Comissão de Defesa do Consumidor debate vigilância armada 24h em bancos

Os integrantes da Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Interior da Assembleia Legislativa reuniram-se nesta terça-feira (03) para debater, entre outros assuntos, a aprovação do Projeto de Lei que proíbe as empresas concessionárias de água, luz e telefonia, de interromper o fornecimento dos serviços nos finais de semana e feriados, além do projeto que obriga as agências bancárias e cooperativas de créditos do RN a manter vigilância armada durante 24 horas por dia, proporcionando mais segurança para os clientes.

“Hoje tivemos uma reunião rápida, porém muito produtiva, onde tratamos de temas que influenciam diretamente na vida do consumidor”, justificou o presidente da comissão, deputado Ubaldo Fernandes (PL).

Um dos assuntos mais esperados da reunião era a aprovação, por parte da comissão, do substitutivo, de autoria do deputado Sandro Pimentel (PSOL), que que garante a segurança nas agências 24 horas por dia. A reunião foi acompanhada por representantes do Sindicato dos Vigilantes patrimoniais do Rio Grande do Norte (Sindsegur) e do Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de carro-forte, guarda, transporte de valores e escolta armada (Sindiforte).

“Fico muito feliz em saber que os deputados entenderam a importância da segurança e aprovaram a garantia do substitutivo. Isso é muito importante por garantir que depois das 18h, o consumidor vai ter a certeza de que haverá um segurança nas agências bancárias”, justificou Sandro.

Durante a discussão, o deputado Kleber Rodrigues (PL) ressaltou que os bancos são as empresas que mais lucram no país. “Pagamos muito caro por todas as atividades nos bancos e nada mais justo que os consumidores tenham segurança ao utilizar esses terminais nos horários depois das 18h”, disse.

Durante a reunião, Ubaldo Fernandes informou que recebeu do Ministério da Educação um comunicado informando que o órgão está realizando uma pesquisa nacional sobre os impactos ambientais causados pelas manchas de óleo, na costa brasileira.

“A nossa comissão foi a primeira de todas as Assembleias do país a levantar esse tema. Várias autoridades vieram a esta Casa debater esse assunto e a partir dessa iniciativa, provocou a realização dessa pesquisa por parte do MEC”, comemorou o parlamentar.

Finalizando a reunião, os membros da Comissão sugeriram a discussão e o debate sobre o enrocamento da Praia de Ponta Negra.

“Cumprimos a pauta de hoje e na próxima semana estaremos aqui discutindo esse tema. Sabemos que essa é uma obra importante para aquela praia e estamos convidando o MP, o IDEMA e a prefeitura para que estes órgãos expliquem por que essa obra ainda não saiu do papel”, finalizou Ubaldo Fernandes.

Assessoria