Mais uma fuga! Presos fogem do CDP da Ribeira, em Natal

ELO-FRACOSegundo noticiário do G1, mais uma fuga de presos foi registrada no início da madrugada de hoje (12). A população está à mercê dos bandidos, enquanto o governo insiste em uma campanha antiga intitulada de “Ronda Cidadã”. Esse tipo de projeto de segurança é ultrapassado. Os presos estão bem organizados e amedrontam a população do Rio Grande do Norte. É do conhecimento de todos que a insegurança é uma situação geral no Brasil. Mas o governo do RN não pode ficar assistindo as fugas que são constantes desde início de 2014.

De acordo com o diretor Francisco Vieira, os detentos fugiram por um buraco aberto em uma parede. “O que sabemos até agora é que os presos abriram um buraco em uma parede. Ainda não sabemos quantos homens fugiram”, ressaltou.

Não se sabe até o momento, quantos presos fugiram nesta fuga; porque nas outras a imprensa tem os detalhes, que nas últimas 10 somam 89 presos foragidos no Estado. Essa é a 11ª fuga em 2016. 

Vejam listagem das fugas só deste ano:

Dia 30 de janeiro: 2 presos fugiram da Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró.

Dia 29 de janeiro: 2 presos fugiram da Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró.

Dia 24 de janeiro: 2 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória de Ceará-Mirim.

Dia 22 de janeiro: 2 presos fugiram da Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró.

Dia 21 de janeiro: 10 presos fugiram da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta.

Dia 19 de janeiro: 3 presos fugiram da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta.

Dia 17 de janeiro: 2 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória do Potengi, em Natal.

Dia 14 de janeiro:  4 presos fugiram do Centro de Detenção Provisória de Macau.

Dia 12 de janeiro: 46 presos fugiram do Presídio Provisório Raimundo Nonato, em Natal.

Dia 1º de janeiro: 16 presos fugiram da Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró

Sistema em calamidade
O sistema penitenciário potiguar está em calamidade pública desde o dia 17 de março de 2015, após uma onda de rebeliões que atingiu pelo menos 14 das 33 unidades prisionais do estado. O decreto, renovado em setembro, tem validade até março deste ano.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), já foram gastos mais de R$ 7 milhões nas reformas das unidades depredadas. A secretaria reconhece que o sistema penitenciário do RN é ultrapassado e precisa de uma modernização com mais eficiência e tecnologia nos processos.