Gilmar Mendes decide em até 2 meses se estende parcialidade de Moro a demais casos com Lula

Gilmar Mendes diz que decisão do STF sobre Lula "não foi uma absolvição" |  Exame
Foto da Internet

Relator dos demais pedidos sobre a parcialidade de Sergio Moro na Lava-Jato, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes vai avaliar, nos próximos dois meses, se estenderá a suspeição do ex-juiz a outros processos que miram Lula. A defesa do ex-presidente pediu ao ministro que estenda a parcialidade de Moro decretada pela Segunda Turma no caso do triplex a três processos que foram transferidos de Curitiba para a Justiça Federal de Brasília.

Uma das ações diz respeito ao sítio de Atibaia (SP) atribuído a Lula e as outras duas a transações entre a Odebrecht e o Instituto Lula. Gilmar garante a interlocutores que, no primeiro semestre, vai decidir o caso. O ministro votou a favor da suspeição de Moro no processo do triplex e desponta, com Ricardo Lewandowski, como um dos magistrados mais críticos a Moro e à Lava-Jato no STF.

Lula e seus advogados estão otimistas e acreditam que Gilmar estenderá a suspeição aos demais casos já que Moro atuou em todas as ações. Com isso, o juiz que recebe as investigações não pode usar nenhum material produzido pela Lava-Jato de Curitiba nos processos em que Moro for decretado suspeito. Isso já está imposto no caso do triplex do Guarujá.

Para aliados de Lula, outro ponto que pesa a favor de Gilmar estender a suspeição de Moro aos demais casos do petista é a confirmação da parcialidade do ex-juiz pelo plenário da corte. Na semana passada, por uma placar de 7 votos a 2, foi mantida a suspeição. Mesmo com a maioria formada a favor de Lula, Marco Aurélio Mello pediu vista e o julgamento foi adiado. Gilmar vai esperar que o processo seja devolvido ao plenário para decidir sobre os pedidos de extensão.

Bela Megale – O Globo