Mineiro critica PEC 241, em tramitação no Congresso Nacional

unnamed-27

Em pronunciamento na sessão plenária desta quinta-feira (13), o deputado Fernando Mineiro (PT) disse que a campanha publicitária deflagrada pelo Governo Federal tem o intuito de confundir a população e de eximir o Governo Temer de responsabilidade sobre a seca.

“Estamos na maior seca dos últimos 100 anos e um conjunto de campanhas publicitárias está em curso para que a população não atribua responsabilidade a este Governo. Esta notícia é consequência direta do crescimento da verba publicitária nos últimos dois meses, um fato que evidentemente não sai nos jornais”, afirmou o deputado.

Com relação à PEC 241, em tramitação no Congresso Nacional, o parlamentar disse que ela exige um sacrifício da população que mais necessita de políticas públicas, mas “não penaliza quem vive de renda, juros e de especulação financeira”.

Mineiro questionou como setores essenciais como a Educação, Saúde e Segurança irão melhorar com o congelamento dos recursos. O parlamentar disse ainda que, caso a PEC 241 já estivesse em vigor, o RN não teria recebido os diversos campi do IFRN, UPAs e UFERSA. “Querem passar a ideia de que o congelamento dos gastos é relacionado ao salário dos servidores, mas não é isso o que está acontecendo”, disse.

O parlamentar afirma que obras paralisadas da rede pública de saúde não atingem somente a população, mas o pequeno e médio empresário. “Os setores que precisam das políticas públicas é que estão sendo chamados a pagar a conta, precisamos provocar um debate sobre o entendimento do papel do Estado. É um engodo passar a ideia de que se trata de uma batalha contra o funcionalismo, pois isso terá um impacto regressivo na vida das pessoas, provocando um efeito cascata na economia”, comentou Mineiro.

Em aparte, o deputado Hermano Morais (PMDB) disse que há necessidade de um “remédio amargo” para recuperar a economia do País. “O atual Governo tenta arrumar a casa e minimizar os efeitos danosos da política econômica e espero que não se confirme o sexto ano de seca consecutiva”, concluiu.