Covid-19: mortes de março e abril aumentaram em 50% comparados aos óbitos desde o início da pandemia

Carro da funerária leva corpo do hospital São Luiz em Mossoró — Foto: Hugo Andrade/Inter TV Costa Branca
Carro da funerária leva corpo do hospital São Luiz em Mossoró — Foto: Hugo Andrade/Inter TV Costa Branca

O primeiro óbito registrado no Estado do Rio Grande do Norte pela Covid-19 acontenceu em 31 de março de 2020, a vítima foi o professor universitário Luiz Di Souza, 61 anos, morreu após passar sete dias internado em Mossoró, no interior do estado.

Um ano depois o RN registrou 4.507 mortes causadas pela Covid, uma média diária de 12,3 mortes por dia, quando dividido por 365 dias.

Mas a maior mortandade pela Covid-19 aconteceu agora, em março e abril, com um aumento de 50% a mais do que morreram no ano todo. Hoje contabilizando 5.446 óbitos.

Forom 1.848 mortes apontado como causa a Covid, nos últimos dois meses. Uma média de 30,2 mortes por dia. Em Abril, excluindo-se o dia de hoje, morreram 939 pessoas, enquanto em março foram 909.

Agora ficam as perguntas: O lockdown não funcionou? As medidas de restrições não deram resultados? O que o governo de Fátima Bezerra fez de concreto em defesa do povo norteriograndense? O toque de recolher não conseguiu pôr ordem no vírus?

Claro que achamos sério os casos desse vírus, principalmente quando se tem um desgoverno que tentou crescer sua publicidade em cima do fecha tudo, do desespero do povo mais humilde.

Antes deste atual momento da doença no estado, o período mais crítico em relação à letalidade havia sido em 2020, entre os meses de junho, quando morreram 751 pessoas, e julho, com 767 mortes.

Ontem,29, houve uma especie de comemoração pelo STF quando, em minha opinião, o seu presidente, ministro Luiz Fux, prestou sentimentos pelos 400 mil mortos anuciados no Brasil. A meu ver, foi como uma propaganda falsa que esperava um número redondo para se promover, como que os 399.999 outros mortos não faziam muita diferença.

Está na vista que a maioria dos governadores e prefeitos do Brasil, desta CPI no senado, encomendada, e o STF fazem a publicidade dos mortos pela Covid com intenção de atacar o governo federal.