Category: Educação

Educadores da rede pública de Natal assinam manifesto preocupados com possível volta às aulas: ‘Escolas despreparadas’

Escola Municipal Professor Ulisses de Góis — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi
Escola Municipal Professor Ulisses de Góis — Foto: Quézia Oliveira/Inter TV Cabugi

Educadores da rede pública de Natal assinaram e enviaram nesta sexta-feira (24) um manifesto à Secretaria Municipal de Educação (SME) preocupados com a possibilidade de retorno das aulas. Os gestores e professores apontam no documento que as escolas e CMEIs não se prepararam ou readequaram para a volta das atividades com as medidas sanitárias necessárias.

Ainda não há, no entanto, prazo determinado pela Prefeitura de Natal para a volta às aulas. As escolas fecharam no dia 18 de março e desde então não tiveram mais atividades presenciais.

Para o manifesto, foram entrevistados mais de 1.500 profissionais da educação – 77% deles não concordam com o retorno das aulas em 2020 e 89% não veem as escolas com estruturas físicas adequadas para o atual momento de enfrentamento à Covid-19.

“Todos sabemos das grandes deficiências estruturais e materiais que as unidades de ensino público de toda a rede municipal já de há muito apresentam e que, caso não sejam devidamente recuperadas e readequadas às necessidades sanitárias exigidas, importarão em graves riscos de contaminação para a comunidade escolar, colocando em perigo vidas humanas que importam e têm preço”, cita um trecho do manifesto.

“Há mais de 100 dias estamos sem nenhuma ação efetiva de melhoria, reforma ou readequação desses espaços físicos, bem como seus equipamentos”.

Os profissionais pedem, dessa forma, que algumas medidas fundamentais sejam adotadas antes do retorno. Eles pedem que a SME determine um prazo para que a equipe de engenharia visite todas as escolas e CMEIs para que haja um relatório de problemas físicos e estruturais e quais serão as medidas de readequação dos espaços “considerando ambientação, limpeza, ventilação e número de alunos permitidos em sala de aula por metro quadrado”.

G1RN

No RN, ano letivo de 2020 deve ser concluído em 2021, diz secretário de Educação

Aulas podem voltar no dia 14 de agosto no RN — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Foto Reprodução

O ano letivo de 2020 no Rio Grande do Norte poderá ser concluído no ano que vem por causa da pandemia de Covid-19, segundo adiantou o secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, em entrevista ao Bom Dia RN da Inter TV Cabugi, nesta quarta-feira (1º). As aulas nas redes públicas e privadas estão suspensas desde 18 de março.

O titular da Educação reconhece que apesar das tentativas de amenizar o impacto no ensino com aulas pela internet e distribuição de materiais impressos, “boa parte” dos alunos não possui condições necessárias para o aprendizado fora das salas de aulas. Embora as perdas sejam significativas, Getúlio Marques acredita que o ano não está perdido.

Segundo Getúlio, a proposta inicial que está sendo discutido é a recuperação do ano letivo por meio de ciclos, que se estenderiam até 2021, com o conteúdo do ano anterior. “O ano está comprometido, mas não está perdido. Provavelmente é o que vai acontecer, se não for assim aí é que vai ficar complicado porque o ano letivo de 2021 vai entrar em 2022”, destaca.

Na terça-feira (30), a governadora Fátima Bezerra anunciou que as aulas presenciais no estado podem ser retomadas em 14 de agosto, portanto quase seis meses depois do início da paralisação. A chefe do Executivo do RN ressaltou ainda que a data é apenas um indicativo e não está definida.

“Dentro dos protocolos, o retorno tem que ser feito com uma boa avaliação diagnóstica e essa avaliação vai mostrar o nível que cada aluno se encontra para não deixar ninguém para trás. A partir daí a gente vai ter maneiras específicas de tratar com cada um desses alunos”, destaca Getúlio Marques, titular da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC).

G1RN

Escola da Assembleia tem reconhecimento nacional de diplomas no Conselho Estadual de Educação

Um reconhecimento do esforço e da qualidade dos cursos e pós-graduações oferecidos pela Escola da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte reconduz a instituição em destaque nacional, com validação dos diplomas em todo o Brasil. A aprovação é feita pelo Conselho Estadual de Educação e neste ano, ocorreu através de webconferência.
 
Um dos incentivadores da Escola da Assembleia, o presidente Ezequiel Ferreira (PSDB) elogiou a atuação do Legislativo. “O padrão das atividades da Escola da Assembleia RN recebe méritos e títulos em todo o Brasil. Esse reconhecimento atual – a validação dos diplomas a nível nacional – muito nos honra, sabendo que estamos no caminho certo em relação à qualidade de ensino, estrutura e grade de ensino aos estudantes”, argumenta o presidente, destacando o apoio irrestrito dos 24 deputados estaduais.
 
Professor e diretor da Escola da Assembleia, João Maria de Lima, comentou o trabalho dos servidores na instituição de ensino. “Destacamos o empenho de todos os servidores, em especial aos da Escola, os quais, mesmo neste período de pandemia, não mediram esforços para atingirmos esse objetivo, que nos diferencia das demais escolas legislativas do Brasil”, comemora o diretor, João Maria de Lima, lembrando outros índices que colocam a Escola como destaque nacional como número de alunos atendidos; pioneirismo em sistema de aulas e consulta de notas; além de publicações didáticas de trabalho com autoria de potiguares formados na Escola.
 
A renovação coloca a Escola em uma posição de destaque, como uma das únicas Escolas Legislativas do Brasil com certificação dos diplomas com validade nacional, renovando a outorga para ministrar cursos de pós-graduação lato sensu.
 
No voto do Conselheiro Relator Pe. João Medeiros Filho, aclamado à unanimidade, consta a aprovação do Regimento da Escola da Assembleia e do Regulamento dos Cursos de pós-graduação lato sensu (ambos chancelados pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte).
 
O recredenciamento da Escola da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem validade pelo período de 04 (quatro) anos, a contar da data da publicação do decreto governamental, na forma do Artigo 15, § 2º do citado Regimento Geral do Conselho Estadual de Educação.
 
A Escola da Assembleia colecionou títulos nos últimos 10 anos, desde sua criação, sendo referência no legislativo com o curso de pós-graduação em Gestão Pública, o mais procurado pelos alunos até os dias atuais.

Escolas públicas do RN enfrentam obstáculos para implantar atividades remotas durante pandemia

Aluno Marcos Filho está no 9º ano e acompanha as aulas online — Foto: Arquivo pessoal
Aluno Marcos Filho está no 9º ano e acompanha as aulas online — Foto: Arquivo pessoal

A Secretaria de Educação do Rio Grande do Norte (Seec) autorizou, sob condições determinadas em portaria, as escolas a realizarem ensino não presencial com os alunos durante o isolamento social por causa da pandemia da Covid-19. No entanto, a modalidade não pode ser aplicada em todas as unidades, porque boa parte dos estudantes não dispõe de internet.

A portaria do Governo do Estado determinou que, pelo menos, 75% do corpo estudantil deve ter acesso às aulas à distância para que elas aconteçam. Segundo a Seec, a carga horária utilizada nessas eventuais atividades não presenciais vai valer no máximo 20% da carga horária anual do componente curricular.

O sistema tem funcionado na Escola Estadual Stela Wanderley, que fica em Neópolis, Zona Sul de Natal, apesar de não contemplar todos os estudantes. Com 326 alunos matriculados entre o 6º e o 9º ano do ensino fundamental, mas Juvania Borges, coordenadora pedagógica da escola, algumas turmas estão com 75% de adesão e outras chegam até 90%.

“Antes de abrirmos as turmas online fizemos o contato com as famílias para ver a possibilidade do acesso dos alunos a internet. Então conseguimos uma boa adesão. Mas o percentual nos surpreendeu”, conta.

O estudante Marcos Antônio Bezerra Filho, de 15 anos, da turma do 9º ano, diz que a experiência tem sido proveitosa. Marcos quer prestar a prova para ingressar no ensino médio do IFRN.

“Estou gostando, tenho aprendido o conteúdo. Quando voltarmos, não vamos ter que começar do zero”. Disse o aluno.

“Eu estou amando. Assim ele ocupa a cabeça, não fica sem ter o que fazer dentro de casa durante esse período”. Afirmou a diarista Cláudia de Góis, mãe de Marcos Filho.

Segundo ela, o pré-adolescente estava assustado com a Covid-19 e voltar aos estudos o tem ajudado nisso. “Ele ficava pensando que eu ia morrer, que coisas ruins iam acontecer. Agora está mais tranquilo”. Comentou.

G1RN

Escolas particulares de Mossoró reduzem mensalidades durante pandemia do coronavírus em acordo com o MP

Desconto vale para o período de suspensão das aulas presenciais — Foto: Reprodução/ NSC TV
Foto d Internet

Diante da suspensão das aulas presenciais por causa da pandemia do novo coronavírus, 27 escolas particulares de Mossoró, no Oeste do Rio Grande do Norte, entraram em acordo para reduzir o valor das mensalidades em 20%. As instituições firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o Ministério Público estadual (MPRN).

A medida valerá a partir deste mês de maio e continuará enquanto durar a suspensão das aulas presenciais em decorrência da proibição sanitária por conta da Covid-19. O desconto será suspenso quando as escolas retornarem às atividades presenciais.

Para aqueles casos em que os pais/responsáveis financeiros já tenham quitado parcelas com o valor integral anterior, as escolas se comprometeram em conceder um crédito no valor pago a mais, a ser descontado na parcela do primeiro mês de retorno às aulas presenciais.

O TAC ainda traz cláusulas a respeito do descumprimento ao que foi acordado, com aplicação de multa (cujos valores serão revertidos ao Fundo Municipal de Saúde de Mossoró-RN) e de promoção de execução de título extrajudicial quando as multas não forem quitadas.

Mossoró é uma das cidades mais afetadas pelo novo coronavírus com 22 mortes e 335 casos confirmados da doença, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) divulgado na terça-feira (12).

As escolas que acordaram as medidas são:

  • Associação Colégio Diocesano Santa Luzia
  • Centro Educacional Aproniano Martins de Oliveira
  • Centro Educacional de Aprendizagem Moderna
  • T. & F. Empreeendimentos Educacionais
  • Colégio Crescer
  • Colégio Estúdio Visão
  • Colégio Futuro
  • Colégio Ideal Eireli
  • Colégio José Moreira da Costa
  • Colégio Lírios
  • Colégio Mater Christi Eireli
  • Colégio Menino Deus
  • Colégio CPP
  • Colégio Sagrado Coração de Maria
  • Colégio Universo Uno
  • Educandário Flautinha Mágica
  • Educandário Tia Marineide
  • Escola Palas Atena
  • Instituto Alvorada
  • Instituto Alvorecer
  • Instituto Aprender e Crescer
  • Instituto Educacional Sementes
  • Instituto Gurilândia
  • Colégio IPP
  • Instituto Santa Maria Goretti
  • Instituto Sonho Colorido
  • Colégio Mater Christi Alfa Eireli

G1RN

Conexão Enem segue programação e é modelo para outras Escolas Legislativas

Projeto de Educação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte direcionado aos alunos que estão se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio, o Conexão Enem está inspirando outras Casas Legislativas do País. Iniciativa semelhante está para ser implantada em Rondônia.
 
“Recentemente fomos procurados pela Escola da Assembleia de lá querendo informações sobre o projeto, pois eles estão querendo fazer um protótipo. Recebemos um ofício externando essa pretensão e nossas equipes estão em contato”, afirmou o diretor da Escola da Assembleia, professor João Maria Lima.
 
Diante da necessidade de isolamento em função da pandemia do Coronavírus, o formato do Conexão Enem foi alterado: as aulas presenciais preparatórias, que inclusive já foram levadas com sucesso ao interior do RN, foram substituídas por aulas com vários canais de transmissão: originalmente são transmitidas pela TV Assembleia e depois disponibilizadas nos canais do Youtube tanto da própria TV, como também no da Escola da Assembleia.
 
O interesse pelo Conexão Enem por parte da Escola da Assembleia de Rondônia foi despertado em uma apresentação da proposta durante um seminário que reuniu representantes das escolas legislativas no Centro de Formação, Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputados (Cefor).
 
Atualmente, os telespectadores da TV Assembleia contam com aulas de segunda à sexta-feira. Às segundas e quartas-feiras são exibidas as aulas inéditas às 20h e às terças e quintas as reprises do dia anterior às 14h. Na sexta-feira, às 14h, tem reprise da aula mais pedida entre as duas. No momento há uma programação já previamente gravada com 10 horas de conteúdo ministrado por professores voluntários, aos quais o diretor João Maria agradeceu pelo comprometimento com o projeto.

Coronavírus: Escola da Assembleia mantém atividades na modalidade de Educação à Distância

Em conformidade com as recomendações de isolamento social diante da pandemia do Covid-19, a Escola da Assembleia está ofertando vários cursos online. As aulas presenciais estão suspensas, mas para quem deseja se capacitar a escola continua levando conhecimento.

“No momento, estamos disponibilizando 29 cursos em parceria com o Instituto Legislativo Brasileiro (ILB). É uma ótima oportunidade para aqueles que querem aproveitar o tempo estudando”, afirma o diretor, professor João Maria de Lima.

A carga horária dos cursos varia de 10h a 60h e versam sobre variados temas. Para aqueles que estão se preparando para prestar concursos estão disponíveis, por exemplo, cursos como Conhecendo o novo acordo ortográfico, Introdução ao Direito Constitucional, Introdução ao Direito do Consumidor, entre outros.

Acesse o link:
http://www.al.rn.gov.br/portal/escola/p/cursos-ead

Veja nossos cursos abaixo:


Assédio Moral e Sexual no Trabalho                 
Carga horária: 6h

Cerimonial no Ambiente Legislativo      
Carga horária: 40h 

Conhecendo o Novo Acordo Ortográfico                  
Carga horária:  20h

Desenvolvimento de Equipes       
Carga horária: 10h

Dialogando sobre a Lei Maria da Penha         
Carga horária: 60h

Direito Administrativo para Gerentes no Setor Público   
Carga horária: 35h

Doutrina Política: Liberalismo
Carga horária: 20h

Doutrina Política: Novas Esquerdas              
Carga horária: 20h

Doutrinas Política: Social Democracia                    
Carga horária: 20h

Doutrina Política: Socialismos        
Carga horária: 20h

Estado e Organizações da Sociedade Civil:  Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC)        
Carga horária: 20h

Ética e Administração Pública
Carga horária: 40h

Excelência no Atendimento      
Carga horária: 20h 

Fundamentos da Integração Regional: O Mercosul
Carga horária: 40h

Gestão Estratégica com foco na Administração Pública
Carga horária:   40h

Introdução ao Controle Interno
Carga horária:   40h

Introdução ao Direito Constitucional
Carga horária:   40h

Introdução Ao Direito Do Consumidor – (Parceria ILB/Anatel)
Carga horária:   40h

Introdução ao Orçamento Público
Carga horária:   40h

Lei de Acesso à Informação (Parceria ILB/UFMG)
Carga horária:   12h

O Poder Legislativo
Carga horária:   40h

O Poder Legislativo Municipal no Brasil                
Carga horária:   20h

Ouvidoria na Administração Pública (Parceria ILB/CGU)
Carga horária:   20h

Ouvidoria no Ambiente Legislativo Municipal
Carga horária:   35h

Política Contemporânea
Carga horária:   60h

Processo Legislativo Federal
Carga horária:   45h

Processo Legislativo Regimental-
(Parceria ILB/TV Justiça)
Carga horária:   25h

Relações Internacionais: Teoria e História
Carga horária:   60h

Siga Brasil Relatórios
Carga horária:   10h

Escolas usam internet para manter aulas durante quarentena do coronavírus em Natal: ‘tem até aluno de farda’

Crianças assistem aulas de casa, durante quarentena do coronavírus, em Natal — Foto: Cedida

Com o fechamento das escolas por causa da prevenção ao novo coronavírus – Covid-19 – em todo o Rio Grande do Norte, parte das instituições privadas mantiveram as aulas através das plataformas digitais, na internet. A ideia, de acordo com as escolas, é evitar a perda do desenvolvimento pedagógico e da rotina das crianças e adolescentes.

“Tem até aluno de farda”, diz a diretora-geral do Contemporâneo, Irany Andrade. As aulas virtuais da instituição começaram nesta quarta-feira (18), através de plataformas que já eram usadas no dia-a-dia da escola, mas agora ganharam novos usos. A farda não foi uma obrigação. “Alguns pais é que querem manter a rotina”, justifica.

A plataforma funciona como uma sala de aula, com vídeo. Os professores dão aula de casa, dentro de uma espécie de “chat”. Os alunos acompanham e também participam da aula. Coordenadores também também monitoram as turmas e estão observando inclusive os faltosos, para entrarem em contato com os pais.

De acordo com a diretora, as aulas ocorrem do ensino infantil ao pré-vestibular, com adaptações para cada faixa etária. As aulas dos menores, por exemplo, são mais curtas que o normal. Mas cada turma segue no turno e horário das aulas tradicionais na escola. “Às 7h, já tinha professores com seus alunos na sala de aula virtual”, afirmou.

Aulas virtuais são ferramentas usadas por escolas de Natal durante quarentena por causa do coronavírus — Foto: Cedida
Aulas virtuais são ferramentas usadas por escolas de Natal durante quarentena por causa do coronavírus — Foto: Cedida

Mãe de duas alunas da escola, Sarah, de 4 anos, e Alice, de 3, a Bióloga Cynthia Quinderé conta que gostou da iniciativa. A filha mais velha recebeu um vídeo com as instruções e tem aula à tarde, a partir desta quinta-feira (19). Para ela, a iniciativa é legal porque não abrange apenas os alunos que estão se preparando para o Enem, mas também os menores, que têm a oportunidade de manter pelo menos uma parte da rotina.

“Estou achando maravilhoso, minha filha mais velha recebeu um vídeo, com as instruções. Achei super legal, porque a gente não imagina muito esse recurso na educação infantil. Mas fica mantendo a rotina de todo dia aprender alguma coisa na escola, mesmo que agora esteja em casa”, diz.

Ela também explica que acaba sendo uma alternativa para a falta de atividades externas das crianças, que não estão podendo visitar os avós nem descer para o parquinho do condomínio. “Também recebemos dicas de atividades para fazer em casa com eles. Os pais também estão se ajudando”, relata.

Na Casa Escola, outra instituição de ensino, os professores estão passando por treinamento nesta semana e as aulas virtuais começarão a partir da próxima segunda-feira (30), para todos os alunos, do ensino infantil ao 9º ano. De acordo com a diretora, Priscila Griner, as atividades começarão a ser desenvolvidas aos poucos, para que os estudantes e também os pais possam se adaptar às plataformas.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/


Professora recebe diploma de formatura com caixa de trufas que vendia para se manter na faculdade

Sabrina Raquel tem 22 anos. — Foto: Arquivo pessoal/Cedida

Um detalhe chamou a atenção de quem compareceu à cerimônia de colação de grau da estudante Sabrina Raquel Fernandes, de 22 anos, em Mossoró. Isso porque a beca de formatura da então aluna do curso de Letras Espanhol tinha um adereço inusitado: uma caixinha de trufas.

Na verdade, o “acessório” era o instrumento de trabalho de Sabrina, que vendia doces para conseguir arcar com os custos da faculdade e ajudar nos rendimentos da família. A caixinha acompanhou a estudante pelos corredores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) durante os quatro anos da graduação.

Na hora de receber o diploma não foi diferente, a moradora da zona rural de Mossoró foi ao auditório da UERN carregando o isopor das trufas. “A caixinha é minha marca. Fiquei bastante emocionada, não apenas pelo reconhecimento e carinho das pessoas, mas por lembrar das dificuldades do início das vendas que me faziam chorar. Em alguns casos sofri agressões verbais por simplesmente oferecer uma trufa. Me senti realizada em pegar meu diploma com o isopor que tanto me acompanhou nesse ciclo”, conta a professora Sabrina Raquel.

Sabrina Raquel se formou em Letras Espanhol na UERN. — Foto: Arquivo pessoal/Cedida

Embora a venda dos doces tenha se profissionalizado e hoje faça parte da rotina da professora, Sabrina Raquel lembra do início complicado na faculdade. “A primeira vez que levei trufas para a UERN foi um dos dias mais difíceis para mim. Cheguei em casa muito triste e comentei com mãe que não venderia mais porque levei muitas e só vendi umas três. Porém, o difícil mesmo foi chegar nas pessoas e ser ignorada, tinha gente que já virava o rosto. Senti por um instante que parecia ser errado ou vergonhoso vender doces”, relata.

Atualmente, Sabrina dá aulas particulares de espanhol e segue vendendo trufas e bombons desde que se formou, em fevereiro deste ano. Ela estuda para prestar concurso público e aproveita as idas à biblioteca da universidade em Mossoró para oferecer os doces. “A demanda de alunos é baixa, então ainda preciso continuar vendendo as trufas para ajudar nas despesas de casa”, detalha.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Após recomendação do MEC, IFRN suspende contratação de servidores efetivos

Depois que o Ministério da Educação (MEC) enviou um ofício às universidades e institutos federais de ensino vedando o aumento de despesas com pessoal ativo e inativo que não estejam previstos no orçamento de 2020, o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) suspendeu a contratação de professores e técnicos administrativos, segundo informou por meio de nota divulgada nesta quarta-feira (19).

Outras instituição federais ainda não estão avaliando a situação. Em reunião com gestores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na manhã desta quarta (19), o reitor José Daniel Diniz Melo afirmou que a universidade “não vai parar” e garantiu pagamento das progressões de carreiras e outros benefícios aos servidores, sem dar uma definição sobre contratação de servidores. Procurada pelo G1, a Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) ainda não se posicionou sobre o caso.

No IFRN, o reitor Wyllys Farkatt publicou uma nota explicando que as definições têm caráter temporário. Apesar da suspensão da contratação de servidores efetivos, ele afirmou que o instituto vai avaliar caso a caso dos contratos de professores temporários e visitantes. As progressões de carreiras e outros benefícios dos servidores também serão mantidos, de acordo com ele.

“Enquanto não houver garantia orçamentária (…) os provimentos para cargos efetivos (docentes e técnico-administrativos) estão suspensos até segunda ordem. Essa medida é indispensável para que o IFRN mantenha-se no âmbito da probidade administrativa”, afirmou na nota.

Ainda de acordo com o reitor, “dentro do tempo que lhe foi possível, o Instituto proveu 14 cargos, sendo 9 docentes, 2 técnicos da classe D e 3 da classe E”.

UFRN

De acordo com a UFRN, há autorização para contratação de servidores efetivos, mas ela ainda depende de disponibilidade orçamentária. Ainda não seria possível dizer se haverá contratações ou não ao longo do ano. Por telefone, a assessoria de imprensa da instituição afirmou que a progressão de carreira e outros direitos dos servidores serão mantidos.

“São realizadas discussões com diretores para encontrar caminhos que não impliquem prejuízo aos alunos e viabilizem as contratações de servidores técnico-administrativos e docentes, de acordo com as vagas disponibilizadas para este ano”, afirmou a instituição por nota.

O caso

O Ministério da Educação (MEC) enviou um ofício às universidades federais em que diz que elas não devem promover qualquer ato que resulte em aumento dos gastos com pessoal. A pasta alega que o alerta é resultado da perda de R$ 2,7 bilhões para pagamento de despesas que estavam previstos no Orçamento do ministério. A verba foi retirada durante a aprovação da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2020 no Congresso Nacional.

Algumas universidades começaram a tomar medidas, como cancelar contratações já previstas, pagamento de hora extra e até de adicional noturno.

O ofício foi enviado pelo MEC em 4 de fevereiro. Ao citar a redução de R$ 2,7 bilhões, o ministério afirma que as instituições de ensino federais, ao promover novos atos que aumentem as despesas com pessoal, devem abster-se de realizá-las sem que o total esteja devidamente autorizado.

O Ministério da Educação lembra que o corte foi feito na lei orçamentária anual, para 2020, que reduziu o orçamento para este tipo de despesa para cerca de R$ 72 bilhões. O MEC disse, em nota, que está trabalhando para ajustar o orçamento, o mais breve possível, para atender todas as previsões.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Fies 2020 encerra nesta sexta inscrições para a seleção do 1º semestre

Fies teve inscrições prorrogadas até a sexta-feira(14) — Foto: Reprodução site Fies

Na modalidade Fies, são oferecidas vagas com juro zero para os estudantes com uma renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135 – pelo salário mínimo nacional).

Já a modalidade P-Fies se destina a estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos (R$ 5.225 – pelo salário mínimo nacional). Eles podem receber um empréstimo a juros relativamente baixos, variando de acordo com o banco que atua como agente financeiro.

Vale lembrar que, em dezembro de 2019, o governo anunciou mudanças nos dois programas, mas elas só serão válidas no segundo semestre deste ano para o P-Fies e a partir de 2021 para o Fies.

Como se inscrever no Fies

As inscrições são feitas pela internet no endereço: http://fies.mec.gov.br/

Basta inserir CPF, data de nascimento e o código de verificação que aparece na tela

O candidato não pode ter zerado a redação e tem que ter tirado mais que 450 nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), serão oferecidos 70 mil contratos para o Fies, enquanto para o P-Fies não há limite pré-estabelecido de vagas.

Cronograma do primeiro semestre do Fies 2020:

  • Pré-seleção: 26 de fevereiro
  • Complementação da inscrição na modalidade Fies: 27 de fevereiro a 2 de março de 2020
  • Chamada da lista de espera: 26 de fevereiro a 31 de março

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/noticia/2020/02

UFRN divulga novo calendário para 2ª chamada do Sisu; convocação será na quinta (13)

Cadastramento de novos alunos da UFRN (arquivo) — Foto: UFRN/Divulgação

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) divulgou nesta terça-feira (11) um novo calendário para a segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). De acordo com a instituição, a convocação dos candidatos será divulgada nesta quinta-feira (13) e o cadastramento acontecerá nos dias 15, 17, 18 e 19 na Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), do campus central, para os aprovados e suplentes de cursos dos campi de Natal e Macaíba.

Os convocados para o campus Caicó serão recebidos de 17 a 19 de fevereiro no Centro Regional de Ensino Superior de Caicó (Ceres-Caicó), enquanto os novos alunos dos campi de Currais Novos e Santa Cruz serão atendidos nos dias 17 e 18 no Ceres-Currais Novos e na Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa), respectivamente.

O cadastramento acontecerá das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h, dividido de acordo com os cursos, conforme cronograma definido em edital. Os candidatos deverão realizar o envio eletrônico prévio da documentação entre os dias 13 e 18, por meio do Portal do Candidato, onde também estão disponíveis o edital retificado, o cronograma de convocações, quadro de vagas, entre outras informações do Sisu na UFRN.

As alterações no calendário da segunda chamada ocorreram em virtude do atraso no recebimento da Lista de Espera da UFRN, que seria enviada pelo Ministério da Educação (MEC) no último dia 6 de fevereiro, e foi disponibilizada apenas na tarde desta segunda-feira (10).

Vagas

A UFRN oferece o total de 6.933 vagas pelo Sisu para 107 cursos de graduação nos campi de Natal, Macaíba, Currais Novos, Caicó e Santa Cruz, sendo 4.649 para o primeiro semestre e 2.284 para o segundo período letivo. Mais de 4.900 vagas foram preenchidas no cadastramento dos aprovados na primeira chamada, restando cerca de 2 mil vagas remanescentes para ocupação dos candidatos inscritos na lista de espera

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/

MEC não envia lista de espera e UFRN adia calendário da 2ª chamada do Sisu

Cadastramento de novos alunos na UFRN (arquivo) — Foto: UFRN/Divulgação

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) comunicou o adiamento da divulgação dos convocados na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que era prevista para esta segunda-feira (10).

De acordo com o comunicado, a suspensão ocorreu porque a instituição não recebeu a Lista de Espera da UFRN, que seria enviada pelo Ministério da Educação (MEC) na última quinta-feira (6).

Em nota, o MEC afirmou que a divulgação da lista de espera do Sisu para a convocação dos aprovados a ser realizada pelas instituições de ensino vai acontecer nesta segunda (10).

A UFRN informou que, após disponibilização da lista, divulgará o novo calendário de convocação e cadastramento dos candidatos.

Mais de duas mil vagas oferecidas pela instituição não foram preenchidas na primeira chamada do Sisu e devem ser ocupadas pelos candidatos que declararam interesse em ingressar na lista de espera.

A adesão à lista de espera do Sisu iniciou em 29 de janeiro e permaneceu aberta até 4 de fevereiro. Os candidatos que se inscreveram no sistema de seleção, mas que não foram selecionados em nenhuma das opções de curso, tiveram a chance de participar da lista de espera.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Inscrições do Fies e do P-Fies do 1º semestre de 2020 serão abertas nesta quarta

Site do Fies- programa tem inscrição aberta até dia 12 de fevereiro. — Foto: Reprodução site Fies

As inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) do primeiro semestre de 2020 vão começar nesta quarta-feira (5). Eles oferecem financiamento para pagamento de cursos de graduação em universidades privadas. Os candidatos devem se inscrever até 12 de fevereiro.

As inscrições são feitas pela internet no endereço: http://fies.mec.gov.br/. Basta inserir CPF, data de nascimento, o código de verificação que aparece na tela e, se o candidato tiver tirado uma nota suficiente no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – não ter zerado a redação e ter obtido uma média acima de 450 pontos nas provas – pode dar continuidade à inscrição.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), serão oferecidos 70 mil contratos para o Fies, enquanto para o P-Fies não há limite pré-estabelecido de vagas.

Cronograma do primeiro semestre do Fies 2020:

  • Inscrições: 5 a 12 de fevereiro
  • Pré-seleção: 26 de fevereiro
  • Chamada da lista de espera: 26 de fevereiro a 31 de março
Nota do Enem pode ser usada por três programas do governo: Sisu, Prouni e Fies. — Foto: Reprodução/G1

Diferença entre Fies e P-fies

Na modalidade Fies, são oferecidas vagas com juro zero para os estudantes com uma renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135 – pelo salário mínimo nacional).

Já a modalidade P-Fies se destina a estudantes com renda per capita mensal familiar de até cinco salários mínimos (R$ 5.225 – pelo salário mínimo nacional). Eles podem receber um empréstimo a juros relativamente baixos, variando de acordo com o banco que atua como agente financeiro.

Vale lembrar que, em dezembro de 2019, o governo anunciou mudanças nos dois programas, mas elas só serão válidas no segundo semestre deste ano para o P-Fies e a partir de 2021 para o Fies.

Confira as principais mudanças abaixo:

Fies

A principal mudança está nas notas de corte para o financiamento. Atualmente, é preciso ter média mínima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e não ter zerado a redação. A partir do primeiro semestre de 2021, a nota média mínima permanece de 450 pontos, mas a nota de corte da redação sobe para 400 pontos.

A nota do Enem também vai servir para limitar as transferências de cursos em instituições de ensino superior para alunos que possuem financiamento do Fies. Agora, será necessário um resultado igual ou superior à nota de corte do curso de interesse para a transferência.

O que muda no Fies?

  • As mudanças passam a valer a partir do primeiro semestre de 2021
  • Os candidatos precisarão ter nota mínima de 400 pontos na redação do Enem
  • A média das cinco provas do Enem deverá ser igual ou superior a 450 pontos
  • O candidato deve ter uma renda de até 3 salários mínimos
  • Para pedir transferência de faculdade, o candidato deverá ter tirado, na prova do Enem, a nota de corte do curso ao qual pretende ir

P-Fies

O P-Fies foi criado para o financiamento de estudantes com renda mensal familiar de até cinco salários mínimos. Com a mudança anunciada, que começa a valer no segundo semestre de 2020, o programa passa a não ter limite de renda.

O programa foi desvinculado do Fies, o que implica que não será mais necessário fazer a prova do Enem para concorrer ao financiamento nesta categoria. O MEC anunciou também que o candidato poderá entrar com solicitação de financiamento durante todo o ano.

O que muda no P-Fies?

  • As mudanças passam a valer a partir do segundo semestre de 2020
  • O programa passar a ser independente do Fies
  • Não será necessário fazer o Enem para tentar o financiamento
  • Não será exigido um limite máximo de renda
  • Possibilidade de contratação durante todo o ano

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/noticia/

Sistema online da Secretaria de Educação cai e impede matrículas de alunos em escolas estaduais do RN

https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/n

A auxiliar de serviços gerais Michelle da Silva está desde as 6h desta sexta-feira (31) tentando matricular os dois filhos na escola através do sistema da Secretaria de Educação do Rio Grande do Norte na internet, mas ainda não conseguiu. O site está fora do ar e pais e mães de todo o estado têm encontrado dificuldade para efetuar as matrículas.

De acordo com a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), o sistema Sigeduc caiu devido ao alto número de acessos simultâneos. A pasta informou que o Grupo de Processamento de Dados está trabalhando para resolver o problema, porém não há ainda um prazo para essa resolução.

Michelle da Silva não tem acesso à internet em casa e foi até a Escola Estadual União do Povo, que fica no bairro de Cidade Nova, em Natal, para tentar matricular os filhos usando o computador da instituição. A escola é a mesma em que ela quer que os dois estudem.

“Minha preocupação é que aqui só tem 14 vagar. E se não der certo? Onde vou matricular meus filhos? Hoje eu faltei trabalho para tentar resolver isso. E se não resolver? Vou faltar de novo na segunda? Só tenho quatro meses na empresa”, contou, preocupada. O período de matrículas segue até o dia 10 de fevereiro.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/n