Fechamento de comércio aumentou óbitos no RN; ação do governo não funcionou

A foto é de 2014, do nominoto.com/ Itep seputava corpos não identificado antes da Covid.

O que gostariamos de saber é o por que as medidas de restrições adotadas pelo governo Fátima Bezera (PT), fechando o comércio quase todo, funcionando apenas farmácias, açougues, feiras livres e padarias, invés de diminuirem as mortes, aumentou, e muito, os óbitos no Rio Grande do Norte.

A Sesap apresentou boletins que revelam que na primeira semana de restrições, do dia 15 a 21, houve o registro de 147 óbitos em todo estado. Seguindo com as medidas de fechamento, aumetou mais ainda as dificuldades do povo. Pois além das mortes que subiram, morrendo 270 pessoas entre os dias 22 a 28 de março, comprovando que a equipe científica do governo está errada, não conseguindo soluções para as mortes cuasadas pela doença, antes, conseguiram aumentar a fome e a miséria do povo norteriograndesse.

Nos 15 dias analisados morreram 417 pessoas, que adicionado aos novos números apresentados nos dias 29 e 30 deste mês, que foi de 120 óbitos, dá um total de 537 mortos, sendo o resultado mais que o tríplo em comparação com os números anteriores.

O que o governo deixa ainda a desejar na sua transparência é um número de quase mil mortos sem causa definida, ainda estando constantemente em investigações. O que digo, de forma leiga, é que o governo pode usar esses números em investigações a quelquer tempo, para superestimar os números dos mortos pela doença, caso não aconteça fiscalização.

Veja no meio o númeror de mortos que ainda estão sem identicação da causa do óbitos no RN