O ministro Edson Fachin vota contra bagatela

Resultado de imagem para edson fachin
Ministro Edson Fachin queria que o processo de uma pobre mulher permanecesse valendo, (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ministro Edson Fachin em um de seus primeiro julgamentos no Superior Tribunal Federal, no caso da  segunda turma para onde se mudou, da qual fazia parte o, falecido, ministro Teori Zavascki, votou hoje, 07, contra uma pobre senhora que havia feito um furto de cinco chicletes e dois frasco de desodorante.

O crime é considerado caso de “crime de bagatela”, quando a ofensa é insignificante, e não há ameaça a vida da vítima.

Georgina  Gonçalves entrou em um supermercado de uma cidade mineira e praticou o furto, que tinha hoje o valor de R$ 42, colocado os produtos dentro de sua bolsa.  Fato esse que ocorreu no dia 18 de fevereiro de 2011.

No entanto, a ré foi absorvida pelo STF, por ter sido arquivado seu processo, pelos votos dos ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello e Dias Toffoli. Mas o ministro Edson Fachin acompanhado de Ricardo Lewandowski votaram pela continuidade do processo, isto  é, pela possível condenação da mulher pobre.

Todos lembram da vergonhosa atitude do ministro Ricardo Lewandowski, quando rasgou a Constituição Federal para livrar, com ajuda do então presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB), a ex-presidente Dilma Rousseffe de ficar inelegível, durante o procedimento do impeachment.

Mas o ministro Edson Fachin foi rigoroso em seu voto contra a bagatela efetuada por uma mulher pobre.

A pergunta é: será o ministro Edson Fachin tão duro contra os ladrões da Lava Jato? É o que o povo brasileiro vai ficar de olho.

Ou a justiça do Brasil vai continuar com os slogan que diz: ” a justiça é para condenar os três “P”, pobre, preto e puta.

 

Por Laurivan de Sousa

 

Fonte: http://oglobo.globo.com/sociedade/stf-arquiva-processo-de-mulher-que-foi-presa-por-furto-de-chiclete-desodorante-20888336