Isolda defende que plano de vacinação seja exclusividade do Governo Federal

Única parlamentar a se pronunciar no horário destinado aos líderes na sessão desta quarta-feira (07), a deputada Isolda Dantas, líder do PT na Assembleia, defendeu a exclusividade do Governo Federal no Plano Nacional de Imunização. Ela se referiu à aprovação na Câmara Federal, do texto-base de um projeto de lei que poderá permitir que empresas comprem vacinas contra a Covid-19 para imunizar funcionários, mesmo seguindo a exigência de doação dos imunizantes ao SUS.
 
 
“Vamos entrar na lógica do mercado”, criticou a parlamentar. “Vai ter acesso quem tiver dinheiro para pagar”, disse Isolda, entendendo que a iniciativa privada vai acabar ‘furando a fila’. “Com vacina a gente não vai ter necessidade de fechamento de nenhum tipo de estabelecimento”, disse a deputada, adiantando que a luta vai continuar e só a vacina vai manter o controle.
 
 
Isolda Dantas também falou sobre o debate em torno do retorno às aulas presenciais nas escolas da rede pública. Ela acenou que o debate por parte do Governo do Estado, que através de decreto não liberou as aulas presenciais, não se dá pelo fato da escola ser essencial ou não.
 
 
“O debate não é esse. As escolas públicas também estão preparadas. É tapete, álcool em gel e pia? O problema não é esse”, afirmou a deputada, explicando que a defesa que se faz é da vida dos profissionais da Saúde. Ela ressaltou que a maioria dos educadores que integram a rede pública de ensino, está em idade que merece mais cuidados. “Nosso quadro de professores é de idade avançada em sua maioria”, disse Isolda. “A decisão de retorno às aulas tem que ser com base na Ciência, e não no debate sobre ser essencial ou não. Estamos perdendo mais de 4 mil vidas por dia”, alertou a deputada Isolda Dantas.