A China e a OMS poderá ser acusadas de espalharem Fakes News também?

Com as novas medidas tomadas de forma arbitrária pelo ministro Alexandre de Moraes, com apoio da maioria dos colegas do STF, de mandar prender alguns jornalistas e youtubers por causa de possíveis Fake News. Com a Lei de Fake News que foi aprovada no senado, faltando a votação na Câmara Federal, fica uma pergunta proposital: vai ter como enquadrar a China e a OMS na lista de quem espalham Fake News?

A OMS como órgão internacional não responde a jurisdição brasileira (nem a China), mas bem que seria bom que respondesse, pois dizem que a OMS tem espalhado muitas notícias falsas (Fakes News) que prejudicou decisões importantes para o mundo e o Brasil.

Diz os jornalistas do Pingos nos Is que a OMS escondeu a história do Covid-19 do mundo todo, ainda em 2019, em coluio com a China.

Uma hora a OMS diz que não é para se usar máscaras, depois diz que é para usar. Diz também que as crianças não contaminariam os idosos com o coronavírus, depois diz que contaminam, diz que a Cloroquina não deve ser usada para combater a doença, depois de que deve. O tempo todo a OMS vem dizendo e desdizendo tudo que diz, e o mundo fica sem saber como se reorganizar por seguir as orientações desse incompetente órgão internacional.

Agora a China espalhou outra forma de terror, de mortandades causadas por outro vírus, dizendo que esse vírus já matou muita gente no Cazaquistão, que é mais letal que o coronavírus, o que foi desmentido pelo Ministério de Saúde daquele país. A notícia chinesa foi classificada como Fake News.

Dá para acreditar na China e na OMS?

Leave a Comment