Archive for março 6th, 2020

Dia Internacional da Mulher é marcado por sessão solene na Assembleia

Para marcar o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, a Assembleia Legislativa realiza sessão solene na próxima segunda-feira (9), homenageando 17 mulheres das mais variadas áreas e segmentos da sociedade potiguar. A iniciativa, como já é tradição, é da bancada feminina da Casa, com total apoio de todos os parlamentares. Foi em 20 de fevereiro de 1909, em Nova York, quando uma manifestação pela igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino demarcou a celebração.

As deputadas Cristiane Dantas (SDD), Eudiane Macedo (Republicanos) e Isolda Dantas (PT) avaliam as conquistas. Para Cristiane Dantas a data é muito representativa na luta feminista. “Ao longo dos anos, de fato, obtivemos conquistas como direito ao voto, participação na política, uma lei para combater a violência, conquistamos espaços que em outras épocas nunca imaginaríamos estar. Mas, ainda precisamos superar muitas barreiras, especialmente do machismo e da violência, para conquistarmos a igualdade de direitos que tanto almejamos”, afirmou a parlamentar.

A deputada Eudiane Macedo afirma que é preciso pautar o mandato por políticas públicas que tenham como objetivo melhorar a vida das mulheres, porque isso significa uma sociedade melhor. “A redução de desigualdades de gênero significa menos violência, relações mais saudáveis, crianças crescendo em lares mais saudáveis, mais oportunidades, enfim, é preciso massificar a ideia de que não haverá uma sociedade verdadeiramente justa enquanto não for para todos”, afirmou.

Isolda Dantas lembra que a luta precisa ser diária. “A nossa luta de todo dia, não só no 8 de março, é mudar o mundo para mudar a vida das mulheres e mudar a vida das mulheres para mudar o mundo. E isso inclui vencer a profunda desigualdade de classe, raça e gênero na nossa sociedade”, disse.

Esta semana, entre as 22 matérias analisadas e votadas pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ), sete matérias estão propondo programas e ações voltadas para a proteção da mulher. A diretora administrativa da Casa, Dulcinea Brandão avalia: “A Assembleia Legislativa é plural, mas temos no corpo funcional mais mulheres do que homens, então poderíamos dizer que é mais feminina, pois a força feminina é muito significativa aqui”, afirma.

A sessão solene faz parte de uma programação em comemoração à data, de 9 a 13 de março, que inclui outras atividades como palestras educativas, destinadas às servidoras da Casa e ao público em geral.

Homenageadas:
Ana Aline Morais
Ana Santana da Costa
Ana Tereza Fiuza Mota
Cibele Benevides Guedes da Fonseca
Fátima Maria Araújo da Silva
Fernanda Costa Bezerra
Geralcina Carlos de Amorim
Gisele Maria da Silva Araújo Leite
Hilkea Carla de Souza Medeiros Lima
Júlia de Paiva Sousa Arruda Câmara
Kátia Carvalho de Lima
Liene Maria de Medeiros
Maria das Neves Bezerra da Silva
Maria Mônica Ribeiro Dantas Bezerra
Mariell Franco (in memoriam)
Natália Bonavides
Tirzah Braz Petta Lajus

Assessoria

Professora recebe diploma de formatura com caixa de trufas que vendia para se manter na faculdade

Sabrina Raquel tem 22 anos. — Foto: Arquivo pessoal/Cedida

Um detalhe chamou a atenção de quem compareceu à cerimônia de colação de grau da estudante Sabrina Raquel Fernandes, de 22 anos, em Mossoró. Isso porque a beca de formatura da então aluna do curso de Letras Espanhol tinha um adereço inusitado: uma caixinha de trufas.

Na verdade, o “acessório” era o instrumento de trabalho de Sabrina, que vendia doces para conseguir arcar com os custos da faculdade e ajudar nos rendimentos da família. A caixinha acompanhou a estudante pelos corredores da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) durante os quatro anos da graduação.

Na hora de receber o diploma não foi diferente, a moradora da zona rural de Mossoró foi ao auditório da UERN carregando o isopor das trufas. “A caixinha é minha marca. Fiquei bastante emocionada, não apenas pelo reconhecimento e carinho das pessoas, mas por lembrar das dificuldades do início das vendas que me faziam chorar. Em alguns casos sofri agressões verbais por simplesmente oferecer uma trufa. Me senti realizada em pegar meu diploma com o isopor que tanto me acompanhou nesse ciclo”, conta a professora Sabrina Raquel.

Sabrina Raquel se formou em Letras Espanhol na UERN. — Foto: Arquivo pessoal/Cedida

Embora a venda dos doces tenha se profissionalizado e hoje faça parte da rotina da professora, Sabrina Raquel lembra do início complicado na faculdade. “A primeira vez que levei trufas para a UERN foi um dos dias mais difíceis para mim. Cheguei em casa muito triste e comentei com mãe que não venderia mais porque levei muitas e só vendi umas três. Porém, o difícil mesmo foi chegar nas pessoas e ser ignorada, tinha gente que já virava o rosto. Senti por um instante que parecia ser errado ou vergonhoso vender doces”, relata.

Atualmente, Sabrina dá aulas particulares de espanhol e segue vendendo trufas e bombons desde que se formou, em fevereiro deste ano. Ela estuda para prestar concurso público e aproveita as idas à biblioteca da universidade em Mossoró para oferecer os doces. “A demanda de alunos é baixa, então ainda preciso continuar vendendo as trufas para ajudar nas despesas de casa”, detalha.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Combate à violência contra mulher é tema de audiência em Mossoró

Na semana em que se celebra o Dia Internacional da Mulher, a Assembleia Legislativa realizou audiência pública proposta pela deputada Isolda Dantas (PT), que abordou o tema “A gente mete a colher – prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher”, no município de Mossoró. O objetivo do evento, que reuniu mulheres da cidade e da região Oeste, foi debater estratégias de combate à violência na vida das mulheres do campo e da cidade, nos transportes, nos espaços de trabalho ou lazer.

“Sabemos da necessidade desse tema e vemos que ele não pode sair da pauta de jeito nenhum. É lamentável como o RN tem conseguido diminuir os homicídios normais, mas não tem obtido êxito na diminuição dos feminicídios. E isso é consequência de uma sociedade desigual”, disse Isolda Dantas ao abrir os trabalhos.

A subcoordenadora de articulação Institucional da Secretaria Estadual de Políticas da Mulheres, Ivaneide Paulina do Nascimento, falou sobre a importância da audiência pública e destacou o trabalho que vem sendo realizado no órgão. “O projeto Maria da Penha nas Escolas é um dos nossos destaques e entendemos que o nosso plano de trabalho vai refletir diretamente na construção de homens e mulheres com um novo olhar e um novo pensamento sobre os direitos da mulher”, disse.

Representando o Ministério Público, a promotora Karine de Medeiros enriqueceu o debate quando esclareceu alguns tópicos da Lei Maria da Penha, destacou os índices registrados no Brasil, chamou atenção para as subnotificações dos casos de feminicídios e de violência contra a mulher e clamou as autoridades pela implantação de uma Casa Abrigo na cidade de Mossoró. “A realidade ainda é muito dura. Os números ainda são elevadíssimos. Por isso, clamo a todos que possamos somar forças e implantar no município uma casa abrigo para que essas mulheres que dormem violentadas, acordem e possam procurar a justiça e encontrem socorro e abrigo”.

A agente da Polícia Civil e representante da Delegacia da Mulher, Rosineide Jorge, falou sobre a falta de estrutura do sistema e ressaltou o fato desses crimes acontecerem pela cultura machista imposta pela sociedade. “Precisamos formar nossos cidadãos conscientes que o machismo não é bom para ninguém. Entendo que a base deve ser trabalhada na escola e só assim os direitos das mulheres passarão a ser respeitados”.

Mariana Bezerra, representante da Ordem dos Advogados do Brasil destacou a necessidade da mulher tomar o seu lugar na sociedade e convocou a todos para buscar conscientizar as crianças sobre o tema. “Para se ter uma ideia, hoje temos 58 representantes em cargos públicos nas esferas municipal, estadual e nacional e desses, apenas 11 são mulheres. Precisamos tomar nossos lugares na sociedade e isso poderemos fazer conscientizando nossas crianças que poderão construir uma sociedade futura e diferente”.

A representante da Frente Brasil Popular (FBL), Plúvia Oliveira, destacou a luta que os grupos feministas encampam há anos e sobre as conquistas acumuladas foram trazidas à discussão pela. “Temos muito a galgar, mas temos nos mantido firmes na luta pelos direitos e contra o feminicídio. Estamos nas ruas diariamente, porque entendemos que é possível um novo mundo onde a mulher tenha o respeito que merece e seus direitos respeitados.

O trabalho desenvolvido pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), foi ressaltado pela pró-reitora adjunta, Sephora Edite, que em seu discurso, destacou a face do feminicida e do agressor. “Uma face próxima, ele é pai, é filho, é irmão, é o noivo, é o amigo, um ser humano como outro, pelo menos até se tornar um violentador e agressor que precisa ser parado e julgado, para que outros não venha produzir novas vítimas”.

Flavia Spinelli, representando a Associação dos Servidores da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (Aduern), destacou o papel do professor nesse processo de conscientização das novas gerações. “Somos formadoras de opinião e temos um papel fundamental na construção desse novo momento e desse novo cidadão”, reforçou.

Para a representante do Centro Feminista 8 de março (CF8), Rejane Medeiros, o crescimento das políticas públicas que respeitem claramente os direitos das mulheres passam diretamente pelo compromisso daqueles que estão à frente dos poderes, sejam municipais, estaduais e federais. “Jamais chegaremos ao momento adequado se aqueles que estão a frente dos poderes não forem comprometidos com as causas e tenham interesse de adotar políticas públicas que agreguem aos direitos da mulher”, revelou.

No final da audiência que lotou o plenário da Câmara Municipal de Mossoró, a deputada Isolda Dantas reforçou a necessidade de discutir as problemáticas e buscar as soluções para todos os temas relacionados aos direitos da mulher. “Esse é um grito de socorro de todas as mulheres. É inconcebível que a cada 7 horas uma mulher continue sendo assassinada no Brasil. Cumprimos o nosso objetivo ao discutir com várias representações da sociedade civil, buscando principalmente construir mecanismos em defesa dos direitos da mulher”, finalizou Isolda Dantas.

A audiência pública foi prestigiada pelos alunos e professores da Escola Estadual Cunha da Mota, pelos vereadores Gilberto Diógenes (PT) e Alex do Frango (PMB), além de representantes da sociedade civil organizada.

Dados
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil tem a 5ª maior taxa de feminicídio, assassinatos de mulheres em situação marcada pela desigualdade. A cada duas horas, uma mulher é assassinada no país. De acordo com dados do Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO), de janeiro a novembro de 2015 a 2019, aconteceram 539 assassinatos de mulheres, sendo que 73,84% corresponde aos crimes de crimes em geral, mas 26,16% são feminicídios, ou seja, tem relação com violência doméstica ou de gênero.

Natal fica à frente no RN com 23,56% dos casos de feminicídio, sendo 127 assassinatos de mulheres, em segundo lugar vem Mossoró com 65 casos e depois São Gonçalo do Amarante com 31 casos.

Em um ano de mandato, Isolda já apresentou 6 projetos de lei em defesa das mulheres. A proposição da audiência é mais uma das ações da deputada voltada para esta pauta: “Para nós, é fundamental viver numa sociedade mais igualitária e livre. E isso passa por uma sociedade sem desigualdade e sem violência contra as mulheres. Por isso, não só no dia internacional da mulher, mas todos os dias, se tem violência contra a mulher, a gente mete colher”.

Assessoria

Curso de espanhol para profissionais do turismo tem novas turmas com inscrições abertas em Natal

Curso de espanhol para profissionais do turismo tem novas turmas com inscrições abertas em Natal — Foto: France Telles/Arquivo Escolegis

O IFRN abriu novas turmas para o curso de espanhol voltado a profissionais do turismo. O curso é realizado por meio de Acordo de Cooperação Técnica com a Secretaria de Turismo do Rio Grande do Norte. As inscrições podem ser feitas até o dia 9 de março pela internet. Condira AQUI o edital.

Os interessados deverão se inscrever exclusivamente através dos emails maria.velasco@ifrn.edu.br e nupele.brasil@gmail.com , no período das 6h do dia 28 de fevereiro às 22h do dia 9 de março, horário local. O resultado da seleção será divulgado no site do IFRN.

A matrícula do candidato classificadono número devagas será nodia 10 demarço no período das 17h até ás 18h30 no local do curso, presencialmente.

O projeto está com inscrições abertas nas turmas “Comprende” de nível intermediário voltado para mensageiros, camareiras, recepcionistas e bugueiros, que já participaram das turmas anteriores ou que tenham conhecimento compatível em língua espanhola. Além disso, há uma uma nova turma de “Conoce” para nível iniciante com foco em artesãos.

“A proposta do projeto é contribuir com a qualidade linguística em espanhol dos profissionais do segmento do turismo, por meio da oferta de cursos com conteúdos mais práticos, com ênfase na conversação relacionada à vivência no trabalho dessas pessoas que atendem diretamente o turista, por isso as turmas são ofertadas por categoria”, explica a subsecretária de Turismo, Solange Portela.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/

Assembleia Legislativa promove semana comemorativa em alusão ao Dia da Mulher

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte promoverá atividades voltadas à Semana da Mulher, que acontecerá entre os dias 9 a 13 de março, com uma programação contendo solenidade, palestras e espaço de beleza. As ações serão destinadas às servidoras da Casa Legislativa e ao público feminino em geral.

Na segunda-feira (09), a partir das 15h30, haverá uma Sessão Solene alusiva ao Dia Internacional da Mulher, no plenário da Casa Legislativa. Na terça-feira (10), das 9 às 12h, acontecerá a mesa redonda “Saúde, comportamento e protagonismo feminino”, no Salão Nobre da Assembleia Legislativa, com as convidadas e especialistas Danielle Espinel (dermatologista), EB Belli (psicóloga e sexóloga), Kyvia Bezerra Mota (ginecologista), Leila Maia (educadora física) e Mychelle Garcia (especialista em reprodução humana). Já para a sexta-feira (13) está programado o Dia de Beleza, também na sede do Legislativo Potiguar, das 9 às 12h, onde será oferecido um momento de cuidado e elevação da autoestima das mulheres.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), falou da importância de homenagear as mulheres, especialmente as servidoras da Casa Legislativa. “Nós deveríamos comemorar esta data todos os dias, lembrando sempre que o Rio Grande do Norte é berço de grandes mulheres. As mulheres da nossa Assembleia são servidoras fortes e competentes nos seus trabalhos diários. É uma satisfação poder contar com elas”, disse.

Instagram

De terça à sexta-feira, alguns painéis temáticos alusivos à mulher serão instalados próximo ao plenarinho para as servidoras que quiserem registrar o momento e publicar no instragram.

Asessoria