Category: Saúde

Aumenta para 177.794 os recuperados das infecções do coronavírus.


Bebê de 6 meses e sua avó de 102 anos ficam curados da Covid-19 

Os números dos que são recuperados do Covide-19, que são considerados por muitos médicos como curados, esses que sentiram sintomas mais fortes, aumentou para 177.794 pessoas em todo mundo.

Ontem (31) as informações davam conta de que os números de curados eram 164.338 pessoas. Uma recuperação de 13.456 doentes em 24 horas.

Mas os números dos que foram afetados e foram salvos são bem maiores, chegando a mais de 850 mil pessoas que estão bem.

Infelizmente morreram até o momento 44.916 pessoas.

Destes que morreram, sete países concentram um número de 38.521 pessoas mortas, são eles: EUA, Itália, Espanha, China, França, Eu Corri e Reino Unido, todos eles adoraram a ideia do isolamento horizontal. O restantes dos 6.395 óbitos estão contabilizados por todos os outros países do mundo.

No Brasil de mais de 209 milhões de habitantes, morreram 201 pessoas.

Covid-19: Só ontem (31) foram curadas 13.454 pessoas

Segundo informações da OMS no dia dia de ontem (31) foram curadas da infecção causada pelo coronavírus 13.454 pessoas. Essas pessoas, agora, começam a fazer a conhecida barreira de proteção, na qual quando se tiver 50% das pessoas com imunidades a curva da contaminação começa a descer evitando que mais pessoas sejam atingidas.

Uma idosa de 97 anos, moradora de Recife, foi curada de infecção causada pelo Covid-19. Informação passada pelo novo boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE).

Segundo alguns doutores infectologistas, por enquanto esse é o melhor remédio.

Covid-19: EUA tem 1,7% de óbitos dentre os mais de 180 mil testes positivos

EUA anunciam possível liberação rápida de remédio contra Covid-19
Foto da Internet

Os EUA apresentou novos números de testes positivos com o novo coronavírus. Já foram testados positivos 180.099 pessoas, das quais morreram 3.606, um percentual de 1,7%.

Segundo especialistas do Brasil já existe muitas pessoas que já foram contaminados com o Covid-19, e muitos nem sentiram nenhuma reação, tornando-se imunde.

RN tem fila de 1.000 testes de coronavírus aguardando resultados

Testes são feitos no Lacen e do Instituto de Medicina Tropical da UFRN — Foto: Carla Cleto/Ascom
Testes são feitos no Lacen e do Instituto de Medicina Tropical da UFRN — Foto: Carla Cleto/Ascom

O Rio Grande de Norte tem cerca de 1 mil pacientes aguardando resultados de testes do coronavírus. A informação é da Secretaria Estadual de Saúde Pública do Estado (Sesap). O RN tem 82 casos confirmados e uma morte por coronavírus, segundo o boletim epidemiológico divulgado nesta terça (31).

No RN os testes de coronavírus são feitos no Lacen e no Instituto de Medicina Tropical da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A Sesap explica que o exame se divide em duas partes: a primeira é a extração do material genético, que o Estado tem a capacidade para fazer 192 amostras por dia. Na segunda parte, que é o PCR, onde é detectado o vírus, o Estado tem, junto com a UFRN, capacidade de fazer até 336 testes por dia

G1RN

OMS: O número de curados do Coronavírus chega a 164.338 pessoas

As informações dão conta de que 164.338 pessoas que sofreram algum sintoma com o coronavírus foram curadas. De quase 800 mil identificados em todo o mundo, destes, morreram 38.831 vítimas, na sua maioria eram pessoas que já tinham complicações de saúde.

A preocupação das nações começa a apontar para a grande crise econômica que além da doença aumentada pelo vírus, também vai causar um caos na economia.

A OMS já começa a rever essa questão econômica como um problema mundial, podendo mudar suas orientações.

Tedros Adhanom Ghebreyesus
 Tedros Adhanom Ghebreyesus. Foto: Salvatore Di Nolfi / AP

O diretor geral da OMS Tedros Adhanom Ghebreyesus disse que conhece essa situação da pobreza e que cada país deve responder essa questão.

Sem economia não tem como haver boa saúde.

EUA copia a Itália com isolamento total, e tem casos de mortes aumentada

Estados Unidos ultrapassa China e Itália em número de contágios do ...
EUA/Foto : Noam Galai/Getty Images

Como explicar o aumento de mortes pelo Coronavírus nos EUA, quando eles estão em isolamento horizontal desde quando detectou o sinal de contaminação.

Pelo que tomamos conhecimento o país americano tomou as medidas adotadas pela OMS, inclusive copiando a Itália, mas invés das mortes diminuírem, elas aumentaram.

No dia 22.03.2020 foram divulgadas as mortes de 156 pessoas nos EUA (site oficial da cna.asia/Covid19). Agora, 28, foram contabilizadas as mortes de 1.711 pessoas no território americano. Isto é, morreram 1.555 pessoas em apenas seis dias, e isto usando-se as recomendações da OMS.

Com esse aumento de mortes, fica a pergunta no ar: estão corretas as medidas de isolamentos horizontais? Se sim. Por que as pessoas continuam morrendo em números tão elevados?

A Itália dobrou a quantidade de mortos após o confinamento total. No dia 22.03.2020, contava com o número de 5.400 mortos, número bem elevado em comparação a China, que foi a causadora de tudo isso. Hoje, 28, a Itália contabiliza 9.134 mortos (faz mais de 12 horas que a Itália não atualiza os números).

Itália tem quase mil mortes causadas pela Covid-19, o recorde ...
Na Itália, caixões são levados ao interior de uma igreja — Foto: Claudio Furlan/LaPresse via AP

O que de fato está acontecendo?

Seria o isolamento horizontal uma medida que favorece o enfraquecimento imunológico das pessoas? Pelo que diz alguns infectologistas, o isolamento total não seria uma boa decisão, pois a imunidade em massa, chamada cientificamente de “imunidade por rebanho” seria uma ótima solução, já que não se conheci tanto o agir desse vírus.

Os países do mundo estão apavorados por não saberem muito o que fazer. No caso, cada um segue sua intuição.

Aqui no Brasil, em São Paulo, o governador João Dória adotou o isolamento total, tendo poucos casos de mortes confirmadas (68 óbitos). Já o presidente Jair Bolsonaro é da linha de que o isolamento total afetará bem mais ao povo brasileiro, provocando entre os mais pobres baixa imunidade causada pela fome e o desespero. No Brasil é contabilizado hoje 93 caso de mortes.

No Rio Grande do Norte até o momento não foi registrado nenhuma morte pelo Coronavírus.

Deus é a solução para esta praga da China!

Covid-19: Perguntas que não temos respostas

Covid-19: Itália com mais 50 desde ontem. Maioria na região de ...
Foto: da Internet
  1. Por que a Itália mesmo depois de adotar o isolamento social horizontal teve um acréscimo de mortes contabilizando 9.134 mortos?Só hoje (27) morreram 919. O isolamento de lá não estaria dando certo?
  2. Não seria por causa de outro vírus (por exemplo, o H1N1 que foi indicado por tantos especialistas) que também pode ter atacado aquele país?

3. Por que a Suíça que fica um pouco mais de 800 Km da Itália tem uma contaminação bem menor, com apenas 197 mortos? No mesmo caso, Mônaco que está a menos de 700 Km do mesmo país, e não tem nenhum caso de morte;

4. Por que a China que foi o epicentro da pandemia não apresenta grande número de mortes? Apresentou até agora 3.292, quando contabilizam mais de 1,300 bilhões de habitantes;

5) Por que o Dr. Drauzio Varella deu uma interpretação sobre o Coronavírus, gravando um vídeo minimizando os sintomas, depois gravou outro aterrorizando a população? Como acreditar hoje no Dr. Drauzio Varella?

6) Por que há tantas contradições entre doutores, e a maioria aponta para uma situação menos letal?

7) Por que o Dr. Osmar Terra, deputado federal do RS, garante que o isolamento não adiantará em nada para conter as contaminações?

8) Por que os telejornais iniciam com chamadas de matérias assombrando o povo brasileiro, insinuando que o Covid-19 pode matar todo mundo, e não contam o número de pessoas curadas?

9) Por que mais de 27 pessoas próximos ao presidente Bolsoanaro foram contaminados e ele não sofreu nada até ao momento?

10) Por que o presidente dos EUA Donal Trump, que esteve tão perto dos secretários e ministros do Brasil, na última viagem de Bolsonaro aquele país, também não adoeceu?

Vacinas acabam e imunização contra a gripe é suspensa em Natal

Drive thru de vacinação na Arena das Dunas — Foto: George Fernandes
Drive thru de vacinação na Arena das Dunas — Foto: George Fernandes

A Secretaria de Saúde de Natal (SMS) vacinou 71 mil pessoas em três dias de campanha contra a Influenza na capital potiguar. De acordo com a SMS, a campanha ficará suspensa até que um novo lote de doses seja enviado pelo Governo Federal.

Neste início, a campanha tem a meta de vacinar 90% dos 82 mil idosos da cidade (73.800), que é o grupo alvo da imunização. As vacinas foram aplicados nas pessoas com mais de 60 anos e também em profissionais da saúde.

“Com isto a Campanha Contra Influenza fica suspensa até o recebimento da segunda remessa de vacinas por parte do Governo Federal. Até lá as pessoas não devem procurar os postos de saúde. Assim que recebermos a nova remessa do Ministério da Saúde faremos o comunicado pelos meios de informação a quem quero agradecer pelo total apoio na divulgação e prestação de serviço nestes três dias”, explicou George Antunes, secretário de saúde de Natal.

A vacina de Influenza protege contra vários vírus respiratórios, entre eles o, Influenza A (H1N1), Influenza A (H3N2) e Influenza B que circulam nesse período, em Natal. A Secretaria de Saúde do Município reforça que a vacina de Influenza não combate o Coronavírus (Covid-19).

Depois do Convd-19 ninguém mais morreu de outras doenças.

É estranho ver que não há mais notícias de que as pessoas morrem de outra doença, doenças como as comuns, pneumonia, coração e outras patologias. Um vídeo veiculado pelo Youtube, no canal de um cientista da USP diz categoricamente que estão usando o vírus para causar alarde contra o povo do mundo todo.

Mas como explicar que o EUA está sendo enganado?

Veja o vídeo.

Covid-19: Em 24 horas foram registrados 1.703 mortes em todo o mundo

Resultado de imagem para Cornavírus
Foto da Internet

Uma divulgação oficial por um programa de um site que interliga todos os governos mundiais, informações repassadas pelas secretárias de saúde desses países, mostram que o mundo contabilizou o óbito de 1.703 pessoas afetadas pelo Covid-19 nas últimas 24 horas.

Ontem foram contabilizados que 12.738 pessoas mortas pelo vírus. Hoje, dia 22, mostra um aumento desse número que parece ser alarmante. Agora são 14.539 pessoas mortas. Um aumento de mais de 10% em 24 horas. Existe hoje 322.876 pessoas contaminadas.

Na China morreram, hoje, mais 11 pessoas. No EUA foram 156 óbitos para 33.073 contaminados. Mantendo-se com o percentual de vítimas fatais inalterado em consideração aos infectados até ao momento.

No Brasil se contabiliza um número de infectados bem menor do que nesses outros países, são 1.128 contaminados e registra 15 mortes. No quadro de ontem havia um registro de 18 óbitos, o que pode ter sido um equívoco de identificação da doença.

Dizem que o vírus tem dificuldades de se propagar no Brasil, por causa do país ser continental, e ter uma região com temperaturas elevadas, o que favorece aos seus habitantes, pelo fato do vírus perder força.

No Rio Grande do Norte tem registro de 9 casos e nenhum óbito.

As recomendações é de ficar em casa, lavar as mãos com água e sabão, usar o álcool gel, se manter distante das pessoas pelo menos um metro, evitar abraços e beijos.

Campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda (23) em Natal

Idosos e profissionais da saúde serão os primeiros a serem vacinados — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Começa na segunda-feira (23) a campanha de vacinação contra a gripe em todas as unidades básicas de saúde de Natal. As UBSs estarão abastecidas para atender a população alvo da campanha de imunização contra a influenza. A expectativa é de que 250 mil pessoas sejam vacinadas até 22 de maio.

Para evitar aglomerações, a imunização foi organizada em três etapas:

  • Primeira (início 23/03): destinada a pessoas com mais de 60 anos e profissionais da saúde;
  • Segunda (início 16/04): doentes crônicos, professores da rede pública e privada e profissionais de segurança e salvamento;
  • Terceira e última (início 09/05 até 22/05): crianças de 6 meses a 5 anos, mães no pós-parto de até 45 dias, população indígena e pessoas de 55 a 59 anos.

Grávidas em qualquer período gestacional serão atendidas em todas as fases da campanha. As vacina estão disponíveis em 70 salas espalhadas pelas quatro regiões de Natal.

“É importante ressaltar essa obediência às datas para cada fase, pois o município não receberá a quantidade total destinada ao público-alvo, que gira em 278 mil, de uma única vez. A medida também tem fim de evitar aglomerações e manter maior controle das aplicações”, indica Vaneska Gadelha, chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis de Natal.

No nordeste, especificamente em março, começam a se manifestar as doenças causadas pelos vírus respiratórios. As mais presentes em Natal são influenza A (H1N1), Influenza B e Sincicial.

“Como temos essas informações levamos para o Ministério da Saúde, ainda em 2019, o pedido de antecipação da vacina de influenza, que foi atendido agora pelo fato do país está passando pela pandemia de coronavírus. A preocupação do Governo Federal é trabalhar para evitar a sobrecarga nas unidades de saúde nesta época do ano”, esclarece George Antunes, Secretário Municipal de Saúde.

Os pacientes precisam comprovar que estão inseridos no público-alvo da campanha através de documentação específica para cada caso. As puérperas devem apresentar documentos da criança ou maternidade, doentes crônicos precisam estar munidos de atestado médico, indivíduos das forças armadas devem ter em mãos a identidade profissional, e profissionais da saúde seus crachás ou carteiras dos conselhos.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/

RN passará a fazer testes do coronavírus, diz secretaria

Previsão para início das testagens não foi divulgada — Foto: Carla Cleto/Ascom

O Laboratório Central do Rio Grande do Norte (Lacen) passará a fazer testagens para o novo coronavírus, segundo anunciou a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Atualmente, o RN não faz esse tipo de teste e encaminha casos suspeitos para análise no Pará, processo que pode demorar até 10 dias para apresentar os resultados.

De acordo com a Sesap, ainda não há uma previsão para o início dos testes de Covid-19 no estado. Um técnico do Lacen-RN participou de uma capacitação no Instituto Evandro Chagas, no Pará e já retornou a Natal. A pasta aguarda o envio de um material específico pelo Ministério da Saúde para começar a fazer os testes.

“A notícia é boa, mas é importante lembrar que a quantidade de kits é limitada e o uso restrito aos casos críticos”, explicou o secretário estadual da Saúde, Cipriano Maia. Ainda segundo o secretário, novos kits de coleta e reagentes usados nas testagens de outros vírus respiratórios estão em processo de compra.

Protocolo de testes

Atualmente, o Rio Grande do Norte não faz testagem para o novo coronavírus, mas pode fazer testes para outras doenças respiratórias no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). O protocolo funciona da seguinte maneira: o paciente com febre, tosse seca e que viajou ao exterior ou teve contato com pessoas que estiveram em outros países ou tiveram contato com pessoas com suspeita ou infectadas é considerado um caso suspeito e submetido a coleta da amostra laboratorial, que é encaminhada ao Lacen do RN.

Esse teste irá mostrar em até 72 horas se o paciente está infectado com algum vírus respiratório como Influenza A, Influenza B ou H1N1, por exemplo. Em caso de positivo, a infecção por coronavírus é automaticamente descartada. Caso o resultado seja negativo ou inconclusivo, o paciente segue sendo considerado como suspeito e o material coletado é enviado para análise no IEC, no Pará.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Secretaria de Saúde de Parnamirim, RN, investiga se morte de mulher de 47 anos está relacionada com coronavírus

Hospital Giselda Trigueiro, na Zona Oeste de Natal, é referência em infectologia — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

As secretarias de Saúde do Estado e da cidade de Parnamirim, na Grande Natal, vão investigar se a uma mulher que morreu nesta quinta-feira (19) na UPA Nova Esperança foi vítima do novo coronavírus. Maria Robervânia de Carvalho Gomes tinha 47 anos de idade e trabalhava como faxineira em uma loja de venda de carros seminovos. Ela não havia sido sequer identificada como paciente suspeita do Covid-19.

De acordo com o filho de mulher, João Paulo Gomes, os sintomas começaram a aparecer no fim de semana passado. “Todos nós gripamos aqui em casa e ficamos bem depois. Ela não melhorou”, relata. Maria Robervânia morava com o marido, o filho, a nora e uma neta de quatro anos de idade em Nova Parnamirim, na Região Metropolitana da capital.

Segundo João Paulo, na segunda-feira (16), a mãe dele se sentiu melhor e viajou a Mossoró, na região Oeste, para resolver questões pessoais da família. Voltou pior da viagem. Ainda segundo o filho, ela não trabalhou nesta semana. Na terça (17), procurou atendimento em uma clínica privada na Zona Sul de Natal.

João Paulo Gomes conta que o médico que a atendeu identificou que ela estava com sintomas do novo coronavírus: falta de ar, tosse e febre. Foi aí que orientou que Maria Robervânia procurasse a rede pública de saúde, para realizar os testes e confirmar ou não a suspeita.

Ainda segundo João Paulo Gomes, a mãe dele seguiu direto para a Unidade de Ponto Atendimento (UPA) Nova Esperança, em Parnamirim. Ao chegar lá, descobriu que não seria submetida ao teste, por causa do protocolo do Ministério da Saúde. Apesar de apresentar os sintomas, ao ser questionada se havia tido contato com algum estrangeiro e responder que não, Maria Robervânia não se enquadrou como caso suspeito do Covid-19.

João Paulo Gomes diz que ela foi medicada e liberada. A faxineira voltou para casa, mas o quadro de saúde não apresentou evolução. Já na manhã desta quinta-feira (19), com muita falta de ar, foi levada novamente à UPA, desta vez pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Lá eles não fizeram o teste de novo, pelo mesmo motivo”, afirma João Paulo. Ele conta que a mãe foi entubada, com dificuldades respiratórias e, às 11h desta quinta, morreu. “Uma negligência em não fazer o exame logo no primeiro dia, um descaso”, desabafou o filho.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde de Parnamirim alegou que “todos os procedimentos de classificação de risco e de atendimento foram devidamente cumpridos neste caso”.

O corpo de Maria Robervânia de Carvalho Gomes foi levado para o Hospital Giselda Trigueiro, referência local em infectologia, para que sejam realizados os exames que vão precisar se ela morreu com Covid-19.

Nota da Secretaria de Saúde

De acordo com nota enviada pela Secretaria de Saúde de Parnamirim à imprensa, os médicos que atenderam Maria Robervânia na UPA afirmam que ela apresentava situação compatível com quadro bacteriano e não com Covid-19. Contudo a secretaria admite a possibilidade de ela ter se contaminado pelo vírus depois.

“Conforme prontuários de atendimento e diálogo com plantonistas que atenderam à referida paciente e temos que a mesma não se enquadrava em quadro compatível ou epidemiológico para Covid-19 e sim com diagnóstico de insuficiência respiratória aguda por complicação parapneumônica/sepsis (infecção generalizada). O que não impede uma contaminação posterior pelo vírus”, argumenta a pasta na nota.

Além disso, a pasta afirma que a paciente foi encaminhada após o atendimento particular para fazer exames sob hipótese de estar com pneumonia.

“Relatou-se que a mesma vinha com quadro de sintomas gripais arrastado há aproximadamente 03 semanas, com piora há 7 dias, evoluindo com inapetência, adinamia, dispneia e mantendo febre e tosse. A mesma negou hipertensão, tabagismo, diabetes mellitus e asma. A mesma havia sido atendida por médico particular, em consulta ambulatorial, em setor privado, que a encaminhou para realizar exames laboratoriais sob hipótese diagnóstica de quadro pneumônico”, alega a secretaria na nota.

Ainda de acordo com o comunicado, Maria Robervânia fez exames que constataram que ela não tinha infecção. Após medidas terapêuticas, os médicos chegaram à conclusão de que não havia necessidade de interná-la e a liberaram para ir pra casa, sob a orientação de tomar alguns remédios e retornar se piorasse.

No retorno, já nesta quinta-feira (19), segundo a Secretaria de Saúde de Parnamirim, o Samu levantou a possibilidade de Covid-19. “Mas quadro falava mais à favor de infecção e não havia histórico de contato com infectados com o vírus”, alega a secretaria.

Desta vez, os exames revelaram quadro infeccioso. “Apesar de bom padrão respiratório, a paciente não respondeu à medidas terapêuticas, mantendo saturação de oxigênio baixa e evoluiu com PCR (parada cardiorrespiratória) em assitolia (ritmo não chocável), sem retorno de circulação após RCP (ressuscitação cardiopulmonar)”, afirma a secretaria.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Possível remédio para recuperar dos efeitos causados pelo Covid-19 está em teste na China

favipiravir coronavirus
Teste clínico com o medicamento Favipiravir (T-705, Avigan ou Favilavir) demonstrou boa eficácia clínica no tratamento experimental de pacientes infeccionados com o novo coronavírus COVID-19.

Segundo a Jovem Pan por meio de seu programa Pingos nos Is divulgou na noite de hoje, 18, que foi testado um remédio que já existe no Japão, que trata de outras doenças virais e  está dando certo contra os ataques do Coronavírus (Covid-19).

O remédio é produzido no Japão com o nome de  Avigan, que não é registrado pela a Anvisa, e por isso não tem comercialização no Brasil.

Segundo as informações divulgadas, dão conta de que os testes foram feitos com 80 pessoas na China e os efeitos de recuperações foram muito bons, causando uma melhora muito rápida.

A substância genérica é conhecida pelo nome de favipiravir e é produzido no Japão. O Toyama Chemical (grupo Fujifilm)  é a empresa que produz este medicamento.

Aguardamos…

Rio Grande do Norte tem 33 casos suspeitos de coronavírus, aponta Secretaria de Saúde

Imagem de microscópico mostra o novo coronavírus, responsável pela doença chamada Covid-19 — Foto: NIAID-RML/AP

O Rio Grande do Norte tem 33 casos suspeitos para o novo coronavírus – o Convid-19. O número foi atualizado pela Secretaria Estadual de Saúde nesta terça-feira (17) e representa um aumento em relação ao último boletim divulgado pela pasta na sexta-feira (13), quando havia 17 casos suspeitos no estado. Os dados são de até às 20h desta segunda-feira (16).

Ao todo, 58 casos foram notificados no Rio Grande do Norte, sendo que 24 já foram descartados e os 33 ainda aguardam resultados dos exames laboratoriais. Apenas uma paciente foi confirmada para a doença no estado, no último dia 12, e já não tem mais sintomas, de acordo com as autoridades de saúde. A confirmação ocorreu um dia após a Organização Mundial da Saúde confirmar estado de pandemia (quando a doença abrange vários continentes ou todo o mundo).

Dos 33 suspeitos, 20 estão em Natal, cinco em Parnamirim, outros três em Mossoró, dois em Nísia Floresta, além de um caso em Tibau do Sul, em Ceará-Mirim e em Frutuoso Gomes. Há estrangeiros entre os atendidos no Rio Grande do Norte: um paraguaio, listado entre os suspeitos em Natal e um italiano notificado em Mossoró.

“Inferimos ainda que há concentração dos casos suspeitos pelo Novo Coronavírus na sétima região de saúde (região metropolitana) no município de Natal. Ressaltamos que diante da modificação dos critérios para notificação, é possível afirmar que as notificações no RN, e a nível nacional, tendem a aumentar significativamente, sendo a tendência de produção de dados e informação sobre estes casos ser cada vez mais dinâmica, com alteração frequente do cenário”, informou a Sesap.

Coronavírus: infográfico mostra principais formas de transmissão e sintomas da doença — Foto: Infografia/G1

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia