Muro de contenção desaba na comunidade do Jacó, em Natal

muro1

G1 – O muro de contenção na comunidade do Jacó, na Zona Leste de Natal, desabou na manhã desta sexta-feira (22). Segundo a Defesa Civil municipal, o paredão ainda estava em construção. A obra começou a ser feita após as chuvas que atingiram a cidade em junho de 2014.

Barranco desabou na tarde deste sábado na comunidade do Jacó, em Natal (Foto: Luis Beserra/Inter TV Cabugi)
Imagem mostra o barranco que desabou em 2014 (Foto: Luis Beserra/Inter TV Cabugi)

Moradores denunciaram na manhã desta sexta que rachaduras apareceram no muro. Por volta das 10h, o paredão desabou completamente. De acordo com Rafael Mariz, coordenador da Defesa Civil municipal, uma equipe está no local para avaliar riscos de desmoronamento. “O paredão estava sendo construído. Vamos avaliar se a chuva dessa manhã causou o acidente”, disse.

Nenhuma casa da comunidade desabou até o momento. Também não há registro de feridos.

Carlos Augusto Maia solicita ao Governo do Estado ações da Caern e DER

unnamed (2)

O deputado estadual Carlos Augusto Maia (PSD) apresentou requerimentos à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para serem encaminhados a órgãos do Governo do Estado como a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) e ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

À Caern o parlamentar está solicitando o saneamento básico da rua Raimundo Chaves, no bairro de Candelária, em Natal, justificando a necessidade de garantir melhores condições de saúde para a comunidade, evitando a contaminação e proliferação de doenças, e garantindo a preservação do meio ambiente.

Ao DER, o deputado Carlos Augusto está requerendo a implantação asfáltica com 700 metros de extensão ligando o Marco Zero, na BR-101, ao Farol do Calcanhar, no município de Touros.

Segundo o parlamentar, a obra é necessária por ser o trecho uma via de acesso a um ponto turístico do Estado. “Com a efetivação desta obra, haverá melhorias no deslocamento da população dos municípios circunvizinhos, como também dos demais que trafegam pela referida rodovia”, justifica o deputado.

Ministro do STF determina quebra de sigilos do presidente do DEM

joseagripino

G1 – O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, determinou a quebra dos sigilos fiscal e bancário do presidente do DEM, senador José Agripino Maia (DEM-RN), líder da oposição no Senado, referentes ao período de 2010 a 2015, e de mais 15 pessoas e empresas ligadas ao parlamentar.

A quebra de sigilos foi apresentada no mês passado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que investiga desde outubro de 2015 o suposto envolvimento do senador com fraudes na obra da Arena das Dunas, estádio construído em Natal para a Copa de 2014.

Por meio de sua assessoria, Agripino afirmou ao G1 que “as providências requeridas vão acelerar o processo de esclarecimento dos fatos investigados”. “Tenho certeza que tornarão clara a improcedência da acusação que me é feita, de conduta irregular na construção da Arena das Dunas”, declarou.

Entre as pessoas que também tiveram os sigilos quebrados estão o filho de Agripino, o deputado federal Felipe Maia (DEM-RN), assim como outros familiares do senador, assessores parlamentares e servidores públicos. Duas das empresas atingidas com a quebra de sigilo são do deputado e outras são ligadas ao filho dele ou estão, segundo a Procuradoria Geral da República, “em nome de interpostas pessoas – laranjas”.

O G1 também procurou a assessoria do deputado Felipe Maia, e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

No pedido de quebra dos sigilos, Rodrigo Janot apontou “operações suspeitas de lavagem de dinheiro” envolvendo o senador e destacou que elas ocorreram “exatamente na época de campanhas eleitorais, em 2010 e 2014”.

“Isso, igualmente, indica que os pedidos de doações eleitorais feitos pelo parlamentar à OAS, prontamente atendidos, podem constituir, na verdade, solicitações e repasses de propina, de forma dissimulada”, completa o procurador.

Janot citou ainda relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou depósitos fragmentados e movimentação atípica. Além disso, o procurador transcreveu trecho do relatório que afirma que depósitos em espécie em contas do senador sugerem “tentativa de burla dos mecanismos de controle e tentativa de ocultação da identidade do depositante”.

‘Valores ilícitos’
Ao pedir a quebra dos sigilos, Rodrigo Janot também afirmou que a apuração até o momento aponta um “complexo esquema de recebimento de valores ilícitos para várias pessoas, mediante a utilização de diversas empresas, com a finalidade de ocultar a origem e o destino final dos recursos envolvidos”. Para Janot, em razão disso, “mostra-se essencial a descoberta da verdade, com o acesso aos dados fiscais e bancários dos implicados na situação”.

“Investigações envolvendo crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, como é a hipótese dos autos, passam necessariamente pela análise dos dados fiscais e bancários. […] O único meio eficaz de prova visualizado neste momento, para o rastreamento da origem e, sobretudo, do destino dos recursos envolvidos consiste no afastamento dos sigilos mencionados”, destacou Janot.

Relator do inquérito, o ministro Luís Roberto Barroso concedeu o pedido e determinou a expedição de ofícios ao Banco Central e à Receita Federal na semana passada. Os documentos foram digitalizados no processo, que não corre em segredo de Justiça, pelo setor responsável do Supremo nesta semana.

Para o ministro, a Procuradoria mostrou que a prova coletada até o momento “aponta para a presença de indícios de condutas que, aparentemente, se subsumem à descrição de crimes de lavagem de dinheiro”.

“Com efeito, há nos autos informações de operações financeiras realizadas pelo investigado que consubstanciariam indícios da prática de lavagem de dinheiro. Como explicitado pelo procurador-Geral da República, estes elementos, aliados aos demais indícios coletados, recomendam o aprofundamento da investigação com o deferimento da medida requerida”, diz o ministro na decisão.

Ex-gestores podem ter nomes ligados a importantes obras no Estado

unnamed (1)

O ex-governador, Iberê Ferreira de Souza, e o engenheiro civil, Ubiratan Pereira Galvão, são homenageados em Projeto de Lei apresentado pelo presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB). Avenida e adutora receberão nome de ex-governador e ex-prefeito, respectivamente, em reconhecimento as atuações de destaque, caso o Governo do Estado aprove a iniciativa.

“Iberê foi um homem público íntegro, apaixonado pela vida e pela defesa da justiça social. Sua vida pública foi marcada pela incansável defesa dos interesses do Rio Grande do Norte e do nosso povo”, justificou Ezequiel Ferreira.

Na primeira proposta apresentada ao Governo do Estado, fica denominado ‘Governador Iberê Ferreira de Souza’ o prolongamento da Avenida Prefeito Omar O’Grady, localizada entre a Avenida dos Xavantes e a BR-101, zona Sul de Natal.

A segunda proposta denomina ‘Engenheiro Ubiratan Pereira Galvão’ o Sistema Adutor Acari/Currais Novos, do Manancial Gargalheiras. “Filho de Currais Novos, o seridoense Ubiratan Galvão foi um profissional de destaque, sua vida foi marcada por relevante contribuição à Engenharia do nosso Estado, sendo um dos primeiros docentes da UFRN em sua área, dirigiu o Dnocs, a Alcanorte e foi prefeito de Natal”, ressaltou o deputado.

Iberê Paiva Ferreira de Souza

Graduado em Direito, foi deputado estadual e federal, Secretário de Governo nas administrações de Lavoisier Maia, Garibaldi Filho e Wilma de Faria. Atuou como chefe da Casa Civil na administração de Lavoisier Maia. Foi vice-governador e em 2010, assumiu o comando do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

Ubiratan Pereira Galvão

O ex-prefeito de Natal e professor da UFRN, Ubiratan Pereira Galvão, foi um dos primeiros docentes nomeados da primeira escola de engenharia do RN e também professor fundador de Engenharia da cadeira de Mecânica dos solos. Atuou como engenheiro chefe do 5º distrito de obras do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs).

Solenidade na Assembleia vai homenagear Dia do Contabilista

unnamed

Em alusão ao Dia do Contabilista, comemorado em 25 de abril, a Assembleia Legislativa vai promover uma sessão solene na próxima segunda-feira (25) para homenagear profissionais da contabilidade. A solenidade acontece no Plenário Clóvis Motta, às 10h, por proposição do deputado George Soares (PR), que possui formação na área.

“O contabilista é o profissional qualificado para cuidar dos aspectos quantitativos e qualitativos do patrimônio das empresas e que registra todos os atos e fatos de natureza econômico-financeira dos empreendimentos”, justifica George Soares.

O parlamentar explica que o profissional de contabilidade, além de buscar a sua graduação, tem a preocupação e o cuidado de atualizar-se continuamente para garantir sempre a excelência da prestação de seus serviços.

“Ao propormos a homenagem à categoria não pretendemos fazer um mero registro, mas sim enaltecer o profissional da contabilidade que, muitas vezes, mesmo sem o necessário e correto reconhecimento, contribui com a construção e desenvolvimento dos nossos municípios, dos estados e do país”, avalia.

Durante a solenidade, serão homenageados dez profissionais da contabilidade com atuação no Rio Grande do Norte. São eles os contadores Adonis Luiz de Paiva Cabral, Everton Gomes dos Santos, Franklin de Vasconcelos Silva, Josélia Maria Rodrigues de Andrade, Signey Cézar Lopes, Marcos Cézar C. de Matos, Maria das Graças do Vale, Max Rocha de Medeiros, além dos técnicos contábeis Josenildo A. de Souza e Railton L. de Souza.

De acordo com dados do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), o Brasil possui aproximadamente 485 mil contadores e cerca de 80 mil empresários contábeis.

Dilma chega a NY para afrontar a “Constituição Brasileira” dizendo que há golpe contra seu governo

images-cms-image-000493362

A presidente Dilma Rousseff foi aos Estados Unidos para denunciar ao mundo que está havendo um golpe em curso no Brasil; Isto é, a presidente não só acusa os deputados federais e senadores do Brasil, como não deixa de acusar na ONU, o Superior Tribunal Federal, já que o processo da Impeachment contra ela foi analisado pelos ministros do Supremo.

images-cms-image-000493377Dilma foi recebida na noite de ontem (21) em Nova York de forma calorosa por um grupo de pessoas que a esperavam com rosas e cartazes contra o impeachment, em frente à residência do embaixador do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Patriota, onde ficará hospedada.

Dilma também vai, de forma indireta, acusar o povo que se veste de verde e amarelo e vão às ruas contra a corrupção e seu governo, e gritam à favor do Brasil.

Milhões de brasileiros querem Dilma, Temer e Cunha, fora do poder do Brasil.

O povo brasileiro estão contra todos os políticos que não respeitam a nação do Brasil, e ferem a Constituição.

A presidente vai prestar um dos maiores desserviço a pátria brasileira, falando mal de seu povo em reunião com vários representantes internacionais.

Segundo notícias já divulgada nas grandes mídias, no discurso de Dilma que fará nesta manhã (22), na assinatura do Pacto de Paris na Organização das Nações Unidas (ONU), ela deverá dizer que é vítima de um processo ilegal de destituição presidencial, comandado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), com o aval do vice Michel Temer (PMDB), a quem acusa de traição.

Ela esqueceu que o povão foram às ruas contra sua má administração e contra a corrupção.

94499_697x437_crop_54554b09ef0d0
Povão quer todos os corruptos fora da política brasileira.

Marinha retira sigilo de estudo sobre lama no Rio Doce

Rio Doce: "Pela Lei de Acesso à Informação, não há absolutamente qualquer motivo para que estas informações sejam consideradas sigilosas"
Rio Doce: “Pela Lei de Acesso à Informação, não há absolutamente qualquer motivo para que estas informações sejam consideradas sigilosas”

Agência Brasil – A Marinha do Brasil decidiu retirar o sigilo sobre um estudo realizado com o navio hidroceanográfico Vital de Oliveira. Em novembro de 2015, a embarcação foi utilizada para a produção de uma pesquisa nos arredores de Linhares, no Espírito Sando, sobre o impacto da lama de rejeitos que vazou após o rompimento de uma barragem da mineradora Samarco, no mesmo mês.

A tragédia no município de Mariana, em Minas Gerais, levou poluição à bacia do rio Doce e ao mar no litoral norte do Espírito Santo.

A decisão da Marinha ocorre após a organização não-governamental (ONG) Transparência Capixaba contestar a falta de transparência em relação à pesquisa.

“Pela Lei de Acesso à Informação, não há absolutamente qualquer motivo para que estas informações sejam consideradas sigilosas ou que envolvam a segurança nacional”, diz Edmar Camata, integrante da ONG.

Ele entende que os resultados do estudo são relevantes para a sociedade e imprescindíveis para que se possa ter conhecimento dos danos que a tragédia causou.

A Transparência Capixaba pretendia questionar judicialmente o sigilo.

“A ação natural voltada para obter uma informação pública é o habeas data [ação para o cidadão obter informações sobre ele próprio]. Mas estamos avaliando esse caso em detalhes. Talvez seja necessária primeiramente uma ação específica para derrubar o sigilo”, explicou ontem Edmar Camata.

A pesquisa foi realizada com o objetivo de subsidiar ações de recuperação ambiental de diferentes esferas do governo.

A Marinha informou que, conforme tratado entre todos os envolvidos no processo de pesquisa, os resultados deveriam ser repassados aos órgãos ambientais, para então ser emitido um parecer técnico conclusivo.

Com o sigilo, somente a União poderia ter acesso aos dados levantados durante os próximos cinco anos.

No entanto, a Marinha anunciou em nota que, “com o objetivo de ampliar divulgação do relatório técnico juntamente com a análise conclusiva, retirou o sigilo do documento, tornando-o ostensivo”.

Acesso à informação

A ONG Transparência Capixaba descobriu que os resultados do estudo estavam sob sigilo ao solicitá-los à Marinha.

Na ocasião, foram informados de que, no dia 11 de janeiro de 2016, um termo de classificação havia sido publicado com o intuito de garantir que as informações ficassem restritas à União.

Apesar do anúncio de divulgação do relatório, a ONG ainda não obteve o documento.

Segundo Edmar Camata, o episódio não é uma novidade. Ele destaca que tem havido, de forma geral, uma dificuldade para obter informações referentes aos desdobramentos do rompimento da barragem em Mariana.

Com 1 tonelada de drogas, polícia faz apreensão histórica em Mossoró, RN

Drogas apreendidas foram levadas para o Itep de Mossoró (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)
Drogas apreendidas foram levadas para o Itep de Mossoró (Foto: Marcelino Neto/O Câmera)

G1 – As polícias Civil e Militar fizeram uma apreensão histórica de drogas na cidade de Mossoró, na região Oeste potiguar. Na tarde desta quinta-feira (21), foram encontrados 914 quilos de cocaína, pasta base de cocaína e maconha. Caixas com munições de escopeta calibre 12 também foram apreendidas. Ninguém foi preso.

De acordo com o delegado Denys Carvalho, a delegacia da cidade recebeu uma denúncia sobre um carro com placas clonadas no loteamento Parque Universitário, nas margens da BR-110. Com o apoio da Polícia Militar, o veículo foi encontrado dentro de uma casa na rua José Elton Rodrigues da Silva. “Esta, certamente, foi a maior apreensão de drogas da história de Mossoró”, afirmou o delegado.

A polícia também informou que as drogas apreendidas estavam distribuídas da seguinte forma: 774,5 quilos de cocaína em pó refinado; 21 tabletes pesando 24,5 quilos de pasta base de cocaína; 101 tabletes pesando 110,8 quilos de maconha; 5 caixas com munições de escopeta calibre 12. Todo o material foi levado para o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) de Mossoró.

Mossoró: marido mata esposa na frente dos filhos, liga pra polícia e depois foge

mulher

Um homem ligou, na madrugada dessa sexta feira, para a polícia informando sobre o assassinato de sua própria esposa e depois fugiu.
O crime aconteceu na frente dos dois filhos do casal. Segundo os vizinhos, o casal estava discutindo.

Francisca Edna da Silva, de 28 anos, foi assassinada com um tiro na cabeça.

Na casa do ocorrido, que fica na Rua Teresina da Conceição, em Mossoró/RN, foi encontrado um revolver calibre 38.

A polícia segue investigando o caso.

G1

Cantor Prince morre aos 57 anos

 

000_9u9s4_1
Prince se apresenta na França em 2011. O cantor foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (Foto: AFP)

O cantor e compositor Prince foi encontrado morto em sua casa, emMinnesota, no Meio-Oeste americano, nesta quinta-feira (21). Prince tinha 57 anos e a causa da morte não foi informada. “É com profunda tristeza que confirmo que o lendário e icônico artistaPrince Rogers Nelson, faleceu nesta manhã, em sua residência em Paisley Park, aos 57 anos”, afirmou Yvette Noel-Schure, assessora do astro.

A saúde de Prince já preocupava os fãs há algumas semanas. No último dia 15, ele voltava de um show em Atlanta, no sul dos Estados Unidos, quando seu jatinho particular foi obrigado a pousar devido a uma emergência médica do astro. Prince foi levado às pressas a um hospital. No dia seguinte, no entanto, Prince já estava de volta aos palcos e seu problema de saúde foi descrito como uma forte gripe.

Prince nasceu em 7 de junho de 1958 em Minneapolis e se transformou num dos maiores ícones da música pop. “Purple rain”, uma de suas canções mais famosas, virou filme e levou oOscar de Melhor Canção Original. Ao longo da carreira, gravou 39 álbuns, ganhou sete prêmios Grammy e vendeu mais de 100 milhões de discos.

Prince era multi-instrumentista e afirmava ter escrito sua primeira canção aos sete anos de idade. Flertou com o jazz, o funk e a disco music. Prolífico, alcançou a glória com seus versos de cunho sexual, seu estilo espalhafatoso, suas roupas extravagantes e uma presença de palco inigualável.

Excêntrico, Prince mudou legalmente seu nome para um símbolo impronunciável em 1993. O signo mesclava referências femininas e masculinas. O cantor pediu que a imprensa o tratasse como “o artista anteriormente conhecido como Prince”. Em 2000, voltou a usar seu nome de batismo.

Prince se apresentou uma única vez no Brasil: no Rock in Rio de 1991. Reza a lenda que a inspiração para a canção “The most beautiful girl in the world” veio de sua experiência carioca. Prince se envolveu com a modelo fluminense Marianne Cotrin que, à época, tinha 16 anos.

 

Após internação, Zilu planeja temporada em Miami

zilu1

Depois de passar quase duas semanas internada no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo,  por conta de uma infecção causada pelo implante de silicone no queixo,Zilu Godoi recebeu alta na terça-feira (19).

De acordo com a coluna Olá do jornal Agora S. Paulo desta quinta-feira (21), a ex-mulher do cantor Zezé Di Camargo já está em casa e planeja viagem para a cidade de Miami, nos Estados Unidos, onde tem apartamento.

Advogado diz que escapou de queda de ciclovia após ‘pressentimento ruim’

cid

O advogado e corredor amador Cid Motta, de 31 anos, contou que um “pressentimento ruim” fez com que não fosse uma vítima do desabamento na ciclovia Tim Maia, entre São Conrado e Leblon, na Zona Sul do Rio. Ele e muitos outros esportistas, que passaram pelo local do acidente minutos antes da queda, poderiam estar entre as vítimas. Até as 15h10, o Corpo de Bombeiros já havia confirmado a morte de duas pessoas e procurava por um terceiro corpo.

“O local onde ocorreu o acidente foi a 200, 300 metros do ponto de onde decidi voltar. Estava treinando para a maratona, mas tive um pressentimento ruim e resolvi não fazer o que eu tinha planejado, que era ir até o final de São Conrado, e ir voltando pela ciclovia. Em vez de fazer 35 quilômetros, vou fazer só 30. Um pouquinho depois do motel VIPs, eu dei a volta”, afirmou Cid.

O esportista conta que passava sempre pela via. “A chance de eu estar passando no local na hora do acidente era bem grande”, disse ele, que treinava com frequência pelo local. “Não sei explicar porque veio esse pressentimento esquisito, e resolvi voltar.”

A jornalista e educadora física Aline Dale, de 32 anos, relatou que esteve no local mais cedo com o pai e se impressionou com a força das ondas e da ressaca do mar. Os dois chegaram a tirar uma foto, que ela postou em uma rede social.

“Quando estive lá, realmente me surpreendi, e era a primeira vez que eu ia até lá, não conhecia. Meu pai me alertou que estava bem molhada a pista, achei até bem bonito visualmente. Horas depois, a ciclovia cai”, lamentou Aline.

O administrador Guilherme Miranda passava pelo local no momento do acidente e foi testemunha do desabamento.

“Eu quase morri. Já chegou a imprensa inteira. Cadê o prefeito, cadê o engenheiro que fez essa obra? É desesperador você ver as pessoas morrendo na sua frente. Alguém tem que dar uma resposta disso, foram R$ 45 milhões. Acabaram de inaugurar e já está rachada em vários pontos, passo aqui todos os dias para ir e voltar do trabalho”, disse Guilherme.

Damião Pinheiro de Araújo, de 60 Anos, também passava pelo local de bicicleta na hora em que as ondas atingiram a ciclovia.

“As pessoas pararam na ciclovia, acharam bonito e ficaram tirando fotos das ondas. Eram enormes. Veio uma maior ainda, a ciclovia levantou e caiu um pedaço. Vi as pessoas caindo. É triste. Toda vez que o mar subir vai ter que interditar a ciclovia, faz parte da natureza. Para mim ela foi mal planejada”, disse Damião.

Em um vídeo enviado pelo Whatsapp, um homem filma, da Avenida Niemeyer, a parte da ciclovia que desabou. Sem se identificar, ele parece contar ao filho que havia acabado de passar pelo local pedalando e, na volta, viu tudo caído. Enquanto narrava, uma onda bate com força nas pedras e a água do mar chega a cobrir a lente da câmera

Eliane beija o corpo do marido Eduardo Marinho, de 54 anos, morto no desabamento da ciclovia - Foto: Ricardo Moraes/Reuters
Eliane beija o corpo do marido Eduardo Marinho, de 54 anos, morto no desabamento da ciclovia – Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Mulher de João Santana afirma que Mantega intermediou caixa 2 em 2014, diz jornal

Mônica Moura trocou o sorriso pela delação(Geraldo Bubniak/Agência o Globo)
Mônica Moura trocou o sorriso pela delação(Geraldo Bubniak/Agência o Globo)

Veja – Em tratativas para fechar um acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato, a mulher do marqueteiro do PT João Santana, Mônica Moura, já prestou depoimento em que afirma que o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega intermediou pagamento de caixa 2 para a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014. As informações são do jornal O Globo. O casal foi preso na 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Acarajé. Monica Moura ainda não formalizou o acordo.

A mulher de João Santana cuidava da parte financeira da Polis Propaganda e Marketing, empresa que fez as campanhas da presidente Dilma em 2010 e 2014. O casal é acusado de receber de 7,5 milhões da Odebrecht e do operador de propinas Zwi Skornicki por meio de uma offshore no Panamá, a Shellbill Finance. O Ministério Público Federal já denunciou a dupla pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa.

De acordo com o jornal, Mônica afirmou a procuradores federais em Brasília que Mantega se reuniu com ela e indicou repetidas vezes executivos de empresas que deveriam ser procurados por ela para fazer pagamentos. Os montantes não foram declarados à Justiça Eleitoral. Ao Globo, Mantega admite os encontros com Mônica, mas nega que tenha tratado de contribuições ilegais. Já a mulher de Santana afirma ter registrado detalhes das conversas em uma agenda que ainda não foi apreendida pela Polícia Federal.

Ela afirmou também que houve caixa 2 também na campanha presidencial de 2010 e nas campanhas petistas de Lula em 2006, Fernando Haddad em 2012, Marta Suplicy em 2008 e Gleisi Hoffmann em 2008. Ainda segundo ela, Mônica e o marido teriam recebido ao menos 10 milhões de reais fora da contabilidade em 2014 – 4 milhões, somente da Odebrecht.

Suspeito de matar professor no RN se apresenta à polícia e fica preso

20160404090156
Corpo estava dentro de carro queimado encontrado no dia 3 (Foto: Divulgação/PM)

G1- O suspeito de matar uma pessoa, cujo corpo foi encontrado no dia 3 deste mês carbonizado dentro de um carro entre os municípios de Fernando Pedroza e Santana do Matos, na região Central do Rio Grande do Norte, se apresentou à Polícia Civil na noite desta quarta-feira (20) e está preso. Para a família, a vítima do assassinato é o professor de matemática Alcivan Medeiros da Silva, que desapareceu um dia antes de o carro ser encontrado. O veículo, inclusive, pertence ao professor.

“Embora a apresentação tenha sido expontânea, havia um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça e o suspeito ficou detido”, explicou o delegado Dilton Nascimento. Apesar de confirmar a prisão, o delegado preferiu não dar detalhes sobre o suspeito nem do depoimento. “Preferimos o sigilo que é para não atrapalhar as investigações”, ressaltou.

Alcivan Medeiros da Silva foi visto pela última vez no dia 2 deste mês em Mossoró, cidade da região Oeste potiguar. No dia seguinte, um cadáver foi encontrado carbonizado dentro de um Fiat Uno Vivace inteiramente queimado em uma região de mata entre os municípios deFernando Pedroza e Santana do Matos. Parentes do professo confirmaram pelo número do chassi do carro se tratar do veículo de Alcivan.

A Secretaria de Educação de Felipe Guerra cancelou as aulas do dia 5 na rede municipal de ensino devido aos acontecimentos. Apesar de não ter a confirmação oficial da morte do professor, a secretaria tomou a decisão pela complexidade da situação e pediu “oração por notícias positivas”.

Sem identificação
O corpo que foi encontrado carbonizado dentro do carro ainda não foi oficialmente identificado. Segundo o Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), isso só será possível após exames de DNA, o que ainda não foi feito. Para a família, um pedaço da arcada dentária encontrada dentro do carro deve ajudar a polícia a solucionar o caso. “Com a arcada que foi encontrada dentro do carro de Alcivan, também é possível fazer a identificação do corpo”, ressaltou um familiar que pediu para não ter o nome revelado. Segundo ele, a arcada é uma alternativa de identificação mais rápida que o DNA – “exame que não é feito no estado e que depende da colaboração da polícia técnica de Salvador”, explicou o Itep.