Archive for maio 2nd, 2022

Petistas cantam em manifestação pró-Lula na Praça do Papa

No mesmo dia em que apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) saíram em carreata pelas ruas da Região Centro-Sul de Belo Horizonte em apoio à pré-candidatura à reeleição do chefe do Executivo federal, apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se encontraram para manifestação na Praça do Papa, no Bairro Mangabeiras, na mesma região.

O evento pró-Lula é organizado pelo Coletivo Alvorada, Cultura Mineira com Lula, Movimento dos Trabalhadores Rurais de Minas Gerais e Armazém do Campo.

Em

Em discurso por vídeo, Bolsonaro diz que deve ‘lealdade’ aos apoiadores

Discurso por vídeo de Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro fez um breve discurso por vídeo aos apoiadores na Avenida Paulista / Reprodução/YouTube/Nas Ruas

O jornalista Alexandre Garcia em seu comentário do Entre Linhas, de ontem, 01, disse que a comparação entre os de Bolsonaro e os de Lula, era de 10 para 1, isto é, nas manifestações de ruas que aconteceram em dia 01 de maio deste ano, em cada 10 milhões de pessoas que apoiam o Bolsoanro, apenas 1 milão apoiam o Lula, então ele reclama sobre as pesquisas realizadas que mostram o presidente com um número muito pequeno a frede do Lula.

Em um rápido discurso por vídeo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que deve “lealdade” aos seus apoiadores, que se concentram, na tarde deste domingo, 1º, na Avenida Paulista. “Uma satisfação muito grande poder cumprimenta-los nessa manifestação pacífica em defesa da constituição, da família e da liberdade. Devo lealdade a todos vocês, temos um governo que acredita em Deus, respeita os seus militares , defende a família e deve lealdade ao seu povo”, disse. A transmissão da fala do mandatário do país foi feita por um telão disponibilizado pelo movimento “Nas Ruas”, do empresário Tomé Abduch. Em um recado aos aliados que estão nas ruas da capital paulista, o chefe do Executivo federal disse que irá “onde vocês estiverem”, acrescentando que seu governo “defende a família”.

Após a manifestação, Abduch disse que Bolsonaro “está dando a vida por todos nós” e que os apoiadores se mobilizaram no Dia do Trabalho para demonstrar apoio ao que chamou de “decreto constitucional” concedido na quinta-feira, 21, ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ), condenado a 8 anos e 9 meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por ataques às instituições e aos ministros da Corte. Na Paulista, apoiadores exibem cartazes com os dizeres “Impeachment de Alexandre [de Moraes, ministro da Corte] já”, “Fora, Xandão”, em alusão ao nome do magistrado, e “Tribunal Superior Eleitoral é um partido político inimigo do Brasil”.

Na manhã deste domingo, Bolsonaro cumprimentou apoiadores que estavam concentrados próximos à Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e voltou ao Palácio do Planalto sem discursar. O youtuber João Salas, um dos organizadores do ato, disse que o mandatário do país não se manifestou em razão das restrições da Lei Eleitoral. Salas disse que a candidatura do presidente poderia ser impugnada caso ele discursasse. “A gente não pode prejudicar o nosso presidente”, afirmou. Após o anúncio de que o chefe do Executivo federal não falaria, houve rápida dispersão dos presentes.

Jovem Pan

TSE amplia número de urnas que passam por testes para as eleições

Sala com mesa cheia de urnas eletrônicas que seriam usadas nas eleições
Sala com mesa cheia de urnas eletrônicas / Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo – 04/11/2020

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) optou por realizar uma série de mudanças para as eleições de outubro de 2022, entre elas o uso de modelos atualizados e a ampliação do número de urnas eletrônicas que passam por testes antecipadamente, passando de 100 para 600 máquinas. O Tribunal calcula que serão usadas 577 mil urnas durante a votação deste ano. Do total, cerca de 225 mil serão de um modelo novo, mais rápido, acessível e que mantém a segurança da votação.

O processo de verificação das máquinas ocorre um dia antes da votação. Os equipamentos sorteados são levados à sede do Tribunal Regional de cada Estado. Voluntários, normalmente jovens que ainda não tem título de eleitor, votam em cédulas de papel e um funcionário de uma empresa contratada digita os números nas urnas. Todo o processo é gravado por uma câmera. No final do dia, o boletim de cada urna é impresso e comparado com as escolhas dos voluntários.

O advogado especialista em direito eleitoral Alberto Rollo afirma que as decisões do tribunal aumentam ainda mais a transparência do processo de votação. “Até agora, são 26 anos de urna eletrônica, desde que esses testes de votação paralela foram adotados, nunca teve diferença. E quando houve diferença é porque houve um erro na hora de digitar o voto do papel no teclado da urna eletrônica. E a gente sabe que tem uma discussão: ‘600 é pouco, 200 antes eram poucas’, aumentou para 600, mas talvez 600 não seja o ideal, não importa, a gente chega no número ideal. O que importa é a boa vontade da Justiça Eleitoral em mostrar cada vez mais que não tem nenhum motivo para desconfiança, não tem nenhum motivo para duvidar do sistema da urna eletrônica”, afirma.

Dias depois do anúncio do TSE de ampliar o número de testadas, o presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a atacar o sistema de votação eletrônica. Ele propôs que as forças armadas atuem no processo eleitoral, fazendo uma espécie de dupla checagem da apuração feita pelo tribunal. O cientista político Manuel Furriela vê as decisões da corte como uma resposta às repetidas declarações de Bolsonaro. “Esta decisão de aumentar as urnas que serão verificadas, que passarão por uma série de testagens, junto com outras iniciativas, elas são, sim, resposta ao presidente e às forças armadas e não a toda a sociedade. São decisões que aumentam a transparência. Mas eu não acredito que elas venham afastar qualquer tipo de desconfiança, porque foram tomadas decisões já seguindo os mesmos procedimentos previstos anteriormente. Então, a ampliação da fiscalização pela sociedade civil, ela é só uma ampliação daquilo que já havia. Como o voto impresso não está sendo contemplado nestas decisões, o aumento da transparência não vai atender as expectativas. mesmo com a ampliação da transparência e da checagem, eu não acredito que as expectativas vão mudar ou as críticas vão deixar de vir”, opinou Furriela.

Como voto é facultativo para as pessoas com mais de 70 anos, Euzébio Ferreira de Jesus não deve ir à sessão eleitoral no próximo dia 2 de outubro. O aposentado, no entanto, confiaria no sistema se fosse participar do pleito. “Eu acredito que, se essa forma é porque ela foi escolhida pela maioria. É o melhor que houve até agora”, afirma. A assistente administrativo Cristina Carvalho vai na mesma linha: “Não tem método melhor, depois que colocaram as urnas, foi a melhor opção para a gente. Agora que eles estão colocando também digital, isso daí está facilitando muito, então não tem outro método mais seguro que esse. Vou votar confiante”, diz.

Já para o dono de corretoras de seguro Pedro Sauermins o sistema de votação brasileiro poderia contar com mais uma etapa. “O sistema eletrônico é um sistema válido, mas, na minha opinião, se a gente tivesse uma verificação de voto impresso junto seria melhor”, opina. O relojoeiro David Campos iria preferir que a votação fosse feita de outra forma: “Eu particularmente não confio no sistema de votação que temos hoje. Na China, por exemplo, eles não utilizam o sistema eletrônico igual a nós. Então, se tem um país com tecnologias muito mais avançadas do que a nossa e ainda utiliza o sistema impresso, manual, por que a gente vai confiar hoje na eletrônica?”.

*Com informações da repórter Nanny Cox

Jovem Pan

A América Latina está ficando menos católica; veja os dados e possíveis motivos

Foto: Ilustrativa/Divulgação

Tradicionalmente, a Igreja Católica foi predominante entre os latino-americanos, influenciando esses povos de aspectos culturais a políticos. Os números mostram, no entanto, que o catolicismo está perdendo força na região. Nos últimos 10 anos, o número de pessoas que não se identificam com nenhuma religião cresceu 6% na América Latina.

No gráfico abaixo, é possível ver como o percentual daqueles que se consideram católicos diminuiu nesses países.

O que aconteceu?

Em alguns países, a queda foi mais brusca que em outros. Na Argentina, por exemplo, o percentual passou de 76% para 49% em apenas 10 anos. Além disso, as religiões evangélicas ganharam força. No Brasil, por exemplo, o percentual de evangélicos passou de 3% em 2000 para 22% em 2020.

Os jovens parecem ter mais religiões para escolher, com mais formas alternativas de espiritualismo — “eu acredito em energia”. Em nações como o Chile, a confiança na instituição caiu depois de casos de abuso sexual.

O declínio da Igreja Católica está sendo relacionado com algumas mudanças políticas na América Latina, envolvendo pautas como aborto, casamento gay e direitos dos transgêneros.

Expandindo o foco

Considerando o mundo todo, o número de católicos batizados aumentou, com a participação da religião se mantendo na casa dos 17% de toda a população.

BG

VÍDEO: Novo Cangaço invade Santo Antônio e explode duas agências bancárias

BG

Cerca de 12 homens invadiram a cidade de Santo Antônio do Salto da Onça, na madrugada desta segunda-feira (02) e explodiram duas agências bancárias levando valores em dinheiro. De acordo com informações preliminares a unidade da PM foi cercada para não haver nenhuma reação.

Segundo testemunhas, os criminosos chegaram em três carros e usaram pistolas e armas longas. Vários tiros foram disparados antes das agências do Bradesco e do Nordeste serem violadas.

O bando conhecido como Novo Cangaço fugiu levando valores em dinheiro ainda não divulgados. Policiais de outros municípios foram acionados, porém nenhum suspeito foi preso.

Portal BO / BG