Quem são os candidatos para o governo do RN?

O Estado está em crise desde o final de 2010. A situação da crise mundial por causa da crise imobiliária nos EUA, em 2007, atingiu a maioria dos países; mas o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu contrariar a matemática, e as maus previsões de queda na economia. Ele criou o pacote fiscal de redução de IPI dos bens móveis; com objetivos de manter o mercado aquecido. Com isso os Estados tiveram prejuízos em suas arrecadações, enquanto o Lula ganhou popularidade. Como a matemática é uma ciência exata, alguém teria que pagar a conta da farra; esta sobrou para os Estados e os municípios.

Hoje, 15, temos poucos nomes que convença aos eleitores a votarem, com graça, com intuito de eleger um bom nome na eleição para o governo do RN, neste ano.

Em primeiro lugar nas pesquisas está a senadora Fátima Bezerra (PT) que nada tem a perder caso não ganhe a campanha, já que tem um mandato de senadora até 2022. O que pesa contra a petista é a condenação de Lula e a possível prisão dele; ainda, ela apoia a deputada federal Zenaide Maia para o senado, e essa é irmã do ex-deputado federal João Maia, acusado de receber mais de um milhão em propina, divulgado nas TVs há pouco dias. Não podemos esquecer que Fátima foi responsável direta pela a eleição do, seu hoje adversário, o governador Robinson Faria.

Em segundo lugar vem o prefeito de Natal (PDT), Carlos Eduardo Alves, que terá que renunciar a prefeitura já em abril, e caso perca a eleição, fica sem mandato. É um bom nome, mas está com a folha dos funcionários atrasada. Carlos ganha força quando comparado com o caos que estava a capital no período de Micarla de Sousa, ex-prefeita que saiu desnorteada da administração pública.

Sem se saber em qual posição no rank, temos o governador Robinson Faria (PSD); dizem que ele tentará a reeleição. Tem legitimidade para isso; mas Robinson está sendo considerado o pior governo do RN; possivelmente por causa da crise que no início desta matéria falamos. Robinson está com a folha dos funcionários e o décimo terceiro salário atrasados; também não há uma obra digna de Estado que possa ser mostrada ao povo do Rio Grande do Norte. Ele tem governado o Estado como que fosse uma prefeitura de médio porte. Não tem projeto, nem programa de governo; administra até hoje no improviso. É possível que renuncie para disputar uma vaga, apertada, na Assembleia Legislativa.

No caso de Robinson Faria renunciar, assume como governador o vice, Fábio Dantas, que está para escolher um partido. Fábio é um dos nomes menos rejeitado, pois representa uma novidade para o povo do Rio Grande do Norte. É filho do prefeito de São José-RN, Arlindo Dantas, e tem como esposa a deputada estadual, Cristiane Dantas (PC do B). É do interesse dos empresários do Estado que Fábio venha ser candidato ao governo. Mas isso depende muito de Robinson Faria. O que há que contrarie os desejos dos empresários é ter que aceitar o atual governador no palanque, pois com a rejeição que se encontra pode puxar o Fábio para baixo.

Também tem anunciado sua pré-candidatura o ex-presidente do Tribunal de Justiça do RN, o desembargador Cláudio Santos. Apesar de ser um nome novo, ele teve uma posição muito negativa quando mandou prender os policiais que estavam aquartelados por causa da falta de pagamento de seus soldos.

Vamos esperar e vê quem estará mais próximo do coração do povo nessa eleição de governador do RN.