Mãe se revolta com morte de filho em Natal; ‘por causa de um celular’

Maria das Graças de desespera ao falar da morte do filho, o estudante de pedagogia Joaquim Zacarias da Silva Neto, de 29 anos, vítima de latrocínio em Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)
Maria das Graças de desespera ao falar da morte do filho, o estudante de pedagogia Joaquim Zacarias da Silva Neto, de 29 anos, vítima de latrocínio em Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

12932693_1156401491048261_2521699525494911064_n

“Mataram o meu filho por causa da porcaria de um celular”. O misto de revolta e a tristeza vem de Maria das Graças Silva, mãe do estudante de pedagogia Joaquim Zacarias, morto durante um assalto na noite desta quarta-feira (6). O crime aconteceu no bairro de Nazaré, na Zona Oeste de Natal.

Joaquim Zacarias da Silva Neto, de 29 anos, tinha acabado de deixar a namorada em casa, na rua Raimundo Filgueira, quando foi abordado por dois criminosos em uma motocicleta. Eles atiraram e a vítima foi atingida na cabeça e no tórax. Joaquim ainda foi socorrido, mas morreu a caminho do hospital.

“A sogra dele ligou para mim e disse: dona Graça, chame Djanira que eu quero falar com ela. Eu disse: mataram Joaquim, foi? Ela disse: não, dona Graça. Eu disse: ‘fala, droga! Mataram o meu filho, não foi? Por causa da porcaria de um celular que ele trabalhou para comprar”, desabafou.

Joaquim era estudante de pedagogia e fazia parte de um grupo de teatro da igreja católica. “Era um rapaz gente boa, só vivia na igreja. Saia da faculdade para o trabalho e do trabalho para a casa da namorada. Não vivia em festa”, lamentou um amigo da família.

A polícia não sabe se Joaquim reagiu ou não ao assalto. O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Do G1