Doze policiais civis faziam guarda de suspeito de participar da morte de estudante em Natal quando ele fugiu

Polícia Civil concedeu entrevista coletiva para falar de fuga de suspeito de participação na morte do estudante Arthur de Oliveira — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Doze policiais estavam com o suspeito de ter participado da morte do estudante Arthur Lima de Oliveirano momento em que ele fugiu. A informação foi confirmada pela Polícia Civil em uma entrevista coletiva concedida em Natal nesta sexta-feira (20), para falar sobre o caso.

Arthur de Oliveira morreu durante uma assalto na quarta-feira (18), no Alecrim, Zona Leste da capital. O suspeito foi detido logo após o crime e escapou poucas horas depois.

De acordo com os delegados, o homem estava algemado, do lado de fora do carro da polícia e auxiliava os agentes nas buscas pelo comparsa dele, que também participou do assalto. Foi quando conseguiu correr e entrou no mato. Desde então não foi mais visto. A fuga aconteceu na comunidade do Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal.

O diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Júlio Costa, admitiu “falha policial” e afirmou que um processo administrativo será aberto para apurar as responsabilidades da fuga.

Arthur Lima de Oliveira tinha 18 anos — Foto: Arquivo Pessoal
Arthur Lima de Oliveira tinha 18 anos — Foto: Arquivo Pessoal

O caso

Na tarde desta quarta-feira (18), dois homens assaltaram uma loja de celulares no Alecrim, Zona Leste da capital. Pessoas que viram o crime gritaram, chamando a atenção de quem passava pelo local.

Foi quando um jovem, que é filho de um dos comerciantes da região, ouviu os gritos e correu para tentar pegar os bandidos. De acordo com o pai do rapaz, um dos assaltantes se virou e atirou no filho dele. Arthur de Oliveira tinha 18 anos de idade e morreu no local.

Após o disparo, um dos homens tentou fugir por dentro de uma escola, mas acabou preso pelos seguranças. Já o comparsa escapou.

Após o disparo, um dos homens tentou fugir por dentro de uma escola, mas acabou preso pelos seguranças. Já o comparsa escapou.

Preso na escola

Em nota, a direção da escola reforçou que os alunos não renderam o bandido que participou do assalto perto da escola. “O criminoso entrou na escola quando pessoas que fugiam da troca de tiro pediam abrigo no Instituto. O homem , que tentou fugir pelo colégio, foi contido por funcionários do Sagrada, um deles o professor de jiu-jitsu que inclusive usou uma faixa para imobilizar o criminoso, que não estava armado”.

Fonte: https://g1.globo.com

Leave a Comment