Category: Internacional

Dona de navio suspeito de derramar óleo diz que ‘descarregou toda a carga’ na Malásia

Foto: da Internet

Apontado pela Polícia Federal como principal suspeita de ter derramado óleo no litoral brasileiro em agosto, o navio-tanque Bouboulina chegou à Malásia “sem qualquer falta [da carga]”, de acordo com a petroleira grega Delta Tankers, proprietária da embarcação.

Em comunicado divulgado neste sábado (2), a companhia alega não ter sido procurada pelas autoridades brasileiras, e afirma que o navio não parou nem fez qualquer tipo transferência de óleo. Ainda segundo a nota, a empresa fez uma “pesquisa completa do material nas câmeras e sensores que todos os seus navios carregam como parte de suas políticas de segurança e ambientais”.

As manchas de petróleo em praias da região atingiram pelo menos 286 localidades em 97 municípios de 9 estados. De acordo com os investigadores, 2,5 mil toneladas de óleo foram derramadas no oceano. A substância é a mesma em todos os locais: petróleo cru. O fenômeno tem afetado a vida de animais marinhos e causado impactos nas cidades litorâneas.

Correio 24 Horas

Diretor da OCDE minimiza ‘impasse’ sobre Brasil e prevê entrada em 2020

O governo brasileiro e a OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) seguem trabalhando para que o país se torne membro da organização. A informação é do diretor do departamento econômico da instituição, Luiz de Mello. Ele minimizou o apoio do governo dos Estados Unidos à entrada da Argentina e da Romênia no grupo em detrimento do Brasil, afirmando que governos dos países já esclareceram a situação.

Nesta semana, Trump desmentiu afirmação de que teria parado de apoiar ingresso do Brasil na organização

De acordo com ele, a entidade continua vendo com bons olhos a entrada do país. “Nós vemos com uma enorme satisfação essa aproximação do Brasil, temos aprendido muito com as experiências brasileiras e esperamos que a evidência empírica, os indicadores, a análise que a OCDE pode apresentar em tantas áreas da política pública seja útil.”

Mello apontou o momento econômico que vive o Brasil, de recuperação e de reformas macro e microeconômicas. Para ele, o país precisa avançar em uma série de medidas para ter confirmado o ingresso na organização. “Políticas que visem aumentar a produtividade, aumentar a competitividade da economia, aumentar o potencial de crescimento da economia. São áreas fundamentais para o governo brasileiro e para a sociedade brasileira de modo geral’, disse.

Jovem Pan

Hong Kong tem protesto violento no dia em que a China comemora 70 anos da revolução

Polícia prende manifestante durante protesto em Hong Kong, nesta terça-feira (1º) — Foto: Nicolas Asfouri / AFP

Os manifestantes pró-democracia de Hong Kong saíram às ruas para protestar contra Pequim nesta terça-feira (1º), dia em que a China comemora o 70º aniversário da revolução comunista. Houve confrontos entre a polícia e alguns ativistas radicais.

Um manifestante foi baleado no peito no distrito de Tseun Wan. Essa foi a primeira vez que alguém foi ferido por arma de fogo desde o início da onda de protestos.

Manifestantes utilizaram coquetéis molotov e a polícia respondeu com bombas de gás lacrimogêneo e canhões de água. Quinze pessoas, com idades entre 18 e 52 anos, foram hospitalizadas.

A RTHK, emissora pública de Hong Kong, está retirando alguns repórteres das ruas depois que um de seus repórteres ficou ferido levemente na cabeça, logo acima do seu olho direito, durante os confrontos.

Mobilizados desde junho, os manifestantes alegam que a China viola o princípio “um país, dois sistemas”, estabelecido no momento em que o Reino Unido devolveu o território para a China em 1997.

Manifestante coloca fogo em destroços na rua durante manifestação em Hong Kong, nesta terça-feira (1º) — Foto: Mohd Rasfan / AFP

Apesar da proibição de protestos e das advertências para que a população evite “reuniões ilegais”, os manifestantes responderam às convocações feitas em redes sociais e se reuniram no bairro comercial de Causeway Bay.

Diante de vários centros comerciais e lojas fechadas, os manifestantes gritavam: “Apoio a Hong Kong, vamos lutar pela liberdade”. A polícia e alguns ativistas radicais entraram em confronto na região.

Atos menores foram registrados no bairro de Wanchai e diante do consulado britânico, assim como nas zonas de Sha Tin e Tsuen Wan.

Comemoração na China

Uma grande parada militar abriu as celebrações do 70º aniversário da revolução comunista que deu origem à República Popular da China nesta terça. Ao menos 15 mil soldados, centenas de tanques, mísseis e aviões de combate participaram de desfile na Praça Tiananmen, considerada símbolo do país —e palco do massacre de manifestantes em 1989.

O Exército Popular de Libertação exibiu suas novas armas, entre elas o DF-41, um míssil balístico intercontinental capaz de atingir qualquer ponto dos Estados Unidos. Helicópteros sobrevoaram a cidade formando o número 70.

Veículos militares carregando mísseis hipersônicos DF-17 passam pela Praça da Paz Celestial durante o desfile militar que marca o 70º aniversário de fundação da República Popular da China — Foto: Thomas Peter / Reuters
Veículos militares carregando mísseis hipersônicos DF-17 passam pela Praça da Paz Celestial durante o desfile militar que marca o 70º aniversário de fundação da República Popular da China — Foto: Thomas Peter / Reuters

Onda de protestos

Em 9 junho, começou uma série de manifestações populares pró-democracia no território semiautônomo motivada por um projeto de lei que previa a extradição de cidadãos de Hong Kong para julgamento na China.

Aos poucos, a pauta de reivindicações se ampliou incluindo a resistência contra a crescente influência da China no território semiautônomo e a dura oposição contra o governo local que é acusado de ser Pró-Pequim.

No início de setembro, a chefe-executiva de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou a retirada completa do projeto, que já tinha sido suspenso no início de junho, em uma tentativa de conter os protestos. O anúncio, porém, não foi suficiente para conter a onda de manifestações.

A crise é a mais severa em Hong Kong desde 1997, quando o território semi-autônomo foi devolvido pelo Reino Unido à China.

Fonte: https://g1.globo.com/mundo

Papa Francisco condena ataques a ‘pessoas indefesas’ nos EUA

G1  -O papa Francisco condenou na manhã deste domingo (4) os ataques a “pessoas indefesas” nos Estados Unidos. Neste fim de semana, em um intervalo de 12 horas, dois criminosos mataram 29 pessoas e feriram 46 em dois atentados– um no Texas e outro em Ohio.

Em pronunciamento na praça São Pedro, no Vaticano, Francisco manifestou apoio às vítimas e familiares desses assassinatos em massa e as de um terceiro, ocorrido no domingo passado na Califórnia – onde três pessoas foram mortas durante um festival gastronômico.

Veja mais!

Papa Francisco fala ao público na Praça São Pedro, no Vaticano — Foto: Gregorio Borgia/AP
Papa Francisco fala ao público na Praça São Pedro, no Vaticano — Foto: Gregorio Borgia/AP

EUA designam oficialmente Brasil como um aliado prioritário extra-OTAN

Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, encontra-se com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Salão Oval, em 19 de março — Foto: Kevin Lamarque/ Reuters
Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, encontra-se com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no Salão Oval, em 19 de março — Foto: Kevin Lamarque/ Reuters

G1 – Os Estados Unidos designaram oficialmente nesta quarta-feira (31) o Brasil como um aliado prioritário extra-OTAN, cumprindo uma promessa feita em março, durante encontro entre os presidentes dos dois países, Donald Trump e Jair Bolsonaro, em Washington.

Isso aproxima militarmente os países e facilita ao Brasil comprar armas e equipamentos de defesa dos EUA. Na América Latina, apenas a Argentina tinha esse título anteriormente.

Também nesta quarta-feira, o governo brasileiro informou que foram iniciadas oficialmente as negociações para o fechamento de um acordo comercial com os Estados Unidos. A informação foi dada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, após encontro com o com o secretário de Comércio norte-americano, Wilbur L. Ross Jr. (Veja vídeo ao final da reportagem)

O que é um aliado prioritário extra-Otan?

Ao se tornar um aliado prioritário extra-Otan dos norte-americanos o Brasil consegue:

  • Tornar-se comprador preferencial de equipamentos e tecnologia militares dos EUA;
  • Participar de leilões organizados pelo Pentágono para vender produtos militares;
  • Ganhar prioridade para promover treinamentos militares com as Forças Armadas norte-americanas.

Ao todo, 17 países receberam essa classificação do governo norte-americano. Veja na arte abaixo.

Integrantes da Otan e países aliados prioritários extra-Otan — Foto: Roberta Jaworski/G1Integrantes da Otan e países aliados prioritários extra-Otan — Foto: Roberta Jaworski/G1

Integrantes da Otan e países aliados prioritários extra-Otan — Foto: Roberta Jaworski/G1

O que é a Otan?

A Otan foi fundada em 1949, logo no início da Guerra Fria, como um pacto militar dos países alinhados com os Estados Unidos. Após o esfacelamento da União Soviética em 1991, algumas nações que antes faziam parte do bloco comunista — como Polônia e Hungria — passaram a integrar a organização.

Um dos princípios da organização, hoje com 29 países, garante aos integrantes o princípio de defesa coletiva. Ou seja: um eventual ataque a um ou mais países-membros do grupo será encarado como uma agressão a todos os demais integrantes.

O professor de relações internacionais Carlos Gustavo Poggio, especialista em Estados Unidos, comenta que o interesse de Trump na Otan é reticente desde a campanha presidencial em 2016.

“Trump chegou a chamar a Otan de obsoleta, acusou países europeus de tirarem vantagem do acordo”, relembrou Poggio.

Trump, então, pressionou os integrantes do bloco a investirem mais em segurança. A reivindicação foi atendida pelas lideranças da Otan no ano passado, que firmaram uma meta de gastos de 2% do PIB com defesa até 2024.

O presidente norte-americano, então, elogiou a medida. “A Otan está muito mais forte agora do que há dois dias”, disse Trump, em julho.

Explosões em hotéis e igrejas deixam centenas de mortos e feridos no Sri Lanka

Equipes de segurança e resgate na frente de igreja em Colombo, na capital do Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters
Equipes de segurança e resgate na frente de igreja em Colombo, na capital do Sri Lanka — Foto: Dinuka Liyanawatte/Reuters

Uma série de explosões em hotéis de luxo e igrejas católicas durante a celebração da Páscoa no Sri Lanka deixou 207 mortos e mais de 450 feridos neste domingo (21), segundo o último balanço das autoridades policiais.

Os atentados foram registrados na capital, Colombo, e nas regiões de Katana e Batticaloa. De acordo com a polícia do Sri Lanka, os primeiros casos ocorreram por volta das 8h45 (0h15, no horário de Brasília) em três hotéis e três templos religiosos que realizavam missas. Mais tarde, outras duas explosões foram registradas na capital, uma delas em outro hotel.

No hotel de luxo Cinnamon Grand, um homem-bomba se fez explodir na fila de clientes que esperava para entrar em um bufê de Páscoa em um restaurante do estabelecimento. “Ele se dirigiu para o início da fila e se explodiu”, relatou um funcionário para a AFP. “Era o caos total”, acrescentou.

G1

Derrota do Estado Islâmico é anunciada na Síria

Combatentes sírios erguem bandeira amarela para celebrar derrota do EI
Mesmo derrotado na Síria, EI continua a ter integrantes disciplinados e com experiência de combate/ AFP

As Forças Democráticas Sírias (FDS), que são apoiadas pelos Estados Unidos, disseram ter dado fim ao “califado” criado pelo grupo extremista autoproclamado Estado Islâmico (EI).

“As Forças Democráticas Sírias declaram a total eliminação do chamado califado e a total derrota territorial do EI”, disse Mustafa Bali, porta-voz da FDS, pelo Twitter. “Neste dia único, celebramos os milhares de mártires que tornaram essa vitória possível.”

Em seu auge, o EI controlou uma área de 88 mil km² no norte da Síria e do Iraque, governou quase 8 milhões de pessoas, ganhou bilhões de dólares com a exploração de petróleo, extorsões, roubos e sequestros, e usou seu território como base para ataques em outros países.

Mas o grupo ainda é considerado uma grande ameaça global por ainda deter uma presença significativa na região e ter afiliados em diversos outros países, como Nigéria, Iêmen, Afeganistão e Filipinas.

 

Do BBC

Queda de avião na Etiópia deixa 157 mortos, segundo a companhia aérea

G1 – Um avião da Ethiopian Airlines, que voava da capital da Etiópia, Adis Abeba, para Nairobi, no Quênia, caiu neste domingo (10) com 157 pessoas a bordo. Segundo informações do CEO da empresa, Tewolde G Medhin, que foi até o local da queda, não há sobreviventes. O avião levava 149 passageiros e 8 tripulantes.

Local onde caiu avião na Etiópia ; acidente deixou 157 mortos, segundo a Ethiopian Airlines — Foto: Tiksa Negeri/Reuters
Local onde caiu avião na Etiópia ; acidente deixou 157 mortos, segundo a Ethiopian Airlines — Foto: Tiksa Negeri/Reuters

Kim Jong-un e Donald Trump, otimistas no começo de sua segunda cúpula

Foto: da Internet

A segunda cúpula para discutir desnuclearização entre o presidente dos Estados UnidosDonald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, começou em Hanói entre apertos de mão e sorrisos. Em uma breve aparição diante da mídia antes de uma conversa privada e jantar com as respectivas delegações, o presidente dos EUA elogiou os “muitos progressos” alcançados desde sua primeira reunião, oito meses atrás em Cingapura. E o norte-coreano expressou confiança em que a nova cúpula produzirá “resultados”.

Washington exige que Pyongyang renuncie a seu arsenal nuclear em troca de uma remoção de sanções, mas desde a reunião em Cingapura não houve progressos concretos. Trump descreveu a relação entre ambos como de “enamorados”. Nesta nova edição, no Hotel Metropole, em Hanói – uma instituição venerada da capital vietnamita –, a atmosfera, pelo menos, estava descontraída.

 

brasil.elpais.com

Juan Guaidó chega a Brasília para encontro com Bolsonaro

Guaidó fez pronunciamento na manhã deste sábado (23), na cidade de Cúcuta, na Colômbia, fronteira com a Venezuela. — Foto: REUTERS/Marco Bello
Guaidó fez pronunciamento na manhã deste sábado (23), na cidade de Cúcuta, na Colômbia, fronteira com a Venezuela. — Foto: REUTERS/Marco Bello

O líder oposicionista e autodeclarado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, chegou a Brasília para um encontro com o presidente Jair Bolsonaro. A reunião está prevista para as 14h desta quinta-feira (28). O avião com Guaidó a bordo pousou à 1h40 no Aeroporto Internacional de Brasília.

Mais cedo, a assessoria da representante diplomática no Brasil indicada por Guaidó, Maria Teresa Belandria, informou que ele viria em um voo do Força Aérea da Colômbia.

Segundo o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, o encontro “pessoal” será no gabinete de Bolsonaro, no Palácio do Planalto. A recepção oficial fica a cargo do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

G1

Exército da Venezuela entra em confronto com manifestantes na fronteira com o Brasil

Força Nacional isola manifestantes venezuelanos após confronto na fronteira com o Brasil — Foto: Alan Chaves/G1
Força Nacional isola manifestantes venezuelanos após confronto na fronteira com o Brasil — Foto: Alan Chaves/G1

O exército venezuelano e manifestantes voltaram a entrar em confronto na fronteira entre o Brasil e a Venezuela, em Pacaraima (RR), na tarde deste domingo (24). Os manifestantes jogaram pedras contra a Guarda Nacional Bolivariana, que respondeu com bombas de gás lacrimogêneo. Pouco depois, a Força Nacional do Brasil fez uma barreira de contenção para impedir o avanço dos manifestantes e interromper o confronto.

Veículos da Força Nacional e homens da Polícia Rodoviária Federal chegaram à fronteira por volta das 14h50, após o início dos conflitos. Foi a primeira vez que a Força Nacional foi acionada desde o fechamento da fronteira.

G1

Últimas notícias dos conflitos na fronteira da Venezuela

A Venezuela de Nicolás Maduro (e antes disso, a de Hugo Chávez) é um assunto polêmico inevitável em debates eleitorais de nações tão diferentes quanto Espanha e Irã.

Provoca divisão, inclusive, entre parceiros políticos. Foi o que ocorreu com o Movimento 5 Estrelas e La Liga, que governam juntos a Itália, mas têm posições opostas em relação à legitimidade de Maduro como líder do Executivo – por isso, os grupos decidiram não reconhecer nem Maduro nem Juan Guaidó como presidentes da Venezuela.
Acima de tudo, a Venezuela mantém em compasso de espera as nações que não têm boas relações com os Estados Unidos.

DO BBC

 

Colômbia fecha parte da fronteira com a Venezuela por 2 dias para ‘avaliar danos’

Caminhão que transportava ajuda humanitária para a Venezuela foi incendiado em Cúcuta — Foto: Marco Bello/Reuters
Caminhão que transportava ajuda humanitária para a Venezuela foi incendiado em Cúcuta — Foto: Marco Bello/Reuters

 

Os confrontos na fronteira com a Venezuela deixaram 285 feridos e 37 pessoas hospitalizadas, segundo o governo da Colômbia. Mais de 60 militares venezuelanos desertaram e pediram refúgio na Colômbia. Dois caminhões com ajuda humanitária foram queimados em solo venezuelano.

Os pontos nos quais se restringirá a passagem serão as pontes Internacionais Simón Bolívar, Francisco de Paula Santander, La Unión e La Unidad. “Fica de fora da restrição o trânsito nos postos de controle fronteiriço habilitados no departamento de Norte de Santander por razões de caso fortuito ou força maior”, afirmou Krüger.

Venezuela fecha fronteira com o Brasil

Tráfego de veículos era intenso horas antes do fechamento da fronteira da Venezuela com o Brasil — Foto: Alan Chaves/G1 RR
Tráfego de veículos era intenso horas antes do fechamento da fronteira da Venezuela com o Brasil — Foto: Alan Chaves/G1 RR

A fronteira da Venezuela com o Brasil foi fechada na noite desta quinta-feira (21), após Nicolás Maduro determinar o bloqueio por tempo indeterminado. Normalmente, a passagem é fechada à noite e reabre por volta das 8h do dia seguinte.

Grupos de venezuelanos que cruzaram a fronteira antes das 20h (horário local, 21h em Brasília) foram informados pela Guarda Venezuelana de que não poderiam retornar após o horário definido por Maduro.

Até as 21h29 o fluxo ainda era liberado para pedestres, no entanto, a passagem de veículos era proibida. Guardas venezuelanos colocaram cones no meio da pista a poucos metros do primeiro ponto de fiscalização no país.

O presidente venezuelano determinou o fechamento para tentar barrar a ajuda humanitária oferecida pelos EUA e por países vizinhos, incluindo o Brasil, após pedido do autoproclamado presidente interino Juan Guaidó. Maduro vê a oferta dessa ajuda como uma interferência externa na política da Venezuela.

Durante a tarde, após o anúncio do fechamento, venezuelanos correram para Pacaraima, cidade brasileira na fronteira, para comprar estoques de mantimentos. Um comerciante da região relatou aumento de 30% no movimento em relação a “dias comuns”.

Indonésia: pode ocorrer mais tsunami, população é alertada

O balanço de vítimas do tsunami que atingiu a Indonésia no último sábado subiu para 281 mortos e mais de mil feridos, anunciou a Agência Nacional de Gestão de Desastres nesta segunda-feira (24). O tsunami foi provocado pela erupção do vulcão Anak Krakatoa, que segundo a agência ainda está em erupção e pode provocar novos tsunamis.

“Estamos alertando as pessoas para permanecerem cautelosas”, afirmou no domingo Sutopo Purwo Nugroho, porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres, de acordo com a CNN. “As agências ainda continuam analisando a causa raiz … o vulcão Krakatau continua em erupção, o que poderia provocar outro tsunami.”

Pessoas inspecionam nesta segunda-feira (24) área destruída pelo tsunami em Sumur, na Indonésia — Foto: Fauzy Chaniago/AP Photo
Pessoas inspecionam nesta segunda-feira (24) área destruída pelo tsunami em Sumur, na Indonésia — Foto: Fauzy Chaniago/AP Photo

Na Casa Branca, Eduardo Bolsonaro defende congelamento de bens de Cuba e da Venezuela

Resultado de imagem para Eduardo Bolsonaro
Foto: Lucio Bernardo Jr. / Câmara dos Deputados

Segundo o GLOBO, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Messias Bolsoanro, defende que Cuba e Venezuela tenham seus bens congelados, e assim possa desconstruir as duas ditaduras ao mesmo tempo.

— Existem diversos instrumentos que o Brasil por anos, de maneira proposital, não levou a sério. São instrumentos que estão à mão. O juiz Sérgio Moro sabe melhor do que ninguém sobre lavagem de capitais, combate ao crime organizado, Convenção de Palermo. E junto com a equipe do embaixador Ernesto Araújo, tem muita coisa nessa área. Se você for congelar tudo aquilo que remete e passa pelas ditaduras cubana e venezuelana, pode dar um calote muito grande nesses ditadores — disse ele.

O Objetivo da fala do filho do novo presidente é criar uma forma junto ao governo americano para acabar com as ditadura na America Latina.

A declaração do deputado foi dita quando caminhava diante da Casa Branca, EUA, na ocasião de uma reunião com assessores do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca.