Archive for junho, 2021

ALRN aprova lei de incentivo à Literatura de Cordel nas escolas públicas do estado

O Rio Grande do Norte terá uma nova política de incentivo e fomento à Literatura de Cordel nas escolas que compõe a rede pública do estado. O Poder Legislativo aprovou projeto de lei de autoria do deputado Ezequiel Ferreira (PSDB) que prevê diretrizes para que ocorra a expansão do cordel nas escolas. Para o parlamentar, a medida vai contribuir para aproximar os estudantes da poesia e de uma das mais especiais formas literárias do país. 

“Estudar o cordel e o repente na escola significa ter contato com o mundo da poesia a partir do cotidiano, com uma carga de  significados que dificilmente outra forma literária tem no Brasil, especialmente para nós, potiguares”, justificou Ezequiel Ferreira.

A lei aprovada prevê que as escolas deverão ter instituídas diretrizes para o incentivo e o fomento à Literatura de Cordel, contribuindo para o conhecimento da comunidade escolar acerca da cultura popular brasileira, estimular a cultura de popular, extinguir a discriminação relacionada à cultura regional nordestina, fomentar o reconhecimento identitário norte-rio-grandense, valorizar os cordelistas e ampliar o acesso a uma multiplicidade de gêneros literários como parte integrante do processo educacional

Para a aplicação, o Governo e os municípios poderão criar diretrizes específicas para o fomento da Literatura de Cordel nos equipamentos públicos de educação, cabendo ainda ao Poder Executivo fazer a regulamentação da proposta. 

Com profundas origens na cultura popular, o cordel vem sendo cada vez mais estudado e venerado como gênero literário rico e de grande relevância para a constituição da identidade cultural brasileira. O cordel também é responsável por romper preconceitos, valorizar a cultura, nossa terra e incentivar os estudantes potiguares a buscarem compreender mais sobre suas  origens. Como diz o mestre Paulo Freire, a aprendizagem ocorre mais fácil quando aquilo que estudamos tem significado para nós, faz parte de nossa vida”, disse Ezequiel Ferreira.

Jiboia de quase 3 metros é encontrada em casa na zona rural de São Gonçalo do Amarante

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do RN resgatou na manhã desta quarta-feira (30 uma jiboia de aproximadamente três metros de comprimento em uma residência localizada na rua Guajiru, na zona rural do município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal.

A cobra foi resgatada por uma guarnição da seção de São Gonçalo do Amarante, por volta das 6h30, e depois foi solta no seu habitat natural, sem ferimentos aparentes.

G1RN

Natal prevê retorno gradual das aulas presenciais na rede municipal em 7 de julho

Sala de aula da Escola Municipal Ivonete Maciel, na Cidade da Esperança — Foto: Secom/PMN
Sala de aula da Escola Municipal Ivonete Maciel, na Cidade da Esperança — Foto: Secom/PMN

As aulas presenciais nas escolas municipais de Natal vão retornar no próximo dia 7 de julho. Isso é o que prevê a Secretaria Municipal de Educação (SME). A data marca o início de ano letivo de 2021 e a pasta programa que pelo menos um dos níveis de educação, a pré-escola, já volte às atividades nas unidades de forma gradual.

As aulas presenciais na rede municipal de ensino estão suspensas desde o dia 17 março de 2020 por conta da pandemia da Covid-19.

De acordo com a secretária de Educação, Cristina Diniz, a volta vai acontecer apenas nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) que já estão com toda estrutura e protocolos de combate à Covid preparados.

“É uma volta presencial de forma gradual. Não são todos que vão voltar. Primeiro, vão voltar parte dos CMEIs que estão totalmente prontos e as turmas vão ser divididas. Então, hoje vai ter uma parte dessa turma. Na outra semana, vem a segunda parte da turma e a primeira fica com atividades não presenciais”, explicou ao G1.

A secretária disse que ainda há CMEIs em reformas para adaptação das estruturas e que esses não retornarão com as atividades neste primeiro momento.

De acordo com Cristina Diniz, o plano de retorno das aulas presenciais se dá por níveis e a cada 14 dias. Após o retorno da pré-escola, as etapas seguintes que voltam são: ensino fundamental, creche, ensino fundamental 2 e EJA.

“Isso por causa ainda das medidas que estamos tomando contra a Covid, de não aglomerar, de ter distanciamento, espaçamento entre as cadeiras, quantidade de pessoas na sala. Por isso, esse protocolo é gradual”, falou.

Assim, a previsão é que em setembro todos os níveis de ensino da rede municipal retornem às atividades presenciais.

“Os mais velhos são os últimos que voltam porque de acordo com os estudos científicos foi comprovado que as crianças tem menor tendência a ter a doença e também a transmiti-la”.

A previsão se dá também em função do início da vacinação dos profissionais da educação – a previsão, segundo a secretária, é de que todos da rede municipal recebam a primeira dose até a sexta-feira (2).

Além disso, o plano de retorno das aulas segue alguns parâmetros no município. Dentre eles, está a taxa de ocupação de UTIs abaixo de 80% na Região Metropolitana, assim como a taxa de transmissibilidade abaixo de 1. Os dois níveis hoje permitem o retorno.

“Tudo isso pode mudar, porque nós estamos ainda na pandemia. Depende da situação do município, que hoje está mais confortável, mas nós estabelecemos alguns parâmetros para o retorno presencial”, falou.

“Hoje nós teríamos condições de voltar. No dia 7, a gente vai analisar. Espero que tenhamos condições, porque nossas crianças precisam voltar às escolas, ao espaço sistematizado da educação”.

Por outro lado, caso a situação da pandemia fique melhor nos próximos meses, a secretária indica que há a possibilidade até de antecipar a volta de alguns níveis.

“Se houver alguma observação de que essa volta não está causando maiores números de casos de Covid, não está sendo significativa negativamente para doença, nós vamos poder avançar esse protocolo”.

Para esse retorno, o município também está fazendo uma busca ativa para que os estudantes possam retornar às aulas após mais de um ano longe das salas. Uma dessas buscas foi feita recentemente com a distribuição de cestas básicas nas próprias escolas.

“Fizemos inicialmente somente nas escolas exatamente para que quando o pai ou responsável fosse pegar a cesta, nós pudéssemos resgatar aquele aluno, mandar as atividades pra ele, e fazer ele continuar. E conseguimos resgatar um número significativo de jovens”, disse Cristina Diniz.

A titular da pasta informou ainda que serão distribuídos kits individuais de proteção, com álcool em gel, sabonete em líquido, squeezes, toalhas, três máscaras e face shield para alunos e trabalhadores.

Procurada pelo G1, a Secretaria Estadual de Educação comunicou que está analisando os números da pandemia e que vai decidir na próxima semana uma data para o retorno da rede estadual.

G1RN

Kelps Lima e George Soares anunciam composição de CPI da Covid na Assembleia do RN

Os deputados estaduais Kelps Lima (Solidariedade) e George Soares (PL) anunciaram na manhã desta quarta-feira (30) os nomes dos parlamentares que vão compor a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 na Assembleia Legislativa. Os membros titulares do colegiado, indicados pela bancada de oposição são os deputados Kelps Lima, Gustavo Carvalho (PSDB) e Getúlio Rego (DEM). E os suplentes, são os deputados Galeno Torquato (PSD), Nelter Queiroz (MDB) e Tomba Farias (PSDB). 

O parlamentar destacou que ficou acordado com o líder do governo, o deputado Francisco do PT, que caberá indicação da presidência da CPI à maior bancada na Assembleia e que caberá à bancada do governo a indicação da relatoria. “O que faremos, tão logo a CPI seja instalada”, ressaltou.

Kelps Lima ainda falou sobre as expectativas em relação à Comissão Parlamentar de Inquérito. “Esperamos que ocorra dentro da normalidade, com respeito a presunção da inocência e que seja uma investigação séria. Que não seja transformada em circo, nem arma política eleitoral. Se houve desvio ou mau uso de recursos, diante de tantas mortes, essa apuração deve ser feita da forma mais séria possível”.

Na sequência, o deputado George Soares anunciou os nomes indicados pelo bloco governista: os deputados George Soares e Francisco do PT como titulares, e Ubaldo Fernandes (PL) e Isolda Dantas (PT) como suplentes. “As duas indicações que cabem ao nosso bloco”, disse.

Após os anúncios, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Ezequiel Ferreira (PSDB) esclareceu que as indicações devem ser oficializadas junto à Assessoria Legislativa da Casa.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 tem o objetivo de investigar gastos do governo durante a pandemia.

Projeto determina garantia de pelo menos 80% da velocidade de internet contratada

Os moradores do Rio Grande do Norte poderão ter, nos próximos dias, a garantia de que a velocidade contratada para a internet de banda larga ou móvel será, pelo menos, correspondente a 80% do que foi acordado com a prestadora do serviço. Um projeto de lei do deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), que já foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, garante o direito aos consumidores. Agora, resta a sanção da medida.

Pela proposta que foi aprovada, as prestadoras de Serviço de Comunicação Multimídia (SCM) que atuam no Rio Grande do Norte deverão garantir uma velocidade média de conexão à internet banda larga ou móvel, tanto no download quanto no upload, de, no mínimo 80% da velocidade contratada pelo assinante. 

A velocidade média de conexão de internet será obtida através da média aritmética simples dos resultados das medições de velocidade instantânea, realizadas durante um mês. Em caso de descumprimento e a velocidade esteja abaixo dos 80%, em média, o projeto prevê punição.

Caso o percentual não seja atingido, a prestadora deverá realizar o abatimento automático referente ao valor proporcional do serviço não prestado, acrescido de multa no valor do 10% do total da fatura, já no mês seguinte ao período da reivindicação e ocorrência do dano ao consumidor. Porém, em caso de descumprimento, a empresa poderá também ser multada m R$ 2 mil por cada autuação. 

“Infelizmente, é prática comum no mercado que os provedores anunciem uma velocidade de conexão grande, mas, quando o serviço é contratado, constata-se que a velocidade fornecida é muito inferior ao acordado e, até mesmo, ao valor mínimo estipulado pela ANATEL. Em tais casos, a prestadora acaba se justificando com o fato de que o contrato trata da velocidade máxima, e não média, e assim o problema permanece sem nenhuma solução devido a ausência de penalidades objetivas. Por isso, apresentamos o projeto de lei, com o objetivo de penalizar as empresas que descumprirem com o fornecimento da velocidade média mínima estabelecida pela Anatel”, justificou Ezequiel Ferreira.

Inmet alerta para chuvas intensas em Natal e mais 45 cidades do RN

Chuva em Natal — Foto: Igor Jácome/G1
Chuva em Natal — Foto: Igor Jácome/G1

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para chuvas intensas em 46 cidades do Rio Grande do Norte a partir das 21h desta terça-feira (29) até 11h da quarta (30). (Veja a lista de cidades no fim).

O órgão aponta que as chuvas podem chegar a 20 a 30 milímetros por hora ou até a 50 milímetros por dia.

De acordo com o Inmet, há um baixo risco de alagamentos e possibilidade de pequenos deslizamentos em locais que contém com esse tipo de área.

As recomendações do instituto são de evitar enfrentar o mau tempo, observar alteração nas encostas e evitar usar aparelhos eletrônicos ligados na tomada.

As chuvas são classificadas como de “perigo potencial”, a segunda numa escala de quatro níveis.

Caso seja necessário, o órgão diz que devem ser acionados a Defesa Civil (telefone 199) e o Corpo de Bombeiros (telefone 193).

Além do Rio Grande do Norte, as chuvas também atingem cidades de Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí e Maranhão

Chuvas vão atingir principalmente o litoral do RN e outros estados do Nordeste — Foto: Inmet

Chuvas vão atingir principalmente o litoral do RN e outros estados do Nordeste — Foto: Inmet

Veja as cidades afetadas pela chuva

  1. Alto do Rodrigues
  2. Areia Branca
  3. Arez
  4. Assu
  5. Baraúna
  6. Baía Formosa
  7. Caiçara do Norte
  8. Canguaretama
  9. Carnaubais
  10. Ceará-Mirim
  11. Extremoz
  12. Galinhos
  13. Goianinha
  14. Grossos
  15. Guamaré
  16. Ielmo Marinho
  17. Jandaíra
  18. João Câmara
  19. Macau
  20. Macaíba
  21. Maxaranguape
  22. Monte Alegre
  23. Mossoró
  24. Natal
  25. Nísia Floresta
  26. Parazinho
  27. Parnamirim
  28. Pedra Grande
  29. Pedro Avelino
  30. Pedro Velho
  31. Pendências
  32. Porto do Mangue
  33. Poço Grande
  34. Pureza
  35. Rio do Fogo
  36. Senador Georgino Avelino
  37. Serra do Mel
  38. São Bento do Norte
  39. São Gonçalo do Amarante
  40. São José de Mipibu
  41. São Miguel do Gostoso
  42. Taipu
  43. Tibau
  44. Tibau do Sul
  45. Touros
  46. Vila Flor

G1RN

Violência contra a mulher cresce 29% no RN no primeiro semestre de 2021

Anailzy Suany Marques da Costa, de 32 anos, foi morta a facadas na noite desta segunda-feira, 28 — Foto: Reprodução
Anailzy Suany Marques da Costa, de 32 anos, foi morta a facadas na noite desta segunda-feira, 28 — Foto: Reprodução

Anailzy Suany Marques da Costa, de 32 anos, foi morta a facadas na noite de segunda-feira (28) dentro do próprio condomínio em que morava, em Parnamirim. O principal suspeito do crime é o ex-marido.

Maria Letícia da Costa, de 15 anos, foi morta a tiros no próprio quarto no município de Assú, no domingo (27), pelo então companheiro, que ainda ligou para a família dela para avisar do crime.

Natália Abade foi agredida no sábado (26) com socos e chutes após uma crise de ciúme do então namorado em uma festa de aniversário em Extremoz. Ela teve, ao todo, 27 marcas de agressões, segundo exame de corpo de delito.

As três são exemplos recentes da violência contra a mulher, que aumentou 29% no primeiro semestre de 2021 no Rio Grande do Norte em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são da coordenadoria de estatística da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed).

Ao todo, até o dia 13 de junho, o primeiro semestre de 2021 já registrava 2.355 casos de violência contra a mulher. No ano passado, neste mesmo período, foram 1.814 casos.

Apenas no mês de junho, mesmo antes do fim, a Secretaria de Segurança Pública já tem registrado 195 casos de violência contra a mulher.

Maria Letícia da Costa, de 15 anos foi morta a tiros pelo marido na cidade de Assu — Foto: reprodução

Maria Letícia da Costa, de 15 anos foi morta a tiros pelo marido na cidade de Assu — Foto: reprodução

No caso de Anailzy, ela já tinha uma medida protetiva contra o ex-marido, com quem foi casada por 12 anos e estava separada há 3 meses. Ela se mudou de São Tomé, onde morava, para Parnamirim, onde passou a dividir um apartamento com a irmã e o filho.

O ex-marido de Anailzy se mudou para o prédio há 3 semanas. Sem que a ex-mulher soubesse, ele alugou um apartamento ao lado do bloco dela. Ela não chegou a comunicar o condomínio da medida protetiva para que o ex-marido fosse impedido de entrar.

Em Extremoz, mulher denuncia agressões de ex-companheiro
Em Extremoz, mulher denuncia agressões de ex-companheiro

Já Natália Abade resolveu denunciar as agressões do então namorado para cobrar punição publicamente. Ela fez relatos em redes sociais. Ele chegou a ser preso em flagrante, mas foi solto após audiência de custódia. E ela passou a temer o pior.

Vídeo gravado mostra momento em que namorado chuta Natália ao colocá-la dentro do carro - extremoz grande natal RN — Foto: Reprodução

Foto mostra momento em que namorado chuta Natália ao colocá-la dentro do carro – extremoz grande natal RN — Foto: Reprodução

Lei Maria da Penha

O instrumento jurídico mais forte para garantir às mulheres proteção contra violência doméstica é a Lei 11.340, conhecida como Lei Maria da Penha.

A lei estabelece que as mulheres devem denunciar os agressores ao primeiro sinal de violência doméstica e estabelece medidas legais para proteção, como a medida protetiva, que garante uma distância mínima entre o agressor e a vítima. Casos de descumprimento podem gerar prisão de até 3 anos. Em flagrante, o crime é inafiançável.

“A lei Maria da Penha é extremamente efetiva, ela funciona. Aqui em Parnamirim, nós instauramos quase 600 inquéritos policiais por ano, encaminhamos diversas medidas protetivas e encaminhamos mulheres para a casa abrigo”, explicou a delegada Luana Faraj, da Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM), que atua na investigação da morte de Anailzy.

G1RN

Oficina virtual visa formação de atores multiplicadores do controle social em saúde do trabalhador e da trabalhadora

Nos dias 6, 7 e 8 de julho, o Conselho Nacional de Saúde (CNS), por meio da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora (CISST), em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e o Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisas de Saúde e dos Ambientes de Trabalho (Diesat), promoverá uma oficina virtual de formação de atores multiplicadores do controle social em saúde do trabalhador e da trabalhadora. Para participar, é necessário se inscrever preenchendo o formulário online: https://link.mpt.mp.br/u9FpphQ .

A oficina foi divulgada na reunião da Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador (CISST) ocorrida na última terça-feira (22), e será voltada para conselheiros de saúde, usuários e trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS), integrantes das CISSTs municipais, estaduais e nacional, trabalhadores da área do direito do trabalho, dirigentes sindicais e acadêmicos. O conteúdo será especialmente direcionado ao público do Rio Grande do Norte.


As oficinas de formação serão divididas em três eixos, sendo o primeiro relacionado aos impactos da saúde à classe trabalhadora, o segundo sobre as políticas públicas no campo da saúde e o terceiro abordando o controle social no SUS e na saúde do trabalhador e da trabalhadora.  


CISST –
 A Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador (CISST) atua junto aos Conselhos de Saúde visando aprimorar o atendimento aos trabalhadores no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo uma das comissões fixas da Lei 8.080/90 (Lei do SUS). A procuradora Regional do Trabalho Ileana Neiva representa o Ministério Público do Trabalho (MPT-RN) na comissão.


A CISST também deve ser implementada nos municípios pelos conselhos locais de saúde, conforme previsto na legislação. Mensalmente, com participação do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest/RN) e da Subcoordenadoria de Vigilância em Saúde do Trabalhador (SUVIST), acontecem reuniões para debater esse papel. “Vamos procurar sempre interagir com esses centros de referência. É o fortalecimento da comissão e do controle social do SUS”, disse Geolípia Jacinto, conselheira do Conselho Municipal de Saúde (CMS) de Natal.

https://www.prt21.mpt.mp.br/procuradorias/prt-natal/684-oficina-virtual-visa-formacao-de-atores-multiplicadores-do-controle-social-em-saude-do-trabalhador-e-da-trabalhadora

Carlos Eduardo até agora de quarentena, sem apoio e articulação para o governo, parece que vai disputar uma vaga na Câmara Federal

“estou preparado para governar o rio grande do norte”, diz carlos eduardo sobre possível oposição à fátima bezerra em 2022
Carlos Eduardo falando de política sobre ser candidato em 2022. Foto: Reprodução / 96 FM

O ex prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) ainda está de quarentena desde quando perdeu a eleição de 2018 para Fátima Bezerra (PT). Por sinal, não se tem notícias de uma só ação do agente político, que pretende retornar à cena política, sobre o caos causado pela pandemia.

Segundo os bastidores, Carlos Eduardo anda sem condições para disputar o governo contra Fátima Bezerra, e, não é pelo fato de Fátima está bem na havaliação popular, pois nada fez como governadora. As obras de saneamentos de Natal começada pelo governo Robinson está até agora abandonada, folha de pagamento ainda em atraso.

Pelo que dizem é que assim como o primo Henrique Alves do MDB, Carlos Eduardo vai tentar uma vaga para a Câmara Federal. Todavia, é o ex prefeito de quatro mandato em Natal mais isolado dos demias lideres políticos até o dia de hoje, parece que nem o prefeito de Natal, Álvaro Dias, se reune com ele.

Cadê tu Carlos?

Senador Paul Prates não abre mão do direito de tentar reeleição em 2022

Jean Paul quer continuar no Senado: tem muita ainda para se trabalhar

Por Maricelio Almeida / Repórter do JORNAL DE FATO

O senador Jean Paul Prates (PT) reafirmou, em entrevista ao Foro de Moscow, dos jornalistas Bruno Barreto e William Robson, o seu desejo de ser candidato à reeleição nas eleições gerais de 2022. O parlamentar destacou que não se coloca, no momento, em outra posição, descartando, pelo menos por enquanto, uma eventual candidatura à Câmara dos Deputados. Nas pesquisas de intenção de votos divulgadas até aqui, Jean não tem surgido em colocações de destaque.

“Estou à disposição do partido para ser candidato a esta cadeira. Acho que fiz um bom trabalho, a gente tem se empenhado muito nas discussões nacionais, projetado o nome do Rio Grande do Norte, os nossos setores de desenvolvimento sustentável, a pauta da educação, através de todas as realizações, do complemento dos legados dos mandatos de Fátima (Bezerra). Enfrentamos essa pandemia ajudando o Governo do Estado com a maior parte das nossas emendas, e ajudando no Congresso a criar leis importantes, que complementaram atividades que o Governo Federal infelizmente não exerceu”, disse.

Ainda segundo Jean, um novo mandato no Senado Federal lhe ajudaria a exercer um mandato com mais tranquilidade. “A gente está na pista para o Senado mesmo, eu não vejo outra posição que eu me coloque hoje, tanto no partido, quanto na base, e aí vamos ver as negociações, as conversas, as composições políticas, o que elas podem trazer para nós. Estou muito tranquilo, porque eu não dependo de política em termos financeiros, eu tenho minhas atividades, vou exercer minhas atividades tranquilamente, mas gostaria muito de ter oito anos para trabalhar com muito mais tranquilidade”, pontuou.

O senador destacou também as pautas que o seu mandato tem defendido em Brasília. “Estamos trabalhando na resistência do que a gente considera que é importante, Eletrobras, Petrobras, manter isso para o estado do Rio Grande do Norte e para o Brasil é importante, e estamos trabalhando em projetos que visem valorizar recursos naturais, que é tudo que a gente tem aqui, e que precisamos tratar como fonte de empregos e renda, como a gente fez com o setor eólico, por exemplo”, relatou, acrescentando:

“Turismo é outra coisa que a gente tem trabalhado bastante, a gente fez parte do coro das leis dos eventos, a lei do Pronampe. A gente tem trabalhado intensamente pelo setor econômico, principalmente micro e pequenas empresas, e defendendo também as grandes empresas, que são importantes para o nosso estado, o setor de energia renovável, o setor de turismo, o setor de mineração benfeita, sustentável, o setor do petróleo, com sua a revitalização. Outros setores, como a Educação, também. Tem muita coisa para trabalhar. A gente quer ir muito mais além da questão das emendas. De cada R$ 100 mil de emenda, a gente quer que ela gere R$ 500 mil de retorno para a cidade”, apontou.

Henrique Alves articula deputado Walter para o senado ao lado de Fátima Bezerra, para garantir seu retorno à Câmara Federal

O ex deputado Henrique Eduardo Alves (MDB) após se livrar da prisão que sofreu há poucos anos, articula seu retorno à Câmara Federal pelo Rio Grande do Norte.

Por conta disso vem surgindo discussões na família Alves, pois o deputado federal Walter Alves, presidente da legenda do MDB no estado, não quer ceder a base eleitoral que antes pertencia a Henrique.

Dainte dessa situação, uma fonte ligada a esse assunto, informou ao blog que Henrique está com tudo pronto, que acreditam que é possivel que der certo para os Alves; menos para Carlos Eduardo Alves que se deslocou da família há tempos.

Nesse caso, Walter Alves seria indicado senador ao lado de Fátima Bezerra, apoiando-a para reeleição, Henrique voltaria para a Câmara Federal, enquanto Garibaldo faria a tragetória de Agnelo Alves que terminou sua história política como deputado estadual.

Será que isso será concretizado?

Precisa entrega pedido de uso emergencial da Covaxin à Anvisa

Foto: Reprodução/Bharat Biotech

A Precisa Medicamentos protocolou na última segunda-feira na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pedido de autorização para uso emergencial da vacina indiana Covaxin.

A informação foi revelada no último domingo pelo Valor. Agora, a agência reguladora terá 30 dias para se manifestar sobre o pedido.

Uma eventual liberação derrubaria uma série de entraves impostos pela Anvisa quando autorizou a importação da vacina, no último dia 4. Por falta de documentos, a agência liberou a vinda de apenas 4 milhões de doses.

O contrato assinado em fevereiro prevê 20 milhões de doses, ao custo de US$ 15 a unidade.

A Covaxin está no centro da crise política que dominou Brasília desde a semana passada, quando o deputado Luis Miranda (DEM-DF) denunciou supostas irregularidades nas negociações para compra do imunizante.

A empresa nega qualquer irregularidade e estará pronta para enviar um primeiro lote de 3 milhões de doses tão logo haja autorização. Nesse cenário, o Ministério da Saúde teria que fazer o primeiro pagamento após a chegada da carga.

Valor

Brasil tem ‘legião de bebês prematuros’ com alta de Covid em grávidas

Ouvir a voz da mãe pode ajudar bebês na UTI neonatal a dormir melhor | Bebe .com.br
Foto da Internet

Enquanto a barriga da Aline crescia, Expedito Silva de Lima construía com as próprias mãos a casa onde a família iria morar, em Baraúna, na Paraíba.

O casal ficou surpreso, mas feliz quando soube que teria gêmeas. Aline tinha três filhos de um relacionamento anterior e Expedito seria pai pela primeira vez. O dinheiro para manter a família era pouco, mas eles contavam com a ajuda de parentes.

“Minha irmã falou para eu morar na casa dela durante a gravidez, enquanto eu construía a nossa própria casa. Aqui é todo mundo vizinho, é uma vilinha”, conta o servente de pedreiro.

Mas os planos mudaram de repente, quando Aline, de 31 anos, começou a sentir dor de cabeça, febre e fraqueza. Fez o teste de Covid, mas, antes mesmo de receber o resultado positivo, começou a sentir falta de ar e deu entrada no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA), em Campina Grande.

Três dias depois, sofreu uma parada cardiorrespiratória e os médicos iniciaram uma cesárea de emergência. Foram seis horas tentando salvar mãe e bebês. As meninas nasceram sem respirar, foram reanimadas e levadas para a UTI neonatal. Mas a mãe morreu no mesmo dia, em 30 de maio.

As duas filhas, que nasceram com 26 semanas de gestação, continuam internadas sem previsão de alta.

“Foi um choque muito grande perder Aline assim. A gente não esperava”, diz Expedito. Ao ver as filhas na incubadora pela primeira vez, tão pequenininhas, ele sentiu um misto de emoções.

“Fiquei de coração aliviado de ver minhas filhas e de coração partido, porque perdi minha esposa.”

UTIs neonatais lotadas com ‘legião de prematuros’

Casos como o de Aline e as gêmeas prematuras estão se tornando rotina na vida de obstetras e pediatras em todo país. A epidemia de Covid-19 no Brasil já matou pelo menos 1.461 grávidas, sendo 1.007 apenas neste ano, segundo dados oficiais compilados pelo Observatório Obstetrício Covid-19.

Mas o número é bem maior, segundo especialistas, porque muitos casos de Síndrome Respiratória Aguda (Sars) acabam não sendo testados para Covid.

Além disso, as altas nos casos de infecção pelo coronavírus em 2021, com a variante P.1 como cepa prevalente, têm provocado uma “avalanche” de nascimentos de bebês prematuros, lotando maternidades e UTIs neonatais em diferentes cidades do país, segundo neonatologistas e obstetras ouvidos pela BBC News Brasil.

A P.1, primeiro identificada em Manaus e rebatizada de Gamma pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é mais transmissível e capaz de driblar parcialmente anticorpos produzidos pela vacina ou por infecções anteriores de Covid.

Enquanto em 2020 foram reportados 6.805 casos de grávidas infectadas pelo coronavírus, só nos primeiros cinco meses de 2021 o número foi de 7.679.

“Estamos enfrentando um problema terrível de superlotação, principalmente nos leitos de UTI neonatal Covid, porque a gente não pode misturar. É uma legião de prematuros e, muitas vezes, órfãos de mãe”, diz à BBC News Brasil a obstetra Melania Amorim, do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida, hospital que realiza cerca de 600 partos por mês na Paraíba.

“Houve aumento muito grande esse ano de internações e casos de Covid-19 em gestantes. Se tem aumento em gestantes, também temos número maior dos nascimentos prematuros.”

Pesquisas apontam que a Covid-19 aumenta o risco de morte neonatal e de parto prematuro. E, em alguns casos, quando a grávida desenvolve quadro muito grave da doença, os médicos precisam fazer cesárea de emergência e antecipar a gestação, como ocorreu com Aline.

“A gente tenta levar a gestação adiante, mesmo com a grávida intubada, estabilizando o quadro dela. Mas em alguns casos, é necessário interromper prematuramente, para tentar salvar a vida da mãe e dos bebês”, explica Melania Amorim.

A obstetra paraibana coordena uma pesquisa que envolve sete hospitais em três estados do Nordeste – Pernambuco, Ceará e Paraíba. Entre esses hospitais estão o ISEA, em Campina Grande, a Maternidade Frei Damião, em João Pessoa, e o hospital da Universidade Federal do Ceará, em Fortaleza.

“Posso dizer com toda certeza que em todos esses centros a taxa de nascimentos prematuros disparou por conta da Covid-19”, diz.

“Já aconteceu de ter que recorrer a hospitais de cidade vizinha para arrumar leito para bebê prematuro nascido em cesárea de emergência.”

Superlotação no Sul

E o problema não é localizado no Nordeste. O principal hospital de Porto Alegre está com a UTI neonatal lotada por causa da disparada no número de prematuros nascidos de mães com Covid.

“A gente nunca tem leito agora na UTI neonatal. Houve um aumento de nascimentos prematuros em função da Covid materna. Diria que a situação está pior mesmo desde abril”, diz à BBC News Brasil Rita de Cássia Silveira, diretora da UTI neonatal do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA).

Por ser um hospital de referência, o HCPA costuma receber casos graves de bebês com problemas genéticos que chegam de diferentes cidades do Rio Grande do Sul e até de outros estados.

Mas, devido à superlotação causada pela Covid-19, transferências foram suspensas.

Segundo Silveira, houve um aumento de 20% do número de partos prematuros no hospital em maio, na comparação com o mesmo período do ano passado.

“Estamos lotados, mas tivemos outro dia que produzir uma vaga, porque chegou um bebê transferido por determinação judicial”, conta a neonatologista, que também é professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Outras maternidades sofreram superlotação de UTIs com bebês prematuros e grávidas em estado grave entre março e abril, no pico da segunda onda de Covid.

Foi o caso da Maternidade de Campinas, no estado de São Paulo, que ultrapassou 100% de ocupação nesses dois meses. Nesse período, três mulheres morreram ainda grávidas ou logo depois de dar luz aos bebês.

“Chegamos a ter um grande número de internações de gestantes e puérperas suspeitas ou infectadas pelo coronavírus entre março e abril”, disse o diretor do hospital, Marcos Miele.

Parto na UTI e múltiplas mortes por dia

Melania Amorim diz que perdeu as contas do número de grávidas intubadas que teve que operar com urgência para salvar os bebês em 2020 e 2021.

Tanto no ISEA, na Paraíba, quanto no Hospital das Clínicas de Porto Alegre, partos prematuros tiveram que ocorrer nas UTIs, porque transferir a mulher para o centro cirúrgico significaria risco adicional de queda da oxigenação.

“Nossas interrupções, o obstetra tem feito na CTI quando é urgência urgentíssima e a gestante não tem condição de transferência dado seu comprometimento pulmonar”, diz Rita de Cássia Silveira, diretora de neonatologia do Hospital das Clínicas de Porto Alegre.

“Outro dia operamos uma mãe grávida de gêmeos que entrou em trabalho de parto na CTI. Fizemos a cesárea lá mesmo por causa da gravidade. A mãe continua internada em estado grave. As gêmeas se recuperam bem, mas nasceram com 29 semanas.”

Já Melania Amorim se lembra emocionada do dia em que perdeu duas grávidas com Covid num espaço de poucas horas, há três semanas. As duas estavam na UTI e tiveram que passar por cesáreas de emergência porque o quadro de saúde se deteriorou de repente.

Os bebês, todos prematuros, sobreviveram e se recuperam na UTI. Um deles será criado pela avó. Os outros dois, gêmeos, ficarão com o pai.

“O problema dessa pandemia, com essas mortes a granel, é que não tem tido tempo de a gente elaborar o luto. Mal há uma morte e já temos que lidar com outra”, lamenta a obstetra.

“Escolhi essa especialidade pensando em lidar com a vida. Trabalho em UTI há muitos anos, mas mesmo assim o desfecho costuma ser feliz. Mortes maternas não deveriam acontecer e de repente é uma atrás da outra.”

As consequências para a vida da prematuridade

Um bebê é considerado prematuro quando nasce com menos de 37 semanas de gestação. Quanto mais prematuro e menor o bebê, maiores os riscos de morte e complicações de saúde.

“Abaixo de 30 semanas é um ponto de corte bastante significativo para maior gravidade associada à prematuridade. A gravidade é proporcional à baixa idade gestacional”, diz Rita de Cássia Silveira, diretora de neonatologia do Hospital das Clínicas de Porto Alegre.

As especialistas ouvidas pela BBC News Brasil destacam que as consequências da prematuridade não se encerram com a morte ou sobrevivência do bebê. Muitos podem ter problemas de saúde, de cognição e desenvolvimento ao longo da vida.

“Prematuridade não é algo que passa desapercebido na vida de uma criança. Tem consequências de longo prazo significativas dependendo do grau de prematuridade”, diz a neonatologista.

“Ou seja, quanto menor a idade gestacional, quanto menor o peso, maior o risco de atraso no neurodesenvolvimento, de atraso no crescimento, de baixa imunidade, reinfecções nos primeiros anos de vida, dificuldades alimentares…”, elenca.

Os bebês prematuros nascidos em centros de referência ainda conseguem receber tratamentos que evitem complicações após o parto. Mas, com as UTIs desses centros lotadas, muitas mulheres grávidas com Covid acabam ficando desassistidas.

“Quando há risco de nascer com prematuridade, a gente pode fazer corticoide para acelerar a maturidade do pulmão do bebê. Quando está vendo que o risco de nascimento prematuro é iminente, pode fazer sulfato de magnésio para proteção neurológica, para diminuir o risco de hemorragia cerebral ou disfunção motora grosseira”, explica a obstetra Melania Amorim.

“Mas têm as grávidas que não chegam aos serviços de referência ou nascimentos que acontecem no meio do caminho, na ambulância ou no pronto-socorro. E aí não dá para fazer intervenções para melhorar a vida e prognósticos.”

Bebês criados por pais, avós…

E, em alguns casos, a criança que sobrevive pode precisar de acompanhamento médico especializado e fisioterapia. Essas dificuldades se somam ao fato de vários desses bebês terem perdido as mães.

“Vamos ter um número enorme de prematuros sendo criado pelas avós, companheiros ou companheiras, pelas tias… E a gente sabe que esses prematuros podem ter uma série de sequelas”, diz Melania Amorim.

Para as mães que sobreviveram, os próprios efeitos prolongados da Covid dificultam os cuidados com os filhos prematuros.

A neonatologista Rita de Cássia Silveira se lembra de uma paciente que simplesmente não se lembra e não aceita que teve um bebê. A mulher precisou ser intubada e passar por cesárea com 33 semanas de gestação, em março deste ano.

Quando retiraram a ventilação mecânica, ela não se lembrava sequer que tinha engravidado. Mesmo depois de acompanhamento psiquiátrico e psicológico, a memória sobre a gestação não retornou. Para piorar, o pai do bebê, que também havia sido internado com Covid, morreu.

A criança, um menino, sobreviveu e está sendo cuidado pela avó.

“A paciente não lembra de ter tido filho. Ela esqueceu. Não lembra nada, diz que a criança não é dela. É uma jovem de 28 anos, que ficou com sequela na perna. Ela agora manca e os músculos estão acabados, fracos. Muito triste”, recorda a neonatologista.

Para as especialistas ouvidas pela BBC News Brasil, o impacto dos nascimentos prematuros provocados pela Covid-19 continuarão a ser sentidos após o fim da pandemia.

“Os pediatras e as políticas públicas de saúde vão ter que voltar uma atenção especial para o acompanhamento dessa geração de prematuros e, muitos deles, infelizmente, órfãos da Covid”, diz a obstetra Melania Amorim, de Campina Grande.

Enquanto isso, lá em Baraúna, Expedito se prepara para receber as filhas gêmeas, que vai ter que criar sem a ajuda da companheira.

“Meu maior desejo é elas duas do meu lado. Quando receberem alta, não vou me separar delas.”

Ele pretende terminar a casa simples que construía para viver com Aline e diz que vai “trabalhar de sol a sol” para as gêmeas terem o que precisam. Sem emprego fixo, garante que “aceita qualquer bico e serviço”.

“Vou batalhar por elas duas. Vou dar o máximo de mim para dar o melhor a elas.”

G1, via BBC/ BG

Valor da passagem de trem aumenta e passa a custar R$ 2,50 na Grande Natal

Trem em Natal vai sofrer reajuste — Foto: CBTU/Divulgação
Trem em Natal vai sofrer reajuste — Foto: CBTU/Divulgação

O valor da passagem dos trens urbanos da Grande Natal sofreu um aumento de R$ 0,50 e vai passar a custar R$ 2,50 a partir do próximo sábado (7). De acordo com a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), o reajuste será aplicado, além de Natal, em João Pessoa e Maceió.

Atualmente, o preço da passagem custa R$ 2. O último reajuste foi aplicado em março de 2020, quando houve um aumento de R$ 0,25.

Em nota, a CBTU informou que o reajuste estava previsto para março deste ano, mas foi adiado para julho “tendo em vista a maior vulnerabilidade das populações atendidas diante do impacto da pandemia e a paralisação de atividades econômicas”.

A Companhia disse que tem feito o possível para reduzir o impacto para os usuários, mas, por ser empresa pública federal subvencionada pelo Tesouro Nacional, não seria possível deixar de ajustar as tarifas após 2 anos da aprovação do último aumento.

O objetivo, segundo a CBTU, é “não repetir políticas passadas de congelamento tarifário, e que tanto oneraram os contribuintes e prejudicaram a qualidade dos serviços oferecidos, por terem sufocado financeiramente a Companhia e restringido sua capacidade de investimentos”, cita na nota.

A CBTU diz ainda que visa garantir transporte onde é socialmente vital, mas busca também um maior equilíbrio financeiro, “com redução da subvenção recebida dos impostos federais, ao mesmo tempo em que procura viabilizar melhorias nos serviços prestados”.

G1RN

Eudiane Macedo requer ao governo estadual melhorias para São Miguel do Gostoso e Macau

A deputada Eudiane Macedo (Republicanos) encaminhou requerimentos ao governo estadual solicitando melhorias para a sinalização de estradas e ponte. No caso da estrada, a parlamentar apresentou pleito ao Detran para que seja instalada sinalização vertical e horizontal na RN-221, no trecho que liga a BR-101 à praia de São Miguel do Gostoso.
 
“O município de São Miguel do Gostoso é um dos grandes atrativos turísticos do RN e nesse trecho, a população que transita pelo local vem relatando constantes acidentes ocasionados pela ausência de sinalização e esperamos que o atendimento a este pleito consiga por fim a esses problemas e contribuir com a mobilidade”, preocupa-se a deputada.
 
Com relação a Macau, a deputada encaminhou solicitação para que o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) providencie a reforma geral da Ponte Nossa Senhora dos Navegantes, a principal ligação da Ilha de Santana ao município. “A ponte apresenta risco de desabamento e de provocar acidentes, necessitando de urgente reforma”, afirmou.