Após homem ser preso por tentativa de fraude, organizadora diz que concurso da Polícia Civil do RN está mantido

Central de Flagrantes de Natal, Polícia Civil RN — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi
Central de Flagrantes de Natal, Polícia Civil RN — Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi

Após um homem ter sido preso por tentar fraudar o concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, a banca organizadora afirmou que vai manter as próximas etapas do certame.

O comunicado foi publicado pela Fundação Getúlio Vargas na página do concurso na internet e informou que o candidato identificado pela Polícia Civil como um alagoano de 41 anos tentou usar uma “cola eletrônica” na prova.

“O corpo profissional da FGV é treinado e capacitado para evitar tais iniciativas criminosas. O sistema de prevenção é reforçado por rígidos procedimentos de segurança, que incluem o uso de detectores de metais e detectores de ponto eletrônico, para evitar que os inscritos portem equipamentos eletrônicos suspeitos”, informou em nota.

A banca organizadora afirmou que também conta com um sistema de inteligência artificial, que realiza cruzamentos de dados para identificar coincidências de acertos e erros das respostas dos candidatos, tanto nas questões objetivas quanto discursivas, além da análise grafotécnica – as letras dos candidatos.

Por fim, a banca defendeu a “lisura do certame” e assegurou a continuidade das etapas do concurso, inclusive a prova para delegado, marcadas para o próximo domingo (18), em Natal, “tranquilizando todos os participantes e a sociedade”.

No dia 11 foram realizadas as provas para o cargo de escrivão. Já as provas para o cargo de delegado serão realizadas no próximo domingo (18).

A Polícia Civil havia confirmado a prisão do candidato nesta segunda-feira (12), mas não tinha informado como o homem teria tentado fraudar a prova. Também não foi revelado se há suspeita de participação de outras pessoas.

Concurso

Ao todo, o concurso teve 61.042 candidatos inscritos para concorrer às 301 vagas oferecidas – 230 para agente, 24 para escrivão e 47 para delegado.

edital foi lançado em novembro de 2020 e a previsão era de que as provas fossem aplicadas nos dias 07 e 14 de março. Porém, por causa da pandemia da Covid-19, a seleção foi suspensa em fevereiro e os prazos foram retomados em maio, com novas datas.

O salário oferecido para agente e escrivão é de R$ 4.731,91 e para delegado, R$ 16.670,59.

G1RN