 14.134, de 2021, conhecida como a Nova Lei do Gás, que visa estimular investimentos na ampliação da infraestrutura e oferta de gás natural no País, promovendo a competição no setor.

Realizado o Leilão dos Sistemas Isolados para atender regiões do Acre, Amazonas, Pará, Rondônia e Roraima. Os contratos somam R$ 355,5 milhões em investimentos para fornecer energia a partir de abril de 2023.

MME encaminha à ANEEL os relatórios técnicos para preparação do edital do leilão para expansão do sistema de transmissão de energia elétrica do Amapá, tendo como objetivo aumentar a confiabilidade, robustez e flexibilidade operativa do sistema.

Maio 2021

Governo Federal anuncia esforços adicionais e coordenados para implementar ações de preservação dos reservatórios e ampliação das demais fontes de energia, de forma organizada e transparente.

Câmara dos Deputados encaminha para o Senado Federal a MP sobre modelo de capitalização da Eletrobras prevendo investimentos de R$ 5,8 bilhões em preservação de bacias hidrográficas, o que aumentará a capacidade de geração das hidrelétricas no longo prazo, reduzindo custos da operação. Além disso, deverão ser destinados R$ 2,9 bilhões para aumentar a segurança do atendimento energético na região Norte, com fontes renováveis de energia, reduzindo as despesas com aquisição de combustíveis fósseis.

Publicado Decreto 10.707 que regulamenta a contratação de reserva de capacidade, viabilizada pela MP 998. Com isso, foi aberta consulta pública com diretrizes do leilão para fornecimento de energia a partir de 2026.

CPAMP anuncia consulta pública sobre aprimoramentos nos modelos computacionais do Setor Elétrico para que o planejamento e a operação em tempo real priorize a recuperação estrutural dos níveis dos reservatórios, reforçando a confiabilidade e segurança do sistema.”

G1SP

Itália retirou obrigação do uso de máscaras ao ar livre

Pessoas caminham pela Via del Corso, em Roma, na Itália, em foto de 24 de abril de 2021 — Foto: Remo Casilli/Reuters
Pessoas caminham pela Via del Corso, em Roma, na Itália, em foto de 24 de abril de 2021 — Foto: Remo Casilli/Reuters

A Itália vai suspender a partir de segunda-feira (28) a exigência do uso de máscaras ao ar livre, à medida que a vacinação contra a Covid-19 avança e os novos casos, mortes e hospitalizações despencam, anunciou o governo na noite de segunda-feira (21).

Mais de 52% dos italianos já tomaram ao menos uma dose e 26% estão completamente imunizados, números muito superiores ao do Brasil (30% e 11%, respectivamente), e os números de novos infectados e óbitos estão em queda livre (veja mais abaixo).

O uso obrigatório foi imposto em outubro, quando o país estava entrando na segunda onda da pandemia. A nova decisão foi tomada apesar das preocupações na Europa com a disseminação da variante delta, que é mais contagiosa e reduz a eficácia das vacinas contra a Covid-19.

G1

Após quase quatro meses, ocupação de leitos de UTI em BH sai do ‘alerta máximo’

Covid-19: veja a ocupação dos leitos de UTI em Natal | Rio Grande do Norte  | G1
Foto da Internet

A ocupação de leitos de terapia intensiva para tratamento de pacientes com Covid-19, em Belo Horizonte, saiu do alerta vermelho para o amarelo nesta terça-feira (22). A última vez que o indicador esteve neste patamar foi há quase quatro meses.

A informação está no boletim epidemiológico da Prefeitura de Belo Horizonte. A taxa de ocupação de leitos de UTI, que estava no indicador vermelho, com 71,1% na véspera, caiu para 69,1% e agora está no indicador amarelo. A última vez que a taxa de ocupação ficou em 69,7% foi em 25 de fevereiro.

Taxa de ocupação de leitos de UTI em BH ficou abaixo de 70% pela primeira vez desde fevereiro — Foto: Reprodução/ Prefeitura de Belo Horizonte

Taxa de ocupação de leitos de UTI em BH ficou abaixo de 70% pela primeira vez desde fevereiro — Foto: Reprodução/ Prefeitura de Belo Horizonte

A taxa de ocupação de leitos de enfermaria segue em alerta amarelo, em 55,4%. Na segunda, estava em 52,6%.

O número médio de transmissão por infectado também teve ligeira alta, saltando de 0,92 na véspera para 0,94, o que indica que cada cem pessoas contaminadas transmitem para outras 92.

Natal disponibiliza 2.100 doses de vacina contra Covid nesta quarta-feira (23)

Segunda dose de Oxford está disponível apenas no drive da OAB — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Segunda dose de Oxford está disponível apenas no drive da OAB — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

A Secretaria de Saúde de Natal vai disponibilizar o estoque de 2.100 doses de vacina contra Covid nesta quarta-feira (23). O público-alvo na capital potiguar permanece em 47 anos e mais sem doenças pré-existentes, pessoas com 18 anos e mais com comorbidades, 37 anos e mais para os trabalhadores da indústria e profissionais da Educação pública e privada do Ensino Fundamental I e II.

A prefeitura informou que, “para uma melhor equidade”, cada uma das 35 Unidades Básicas de Saúde receberá 20 doses; cada um dos seis drives oferecerá 200 doses; e cada ponto extra exclusivo para a Educação terá 200 doses.

A SMS também destaca que as pessoas que estão com seu cartão com a data aprazada para receber a segunda dose da vacina de Oxford devem se dirigir exclusivamente ao drive da OAB.

Todas as pessoas dos públicos já contemplados que por algum motivo não receberam o imunizante também podem procurar um dos pontos de vacinação nesta quarta-feira.

A SMS comunicou ainda que aguarda o envio de novas doses para avançar a imunização nos públicos prioritários e na faixa etária das pessoas sem comorbidades.

Pontos de drive-thru

Das 8h às 16h

  • UnP Roberto Freire
  • Ginásio Nélio Dias
  • OAB-RN
  • Sesi
  • Shopping Via Direta
  • Palácio dos Esportes

G1RN