Estudantes criam embalagem biodegradável feita com folhas de cajueiro e são premiadas

Estudantes potiguares são premiadas com projeto de embalagem feita com folha de cajueiro (Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca ) 

Estudantes de Mossoró, no Oeste potiguar, desenvolveram uma embalagem biodegradável feita com folhas de cajueiro e foram convidadas para apresentar o projeto em Londres, na Inglaterra. Diferente da embalagem de isopor, que demora em média 400 anos para se decompor no meio ambiente, a de cajueiro demora cerca de 30 dias.

Desenvolvido em 2016, o projeto chamado Embacaju surgiu com o objetivo de aproveitar as folhas. “Minhas amigas e eu vimos que existia uma casa de convivência para a pessoa idosa no nosso bairro e lá tinha muito cajueiro. As folhas caíam e eram queimadas, jogadas no lixo”, explicou a estudante do terceiro ano do ensino médio Ekarinny Medeiros, que desenvolveu o projeto com as colegas Evely Yara Oliveira Silva e Natália Alves de Lima, orientadas pela professora Luisa Kiara.

O projeto já rendeu vários prêmios. Em 2017, o trio venceu a categoria Ciências Ambientais da 32ª Mostra Internacional de Ciência e Tecnologia. “É muito gratificante ver a garra e empenho dessas alunas”, disse a professora orientadora do projeto.

Este ano, as jovens foram convidadas para apresentar o projeto em um evento que vai acontecer em Londres, na Inglaterra. “Saber que um projeto feito em uma escola pública pode representar o país é uma alegria imensa”, disse Ekarinny. O único problema é o custeio da viagem. “Consegui falar com o governador do estado e ele falou que daria certo o custeio. Estamos aguardando porque precisamos pagar tudo até o dia 29 de junho”, relatou.

A Secretaria Estadual de Educação informou que oferece assistência financeira a estudantes através do projeto Ciência para Todos no Semiárido Potiguar, porém as alunas não foram cadastradas. Por isso, o custeio da viagem ainda está sendo analisado.

Fonte: https://g1.globo.com

Leave a Comment