Category: Saúde

Casos notificados de dengue caem 63% no RN, diz Sesap

O mosquito que transmite a dengue, Aedes aegypti — Foto: Fotos públicas
O mosquito que transmite a dengue, Aedes aegypti — Foto: Fotos públicas

O Rio Grande do Norte registrou uma queda de 63% nos casos notificados de dengue de janeiro a até 16 de novembro, em 2020. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) nesta quarta-feira (02).

Ao todo, o RN teve, segundo a pasta, 11.970 casos suspeitos da doença no estado neste ano, enquanto no mesmo período de 2019 foram registrados 38.248 casos suspeitos.

Desse total de notificação neste ano, 2.950 casos foram confirmados e 5.086 descartados. A incidência registrada foi de 338,69 casos por 100 mil habitantes.

No mesmo período do ano passado, foram confirmados 10.836 casos e descartados 7.422, com incidência de 1.090,66 casos por 100 mil habitantes.

O documento ainda aponta que o número de mortes também sofreu redução. Em 2020, cinco pessoas morreram pela doença até o dia 16 de novembro. Em 2019, foram 15.

De acordo com a Sesap, apesar do número menor de casos, a “dinâmica epidemiológica” é igual a de 2019, com crescimento e redução de casos nos mesmos períodos.

Chikungunya e Zika

Segundo a Sesap, neste mesmo período foram registrados 7.369 casos suspeitos de chikungunya, sendo confirmados 3.119 casos e descartados 2.128. A taxa de incidência é de 208,51 casos por 100.000 habitantes.

No mesmo período de 2019, foram notificados 15.088 casos, sendo confirmados 6.347 e descartados 1.783 casos. A incidência é de 430,24 casos por 100 mil habitantes.

De acordo com a Sesap, o comportamento epidemiológico da doença também se manifestou de forma semelhante ao que aconteceu no ano anterior.

Já os casos suspeitos registrados de zika foram 1.389, sendo confirmados 248 casos e descartados 861 – taxa de incidência de 39,30 casos por 100 mil habitantes.

Em 2019, no mesmo período foram notificados 1.654 casos, sendo confirmados 93 e descartados 495 casos, com uma incidência de 47,16 casos por 100 mil habitantes.

Diminuição

“A diminuição no número de infectados por Aedes aegypti, vetor dessas arboviroses, pode estar relacionada ao cenário epidemiológico causado pela pandemia do Covid-19, que provocou uma redução nas notificações de casos de dengue e chikungunya”. É o que explica a coordenadora do programa Estadual das Arboviroses Urbanas da Sesap, Flávia Moreira.

Segundo Flávia, apesar da redução observada nos números de casos de arboviroses no RN, é importante manter as medidas de prevenção ao mosquito, que se prolifera em porções de água limpa acumulada.

G1RN

Covid-19: Com mais de uma semana após as eleições RN regista 40% de leitos disponíveis para a Covid-19

Não vai adiantar os assombro tentados, que passam para a sociedade do RN quando dez dias depois da campanha os leitos estejam ocupados em 60%, causando um aumento quando comparado ao mês de outubro. Até porque era esperado esse acréscimo por causa da campanha.

Mais de 40% dos leitos estão disponíveis. É o que anuncia a Sesap. Por isso não se deve entrar em pânico, mas manter as medidas de proteção e recomendações.

O levantamento, atualizado diariamente desde o início da pandemia, aponta ainda as taxas de ocupação das regiões Metropolitana de Natal (55,2%), Oeste (72,9%) e Seridó (50%).

Embora quatro unidades hospitalares estão com 100% de ocupação dos leitos críticos. Como é o caso dos hospitais de Campanha, em São Gonçalo do Amarante, a Maternidade do Divino Amor (Parnamirim), Regional Hélio Morais Marinho em Apodi e a Unidade Materno Infantil Integrada de São Paulo do Potengi.

G1

RN prorroga campanha de vacinação contra poliomielite até 16 de dezembro

Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite foi prorrogada — Foto: Breno Esaki/Agência Brasília
Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite foi prorrogada — Foto: Breno Esaki/Agência Brasília

A campanha de vacinação contra a poliomielite foi prorrogada até o dia 16 de dezembro em todo o Rio Grande do Norte. O aumento no prazo seguiu a campanha nacional, que se mantém pelo mesmo período.

O público-alvo das vacinas são crianças de 1 ano a até menos de 5 anos de idade.

A campanha estava programada para durar até o dia 30 de dezembro. Neste período, o Rio Grande do Norte vacinou 73,21% do público-alvo. A meta é que 95% das crianças sejam vacinadas contra a poliomielite.

Atingiram essa meta 63 municípios do estado. Segundo o Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), algumas regiões ainda estão bem abaixo do desejado, como a Região Metropolitana de Natal, que está com 60,83% de cobertura vacinal.

Entre os municípios abaixo, estão também Natal, com 47,59%, e Macau, com 36,80%.

Segundo a Sesap, os municípios devem adotar estratégias para ampliar a cobertura da vacina, realizando uma busca ativa das crianças não vacinadas, a vacinação de casa em casa e disponibilizando postos de vacinação em locais estratégicos.

Outra recomendação para as maiores cidades é que se faça o drive-thru de vacinação, respeitando as orientações e cuidados para evitar o contágio e a disseminação da Covid-19.

Em Natal, a Secretaria Municipal de Saúde realizou durante três dias na semana passada um drive-thru de vacinação nas Zonas Norte e Sul da cidade.

A poliomielite é uma doença que afeta o sistema nervoso central e pode causar a paralisia permanente ou transitória dos membros inferiores. A única forma de prevenção é a vacinação.

G1RN

RN registra em novembro maior número de casos confirmados de Covid-19 desde julho

O Rio Grande do Norte registrou em novembro o maior número de casos confirmados de Covid-19 desde o mês de julho. Ao todo, os boletins diários da Secretaria do Estado da Saúde Pública (Sesap) tiveram 13.947 casos confirmados (veja gráfico acima).

Esse número só está abaixo dos meses de junho (22.608) e julho (20.406), o maiores registros desde o início da pandemia.

O mês anterior, de outubro, havia indicado um crescimento, registrando 11.743 casos confirmados logo após os meses de agosto (11.332) e setembro (7.685) terem registrado uma queda.

“O que a gente tem visto no estado é que as pessoas relaxaram um pouco mais em relação a regras de distanciamento, uso de máscara, higienização das mãos. O risco maior está quando esse jovem vai para casa e pode contaminar seu pai, um familiar com comorbidade”, considerou o infectologista Igor Queiroz.

Na sexta-feira (27), o estado teve o segundo maior registro de casos de Covid-19 em um dia desde o início da pandemia, com 3.880 pessoas infectadas a mais.

A Sesap explicou na oportunidade que os casos se dão por conta do aumento da testagem e que a “maioria” é referente a pessoas que fizeram teste sorológico, ou seja, tiveram o coronavírus, mas não estão mais infectadas. Assim, esse número, segundo a pasta, não interfere no nível atual de transmissão no estado.

Também foi registrado um aumento de 90% em 30 dias na ocupação dos leitos de UTI para Covid-19 no estado na última semana. Ocupação em leitos de UTI para Covid-19 aumenta 90% em um mês no RN.

G1 voltou a procurar a Secretaria de Saúde nesta segunda-feira (30), mas não recebeu retorno até a publicação desta matéria.

G1RN

Governo de São Paulo passou 36 dias sem apresentar informações sobre testagens da Covid-19. Por que terá sido?

Profissional colhe amostra de sangue para teste sorológico de Covid-19 em São Paulo — Foto: Divulgação/Governo de SP
Profissional colhe amostra de sangue para teste sorológico de Covid-19 em São Paulo — Foto: Divulgação/Governo de SP

Segundo notícia publicada no G1, o governo de São Paulo, tendo a frente o governador João Dória, passou 36 dias sem dar informações sobre as testagens do coronavírus. Enquanto as instituições privadas, em parceria com o governo federal, continuaram com suas atividade nas testagens para identificar a Coivd-19.

Segundo a Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), que representa laboratórios que processam cerca de 60% dos exames diagnósticos feitos na rede particular no Brasil, nos primeiros 15 dias de novembro houve um aumento de 30% nos exames de Covid-19 realizados pelos seus associados. Já a taxa de positividade subiu cerca de 25%.


“Desde o final do 1º semestre o número de testes de Covid-19 [realizados na rede particular] foi caindo, de agosto pra final de outubro, e a partir do final de outubro e começo de novembro tem esse salto. Nos últimos 15 dias houve um aumento de 30%. E o aumento da taxa de positividade mostra que esses exames não são feitos apenas por curiosidade ou precaução: são pessoas que tiveram sintomas ou contato com algum caso confirmado”, afirma a diretora.

O grupo Dasa, que reúne laboratórios como Alta, Delboni Auriemo, Lavoisier e Salomão Zoppi e já processou mais de 2,5 milhões de testes de Covid-19 em 900 laboratórios pelo país, percebeu um aumento de 30% nos casos positivos da doença. A taxa de positividade foi de 18,9% em outubro para 27,4% nos primeiros dias de novembro. Em São Paulo, a média móvel na procura por exames também cresceu 30%, entre 10 de outubro e 10 de novembro, de acordo com a rede.

Os laboratórios de São Paulo oferecem duas variedades de teste para coronavírus: o molecular, também chamado de RT-PCR, que localiza o RNA do vírus e detecta sua presença no organismo desde o primeiro dia de contaminação; e o teste rápido, sorológico, que identifica a presença de anticorpos contra o vírus no sangue.

“O PCR é indicado para fase aguda da doença, ou seja, o início dos sintomas, ou desde o contato do vírus até 10 dias depois, e costuma ser feito com pedido médico. Passou de 10 dias da data de contato com o vírus, aí é o sorológico. Entre as empresas associadas, a procura ainda é predominantemente de pessoas que têm pedido médico para o RT-PCR”, afirma Priscilla Franklin Martins, diretora da associação.

rede pública de São Paulo realizou apenas 28% dos testes do tipo RT-PCR feitos no estado desde março de 2020 para diagnosticar casos ativos da Covid-19.

Os dados foram divulgados pelo governo estadual na noite de sábado (21), depois de 36 dias sem informações públicas sobre a testagem em laboratórios particulares e mostram que, ao contrário dos laboratórios particulares, o número de testes realizados vem caindo.

G1SP

Cláudio Castro, Governador do RJ, anuncia testagem em massa e descarta lockdown: ‘Não fecharemos nada’

Cláudio Castro descarta 'lockdown' — Foto: Henrique Coelho/G1
Cláudio Castro descarta ‘lockdown’ — Foto: Henrique Coelho/G1

O governador do Rio de Janeiro em exercício, Cláudio Castro, anunciou nesta terça-feira (24) que o estado vai criar métodos de testagem em massa para combater o aumento dos números de mortes e casos de Covid-19. Mesmo com o crescimento, Castro descartou, por enquanto, implementar medidas mais restritivas no estado – o chamado lockdown – e prometeu intensificar a fiscalização.

“Não fecharemos nada neste momento. A nossa ação é de conscientização. Fizemos um pacto para que a gente aumente as regras de higiene e tenha uma maior capacidade de atendimento”, afirmou o governador em entrevista coletiva no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, Zona Sul do Rio.

O anúncio do governador em exercício ocorre no momento em que o RJ registra um crescimento no número de mortes e casos de Covid no estado.

A média móvel de mortes, nesta terça, apresentou uma variação de 216% na comparação com as duas semanas anteriores. É o 8º dia seguido de alta.

A média móvel de casos também está em alta, com variação de 44%.

O número de internações por Covid nos hospitais também deu um salto nos últimos dez dias – subiu de 878 para 1.051, um aumento de 26%.

A taxa de ocupação em unidades de terapia intensiva (UTIs) na rede do Sistema Único de Saúde da cidade, que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais, atingiu 93%.

Postos para diagnosticar a doença

Na coletiva, Castro também afirmou que irá anunciar, ainda esta semana, quais serão os locais que vão receber postos de diagnóstico precoce da doença, com exames de PCR e imagem. As medidas serão válidas por 15 dias, segundo o governador.

Apesar das afirmações e do aumento do número de mortes e casos, o chefe do Executivo estadual descartou que o RJ esteja vivendo uma “segunda onda” de Covid e prometeu que as fiscalizações contra quem descumprir as medidas sanitárias serão mais rígidas.

Após uma reunião com setores do comércio e outros serviços nesta terça, na coletiva Castro garantiu que não haverá o fechamento de atividades.

“Não podemos ser irresponsáveis de tachar o Rio como vítima de uma segunda onda. Tivemos, ainda, as eleições municipais, que podem ter sido preponderantes para o aumento dos números”, opinou.

Como havia antecipado no G1 o jornalista Edimilson Ávila, Castro também anunciou mais 400 leitos para pacientes infectados com o novo coronavírus.

De acordo com o anúncio de hoje serão três, primordialmente, as medidas do governo:

  • Aumentar a fiscalização com ajuda das prefeituras
  • Testagem em massa
  • Diagnóstico precoce – locais de postos serão anunciados na quinta-feira

Encontro com prefeitos

Ainda nesta terça, Castro vai encontrar com prefeitos da Região Metropolitana para discutir como melhorar a fiscalização de locais com aglomeração, potenciais vetores de Covid.

“A minha proposta, nesse encontro com os prefeitos, é ‘azeitar’ essa questão da fiscalização. A gente está seguro que aumentando a fiscalização, aumentando o número de vagas e com a ajuda dos que estão aqui, os números vão diminuir bastante.”

Vacina

Castro anunciou, ainda, que a Secretaria de Saúde já está se planejando para, com a chegada da vacina, iniciar o plano estadual de imunização.

“O estado vai comprar tudo o que for necessário para que não tenha que comprar depois, de forma emergencial, ou acima do preço”, detalhou o governador.

O secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves, acrescentou que a testagem em massa deve começar no hospital modular de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

“Vai ser testagem e raio-x, e internação se tiver alguma patologia. (…) A previsão é que comece em 48 horas”, explicou Chaves.

Além do hospital modular de Nova Iguaçu, Chaves afirmou que outras unidades – sem dizer quais –também poderão ser utilizadas para realizar os testes. O secretário também disse que o estado “encontrou” 214 leitos que não estavam sendo usados.

G1RJ

Covid-19 RN: Sesap anuncia que 14 pessoa foram internadas nos últimos 3 dias

RN tem 86.768 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia — Foto: Mariana Padovan/Secom
RN tem 86.768 casos confirmados de Covid-19 desde o início da pandemia — Foto: Mariana Padovan/Secom

A Sesap voltou a emitir boletins com mais intensidades depois de terminada as eleições no Rio Grande do Norte. Segundo a secretaria de saúde, o número de internações com suspeitas da Covid-19 aumentou de 232 para 246, ou seja, 14 pessoas foram internadas de sexta-feira para hoje, 24.

Existem 398 óbitos que estão ainda em análise para ver se morreram com o coronavírus. O registro de infectados está em 86.768, isso sem falar na grande maioria que nada sentiram, e alguns que sentiram leves sintomas e não foram aos postos de saúde.

Números do coronavírus no RN

  • 86.768 casos confirmados
  • 2.660 mortes
  • 47.431 confirmados recuperados
  • 38.561 casos suspeitos
  • 209.983 casos descartados

G1RN

CE: Secretário da Saúde fala em ‘microssurtos’ de Covid-19 em Fortaleza, mas descarta 2ª onda da doença no momento

Com morte por coronavírus em bairros da periferia, Fortaleza é principal  preocupação do Governo - Metro - Diário do Nordeste

Foto: Foto: JOSE LEOMAR

O titular da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto, afirmou que o aumento de casos de Covid-19 em regiões de Fortaleza, principalmente nas áreas vizinhas ao Bairro Meireles, pode representar “microssurtos” da doença. Todavia, Cabeto não confirma uma segunda onda da Covid-19 no momento.

“Nós sabemos que passou uma onda muito forte no Ceará em meados de maio, agora, observamos aumento de um pequeno número de casos em algumas regiões. E aqui, especificamente, em Fortaleza, nas áreas vizinhas ao Meireles. Isso pode representar microssurtos. Não podemos falar ainda em segunda onda, seria precoce, mas estamos tomando os cuidados para monitorar”, salientou o secretário.

O Ceará tem, até a tarde desta quinta-feira (29), 273.194 casos confirmados de Covid-19 e 9.335 mortes em consequência da doença. O número de pessoas recuperadas é de 233.068. Os dados são da plataforma IntegraSUS, da Secretaria de Saúde do Ceará, atualizada às 17h29.

G1CE

Candidato a prefeito de Natal testa positivo e é internado com Covid-19, diz assessoria

Fernando Pinto, do Novo, foi diagnosticado com Covid-19, segundo equipe de campanha — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi
Fernando Pinto, do Novo, foi diagnosticado com Covid-19, segundo equipe de campanha — Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi

O candidato a prefeito de Natal pelo partido Novo, Fernando Pinto, testou positivo para covid-19 e está internado em um hospital privado de Natal com um quadro de pneumonia decorrente do coronavírus, segundo informou sua assessoria de campanha.

Ainda de acordo com a equipe do candidato, Fernando estava em tratamento desde a última terça-feira (13), mas deu entrada na emergência do Hospital São Lucas na tarde da quarta-feira (14) e, após novos exames, o médico decidiu mantê-lo internado até uma melhora do quadro.

“O candidato está tranquilo e seu estado geral é bom”, informou a equipe, em nota.

Nesta quinta-feira (15), o Rio Grande do Norte chegou a 74.352 casos confirmados e 2.436 mortes por Covid-19, desde o início da pandemia. A capital, Natal, registrou a milésima morte provocada pela doença.

Fonte https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Covid-19: Apenas 43,8 das UTIs estão com casos apontados com a doença

Teste de coronavírus — Foto: Reprodução/RPC
Teste de coronavírus — Foto: Reprodução/RPC

Depois de tantas aglomerações acontecidas nos últimos 30 dias em Natal (uma na Praia de Ponta Negra), e em outros pontos turísticos como foi o caso de Pipa e muitas praias, o percentual de UTIs ocupadas continua baixo.

Segundo a Sesap, atualmente tem 181 pessoas que estão internadas por causa da Covid-19 no estado, sendo 147 na rede pública e 34 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 43,8% na rede pública e de 10% na rede privada.

Então o que está sendo discutido no mundo inteiro do ‘fecha tudo’ não tem nada haver com as contaminações da doença, mas uma discussão política, de deixar alguns países vulneráveis.

O que há hoje como uma forma segura de se livrar do vírus, é o efeito rebanho, o que é possível que já tenha acontecido.

O mundo tem mais de 26,2 milhões de pessoas confirmada com a imunidade. Infelizmente mais de 1 milhão de mortos que são apontados como causa da morte a Covid-19. Mas diante de 46,1 milhões de mortos de diversas doenças no mundo este ano, parece uma quantidade normal.

Faltam remédios e pacientes dormem em colchões colocados no chão do maior hospital psiquiátrico do RN

Também falta medicamentos no Hospital João Machado, em Natal — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Também falta medicamentos no Hospital João Machado, em Natal — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Na maior unidade de saúde para atendimento psiquiátrico no Rio Grande do Norte, o Hospital João Machado (HJM), pacientes estão dormindo em colchões colocados no chão. A cena foi registrada na manhã desta sexta-feira (4), pela equipe de reportagem da Intertv Cabugi, após uma denúncia feita pelo Sindicato Estadual da Saúde (Sindsaúde).

Na ala masculina, o dormitório possui 15 leitos. Mas, segundo os profissionais de saúde que atuam na unidade, 27 pacientes ocupam o espaço.

“Eu durmo no colchão no chão”, confirma um dos pacientes. Uma servidora da unidade, que preferiu não se identificar, contou que as condições de trabalho são precárias. ” Nós não temos condição de trabalho nenhuma. Não temos lençol suficiente, fata medicação, está superlotado, demanda maior. Tem gente dormindo no chão”, conta a servidora.

A falta de medicamentos controlados é outro problema. Na parede de entrada da farmácia, foi fixado um aviso de que o medicamento olamzapina 5 e 10 mg está em falta. O medicamento é usado para tratamento de pacientes com surtos psicóticos e quadros de bipolaridade. Os remédios deveriam ser fornecidos gratuitamente aos pacientes, mas há meses a farmácia não é abastecida.

Uma paciente reclamou também da falta de um medicamento específico para o tratamento da esquizofrenia. Rosimary Mathias disse que a família está comprando com muita dificuldade. “Eu preciso desses remédios pra cuidar de mim, para não vir a surtar. Meu pai está juntando com meu esposo, parcelando no cartão, para poder não faltar meu remédio”, conta.

Os pacientes em surto também sofrem com a falta de atendimento. “O rapaz está passando mal desde ontem e não aparece um enfermeiro pra acudir, não aparece medicação certa. Aqui a gente é pra se tratar, aqui é um hospital”, reclama um dos pacientes, que não quis se identificar.

Em nota, a direção do HJM e Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), informaram que a partir desta sexta-feira (4), depois de realizada a desinfecção, vai destinar os 10 leitos de isolamento disponíveis para pacientes da psiquiatria com suspeita ou confirmação da Covid, que estavam desocupados, para ocupação de pacientes da enfermaria mista.

A nota diz ainda que está mobilizando uma equipe multiprofissional composta por enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais para compor o acolhimento do pronto socorro.

A diretora da unidade, Lívia Garcia disse que a falta de medicamentos é um problema nacional de distribuição do Ministério da Saúde e não deu previsão de quando será regularizado.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Pacientes de tratamentos psiquiátricos denunciam falta de remédio na rede pública do RN

Pacientes de tratamentos psiquiátricos denunciam falta de remédio na rede pública do RN — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi
Pacientes de tratamentos psiquiátricos denunciam falta de remédio na rede pública do RN — Foto: Geraldo Jerônimo/Inter TV Cabugi

Pacientes de tratamentos psiquiátricos denunciam a falta de pelo menos dois medicamentos no Hospital João Machado, em Natal. Os medicamentos Olanzapina e Ziprasidona são usados no tratamento da esquizofrenia.

A direção da Unidade Central de Agentes Terapêuticos (Unicat) informou por meio de nota que os medicamentos Olanzapina (5mg e 10mg) e Ziprasidona (80mg) são enviados pelo Ministério da Saúde, que está com dificuldade para adquiri-los. A Unicat informou ainda que não há previsão para regularizar essa reposição. “Porém, assim que receber os medicamentos, a Unicat fará o abastecimento”, diz a nota.

Parentes de pacientes que dependem dos medicamentos que estão em falta dizem que já estão há dois meses sem receber a medicação. É o caso do filho de Maria da Conceição da Silva que sofre de esquizofrenia e teve que interromper o tratamento por não ter condições de comprar a medicação que chega a custar até R$ 800 uma caixa. “Meu filho está muito agitado por falta do remédio, gostaria muito da resposta do governo não para amanhã, mas para hoje”, pediu Conceição.

A tia de Dalria também é esquizofrênica e está há mais de um mês sem receber a Olanzapina para o tratamento médico. “Já fui duas vezes essa semana no João Machado e a resposta que me dão é que não tem previsão. Sou de Canguaretama e vou a Natal dar viagem perdida”, reclamou.

De acordo com Thiago Vieira, diretor técnico da Unicat, o problema não é apenas do Rio Grande do Norte. Com a pandemia do Coronavírus, o Ministério da Saúde está com dificuldades para aquisição de alguns medicamentos como os que estão em falta. “Alguns fabricantes que fornecem esses medicamentos para o Ministério da Saúde deixaram de cumprir com a entrega para vários estados”, explicou

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Sesap/RN: sem muitos mortos, cessou o terror diário

RN tem 57.898 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF
RN tem 57.898 casos confirmados de Covid-19 — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde DF

A Secretária de Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte (Sesap) parou de fazer o terror diário pela falta de muitos óbitos como parece ter desejado por questões política.

O seu secretário Cipriano Maia (PT), com uma expressão de satisfação, chegou a noticiar que morreria mais de 11 mil pessoas em 30 dias, o que graças a Deus não aconteceu.

Hoje, 18, o número de mortos chegou a 2.081, o que é triste. Mas precisamos seguir com a vida, pois quase 35 mil pessoas foram recuperadas.

De 57.898 caso confirmados há apenas 323 pessoas internadas por causa da Covid-19, sendo 243 na rede pública e 80 na rede privada. A taxa de ocupação dos leitos críticos (semi-intensivo e UTIs) é de 62,06% na rede pública e de 23% na rede privada.

Sem contar com os 80% das pessoas que nada sentiram, e possivelmente podem ter contraído o vírus.

Então precisamos começar a voltar a tranquilidade da vida.

Após 47 dias internado, cirurgião morre de Covid-19 em Natal

O médico George Gonzaga Bezerra, de 55 anos, morreu nesta quarta-feira (12) com diagnóstico de Covid-19 em Natal — Foto: Cedida

O médico George Gonzaga Bezerra, de 55 anos, morreu nesta quarta-feira (12) com diagnóstico de Covid-19 em Natal. Ele era cirurgião plástico e trabalhava no no Hospital Santa Catarina e na Policlínica, na capital potiguar.

George Bezerra passou 47 dias internado em um hospital privado de Natal.

O Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte (Cremern) emitiu nota de pesar pela morte do profissional. De acordo com o Cremern, 15 médicos e um estudante de medicina morreram de Covid-19 no Rio Grande do Norte desde o início da pandemia.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) afirmou que “continua atuando para proteger os profissionais que atuam em suas unidades, em especial nesse período de pandemia”.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia