Category: Internacional

Maduro pensa em erradicar a pobreza na Venezuela até 2025; matando?

Foto da internet

Neste sábado (15), Nicolás Maduro, prometeu erradicar até 2025 a extrema pobreza na Venezuela, situação que, de acordo com a Pesquisa sobre Condições de Vida (Encovi) da Universidade Católica Andrés Bello (UCAB), corresponde a 76,6% da população.

Maduro garantiu ao Parlamento que, em 2021, a extrema pobreza no país, “medida com esta metodologia das Nações Unidas”, era de 4,1% da população.

– Propusemos, para 2025, extrema pobreza zero. Vai ser difícil, mas tem que ser a meta – declarou.

Ele disse também que houve uma melhora “substancial” nos indicadores de pobreza “geral”, de 18,4% para 17,7% em 2021, “em meio à recuperação econômica milagrosa”.

Em setembro de 2021, a UCAB informou que, segundo a Encovi, 94,5% dos venezuelanos vivem abaixo da faixa de pobreza, caso seja medida pela renda.

A pesquisa também mostrou que 76,6% dos venezuelanos vivem abaixo da linha de extrema pobreza, o que representa 8,9 pontos percentuais a mais do que no relatório anterior, de 2019/2020.

Na apresentação do relatório, Luis Pedro España, pesquisador e professor da UCAB, explicou que o crescimento da pobreza atingiu “o que pode ser o teto” e disse duvidar que cresça ainda mais.

O estudo mostrou que em 2019/2020 a taxa de extrema pobreza era de 67,7%, enquanto em 2018 era de 76,5% da sociedade.

EFE

Boris Johnson pede desculpas por participar de festa durante lockdown no Reino Unido

Boris Johnson pediu desculpas durante fala no parlamento nesta quarta-feira / AFP / PRU

O primeiro-ministro do Reino UnidoBoris Johnson, reconheceu em fala no Parlamento nesta quarta-feira, 12, que participou de uma festa organizada nos jardins de Downing Street em março de 2020, durante um dos períodos de confinamento mais severos da região por causa da Covid-19 no país. Ele alegou que passou cerca de 20 minutos no local para cumprimentar os presentes e disse que acreditava que a festa se tratava de uma reunião de trabalho. Em seu discurso, Johnson reconheceu que “as regras não estão sendo propriamente seguidas pelas pessoas que as fazem” e, sob exclamações de reprovação de parlamentares, pediu desculpas. “Eu sei que milhões de pessoas em todo esse país têm feito sacrifícios extremos nos últimos 18 meses, incapazes de viver o luto por seus parentes, de viver a vida da forma que eles querem e de fazer as coisas que eles amam”, afirmou.

As polêmicas em torno da participação de Boris na festa ocorreram após o canal privado ITV News contar que o secretário particular do primeiro-ministro, Martin Reynolds, enviou um e-mail a uma centena de funcionários, os convidando para aproveitar o bom tempo “depois de um período incrivelmente ocupado”, tomando “algumas bebidas com distanciamento social”. “Juntem-se a nós a partir das 18h e tragam suas próprias bebidas”, dizia a mensagem vazada para a imprensa, reacendendo um escândalo que o polêmico líder conservador esperava ter deixado para trás com o início do novo ano. A festa teria contado com a presença de Johnson e da sua mulher, Carrie, que deu à luz o primeiro filho do casal em abril daquele mesmo ano.

Jovem Pan

Aquecedor elétrico foi a provável causa do incêndio em prédio de NY

Incêndio deixou pelo menos 19 mortos, incluindo nove crianças, e 30 hospitalizados, sendo alguns em estado muito grave / Reprodução/Twitter @PMBreakingNews

incêndio que atingiu um prédio residencial no Bronx, bairro de Nova York, no domingo, 9, teve como provável origem um aquecedor elétrico, que colocou fogo em um dos apartamentos localizados entre o segundo e o terceiro andar. De acordo com o chefe do Corpo de Bombeiros, Dan Nigro, a hipótese mais provável é que um dos moradores, ao sair do local em chamas, deixou a porta aberta, o que contribuiu para a rápida propagação do fogo e da fumaça em outros andares. Considerado o mais grave da história recente de Nova York, o incêndio deixou pelo menos 19 mortos, incluindo nove crianças, e 30 hospitalizados, sendo alguns em estado muito grave. Ainda de acordo com Dan Nigro, os bombeiros resgataram pessoas “em todos os andares”, muitas com parada cardíaca e respiratória.

Os moradores estão sendo realojados em hotéis próximos e outros prédios públicos. Imagens nas redes sociais mostram bombeiros salvando pessoas pelas janelas do prédio. “Eu estava gritando: ajudem-me! Por favor, venham nos pegar!”, disse o morador Wesley Patterson, que foi resgatado por bombeiros com uma escada, ao jornal “The New York Times”. Cristal Diaz, também moradora do prédio, disse ao New York Post que colocou toalhas molhadas na porta ao sentir a fumaça. “Não sabíamos o que fazer. Olhamos pelas janelas e vimos todos os corpos que estavam sendo retirados com lençóis”. A governadora do Estado de Nova York, Kathy Hochul, disse estar horrorizada com o incêndio. “Meu coração está com os entes queridos de todos aqueles que perdemos tragicamente, a todos os afetados e aos nossos heroicos bombeiros.”

Jovem Pan

ABSURDO! Talibã passa a proibir que mulheres façam viagens sozinhas no Afeganistão

País anunciou novas sanções a mulheres/ EFE / EPA / HEDAYATULLAH AMID – 17/08/2021

Talibã, que comanda o Afeganistão desde a saída das tropas norte-americanas do país em agosto, anunciou neste domingo, 26, que as mulheres do país que quiserem viajar longas distâncias devem ser acompanhadas por algum homem da família.

A população feminina não pode andar desacompanhada se o trajeto tiver mais de 72 quilômetros. Nas redes sociais, circulam recomendações do ministério da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício para que motoristas só aceitem pessoas que estiverem usando o véu islâmico.

O órgão anunciou outras medidas, como a proibição de ouvir música nos veículos. A diretriz foi divulgada poucas semanas depois de o órgão solicitar aos canais de televisão do país que não exibam “novelas com mulheres”, além de exigir que as jornalistas usem o “véu islâmico” diante das câmeras.

EUA aplicam sanções ao PCC e outros grupos criminosos internacionais

Presidente Joe Biden determinou criação de Conselho sobre Crime Organizado Transnacional / EFE/EPA/Oliver Contreras / POOL

O governo dos Estados Unidos impôs nesta quarta-feira, 15, sanções contra facções criminosas do Brasil, México e China, e anunciou a criação de um Conselho sobre Crime Organizado Transnacional. Entre os afetados está o Primeiro Comando da Capital (PCC). As autoridades americanas também destacaram como organizações de tráfico de drogas dois grupos mexicanos, Los Rojos e Guerreros Unidos, considerados responsáveis por grande parte do tráfico de heroína do México para os Estados Unidos.

Como resultado da medida, quaisquer ativos que esses grupos possam ter sob jurisdição dos Estados Unidos são congelados. Os sancionados também estão proibidos de efetuar transações financeiras com cidadãos norte-americanos. O novo conselho, estabelecido pelo presidente dos EUA, Joe Biden, através de uma ordem executiva, incluirá funcionários dos Departamentos de Justiça, Tesouro, Estado, Defesa, Segurança Nacional e do gabinete do diretor de Inteligência Nacional.

Convite para evento sinaliza que EUA vê democracia sólida no Brasil, diz Manuel Furriela

Aposta do professor de Relações Internacionais Manuel Furriela é de que Joe Biden deve passar a se posicionar de forma mais assertiva contra desrespeito aos direitos humanos e à democracia em outros países do mundo / EFE/EPA/SHAWN THEW

Começa nesta quinta-feira, 9, a Cúpula pela Democracia Virtual, promovida de maneira virtual pelo governo americano de Joe Biden. Apesar de alguns países não terem sido convidados, o Brasil foi chamado e vai participar. Segundo o professor de relações internacionais da FMU Manuel Furriela, o convite para o governo brasileiro sinaliza uma boa relação entre as duas nações, apesar da falta de afinidade pessoal entre os presidentes Bolsonaro e Biden. Furriela ainda argumenta que os Estados Unidos (EUA) vê uma democracia forte no Brasil, com instituições sólidas e que, por isso, mantém uma relação pragmática entre os Estados. “Há uma indicação positiva e pragmática em relação ao Brasil. Nós sabemos que não há uma afinidade pessoal entre o Joe Biden e o nosso presidente. Bolsonaro claramente indicou que apoiava Donald Trump. Mas há um pragmatismo na relação entre os dois países e isso é muito positivo. O governo Biden tem críticas ao governo brasileiro em relação a algumas questões. Em relação ao meio ambiente as críticas são mais ácidas. Mas o governo americano claramente está indicando que o Brasil é uma democracia sólida, e realmente é, que o governo brasileiro foi eleito, e realmente foi, então os aspectos relacionados ao escopo dessa reunião são atendidos pelo governo brasileiro e pelo Estado brasileiro”, afirmou Furriela.

“Existem divergências, elas vão continuar existindo entre governos, mas isso não pode condenar a relação entre os Estados. O Brasil e os Estados Unidos são democracias sólidas, são Estados que têm uma relação muito antiga, e o governo brasileiro do presidente Bolsonaro tem respeitado todas as prerrogativas, independente de críticas a alguns aspectos”, continuou o professor, ressaltando a importância das relações internacionais baseadas na história construída entre as nações, e não por governos específicos. Para Furriela, o disrcuso do presidente Bolsonaro na Cúpula deverá demonstrar a solidez das instituições brasileiras. “Nós temos um regime constitucional, temos leis, normas, em relação ao processo eleitoral, temos um processo eleitoral fiscalizado por instituições sólidas. O Brasil tem muito a mostrar num processo como esse. Problemas pontuais existem, mas eles não mancham a reputação do Brasil como Estado e em relação as suas instituições. Acredito que o governo brasileiro, até pela linha da nossa democracia, vai ter um bom discurso nesse sentido”, opinou.

Furriela destacou ainda o que significou os EUA não convidarem nações como China, Cuba, Venezuela, Arábia Saudita e Rússia para participar da Cúpula. “O governo americano nega que tenha deixado de convidar alguns países, como China e Rússia, além de alguns outros da América Latina, por conta de uma indicação de que nesses países não haveria democracia. Mas, na verdade, é uma crítica. A partir do momento que o governo americano decide convidar certos grupos e pessoas, com certeza está indicando uma afinidade. O governo venezuelano não foi convidado, mas o maior opositor do Maduro, o Guaidó, foi chamado para participar. Então, com certeza é uma indicação”, comentou.

E continuou a abordar possibilidades de ação do governo americano para os próximos dias: “Biden já tinha incluído na sua agenda que iria retomar críticas ao desrespeito aos direitos humanos, às questões em relação à democracia, por exemplo em relação à China. Essa não era uma agenda que tinha Trump, que tinha uma crítica muito forte à China, e acertada com relação a questão de comércio internacional, mas não a essas questões relacionadas à democracia e direitos humanos. Então, Biden traz agora, a partir dessa reunião, uma retomada da agenda. E essa agenda vai trazer críticas à Arábia Saudita, à China, à Venezuela, à Cuba com relação à democracia e direitos humanos, que são princípios que os Estados Unidos sempre utilizaram em seus governos quando criticavam os outros Estados”.

“A China é um país muito importante, cada vez mais, no contexto internacional, mas ela tem muitos problemas relacionados com respeito aos direitos humanos e não é um país democrático. As lideranças não são escolhidas em processo democrático. Lógico, a democracia não está ligada somente a eleições, mas é um dos seus maiores indicadores, porque a partir do momento que a população não tem liberdade de escolha dos seus líderes, com certeza, se tem um problema na democracia. Está muito claro que essa reunião vai mostrar que o que Biden propôs na sua campanha, a retomada desses valores americanos, agora vem em críticas a vários países que, internacionalmente, tem problemas diretamente ligados com os temas da conferência. O governo americano vai, a partir de agora, ser mais assertivo e vai trazer de volta críticas, não só à China, mas Venezuela, Cuba. Apesar de Cuba ter tido uma aproximação durante a gestão do democrata Obama, a partir de agora Joe Biden vai retomar essa crítica. Cuba não é uma democracia”, finalizou Furriela.

Jovem Pan

Protesto contra passaporte da vacina termina com 6 feridos e 20 presos na Bélgica

Mais de 8 mil pessoas foram às ruas de Bruxelas / EFE/EPA/OLIVIER HOSLET

Seis pessoas ficaram feridas e 20 foram presas durante um protesto contra as medidas do governo para combate a Covid-19 em Bruxelas, na Bélgica. A manifestação, que reuniu cerca de 8 mil pessoas, foi pacífica até perto do encerramento. No entanto, um grupo atirou projéteis e fogos de artifício contra a polícia. As forças de segurança responderam com o uso de canhões de água e bombas gás lacrimogêneo. Entre os feridos estão quatro manifestantes e dois policiais, que foram levados ao hospital. Os participantes do ato carregavam cartazes  em defesa das “liberdades” e contra a “ditadura da estigmatização” dos não vacinados.

O protesto foi cercado por forças policiais depois que uma marcha semelhante, mas maior, com 35 mil pessoas, terminou com mais de 40 detidos, três feridos e vandalismo há 15 dias. Os participantes da marcha consideram discriminatório o passaporte da vacina, exigido na Bélgica para acesso a bares, restaurantes e alguns eventos de lazer. Os manifestantes também são contra a obrigatoriedade da vacinação, medida que pode ser aplicada para os funcionários da área da saúde a partir de janeiro de 2022.

*Com informações da EFE / Jovem Pan

Ex-presidente Mauricio Macri vira réu por suposta espionagem ilegal

O juiz Martin Bava destaca ainda na decisão que as tarefas de inteligência não tiveram autorização judicial / EFE

O ex-presidente da Argentina Mauricio Macri é processado por espionagem ilegal. Nesta quarta-feira, 1, o juiz federal Martin Bava, da cidade de Dolores, localizada na província de Buenos Aires, aceitou a acusação feita por parentes da tripulação do submarino ARA “San Juan”, que afundou em 2017. Com isso, o ex-presidente teve seus bens embargados por 100 milhões de pesos, cerca de R$ 5,64 milhões, e está proibido de sair do país e de se ausentar da sua casa por mais de 10 dias. “Macri em primeira instância é criminalmente responsável por realizar atividades de inteligência proibidas como autor, em virtude de ter possibilitado a produção de tarefas de inteligência ilegal, gerado as condições para que fossem realizadas, armazenadas e utilizadas informações sobre pessoas pelo simples fato de suas ações privadas, suas opiniões e a atividade legal que realizavam”, diz trecho do documento de 171 páginas.

De acordo com a investigação, a suposta espionagem teria acontecido entre 2017 e 2018, com o objetivo de obter dados e informações pessoais das famílias e parentes dos 44 tripulantes do ARA “San Juan”, o submarino da Marinha argentina que desapareceu em novembro de 2017 e foi encontrado afundado um ano depois. “As ações procuraram influenciar a situação política e institucional do país, especificamente no que diz respeito às reivindicações feitas pelos mesmos para o afundamento do submarino e a consequente morte de seus familiares, bem como visavam conhecer suas atividades, os locais onde se encontravam, seus dados pessoais e os do seu ambiente”, diz a acusação.

O juiz Martin Bava destaca ainda na decisão que as tarefas de inteligência não tiveram autorização judicial ou foram justificadas pela segurança interna ou defesa nacional. “Essas ações foram realizadas com o único objetivo de influenciar a opinião pública e o desenvolvimento normal das atividades da agenda política daquele ano que, segundo os critérios pré-estabelecidos, poderiam afetar a administração do então governo que o acusado encabeçou”, completou o juiz. Mauricio Macri, que negou as acusações, apresentou uma declaração escrita quando foi convocado para testemunhar no caso, em 3 de novembro.

*Com EFE / Jovem Pan

México descarta restrições e Reino Unido pode ‘voltar atrás com medidas’ se Ômicron for menos perigosa do que Delta

Obrador, presidente do México, descartou a imposição de qualquer restrição no país /Presidência do México/EFE

Indo na contramão de muitos países da Europa, América e Ásia, o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, descartou nesta segunda-feira, 29, fechar as fronteiras do país diante do surgimento da variante Ômicron. Ele apontou que não há qualquer evidência de que vacinas são menos eficazes do que a nova cepa do vírus e disse aguardar informações sólidas sobre a cepa. “Não, não temos esse prognóstico. Pensamos que fizemos muitos progressos na vacinação e que continuamos fazendo progressos. Vamos intensificar todo o programa de vacinação”, disse.

O político afirmou que não há razões para preocupação ou risco de acordo com relatórios de especialistas do país. Também nesta segunda-feira, o ministro da Saúde do Reino Unido, Sajid Javid, afirmou que se a variante “não for mais perigosa que a delta”, o país pode voltar atrás nas restrições aplicadas na última sexta-feira, 26.

Na Câmara dos Comuns, Javid disse que medidas como o uso obrigatório de máscaras em ambientes fechados e a exigência de todos os viajantes serem submetidos a um teste de PCR na chegada ao Reino Unido, que entram em vigor a partir desta terça-feira, 30, não ficariam em vigor “nem um dia a mais do que o necessário”. Até o momento, 11 casos da nova variante foram confirmados no Reino Unido, sendo cinco na Inglaterra e seis na Escócia. A expectativa do governo é de que este número aumente nos próximos dias. A nova cepa já foi detectada em todos os continentes e ainda é analisada por pesquisadores. Não há informações suficientes para determinar se ela escapa ou não aos imunizantes, mas dados preliminares da Organização Mundial da Saúde mostram que ela pode ter maior facilidade de disseminação com, possivelmente, sintomas mais leves.

Jovem Pan

Brasil vai fechar fronteiras aéreas para seis países da África a partir de segunda-feira

Brasil fechará fronteiras aéreas com a África / REUTERS/Carlos Barria/File Photo

Com a confirmação da variante omicron da Covid-19, o ministro da Casa CivilCiro Nogueira, afirmou que o Brasil vai fechar as fronteiras aéreas para seis países da África a partir da próxima segunda-feira, 29. “O Brasil fechará as fronteiras aéreas para seis países da África em virtude da nova variante do coronavírus. Vamos resguardar os brasileiros nessa nova fase da pandemia naquele país.

A portaria será publicada amanhã e deverá vigorar a partir de segunda-feira”, informou o ministro nas redes sociais nesta sexta-feira, 27. A restrição atingirá os passageiros que vierem da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. De acordo com Nogueira, a decisão foi tomada em conjunto com os ministérios da Saúde, da Infraestrutura e da Justiça.

A nova cepa foi identificada na África do Sul e classificada como “de risco” pela Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com informações cedidas em uma coletiva de imprensa, a variante, identificada pelo pesquisador brasileiro Tulio de Oliveira, do Instituto Nacional de Doenças Transmissíveis da África do Sul, mostra “um grande salto na evolução” do vírus, com pelo menos 50 mutações, a maioria delas na proteína spike, que ajuda o vírus a entrar nas células humanas. A omicron já teve casos registrados na África do Sul, assim como em Botsuana, Hong Kong e Bélgica.

Jovem Pan

Vazamento de gás em usina nuclear deixa 1 morto e 3 intoxicados na Espanha

Reprodução / Google Street View

Um vazamento de gás carbônico (CO2) de uma usina nuclear da Espanha matou uma pessoa nesta quarta-feira, 24. O caso aconteceu na usina de Ascó, em Tarragona, no norte do país, quando funcionários realizavam manutenções nas instalações do local. Segundo o Corpo de Bombeiros da comunidade autônoma da Catalunha, o acidente aconteceu em uma área não ligada à atividade nuclear da usina, mas em um espaço onde era feita manutenção no sistema de combate a incêndios. Além da vítima fatal, outros três trabalhadores foram intoxicados. Eles foram levados para o Hospital Mora d’Ebre, segundo o Sistema de Emergências Médicas espanhol (SEM), que enviou quatro equipes à usina. Uma investigação foi aberta para estabelecer as causas do acidente.

Jovem Pan

Chile terá ultradireitista Kast contra esquerdista Boric no 2º turno, aponta apuração

Gabriel Boric (à esquerda) e José Antonio Kast (à direita) farão a disputa do segundo turno no Chile / EFE/Alberto Valdés e Biblioteca del Congreso Nacional de Chile

Chile terá uma disputa entre o ultradireitista José Antonio Kast e o esquerdista Gabriel Boric, no segundo turno das eleições presidenciais, marcadas para o dia 19 de dezembro. Ao menos, é o que aponta a apuração do país, que com 71,45% das urnas, mostra Kast com 28,30%, e Boric com 25,07%. Desta forma, esta será a primeira vez desde o retorno à democracia em 1990 que os partidos tradicionais de centro-esquerda e centro-direita não conseguem passar pelo primeiro turno.

Os candidatos prediletos da população têm agendas muito diferentes, o que obrigará os chilenos a escolher em dezembro entre o governo mais de esquerda desde Salvador Allende (1970-1973) ou o mais de direita desde a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990). Boric, um deputado de 35 anos e ex-líder estudantil que se descreve como ambientalista, feminista e regionalista, quer expandir o papel do Estado para um modelo de bem-estar semelhante ao da Europa. Kast, um advogado católico de 55 anos, pretende reduzir o papel do Estado, baixar os impostos, lidar duramente com a migração irregular e proibir o casamento gay e todas as formas de aborto.

O economista liberal Franco Parisi, que vive nos Estados Unidos e nem sequer foi ao Chile para as eleições, continua sendo a surpresa do dia, com 13,31% dos votos, de acordo com a última contagem. Parisi desloca, assim, o governista e ex-ministro Sebastián Sichel para o quarto lugar e empurra a candidata da centro-esquerda, a democrata-cristã Yasna Provoste, para a quinta posição. Muito atrás, com menos de 8% dos votos, estão Marco Enríquez-Ominami e Eduardo Artés, da esquerda radical.

Jovem Pan

TERRORISMO: Ataque com carro em desfile deixa pelo menos 5 mortos e 40 feridos nos EUA

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram o veículo em alta velocidade em direção ao desfile / Reprodução / Twitter @MarkoSilberhand

Um ataque cometido com um carro deixou ao menos cinco mortos e 40 feridos em Waukesha, no estado Wisconsin, nos Estados Unidos. O episódio aconteceu neste domingo, 21, durante um desfile de Natal, que marcava o início da época de festas no município. A cidade de Waukesha informou em suas mídias sociais que diversos feridos foram levadas para hospitais da região, sendo cinco pessoas em estado grave. Com isso, o número de vítimas pode aumentar à medida que novas informações são coletas. Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram o veículo em alta velocidade em direção ao desfile. Em uma das imagens, é possível ouvir tiros disparados por policiais no momento em que o veículo ultrapassa o cordão para entrar na área do evento.

“Havia pompons, sapatos e chocolate quente derramado por toda parte. Tive que ir de um corpo amassado para o outro para encontrar minha filha. Minha esposa e duas filhas quase foram atingidas. Por favor, ore por todos”, disse Corey Montiho, membro do conselho do distrito escolar de Waukesha, ao Milwaukee Journal Sentinel. Havia crianças pequenas espalhadas pela estrada, havia policiais e paramédicos fazendo ressuscitação cardiopulmonar em vários membros do desfile”, afirmou Chris Germain, proprietário de um estúdio de dança que estava no local à Associated Press.

Segundo chefe de polícia de Waukesha, Dan Phillips, diversas crianças foram atropeladas. No entanto, não há mais detalhes sobre as vítimas. Ainda de acordo com Phillips, o veículo usado no ataque era uma SUV vermelha, que foi recuperada. Uma pessoa foi detida e a investigação continua aberta. As aulas desta segunda-feira, 22, foram canceladas no município. A Casa Branca está monitorando a situação para avaliar se o episódio se trata de um atentado terrorista.

Jovem Pan

Joe Biden avalia boicote diplomático aos Jogos de Inverno de Pequim

Anúncio acontece dias após uma reunião virtual entre Biden e o presidente da China, Xi Jinping / EFE/EPA/CHRIS KLEPONIS / POOL

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, avalia um possível boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno em Pequim, que acontecem de 4 a 20 de fevereiro de 2022. A decisão seria uma reação alternativa às violações dos direitos humanos cometidas pelo governo chinês, sem prejudicar os atletas americanos, informou o jornal Washington Post. O anúncio acontece dias após uma reunião virtual entre Biden e o presidente da ChinaXi Jinping. No entanto, segundo a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, os líderes mundiais não não conversaram sobre o evento esportivo, embora nota do governo esclareça as reocupações de Washington sobre “práticas em Xinjiang, Tibete e Hong Kong, assim como sobre os direitos humanos de forma mais ampla”. Os legisladores democratas e republicanos, incluindo a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, defenderam o boicote em protesto contra as violações dos direitos humanos.

Jovem Pan

Ex-Aprendiz desiste de processo de agressão sexual contra Donald Trump

Donald Trump encara outras acusações pelo mesmo motivo / EFE/EPA/US PRESIDENT DONALD J TRUMP TWITTER

Summer Zervos, ex-concorrente do programa O Aprendiz, que acusou o ex-presidente dos Estados UnidosDonald Trump, de agressão sexual desistiu do processo por difamação nesta sexta-feira, 12. O processo foi aberto em 2017 no estado de Nova York. Zervos disse que Trump prejudicou sua reputação ao fizer que ela e outras mulheres que alegavam agSuressão e assédio contra ele estavam inventando coisas.

A Justiça informou que o caso foi encerrado e descontinuado e que Zervos não poderá apresentar a mesma ação no tribunal estadual no futuro. Cada parte terá que cobrir seus próprios custos. Summer acusou Trump de beijá-la e apalpá-la contra sua vontade em 2007. Ele nega as acusações. Os advogados do ex-presidente classificaram a retirada do processo de “prudente”.

Jovem Pan