Alexandre de Moraes manda prender mais duas pessoas com base no inquérito ilegal, prisão recebeu apoio da PGR

Bolsonaristas desafiam o STF em busca de recursos e apoio para as  manifestações do 7 de Setembro | Atualidade | EL PAÍS Brasil
Foto copiada da Internet

O Ministro do STF Alexandre de Moraes, apoiado pela PGR, mandou prender, nesta sexta-feira (3), mais duas pessoas acusadas de ameaçar à democracia, segundo a interpretação deles.

A Polícia Federal prendeu o jornalista Wellington Macedo, enquanto o Zé Trovão, que é representantes dos caminhoneiros, fugiu dizendo que só se entrega após o dia 07 de setembro.

Macedo foi preso em um hotel de Brasília. Em nota, a Polícia Federal confirmou a prisão e não divulgou maiores detalhes sobre o caso.

“A medida, cumprida em Brasília, tem o objetivo de aprofundar investigações em curso nos autos de inquérito que tramita naquela Corte”, diz o comunicado. (O STF não tem essa competêcnia de acordo com a constituição).

O blogueiro preso é investigado no Supremo em um inquérito inconstitucional que investiga a organização e o financiamento de atos contra as instituições e a democracia.

O STF não é órgão de investigação, então, de forma abusiva vem utrapassando suas prerrogativas cometendo abuso de poder, o que fragiliza a democracia, agora contando com apoio ilegeal da PGR.

O jornalista teria exagerado no seu texto, devendo responder por ele em caso de crime na justiça comum, já que não tem foro privilegiado. O STF tem competência para julgar os que têm foro privilegiados, o que não é o caso dos que foram presos, salvo o Daniel Silveira, mas este é protegido pela cosntituição federal, pela imunidade parlamentar.

Nas redes sociais, Wellington chegou a publicar, imprudentimente, uma mensagem com referência ao ano de 1964 que diz o seguinte:

“O que estamos ouvindo são ecos de cachorros mortos. Chegou a hora. Mais uma vez, após 57 anos, serão derrotados os que se achavam donos do poder. Poder o povo dá. Poder o povo tira”, escreveu, no Twitter.

Outros canais usados por ele já haviam sido suspensos. Em 26 de agosto, ele publicou, também no Twitter, a frase “não vão me calar” e um link para uma página do Instagram, que foi removida e não está mais disponível. A página dele no YouTube também foi derrubada.

Os jornalista inimigos do presidente o denominam de bolsonarista, mas o presidente não vem incitando ninguém a fazer esse tipo de ameaças, antes, vem aconselhando por um moviemnto como muitos que já aconteceram, de forma pacífica.

Com informações do BG e outros

Leave a Comment