Category: Política

PÁTRIA AMADA BRASIL: Povão superlota Praça Cívica e Prudente de Moraes

Povão lota Praça Cívica em Natal/RN – Fotos de Laurivna de Sousa

Milhares de famílias inteiras foram à Praça Cívica para comemorarem a independência do Brasil pedindo uma nova independência. A maioria do povo protesta contra a arbitrariedade do Supremo Trinbunal Federal que nos últimos meses vem, por meio do ministro Alexandre de Moraes, cometendo muitas prisões ilegais.

O povo também cantaram músicas de apoio ao governo Bolsonaro. Até a saída deste que escreve, não havia acontecido nenhuma manifestação de baderna e vandalismo.

Mãe, filhos e avó em favor do Brasil

Em Brasília, bolsonaristas gritam “Supremo é o povo” e “Xandão na cadeia”

Apoiadores do presidente Bolsonaro, em frete ao Palácio do Planalto, seguram faixa que diz: “Presidente Bolsonaro, acione o exército para destituir o STF e o Congresso”.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro realizaram manifestação pró-governo e contra o STF (Supremo Tribunal Federal) nesta 2ª feira (6.set.2021), em frente ao Palácio do Planalto.

Vestidos de verde e amarelo, sem máscara de proteção e aglomerados, os manifestantes gritaram palavras de ordem como “Fora ministro, supremo é o povo”,

“Ministros do STF, vocês não nos representam” e “Xandão na cadeia”, em referência ao ministro Alexandre de Morais.

Uma faixa pedia para que o presidente Jair Bolsonaro acionasse o Exército para “destituir o STF e o Congresso”.

Os bolsonaristas também cantaram o hino nacional e o hino da independência, disseram que a bandeira do Brasil “nunca será vermelha” e chamaram o ex-presidente Lula de ladrão.

Poder360

CPI da Covid no RN retoma os depoimentos de testemunhas

Com a 10ª reunião a ocorrer na tarde de amanhã, a CPI da Covid-19 retoma a série de depoimentos sobre os 12 contratos realizados durante a pandemia de coronavírus e que movimentaram cerca de R$ 73 milhões na aquisição de bens insumos e serviços hospitalares a cargo da Secretaria Estadual de Saúde Públoica (Sesap).

A partir das 14 horas de amanhã, no chamado “plenarinho” da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, os deputados que integram a CPI da Covid-19 vão inquirir testemunhas a respeito da contratação de um instituto de pesquisa de opinião pública do Piauí pelo governo do Estado, começando pela assistente técnica Daniele Nascimento dos Santos e coordenadora de Promoção à Saúde da Sesap, Neuma Lúcia de Oliveira.

A terceira pessoa a ser ouvida amanhã é o presidente da Associação dos Institutos de Pesquisa no Estado (Assinp-RN), Fernando Aguiar de Figueiredo, que em 24 de março deste ano emitiu nota na imprensa, afirmando-se surpreso com a contratação de um instituto de pesquisa do Piauí, enquanto nenhuma empresa do Rio Grande do Norte foi consultada sobre o interesse de participar de pesquisa sobre o combate ao coronavírus.

Segundo documentação que embasou a abertura da CPI, o Instituto Piauiense de Opinião Pública, com sede em Teresina, foi contrato em 02 de dezembro de 2020 por R$ 1.988.400,00.

Já quinta-feira (09) a CPI da Covid-19 vai ouvir José Reinaldo Coelho Peixoto, procurador da empresa AC Comércio Produtos de Limpeza, a respeito do contrato sobre aquisição de sacos de lixo hospitalares.

Em 28 de agosto do ano passado, o governo estadual efetuou Termo de Dispensa de Licitação nº 87/2020, referente a aquisição de “sacos de lixo hospitalar” pelo período de 180 dias, no valor de R$ 1.318.900,00.

A empresa A. C. Comércio de Produtos de Limpeza foi aberta no dia 03 de julho de 2020, e foi contratada por meio de dispensa de licitação em 28 de agosto de 2020, apenas um mês após a abertura da empresa, que funciona numa sala em Emaus, em Parnamirim, na Região Metropolitana de Natal (RMN).

Tribuna do Norte/BG

Ditadura do STF: Jerônimo do Sertão tem perfil bloqueado após fazer críticas ao STF e convocar população para ato pró-Bolsonaro

O influencer potiguar Jerônimo do Sertão, conhecido por usar as redes sociais para se posicionar politicamente sobre temas polêmicos com tom de humor, teve seu perfil do Instagram bloqueado por “violar as diretrizes da comunidade”.

Apesar de ainda conseguir realizar publicações normais, ele está impedido de realizar transmissões ao vivo.

O bloqueio acontece exatamente após ele realizar publicações convocando os apoiadores do presidente para as manifestações em apoio a Jair Bolsonaro no Estado e por criticar o Supremo Tribunal Federal (STF).

BG

[VÍDEO] Apoiadores de Bolsonaro e clientes cantam hino nacional no restaurante Coco-Bambu

Clientes e apoiadores de Bolsonaro ficaram de pé e cantaram o hino nacional, na noite desta segunda-feira (6), no restaurante Coco-Bambu em Brasília.

Parte do grupo está na capital para participar dos atos de 7 de setembro em apoio ao presidente e contra decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

BG

À espera de atos no 7 de setembro, STF e Congresso travam pautas de interesse do governo

Foto: Pedro Gontijo/Senado Federal

Judiciário e Congresso deixaram em compasso de espera algumas pautas de interesse do governo, redirecionando os trabalhos na Praça dos Três Poderes. Foram adiadas decisões que poderiam agravar ainda mais o cenário político diante dos atos públicos organizados para este 7 de setembro por seguidores do presidente — e com o apoio dele.

O Supremo Tribunal Federal (STF), mesmo mantendo de pé investigações que têm o presidente como alvo, preferiu tirar da pauta julgamentos cujos temas carregam potencial para acirrar os ânimos. A expectativa pelos movimentos deste 7 de Setembro fez com que, internamente, houvesse a avaliação de que o momento não era adequado para finalizar a análise do marco temporal para a demarcação de terras indígenas, iniciado no dia 25. Os debates em torno do caso se arrastaram por três sessões, uma medida para tentar retirar o assunto — sobre o qual o Bolsonaro fez diversas críticas — da pauta dos atos bolsonaristas.

Outro caso que estava previsto para ser analisado antes das manifestações, mas foi remarcado, diz respeito ao foro privilegiado do senador Flávio Bolsonaro no caso das “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). O julgamento chegou a ser marcado para o último dia 31 pelo ministro Nunes Marques, num aceno ao presidente da República, mas teve um pedido de adiamento concedido e foi levado para o próximo dia 14. Embora a tendência na Segunda Turma do STF seja favorável à tese defendida pela defesa do filho do presidente havia, nos bastidores, a avaliação de que o momento político não era propício.

O 7 de setembro também fez com que uma possível saída que seria elaborada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para o imbróglio dos precatórios ficasse para depois. Inicialmente estudada pelo presidente do Supremo, Luiz Fux, que na semana passada recebeu os presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para falar sobe o assunto, a solução perdeu força nos últimos dias diante das continuadas críticas de Bolsonaro aos ministros da Corte e ao Judiciário. A tendência, agora, é que Fux espere uma definição sobre a PEC dos Precatórios antes de dar um passo envolvendo o CNJ.

Senado

No Senado, as dificuldades no relacionamento ficaram ainda mais explícitas diante da indicação, desde julho, do ex-advogado-geral da União André Mendonça ao STF. O processo de sabatina do postulante ao cargo está engavetado e não tem previsão de ser realizado. O trâmite já é o mais longo entre os atuais ministros da Corte. A situação piorou após Bolsonaro insistir em encaminhar à Casa o pedido de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes. Senadores veem a demora como uma resposta direta ao presidente da República.

Recentemente, lideranças das principais bancadas do Senado reclamaram da articulação com o Planalto. Mesmo com a entrada de Ciro Nogueira na Casa Civil, indicado na “cota” da Casa, a postura de Bolsonaro não ajudou a melhorar a relação. A sensação é de que há uma indisposição cada vez maior com a pauta do Executivo, inclusive entre aqueles que fazem parte da base aliada.

Na agenda da Casa, algumas propostas foram praticamente enterradas, atingindo em cheio os planos da área econômica e de infraestrutura. No caso da Medida Provisória do novo marco legal das ferrovias, por exemplo, a expectativa é que o texto seja deixado de lado ou devolvido ao Executivo. A MP foi apelidada de “zumbi” por parlamentares. A ideia, neste caso, é priorizar projeto de lei que tramita no Senado e trata do mesmo tema.

Câmara

Na Câmara, a crise institucional já esteve em primeiro plano quando foi apreciada a proposta do voto impresso. Com a rejeição definitiva do texto, os parlamentares enviaram o recado de que o Legislativo não aceitaria tentativas de ruptura ou sabotagem ao pleito em 2022. Nas últimas semanas, Lira conduziu a pauta da Casa como de costume, em ritmo acelerado. Preocupado com os reflexos da instabilidade no mercado financeiro, trabalhou para tocar a sua agenda.

Conseguiu aprovar mudanças na cobrança do Imposto de Renda e começou a discutir novo Código Eleitoral. Há uma semana, em palestra para banqueiros, Lira tentou tranquilizá-los:

— Pelo amor de Deus, não haverá nada no 7 de Setembro. A gente tem que se esforçar para que movimentos de rua aconteçam e sejam pacíficos, grandes ou pequenos. Isso é irrelevante.

O Globo/BG

Ciro Gomes sobre Brasil x Argentina: ‘Vexame’

Possível candidato às eleições presidenciais de 2022, o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), chamou de “vexame” a ação dos jogadores argentinos que descumpriram as ordens sanitárias brasileiras. A ação resultou no interrompimento do jogo Brasil x Argentina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

De acordo com Ciro, se o Brasil estivesse em um momento de plena normalidade da vida nacional, com cada autoridade cumprindo suas funções com competência e agilidade, a ação da Anvisa não teria acontecido. 

“Não há dúvida de que houve erro grave dos dirigentes esportivos da Argentina. Mas não haveria o vexame explícito no estádio, se não ocorressem obscuras transações nos bastidores, envolvendo dirigentes esportivos e algumas autoridades brasileiras”, escreveu. 

Para Ciro, algumas autoridades tentaram dar um “jeitinho” para burlar as regras sanitárias. “Deu no que deu. Ficou exposto ao mundo mais um símbolo das anomalias que vivemos”, disse.

“Em um país em que o estado de direito sofre abalos e ameaças, as irrupções de turbulência e anarquia ocorrem em níveis e cenários mais diversos e surpreendentes. A tragédia vira comédia e todos passamos dor e vergonha”, afirmou. 

Neste domingo, a Anvisa interrompeu o jogo Brasil e Argentina para as Eliminatórias da Copa do Mundo por descumprimento dos jogadores argentinos da Portaria Interministerial  655, de 2021

A decisão foi tomada após quatro jogadores argentinos entrarem em campo, mesmo com a determinação da agência de que teriam de cumprir isolamento no hotel. As medidas fazem parte do protocolo de segurança contra a COVID-19.

 De acordo com a Portaria brasileira, viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil. 

Em

Justiça Federal no DF encerra ação contra Lula por suposta atuação no BNDES em favor da Odebrecht

Lula em conferência dos bancários: "Vamos lutar muito para reconquistar a  dignidade"
Foto da Internet

A Justiça Federal do Distrito Federal decidiu encerrar uma ação penal contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de atuar para garantir a liberação de financiamentos do Banco Nacional do Desenvolvimento Social (BNDES) para obras de engenharia em Angola. A acusação levou em conta informações apresentadas por ex-executivos da construtora Odebrecht.

A decisão, da última sexta-feira (3), é do juiz federal Frederico Botelho de Barros Viana, da 10ª Vara Federal Criminal da Justiça Federal no DF. De acordo com o magistrado, no entanto, o Ministério Público Federal pode apresentar nova denúncia (acusação formal à Justiça) se “entender cabível”. Cabe recurso desta decisão.

O juiz entendeu que as acusações da ação penal se basearam em elementos da denúncia apresentada a partir das investigações do chamado “quadrilhão do PT” (suposto grupo formado para desviar dinheiro público da Petrobras e de outras estatais), que por sua vez teria sustentação em material do caso do “tríplex do Guarujá” (suposto recebimento de propina da construtora OAS por meio da entrega do triplex e reformas no imóvel).

No “quadrilhão do PT”, a Justiça Federal absolveu o presidente e outros ministros petistas. Na ocasião, o próprio MPF pediu a absolvição sumária de todos por considerar que não havia “elementos configuradores da dita organização criminosa”.

A ação do tríplex do Guarujá teve seus atos anulados por conta da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou o ex-juiz Sérgio Moro parcial para atuar no caso.

“No caso, a correlação entre o material probatório que dava sustentação à denúncia e aquele que foi anulado direta e indiretamente por força do acórdão da Segunda Turma do Supremo Tribunal foi devidamente comprovado pela defesa”, escreveu o juiz.

Sendo assim, entendeu o magistrado, a denúncia não tem a chamada “justa causa”, requisito necessário, pela legislação processual penal, para que continue a tramitar.

“A contaminação causada pela anulação desta ação penal acaba, portanto, por gerar a ilegitimidade do próprio núcleo fundamentador da justa causa da presente ação penal”, ponderou.

“Assim, a continuidade do presente processo, que de fato deve ser um caminhar para frente, como bem destacado pelo MPF, foi prejudicada. Persistir com a instrução de uma ação penal cuja justa causa já não se faz nítida seria envidar esforços em processo nulo. Afinal, a existência de justa causa mínima é elemento essencial não apenas para o recebimento da denúncia, mas se consubstancia também em condição imprescindível para sua prosseguibilidade”, completou.

Defesa de Lula

Em nota, a defesa do ex-presidente informou que a decisão de sexta foi “a 18ª que obtivemos em favor do ex-presidente Lula para encerrar ações penais e investigações contra ele, diante da inexistência de qualquer prova de culpa e da apresentação de provas de sua inocência — incluindo, também, a declaração da nulidade dos 4 processos originados em Curitiba contaminados pela suspeição do ex-juiz Sergio Moro e da incompetência da 13ª. Vara Federal de Curitiba.”

“[…] Mostramos que a ação penal foi baseada em outra, conhecida pejorativamente com “Quadrilhão do PT” — na qual Lula foi absolvido definitivamente pelo Juízo da 12ª Vara Federal de Brasília da acusação de integrar e liderar uma organização criminosa. Na mesma petição mostramos, ainda, que a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal no HC nº 164.493/PR, que reconheceu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro e declarou a nulidade de todos os atos por ele praticados na fase pré-processual e na fase processual, impede a utilização de qualquer elemento proveniente de Curitiba na ação penal em referência”, diz a nota.

G1

Bolsonaro é ovacionado por multidão em motociata em Pernambuco

Nordestinos ovacionaram passagem do presidente Jair Bolsonaro em motociata em Santa Cruz do Capibaribe (PE). Foto: Reprodução Instagram

O presidente Jair Bolsonaro foi ovacionado por uma multidão de apoiadores, ao promover uma motociata neste sábado (4) no Agreste de Pernambuco, entre as cidades de Santa Cruz do Capibaribe e Caruaru.

O apoio popular demonstrado pelas ruas do estado nordestino levou aliados do presidente a questionar o resultado de pesquisas de opinião pública, que têm indicado a perda de popularidade do presidente da República. “Mas segundo os confiáveis institutos de pesquisa que não acertam nunca, o presidente perde para todos. Como levá-los a sério?”, escreveu o vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, Ubiratan Sanderson (PSL-RS).

Diante da imagem da multidão de nordestinos saudando e seguindo o presidente, seu filho e senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) também provocou nas redes: “Como o Instituto DataLula explica isso?”.

Diário do Poder

PESQUISA BG/AGORASEI/SENADO: Garibaldi e Carlos têm 2,6%; Jean Paul, 1,8%; e Fábio Faria, 1,4% na espontânea

Ainda dentro dos números da corrida eleitoral do próximo ano, foram feitos levantamentos de intenção de voto para o Senado Federal. Lembrando que na eleição do próximo ano, o Rio Grande do Norte só elegerá um representante. No cenário espontâneo, com o eleitor falando o primeiro nome que lhe vem à cabeça, lideram os primos Garibaldi Alves Filho e Carlos Eduardo Alves, ambos com 2,6% das intenções de voto.

O senador Jean Paul Prates, atual detentor da cadeira, que era suplente, mas que assumiu após a renúncia de Fátima Bezerra, aparece em terceiro com 1,8%. Em terceiro o ministro das Comunicações Fábio Faria com 1,4%. Os demais nomes não somaram 1%, cada. O total de indecisos foi de 75,3%.

Para a realização do estudo, o instituto AgoraSei! entrevistou 1800 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 28 e 31 de agosto. Os resultados foram calculados com intervalo de confiança de 95% e com margem de erro de de 2,3% para mais ou para menos.

BG

PESQUISA BG/AGORASEI/PRESIDENTE 2º TURNO: Lula aparece com 63,7% das intenções de voto contra 20,1% de Bolsonaro

Ainda dentro do levantamento para saber as intenções de voto para presidente entre os eleitores potiguares, o instituto AgoraSei! fez uma simulação de segundo turno e, nesse cenário, se as eleições fossem hoje, o ex-presidente Lula estaria com 63,7% das intenções de voto contra 20,1% do presidente Jair Bolsonaro.

Para a realização do estudo, o instituto AgoraSei! entrevistou 1800 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 28 e 31 de agosto. Os resultados foram calculados com intervalo de confiança de 95% e com margem de erro de de 2,3% para mais ou para menos.

BG

PESQUISA BG/AGORASEI/FEDERAL: Natália, Walter, Fábio Faria, Girão e Rafael lideram corrida pela Câmara; confira lista dos citados

O instituto AgoraSei!, em parceria com o Blog do BG, divulga hoje uma nova rodada de pesquisa eleitoral de olho no pleito do próximo ano. Além dos números para governador e presidente, também foi feito um levantamento para os próximos deputados estaduais e federais de forma espontânea, já que vários são os nomes dos pré-candidatos espalhados pelo estado. No estudo sobre a Câmara dos Deputados, em que os potiguares elegerão oito representantes, os deputados federais Walter Alves e Natália Bonavides lideram as intenções de voto com 0,7% das intenções de voto.

Em seguida aparecem empatados numericamente o ministro Fábio Faria e os deputados General Girão e Rafael Motta com 0,5% das intenções de voto, cada. Com 0,4% estão o deputado João Maia e o presidente da Câmara Municipal de Mossoró Lawrence Amorim.

Com 0,3%: Garibaldi Filho, Benes Leocádio e Major Brilhante. Com 0,2%: Fernando Mineiro, Beto Rosado e Robson Carvalho. Os demais nomes não superaram a marca de 0,1% das citações. Os indecisos somaram 81,5%.

Para a realização do estudo, o instituto AgoraSei! entrevistou 1800 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 28 e 31 de agosto. Os resultados foram calculados com intervalo de confiança de 95% e com margem de erro de de 2,3% para mais ou para menos.

BG

PESQUISA BG/AGORASEI/AVALIAÇÃO/NATAL: Gestão Álvaro Dias tem aprovação de 56,2%; desaprovação é de 22%

Além dos números eleitorais, o instituto AgoraSei! também divulgou os números da chamada pesquisa administrativa, que nada mais é do que a avaliação da população sobre a administração municipal em algumas das principais cidades do Rio Grande do Norte. Em Natal, 56,2% disseram aprovar a gestão do prefeito Álvaro Dias. Outros 22% afirmaram desaprovar. Os indecisos somaram 21,8%.

Para a realização do estudo, o instituto AgoraSei! entrevistou 1800 eleitores de todas as regiões do estado entre os dias 28 e 31 de agosto. Os resultados foram calculados com intervalo de confiança de 95% e com margem de erro de de 2,3% para mais ou para menos.

BG