Congresso avalia rediscutir orçamento; aliados do governo apontam dificuldades

Hugo Leal (PSD-RJ), relator-geral do Orçamento de 2022 / Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Com diversas categorias trabalhistas pedindo reajuste salarial, o Congresso Nacional avalia rediscutir o Orçamento. Aliados do governo veem como difícil o remanejamento de verbas orçamentárias para novos reajustes. Em entrevista ao jornal Jovem Pan desta terça-feira, 15, o deputado federal Hugo Leal (PSD-RJ), relator geral do orçamento, afirmou ser positivo o debate voltar ao parlamento. Para ele, alguns cortes preocupam, pois já foram debatidos até mesmo com o poder Executivo. “Nós aqui no parlamento, na Comissão Mista de Orçamento, deixamos o espaço que nós chamamos de anexo 5, que são as novas contratações e também o espaço para esse tipo de reajuste.

Obviamente que R$ 1,7 bilhão contemplaria ainda o que, em parte, apenas o que nós estamos discutindo, a categoria das forças de segurança. Há possibilidade de suplementação? Sim, poderia haver, tanto que o corte de R$ 3,6 bilhões mais ou menos, que foi o corte feito, como foram para fazer recomposição na folha de pessoal, nas despesas de pessoal, que é um entendimento que o Ministério da Economia teve, eu acho que isso também pode observar, pode servir de palco, de debate para essa questão de outras categorias”, afirmou Leal.

Jovem Pan