Archive for março 4th, 2020

Comissão de Finanças da Assembleia aprova fomento para sementes crioulas

Com emenda encartada pelo relator, deputado Galeno Torquato (PSD), a Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF) aprovou, por unanimidade, na reunião realizada na manhã desta quarta-feira (4), o Projeto de Lei 255/2019 de iniciativa da deputada Isolda Dantas, que Dispõe Sobre a Política de Sementes de Cultivares e Mudas Crioulas no Rio Grande do Norte.

“O Projeto original registrava que a Política Estadual de Sementes de Cultivares e Mudas Crioulas utilizaria recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FECOP) e outras fontes. Nós encartamos a emenda para que os recursos sejam do orçamento do Estado porque o Fecop tem outros programas que utilizam os seus recursos”, explicou o relator Galeno Torquato.

Outro Projeto de Lei analisado na ordem do dia da reunião da CFF foi o que institui o Programa Bom Motorista de iniciativa do então deputado Gustavo Fernandes. Em seu relatório, o deputado Ubaldo Fernandes (PL) deu o seu parecer pela rejeição da matéria, “que não atende aos requisitos da Lei de Responsabilidade Fiscal e nem há no projeto o impacto financeiro.

O presidente da Comissão, deputado Kelps Lima (SDD) distribuiu quatro matérias para serem relatados na próxima reunião. O Projeto de Lei 331/2019, de autorias do deputado Gustavo Carvalho (PSDB) que dispõe sobre a Afixação de Cartazes Informativos sobre o Estabelecimento de Prioridade Especial aos Idosos Maiores de 80 anos, ficou sob a relatoria do deputado Ubaldo Fernandes.

Já o deputado Kelps Lima vai relatar o Projeto de Lei 144/2019 que Determina a Inserção do Símbolo Mundial do Autismo nas Placas que Sinalizam Atendimento Prioritário em Estabelecimentos Públicos e Privados, de autoria do deputado Allyson Bezerra (SDD).

O deputado Tomba Farias (PSDB) vai relatar o Projeto de Lei Complementar   22/2019, de origem no Governo do Estado, que institui o Conselho Estadual de Segurança Pública e de Defesa Social.
O deputado Kelps Lima também vai relatar o Projeto de Lei 15/2020 que dispõe sobre a igualdade do número de vagas para homens e mulheres na Polícia Militar do Estado.

Participaram da reunião os deputados Kelps Lima, Tomba Farias, Galeno Torquato, Getúlio Rêgo (DEM), Ubaldo Fernandes e Souza (PSB).

Assessoria       

Pesquisadores da UFRN desenvolvem lente de contato que libera medicamento no olho

Fábia de Souza, uma das pesquisadoras envolvidas no projeto — Foto: AGIR/UFRN

Um grupo de pesquisadores do Departamento de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) desenvolveu uma lente de contato capaz de liberar medicamentos como antibióticos, antifúngicos e anestésicos diretamente sobre a córnea (parte externa do olho).

“Essas lentes de contato podem ser usadas no tratamento de diversas doenças oculares, tais como conjuntivite, glaucoma e ceratite fúngica. O que define é a medicação incorporada à lente de contato oftálmica”, explicou a pesquisadora Fábia Julliana Jorge de Souza.

Denominado “Lentes de Contato Oftálmicas Terapêuticas Produzidas com Hidrogéis para Veiculação de Fármacos”, o estudo rendeu um pedido de depósito de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Além de Fábia, a equipe desenvolvedora da lente de contato oftálmica contou com Eryvaldo Sócrates Tabosa do Egito; Francisco Alexandrino Júnior; Éverton do Nascimento Alencar; Lucas Amaral Machado; e Joerbson Medeiros de Paula.

Lente desenvolvida pelo Departamento de Farmácia da UFRN — Foto: AGIR/UFRN
Lente desenvolvida pelo Departamento de Farmácia da UFRN — Foto: AGIR/UFRN

Lente promete melhorar tratamento de doenças oculares

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 80% das causas de deficiência visual no mundo são evitáveis ou curáveis e cerca de 285 milhões de pessoas no mundo todo apresentam alguma deficiência visual. Por outro lado, cerca de 90% dos medicamentos comercialmente disponíveis para uso oftálmico estão na forma de colírio e estima-se que apenas de 1 a 5% da dose administrada seja absorvida.

De acordo com os pesquisadores, os tratamentos com colírio têm adesão baixa. “Estudos mostram que até metade dos pacientes não pingam as gotas nos olhos nos horários indicados, principalmente devido à dificuldade da operação ou por não ter alguém em casa para aplicar. Um estudo publicado no Journal of Glaucoma revelou este dado: nove em cada dez pacientes com glaucoma não foram capazes de administrar corretamente o colírio. O uso incorreto do medicamento é responsável por agravar a doença em 65% dos pacientes”, explicou a equipe.

Para o grupo de pesquisadores, o início do processo de patenteamento abre a possibilidade de um produto desenvolvido no Laboratório de Sistemas Dispersos (LaSiD) da UFRN desencadear uma colaboração com indústrias farmacêuticas interessadas na utilização da lente e assim proporcionar uma melhoria na qualidade de vida das pessoas que sofrem com doenças oculares.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/n

Ponte, iluminação e infraestrutura: Ezequiel Ferreira pede melhorias na região Salineira

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), apresentou requerimentos com o objetivo de obter melhorias para a população do Litoral Norte do Estado. As solicitações foram encaminhadas ao Governo do RN.

O primeiro documento reivindica a retomada das obras da ponte sobre o Riacho dos Cavalos, localizado na BR-221, ligando o município de Macau à Porto do Mangue. A obra, quando concluída, encurtará em 40 quilômetros a distância entre a cidade salineira e Areia Branca, onde está localizado o Porto Ilha por onde é exportado o sal marinho.

“A estrutura, com extensão aproximada em 178 metros, trará grande impacto positivo na região, que é uma das principais produtoras de sal marinho, petróleo e pescados do Brasil”, disse Ezequiel. Atualmente a obra está suspensa e sem previsão para ser retomada. A solicitação foi endereçada a governadora Fátima Bezerra (PT) e ao diretor do DER, Manoel Marques.

O deputado também solicitou a realização de um estudo de viabilidade técnica para a recuperação e aprimoramento da iluminação pública da RN 221, no trecho que vai do trevo da Cohab ao IFRN, em Macau. “É uma medida de segurança, principalmente para trabalhadores que precisam sair de madrugada e estudantes que transitam no local”, disse o parlamentar. Neste caso, o pedido foi enviado tanto para a governadora como para o secretário de infraestrutura, Gustavo Rosado.

Outro requerimento teve como objetivo sugerir a recuperação do muro de contenção da praia de Camapum, também em Macau. O local é frequentado diariamente por moradores da cidade e turistas, e o muro está totalmente deteriorado devido ao avanço da água do mar. O fato já causou, inclusive, deslizamentos de terra.

Ezequiel sugeriu ainda ao Governo do Estado que busque colocar em plena operação a Central do Cidadão de Macau, atualmente com serviços restritos apenas a algumas atividades. O equipamento que atende a toda região Salineira do Estado, ainda não está com todas as atividades disponíveis para a população.

Assessoria

Homem viaja do RN a SP para adotar cão que teve duas patas amputadas após atropelamento: ‘Me sinto realizado’

Marvin perdeu as duas patas traseiras após ser atropelado em SP — Foto: Arquivo pessoal

O cachorro de rua Marvin atravessava a rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em São Paulo, quando foi atingido fortemente por um veículo no dia 23 de julho de 2017. Em estado grave, ele foi resgatado pela ONG “Cão sem dono”, onde foi tratado e conseguiu se salvar. O acidente, no entanto, o deixou paraplégico e lhe tirou as duas patas traseiras – uma delas “esfarelou”.

Após o tratamento, o vira-lata ficou à disposição para adoção, mas não conseguiu um lar durante esses quase três anos – situação que durou até 25 de janeiro passado. Foi quando o agente de viagens Everton Holanda deixou o município de Mossoró, na Região Oeste do Rio Grande do Norte, e pegou um avião para São Paulo para adotar Marvin – uma viagem de mais 2.500 quilômetros.

Everton Holanda saiu do RN para adotar Marvin em São Paulo — Foto: Arquivo pessoal
Everton Holanda saiu do RN para adotar Marvin em São Paulo — Foto: Arquivo pessoal

“Eu me penalizei, me sensibilizei com a situação e não coloquei obstáculos”, contou o agente ao G1. Ele foi e voltou no mesmo dia em um voo que pousou em Fortaleza. Dormiu uma noite na capital cearense e no outro dia de manhã já estava em casa, em Mossoró. “Eu realmente só fui buscá-lo. Fui e voltei no mesmo dia”.

Everton Holanda conta que ficou sabendo da notícia através de uma página da ONG “Cão sem dono” nas redes sociais. Ele passou a seguir diversas páginas sobre cães após o filho levar um filhote de pitbull há pouco mais de um ano para casa. “Eu comecei a pesquisar sobre a raça, que não é nada daquilo que falam. Fui adicionando páginas e me era sugerido páginas de ONGs. Até que eu cheguei a história de Marvin”, explicou.

A primeira imagem com a qual se deparou foi um vídeo do resgate de Marvin após o atropelamento. Depois, viu vários momentos da recuperação do cachorro. “Sempre escreviam: ‘Eu sou o Marvin e meu sobrenome é superação’. Então resolvi colocar realmente o sobrenome de Superação”, falou.

“Eu sempre via as pessoas falando nos comentários que se morassem perto iriam adotá-lo, mas nunca ninguém adotava. Então decidi fazer isso”.

O relacionamento com o outro cachorro da casa, o pitbull Bradock, é tranquilo. “A primeira coisa que fiz quando cheguei em casa foi colocá-los próximos. Eles se dão muito bem. Saímos para passear juntos também”, contou.

Vida adaptada

Com sete anos de vida, Marvin tem uma vida adaptada depois do acidente. Ele toma um medicamento diário até o fim da vida e se move apenas com as patas dianteiras.

“Em casa, a gente não tem medo de que ele se arranhe, porque o piso é liso. Então, ele se arrasta e consegue se locomover. Caso ele vá para a parte de fora da casa, colocamos um ‘saco de arrasto’ para evitar que ele se machuque. Quando o levamos pra caminhar, aí usamos uma cadeirinha para caminhada, que ele ganhou de uma madrinha”, explicou.

No atropelamento, Marvin teve o rompimento da coluna, o que atingiu também os nervos da bexiga. Assim, ele não tem controle sobre a urina. “Ele faz xixi a qualquer hora em qualquer momento. Mas é preciso que a bexiga seja estimulada. Como ele se arrasta, geralmente esse estímulo acontece nesse movimento. Se não, eu preciso massagear a barriga dele”, falou.

Everton Holanda contou ainda que Marvin não demorou a se adaptar à nova família. “Ele morava praticamente no consultório da veterinária. Desde a primeira hora que chegamos, ele pareceu perceber que eu sou o tutor. Sempre está atrás de mim”, falou.

“Ele demonstra afeto e carinho por nós”.

Participação nas redes

Everton Holanda explicou que muita gente criticou o fato da ONG ter deixado alguém tão distante de São Paulo ter adotado o cachorro, até pela preocupação em saber se Marvin seria bem tratado e com isso seria fiscalizado. Por isso, o agente de viagens decidiu criar uma página nas redes sociais. “Eu decidi fazer um diário para que essas pessoas pudessem acompanhar o dia a dia dele”, disse. Hoje, a página conta com mais de 5 mil seguidores.

As condições especiais de Marvin tornam a rotina de Everton mais trabalhosa, mas ele diz que tudo é recompensador. “Ninguém me obrigou a nada. Eu peguei essa responsabilidade pra mim. É claro que tudo dá muito trabalho, mas eu me sinto realizado”.

Marvin com a nova família em Mossoró — Foto: Arquivo pessoal
Marvin com a nova família em Mossoró — Foto: Arquivo pessoal

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Em audiência pública, setor de habitação cobra liberação de recursos do OGU

Por proposição do deputado Alysson Bezerra (SDD), a Assembleia Legislativa realizou, na tarde desta terça-feira (03), audiência pública para debater o financiamento do Programa Minha Casa Minha Vida. Na oportunidade, os profissionais do setor de habitação demonstraram a crise que afeta o seguimento e cobraram mudanças na política de financiamento adotada pelo executivo federal para liberação de recursos provenientes do Orçamento Geral da União (OGU) destinados ao programa.

O deputado Alysson Bezerra presidiu a mesa a abriu o debate ressaltando a importância do Programa Minha Casa Minha Vida para a sociedade. “Esse programa não é um programa de governo, mas uma política de estado em decorrência da sua importância para toda a sociedade. Considero a construção civil motriz para o desenvolvimento do país, pois se trata do seguimento que mais consegue entrar em todos as esferas da sociedade com distribuição de renda. Não tenho dúvida que é o maior programa social do país, uma vez que, dá emprego e dignifica o cidadão por gerar renda e permitir a realização do sonho da casa própria, mas, infelizmente, deixou de ser uma política de estado”. Concluiu o parlamentar.

Representando a Associação dos Pequenos Construtores, Igor Bruno, responsabilizou a falta de liberação dos recursos provenientes do Orçamento Geral da União pela crise enfrentada pelo setor habitacional. “90% dos recursos para o programa é oriundo do FGTS e 10% do OGU. O problema é que o valor proveniente do OGU não é liberado e vem sendo reduzindo. Isso impacta todo o seguimento. É preciso entender que esse programa não se baseia apenas em um telhado para o cidadão, mas ele meche com a vida inteira da sociedade. É um programa que passa pela rotina de muitos brasileiros onde ganha o comercio, os operários, os engenheiros, os corretores, que gera impostos e onde todos ganham. Porém, estamos há cinco anos sofrendo com a queda no orçamento. Hoje, estamos fazendo um apelo, um clamor porque é hora de todos darmos as mãos. É preciso entender que esse programa não é um programa de governo, mas uma política de estado. Cobramos mais respeito, menos burocracia e mais empenho para liberação dos recursos”. Cobrou.

Carlos Henrique, diretor do Sindicato da Industria da Construção Civil (Sinduscon), também lamentou a redução dos recursos destinados à habitação e sugeriu alteração da lei Orçamentária Anual (LOA) para incremento da política habitacional. “Venho junto com o Sinduscon batalhando nessa luta árdua pela liberação de recurso provenientes do OGU. A bancada federal tem que trabalhar para alterar a LOA, para fazer uma implementação e melhorar o recurso. Não podemos continuar como no ano passado, pois sofremos muito. Esse é um programa muito importante e temos que lutar pela suplementação dentro o OGU”. Sugeriu Carlos Henrique.

Ângelo Medeiros, vice-presidente do Sindicato da Habitação do RN (SECOVI), destacou o momento de crise pelo qual todo o seguimento vem passando. “Estamos sofrendo muito com essa falta de expectativa do programa. Hoje, quase todas as imobiliárias estão parando as atividades, vários corretores mudando de ramo, gerando muito desemprego. A situação está de tal forma que até conseguimos os clientes, encaminhamos todo o processo, mas não é finalizado pela falta de financiamento. A falta da liberação dos 10% dos recursos do OGU está causando milhares de problemas. Quase 50% das corretoras encerraram suas atividades por falta do que fazer. Quando houve a redução do programa houve o crescimento da violência pela falta de emprego e renda”. Analisou Ângelo Medeiros.  

Representando a Companhia Estadual de Habitação e Desenvolvimento (CEHAB), o diretor Pablo Thiago, falou da política habitacional do Governo do Estado. “No âmbito da CEHAB, temos um cuidado pois sabemos que é uma matéria que vem sendo tolhida pela esfera federal. O programa teve uma redução. No PPA houve uma redução grande para o setor de habitação, que também afeta o Programa Minha Casa Minha Vida. Vemos a necessidade de uma inovação, de unir esforço para voltar a melhorar a política de investimento na habitação por meio dos recursos do OGU para a habitação. O estado do RN não cruzou os braços, conseguimos a renovação de um convenio no valor de 50 milhões para a construção de mil unidades habitacionais nos próximos três anos para atender a população carente”. Disse o diretor da CEHAB.

Representando a Caixa Econômica Federal, o superintende executivo de habitação Ricardo vale, disse entender a dificuldade do momento, demonstrou preocupação com a falta de recursos e se colocou à disposição para atender as demandas no âmbito da instituição. “A Caixa entende que é um debate de extrema importância para a sociedade. Os números mostram o quanto a caixa é importante para a habitação e é solidária ao momento. Nesse sentido, nos colocamos inteiramente a disposição para colaborar com essa política e com todo o seguimento habitacional não só do estado, mas do país”. Declarou Ricardo Vale.

Assessoria

Morador que socorreu três pessoas em tragédia no morro em Guarujá, desabafa: ‘tive que escolher quem salvar’

Olavo participou do resgate de três moradores de Guarujá (SP) — Foto: Glauco Araujo/ G1

“Tive que escolher quem salvar. É uma sensação de impotência, parece mentira”, desabafa o desempregado Olavo Rendeiro Tavares, de 33 anos, após socorrer três pessoas de lamas e escombros no morro Barreiro João, em Guarujá, litoral de São Paulo.

Ele mora com a mãe em uma casa de alvenaria composta por quarto, sala, cozinha e banheiro, na Rua da Bica, que dá acesso ao local do deslizamento. Repleto de imagens e símbolos religiosos, Tavares parece ainda não dado conta da tragédia que sentiu passar entre os dedos.

Desempregado, ele costumava conversar bastante com muitos dos que agora estão soterrados. Perguntado se conhecia algum morador que tinha perdido alguém no deslizamento ele respondeu: “aqui todos perdemos, sejam parentes, amigos ou vizinhos.”

Mesmo com casa humilde, ele deixou a porta aberta durante toda terça-feira (3) para quem quisesse entrar e descansar do esforço de tentar resgatar sobreviventes ou corpos de vítimas.

Acordado desde a manhã de segunda-feira (2), ele se preparava para dormir quando escutou uma chuva muito forte, e decidiu sair para ver se alguém precisava de ajuda, quando escutou um forte estrondo.

Desempregado, Olavo costumava conversar com vizinhos que ficara soterrados — Foto: Glauco Araujo/ G1
Desempregado, Olavo costumava conversar com vizinhos que ficara soterrados — Foto: Glauco Araujo/ G1

“Duas meninas correram falando que o barraco desabou. A primeira cena que eu vi foi de uma mãe chorando em frente ao barraco que desabou por causa de seus filhos”, disse ele, que não conseguia evitar o olhar distante e atônito.

Entrar no local e começar a cavar com as mãos foi a reação do rapaz, que conseguiu resgatar a filha de uma mulher. Ela foi a primeira pessoa que o rapaz salvou depois de agir rápido em meio à gritaria. Para ele, a ação foi “instinto”.

“Nesse momento os gritos começaram, muito fortes, mas depois foram parando e o silêncio tomou conta. Veio aquela escuridão e só desespero”, diz.

Ele explica que no momento observava pessoas pedindo socorro e perdendo parentes e amigos. O jovem conta que precisar escolher quem salvar foi a pior sensação depois da tragédia no local. Ele socorreu três moradores, a criança na primeira casa que desabou, um rapaz que tinha os braços presos nos escombros e uma pessoa de uma outra família.

A mãe dele, a dona-de-casa Marcília Rendeiro Conceição Tavares, 63 anos, ainda encontrou forças para deixar o filho em casa e ajudar vizinhos desabrigados que foram acolhidos na Escola Municipal professora Dirce Valério Grácia.

“Meu filho foi de uma coragem muito grande, mas quando cair a ficha sobre o que aconteceu e o que ele fez vai chorar como gente grande”, disse ela, orgulhosa.


Arte mostra deslizamentos, mortes e volume da chuva na Baixada Santista — Foto: Cido Gonçalves/G1

Fonte: https://g1.globo.com/sp/santos-regiao/noticia/2

CCJ analisa 22 matérias, com sete propondo ações que beneficiam as mulheres

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) em reunião realizada na manhã desta terça-feira (3) analisou e votou 22 matérias constantes em sua pauta, inclusive com sete matérias propondo programas e ações voltadas para a proteção da mulher, que tem comemoração do seu Dia Internacional, na próxima semana.

As deputadas Eudiane Macêdo (Republicanos), Cristiane Dantas (SDD) e Isolda Dantas (PT) incluíram na pauta, conforme ficou acertado na reunião do Colégio de Líderes, dois Projetos de Lei, cada uma. O Governo do Estado apresentou uma matéria também na linha de homenagem.

“A pauta foi muito extensa com muitas matérias importantes, principalmente as seis apresentadas pelas deputadas que fazem parte do Plenário desta Casa e mais uma do governo do Estado. Na nossa visão, olhando pelo lado empresarial destaco o projeto da deputada Eudiane Macedo que propõe a criação de Programa de Atendimento à Mulher Desempregada Chefe de Família, pelo fato de abrir a possibilidade de geração de emprego em parceria do governo com entidades parceiras”, disse o deputado Kleber Rodrigues (PL) que presidiu a reunião.  

De iniciativa do Governo do Estado foi aprovado o Projeto de Lei Complementar que dispõe sobre a igualdade de acesso às vagas para homens e mulheres nos quadros funcionais da Polícia Militar do Rio Grande do Norte.
Em seu artigo 2º o Projeto extingue dos quadros da PM o quadro de Oficiais Femininos (QOF) e o quadro de Praças Policiais
Militares Combatente Feminino (QPPM-Feminino.  Os cargos públicos de provimento efetivo de militares estaduais vinculados ao Quadro de Oficiais Femininos passam a compor o Quadro de Oficiais Policiais Militares.         

Das matérias analisadas, 17 foram aprovadas, duas baixaram em diligência, duas foram arquivadas por já existirem legislação semelhante as proposições e uma foi pedido prazo pelo relator para melhor análise e apresentação do relatório na próxima reunião.
Participaram da reunião os deputados Kleber Rodrigues, Hermano Morais (PSB), Cristiane Dantas, Francisco do PT, Coronel Azevedo (PSC) e Raimundo Fernandes, integrantes da CCJ e mais os deputados Isolda Dantas e Ubaldo Fernandes (PL).

Assessoria

Secretaria de Saúde descarta 1 dos 5 casos suspeitos de coronavírus registrados no RN

Hospital Giselda Trigueiro, na Zona Oeste de Natal, é referência em infectologia — Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi

Um dos cinco casos suspeitos registrados do novo coronavírus foi descartado no Rio Grande do Norte nesta terça-feira (3), segundo consta no novo boletim da doença divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde Pública do RN (Sesap). Com isso, o estado passa a ter quatro casos registrados como suspeitos, cinco descartados e quatro excluídos.

Os casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após a confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu com todos. Os números divulgados pelas secretarias estaduais e o MS não são necessariamente iguais, já que os órgãos têm horários e procedimentos distintos para apresentação de seus boletins diários.

Dos quatro casos que ainda seguem como suspeitos no estado, três pacientes moram em Natal e um em Parnamirim. Segundo a Sesap, eles “seguem em estado geral bom, em isolamento domiciliar, medida recomendada para casos sem complicações clínicas, conforme Protocolo Clínico Estadual e Nacional”.

Todos os casos suspeitos aguardam confirmação laboratorial. As amostras coletadas foram enviadas ao Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará, com prazo de até sete dias para liberação dos resultados.

No RN, o Hospital Giselda Trigueiro e o Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes são unidades de referência para os casos que necessitem de internação.

Coronavírus: entenda como ocorre o contágio e quais os sintomas — Foto: Arte/G1

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte


Comissão de Defesa do Consumidor debate vigilância armada 24h em bancos

Os integrantes da Comissão de Defesa do Consumidor, Meio Ambiente e Interior da Assembleia Legislativa reuniram-se nesta terça-feira (03) para debater, entre outros assuntos, a aprovação do Projeto de Lei que proíbe as empresas concessionárias de água, luz e telefonia, de interromper o fornecimento dos serviços nos finais de semana e feriados, além do projeto que obriga as agências bancárias e cooperativas de créditos do RN a manter vigilância armada durante 24 horas por dia, proporcionando mais segurança para os clientes.

“Hoje tivemos uma reunião rápida, porém muito produtiva, onde tratamos de temas que influenciam diretamente na vida do consumidor”, justificou o presidente da comissão, deputado Ubaldo Fernandes (PL).

Um dos assuntos mais esperados da reunião era a aprovação, por parte da comissão, do substitutivo, de autoria do deputado Sandro Pimentel (PSOL), que que garante a segurança nas agências 24 horas por dia. A reunião foi acompanhada por representantes do Sindicato dos Vigilantes patrimoniais do Rio Grande do Norte (Sindsegur) e do Sindicato dos Trabalhadores em Serviços de carro-forte, guarda, transporte de valores e escolta armada (Sindiforte).

“Fico muito feliz em saber que os deputados entenderam a importância da segurança e aprovaram a garantia do substitutivo. Isso é muito importante por garantir que depois das 18h, o consumidor vai ter a certeza de que haverá um segurança nas agências bancárias”, justificou Sandro.

Durante a discussão, o deputado Kleber Rodrigues (PL) ressaltou que os bancos são as empresas que mais lucram no país. “Pagamos muito caro por todas as atividades nos bancos e nada mais justo que os consumidores tenham segurança ao utilizar esses terminais nos horários depois das 18h”, disse.

Durante a reunião, Ubaldo Fernandes informou que recebeu do Ministério da Educação um comunicado informando que o órgão está realizando uma pesquisa nacional sobre os impactos ambientais causados pelas manchas de óleo, na costa brasileira.

“A nossa comissão foi a primeira de todas as Assembleias do país a levantar esse tema. Várias autoridades vieram a esta Casa debater esse assunto e a partir dessa iniciativa, provocou a realização dessa pesquisa por parte do MEC”, comemorou o parlamentar.

Finalizando a reunião, os membros da Comissão sugeriram a discussão e o debate sobre o enrocamento da Praia de Ponta Negra.

“Cumprimos a pauta de hoje e na próxima semana estaremos aqui discutindo esse tema. Sabemos que essa é uma obra importante para aquela praia e estamos convidando o MP, o IDEMA e a prefeitura para que estes órgãos expliquem por que essa obra ainda não saiu do papel”, finalizou Ubaldo Fernandes.

Assessoria

Abastecimento de água é suspenso em cinco cidades do RN para testes em equipamentos

As cidades de João Câmara, Pureza, Poço Branco, Bento Fernandes e Taipu terão o abastecimento de água suspenso nesta quinta-feira (5). — Foto: Reprodução

As cidades de João Câmara, Pureza, Poço Branco, Bento Fernandes e Taipu terão o abastecimento de água suspenso nesta quinta-feira (5). A previsão da Companhia de Águas e Esgotos (Caern) é que o abastecimento seja totalmente normalizado em até 48 horas.

Ainda segundo a Caern, a paralisação da quinta-feira servirá para que equipes da companhia realizem testes nos equipamentos das subestações elétricas das estações elevatórias e água tratada. (EEAT). A empresa informou que está realizando testes em seus sistemas como preparação para migrar para o Mercado Livre de Energia.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/