Operações do MP e PF prendem membros de facção criminosa no Alto Oeste potiguar

Membros do MP, da Polícia Federal e da Polícia Militar fizeram operação no Alto Oeste — Foto: Cedida
Membros do MP, da Polícia Federal e da Polícia Militar fizeram operação no Alto Oeste — Foto: Cedida

O Ministério Público do Rio Grande do Norte e a Polícia Federal deflagraram, na manhã desta quarta-feira (14), duas operações, com apoio da Polícia Militar, para tentar desarticular uma “célula de liderança” de uma facção criminosa paulista que atua no estado.

Ao todo, foram cumpridos sete mandados de prisão e outros nove, de busca e apreensão nas cidades de Pau dos Ferros e São Francisco do Oeste, na região do Alto Oeste potiguar.

Segundo o MP, as investigações foram iniciadas em 2019, para apurar os possíveis cometimentos dos crimes de organização criminosa, porte e posse ilegal de armamentos, tráfico de drogas, associação para o tráfico e pistolagem.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos em desfavor de pessoas que seriam envolvidas diretamente nas atividades da organização e chefias da facção. Entre os investigados, há lideranças estaduais da facção criminosa.

Ainda segundo as investigações, integrantes do grupo criminoso no Rio Grande do Norte mantinham intensa comunicação, em conversas via conferência, com lideranças de outros estados, nas quais realizavam cadastros de novos membros e cobravam pagamento de valores para a organização criminosa, que a facção chama de “rifa”.

Os chefes da organização criminosa que se encontravam presos determinavam ordens de crimes como roubos, homicídios, tráfico de drogas dentre outros, que eram executados por membros da denominada “linha de frente” da facção.

“Todos os mandados foram cumpridos. Os presos possuem antecedentes criminais, alguns deles, inclusive, se encontravam foragidos da Justiça. Durante o cumprimento dos mandados, foram apreendidos armas, drogas, munições, dinheiro fracionado e um caderno com anotações referentes à facção”, informou o MP.

As operações deflagradas simultaneamente foram denominadas Barrito e Argos. Barrito é o som emitido pelos elefantes, em uma referência à região onde ficam as cidades-alvo da ação, conhecida como “tromba do elefante”. Argos, na mitologia grega, era um gigante que tinha cem olhos.

G1RN