PSDB contrata nova empresa como ‘plano B’ para seguir com as prévias

Eduardo Leite, João Doria e Arthur Virgílio disputam as prévias do PSDB por candidatura à presidência / Reprodução/Twitter/PSDBoficial

PSDB anunciou, na tarde desta terça-feira, 23, a contratação da empresa RelataSoft como uma espécie de “plano B” para seguir com as prévias, processo que resultará na escolha do candidato do partido à Presidência da República nas eleições de outubro de 2022. Disputam o apoio dos tucanos os governadores de São Paulo, João Doria, do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto. Isto não significa que o novo aplicativo irá substituir a plataforma desenvolvida pela Fundação de Apoio a Universidade do Rio Grande do Sul (Faurgs), que apresentou falhas e instabilidade na votação do domingo, 21. Na prática, a sigla encontra uma alternativa para retomar a votação – menos de 10% dos quase 44 mil votantes conseguiram registrar os seus votos. O presidente nacional da legenda, Bruno Araújo, convocou coletiva de imprensa para às 17h, quando deve informar as decisões tomadas.

Os técnicos das três campanhas concordaram com a criação deste novo aplicativo e com o início dos testes técnicos, divididos em três etapas, que serão realizados pela RelataSoft, a fim de checar as vulnerabilidades do sistema. Apesar desta sinalização, o impasse político não foi superado. Depois da suspensão da votação, o governador Eduardo Leite tem repetido que a cada minuto as prévias do PSDB “perdem legitimidade”. A indefinição sobre a continuidade do processo escancarou a divisão interna do PSDB. O ex-senador e ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto chamou o gestor gaúcho de “mimado” e disse que o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG), candidato tucano à Presidência em 2014 e apoiador de Leite, é uma “maçã podre” que está “estragando bastante as outras”. O governador de São Paulo, João Doria, afirmou que a sigla precisa passar por um processo de “depuração”.

Em nota, divulgada na tarde desta terça, o PSDB afirma que “foi vítima de um problema técnico nas prévias para escolher seu candidato à presidência da República e busca meio para retomá-las”. “Entre as possibilidades, já há empresa que será submetida ao teste de estresse por todas as candidaturas. Mais alternativas estão em análise. Ainda não foi apresentado diagnóstico do ocorrido pela Fundação de Apoio à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), desenvolvedora do aplicativo que apresentou falhas. O fundamental é garantir o voto dos filiados já cadastrados. Os votos já registrados na urna e em aplicativo estão válidos e serão computados”, diz a íntegra do comunicado.

Jovem Pan

Leave a Comment