Painel Eletrônico garante mais transparência e agilidade à Assembleia Legislativa

Crédito da foto: Eduardo Maia
Crédito da foto: Eduardo Maia

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte inicia os trabalhos legislativos de 2016 nesta terça-feira (2) com uma novidade: a instalação de um painel eletrônico no plenário Clóvis Motta que irá permitir o monitoramento das sessões promovidas na Casa. O equipamento segue o modelo utilizado pelo Senado Federal e vai conferir maior agilidade, segurança e transparência às atividades do Legislativo Estadual.

“Seguindo as diretrizes traçadas pelo planejamento estratégico que orienta a nossa gestão, estamos investindo na modernização do Legislativo Estadual para automatizar as sessões da Casa. Trata-se de um painel de última geração que irá tornar as atividades em plenário mais eficientes e o trabalho dos deputados ainda mais transparentes”, avalia o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira (PMDB).

O painel é formado por seis televisores de 42 polegadas que facilitam o acompanhamento e a realização das sessões. O equipamento indica quais deputados estão presentes no plenário, o resultado das votações das matérias e a cronometragem do tempo dos oradores, além da veiculação de conteúdo audiovisual e inserção de legendas.

Através de um monitor equipado com tecnologia touch screen, o presidente da sessão poderá visualizar as informações do painel e monitorar as atividades no plenário, permitindo controlar o tempo e o microfone dos oradores, emitir alertas sonoros e iniciar e encerrar as atividades. Cada deputado irá dispor de um terminal individual de votação, chamado de ‘Terminal do Parlamentar’, que possibilita a identificação biométrica e o registro do voto com mais rapidez.

Moderno e de fácil operação, o equipamento faz uso do Sistema Eletrônico de Votação (SEV) e foi produzido pela empresa mineira Visual Sistemas, responsável pela implantação do equipamento no Senado Federal e nas Assembleias Legislativas do Ceará, Sergipe, Maranhão, Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná e Tocantins, dentre outras casas legislativas do país, como a Câmara Municipal de São Paulo e Belo Horizonte.

“O investimento em novas tecnologias busca a modernização e o aperfeiçoamento dos trabalhos legislativos, impactando em melhorias que trazem maior dinamismo para a Casa e para o expediente no plenário”, analisa o secretário de Tecnologia da Informação da Assembleia Legislativa, Mário Sérgio Gurgel.

Assessoria