Presidente da Caixa Econômica explica como será o pagamento do Auxílio Brasil, que começa hoje

Pedro Guimarães é o atual presidente da Caixa Econômica Federal / Edu Guimarães/Estadão Conteúdo

Nesta quarta-feira, 17, o Auxílio Brasil começou a ser pago aos cadastrados do Bolsa Família. O presidente da Caixa Econômica FederalPedro Guimarães concedeu entrevista ao vivo ao Jornal da Manhã para explicar como os beneficiários do programa podem acessar o recurso que têm direito. Segundo ele, o recurso vai poder ser sacado da mesma forma e nos mesmo períodos que ocorria com o Bolsa Família. “Para quem recebia o Bolsa Família, nada muda, inclusive o fato deles poderem retirar o dinheiro imediatamente, porque, mesmo para o auxílio emergencial, o único grupo que não tinha aquelas três ou quatro semanas entre o depósito na sua conta digital e poder sacar, era exatamente esse grupo. Então objetivamente nada muda para esse grupo”, disse Guimarães. Ele ainda reforçou que, em dezembro o prazo de pagamento será antecipado por causa das festas de fim de ano: “Dezembro é o único mês do ano que [o pagamento] não são nos dez últimos dias úteis. Em dezembro, o último dia de pagamento, NIS 0, é um dia útil antes do Natal. Em dezembro, se começará a receber no 10 dez de dezembro e o último NIS 0, será no dia 23 de dezembro. Eu reforço isso porque, agora, nós estamos fazendo no dia 17 até o dia 30 de novembro e, no mês que vem, mais ou menos uma semana de antecedência para cada grupo, de acordo com o NIS por causa das festas de fim de ano”.

E continuou: “O ponto importante aqui é que todos aqueles que recebiam o Bolsa Família receberão o Auxílio Brasil. Esse é um benefício que ninguém destes precisam se recadastrar, e começamos a pagar, hoje, aqueles que tem final 1 dos NIS. São os dez últimos dias úteis do mês e vai até o dia 30 de novembro pro final do NIS 0”.

Para o presidente da Caixa Econômicas, as filhas que vem se formando nas agências são de pessoas que não eram beneficiárias do Bolsa Família, mas que receberam o auxílio emergencial. Ele indicou os canais corretos para as pessoas tirarem dúvidas. “As filas potenciais são exatamente as pessoas que recebiam o auxílio emergencial e não eram do Bolsa Família. Eles estão indo às agências da Caixa para tirar dúvidas. A operação da escolha não é realizada pela Caixa. A Caixa é a responsável pelo pagamento, e nós temos três serviços gratuitos para que as pessoas possam tirar essas dúvidas. O primeiro é a central telefônica 111, que recebeu quase 1 bilhão de ligações durante o auxílio emergencial e é gratuito. Pode ligar no 111 que vocês vão receber as informações; o segundo ponto é o aplicativo Caixa Tem, que é aquele aplicativo que nós fazemos os pagamentos, as pessoas podem realizar compras na internet e, lá, nós temos as informações; e o terceiro é o aplicativo Auxílio Brasil, que substituiu o Bolsa Família. Então as pessoas que estavam utilizando o aplicativo do Bolsa Família agora tem que baixar, de graça, o aplicativo do Auxílio Brasil e terão as informações em qualquer um desses três portais, todos de graça”, explicou.

Segundo o presidente são 14,5 milhões de famílias que vão receber o Auxílio Brasil a partir de hoje, além de um aumento de 17%. Ele lembrou ainda que a elevação do valor está sendo coordenada pelo Ministério da Cidadania e que a Caixa apenas executa o que é determinado. “É importante reforçar isso, que neste momento o que a Caixa está fazendo é realizar o pagamento das pessoas que tem direito ao benefício do Auxílio Brasil, seja nas agências, nas lotéricas, nos correspondentes bancários exclusivos, que negociam com o dinheiro, ou nos ATMs. Não há necessidade de um novo cartão, de uma nova senha. Tudo continua como sempre foi, no mesmo calendário”, pontuou o presidente da Caixa.

Jovem Pan

Leave a Comment