Campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda (23) em Natal

Idosos e profissionais da saúde serão os primeiros a serem vacinados — Foto: ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Começa na segunda-feira (23) a campanha de vacinação contra a gripe em todas as unidades básicas de saúde de Natal. As UBSs estarão abastecidas para atender a população alvo da campanha de imunização contra a influenza. A expectativa é de que 250 mil pessoas sejam vacinadas até 22 de maio.

Para evitar aglomerações, a imunização foi organizada em três etapas:

  • Primeira (início 23/03): destinada a pessoas com mais de 60 anos e profissionais da saúde;
  • Segunda (início 16/04): doentes crônicos, professores da rede pública e privada e profissionais de segurança e salvamento;
  • Terceira e última (início 09/05 até 22/05): crianças de 6 meses a 5 anos, mães no pós-parto de até 45 dias, população indígena e pessoas de 55 a 59 anos.

Grávidas em qualquer período gestacional serão atendidas em todas as fases da campanha. As vacina estão disponíveis em 70 salas espalhadas pelas quatro regiões de Natal.

“É importante ressaltar essa obediência às datas para cada fase, pois o município não receberá a quantidade total destinada ao público-alvo, que gira em 278 mil, de uma única vez. A medida também tem fim de evitar aglomerações e manter maior controle das aplicações”, indica Vaneska Gadelha, chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis de Natal.

No nordeste, especificamente em março, começam a se manifestar as doenças causadas pelos vírus respiratórios. As mais presentes em Natal são influenza A (H1N1), Influenza B e Sincicial.

“Como temos essas informações levamos para o Ministério da Saúde, ainda em 2019, o pedido de antecipação da vacina de influenza, que foi atendido agora pelo fato do país está passando pela pandemia de coronavírus. A preocupação do Governo Federal é trabalhar para evitar a sobrecarga nas unidades de saúde nesta época do ano”, esclarece George Antunes, Secretário Municipal de Saúde.

Os pacientes precisam comprovar que estão inseridos no público-alvo da campanha através de documentação específica para cada caso. As puérperas devem apresentar documentos da criança ou maternidade, doentes crônicos precisam estar munidos de atestado médico, indivíduos das forças armadas devem ter em mãos a identidade profissional, e profissionais da saúde seus crachás ou carteiras dos conselhos.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/