Artigo: Souza enaltece campanha da Assembleia de incentivo à doação de órgãos

“Uma campanha de amor ao próximo”

Devo aplaudir a iniciativa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, da qual faço parte, por essa iniciativa.

A campanha que incentiva a doação de órgãos é de enorme valia social. Ela vai ao encontro dos mais valiosos princípios do ser humano, como a caridade, a compaixão, a renúncia a própria dor, para fazer alguém e muitos felizes.

Em 2016 foram realizados 221 transplantes no RN, sendo 104 transplantes de córnea, 67 de rim e 50 transplantes de medula óssea. É um número que vem crescendo e pode ser ampliado mais ainda.

A proposta da Assembleia Legislativa ela é muito interessante, porque visa principalmente fazer um trabalho de esclarecimento e de conscientização da importância da iniciativa.

A gente sabe que a própria discussão sobre a morte física, o fim da matéria, é um tema muito delicado, muitas vezes abstraído de conversas simples entre amigos, na família. Mas precisamos enfrentar esse tabu, conversarmos de forma adulta, equilibrada e de modo proativo, para que a vida possa continuar num gesto de amor que é a doação de órgãos.

É importante assinalarmos que o Brasil se coloca como um dos países em que mais existe a doação de órgãos. Mesmo assim, é fato que podemos ampliar esse resultado.

Ao mesmo tempo, quero destacar que no caso específico do Rio Grande do Norte, A Central de Transplantes do Rio Grande do Norte, através da Organização de Procura de Órgãos (OPO), faz um notável trabalho.

Já tomamos conhecimento de verdadeiras operações de guerra para a coleta de órgãos, translado e cirurgias para implantes desses materiais em pacientes que estão em fila de espera. Esse trabalho é também um gesto de amor, de desprendimento, de vocação para servir ao próximo.

O que a Assembleia Legislativa faz reforça essa atividade constante, mas não pode ser uma ação-estanque.

Precisamos avançar, fortalecendo não apenas o trabalho de divulgação-conscientização, mas dando capilaridade a todos os estágios dessa missão honrosa dos que atuam na área. Ao mesmo tempo que devemos ver a questão do conforto e acompanhamento às famílias que perdem seus entes queridos, sem que tenham perdido a fé na própria vida.

Tenho formação familiar cristã. Acredito que nossa vida não se encerra aqui. E a doação de órgãos é uma prova de que a vida pode e deve continuar.

Souza Neto (PHS)
Deputado Estadual