Archive for outubro 25th, 2019

Pesquisadores capturam tartarugas marinhas após nascimento para evitar contato com manchas de óleo em Natal

Filhotes de tartarugas deverão ser soltos em São Miguel do Gostoso, no RN — Foto: Reprodução

Filhotes de tartaruga da espécie oliva foram capturados de forma preventiva logo após a eclosão dos ovos na praia da Redinha, na Zona Norte de Natal. Os 26 animais foram encontrados por crianças que pensaram que eles estavam oleados e acionaram o Projeto Cetáceos da Costa Branca, da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, que atende animais afetados pelo problema no litoral potiguar.

A equipe constatou que os filhotes estavam limpos, mas resolveu fazer a captura para evitar que eles fossem atingidos pelas manchas de óleo que aparecem desde o final de agosto no litoral nordestino. O caso aconteceu na noite da última terça-feira (22). A praia da Redinha, onde as tartarugas nasceram, foi uma das afetadas pelo óleo no estado.

Por enquanto, as tartaruguinhas aguardam soltura na base estabilização do Projeto Cetáceos da Costa Branca, da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte, em Natal. Porém, de acordo com o coordenador do projeto, o professor Flávio Lima, os profissionais não querem demorar a liberar os animais na natureza, para que eles possam se desenvolver.

“Foi uma captura preventiva. Tivemos uma reunião do gabinete unificado de crise e estamos montando uma estratégia para a soltura, possivelmente em São Miguel do Gostoso, que é uma área que não foi afetada pelo óleo”, afirmou.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/


Bancada do PSD em Ceará-Mirim abandona Júlio César e anuncia apoio a Ronaldo Venâncio

Todos os três vereadores não vão mais apoiar o nome do partido por discordar da forma de fazer política de Júlio César

Os três vereadores que representam o PSD em Ceará-Mirim na Câmara Municipal vão apoiar agora o nome do prefeito interino Ronaldo Venâncio (PV), na eleição suplementar que acontece no dia 01 de dezembro. Os vereadores Carlão Ramalho, Arnaldo de Muriú e Carina Freitas não vão acompanhar o PSD e a terceira candidatura de Júlio César por discordarem da forma de fazerem política do dirigente do partido.

A Convenção que vai homologar mais uma vez o nome de Júlio César será nesta sexta-feira (25), mas não contará com nenhum vereador da sigla. Inclusive, o vereador Carlão Ramalho que teve 1.700 votos na última campanha e ficou em segundo lugar é cunhado de Júlio César, mas mesmo com o laço familiar decidiu não mais acompanhar o dirigente do PSD, como fez nas duas últimas campanhas que Júlio disputou a prefeito e perdeu em 2012 e 2016.

Na última campanha, os três vereadores Carlão Ramalho, Arnaldo de Muriú e Carina Freitas tiveram juntos quase 4 mil votos, quase a soma dos ouros 19 nomes que concorreram pelo PSD na última campanha em Ceará-Mirim.

LEGENDA: Os vereadores Carlão Ramalho, Arnaldo de Muriú e Carina Freitas tiveram juntos quase 4 mil votos, quase a soma dos ouros 19 nomes que concorreram pelo PSD

Assessoria

Veja como deve ser a redação do Enem para evitar a nota zero

Enem redação — Foto: Reprodução/Tv Liberal

No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, mais de 110 mil candidatos tiraram nota zero na redação. Isso significa que eles não puderam se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni), no Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Ou seja: perderam as três principais utilidades do Enem para ingressar no ensino superior.

Mas, afinal, o que pode fazer com que um texto receba a nota mínima?

1- Não respeitar a proposta de redação. É a famosa ‘fuga ao tema’, responsável por 28% das notas zeros em 2018. Naquele ano, por exemplo, o tema foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”. O candidato não podia desenvolver seus argumentos sobre outro assunto.

2- Não seguir a estrutura “dissertativo-argumentativa”. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) espera que o candidato apresente uma tese e desenvolva justificativas para comprová-la – exemplos, dados estatísticos, pesquisas, citações, referências históricas.

Isso quer dizer que não é permitido escrever um poema, uma narração de história ou um depoimento pessoal, mesmo que obedecendo ao tema proposto.

3- Escrever um texto curto, com até sete linhas. É importante saber que, se a redação tiver dez linhas, mas quatro forem uma transcrição/cópia de um dos textos motivadores, considera-se que o candidato tenha escrito apenas seis linhas. Ou seja: tirará zero.

4- Copiar integralmente na redação os textos do enunciado da prova de redação ou do caderno de questões.

5- Fazer desenhos ou escrever “impropérios” (como xingamentos ou insultos). Isso vale para qualquer parte da folha de redação.

6- Escrever números ou sinais gráficos fora do texto e sem função clara.

7- Redigir parte do texto sem conexão com o tema proposto. Não é permitido, evidentemente, colocar um parágrafo com uma receita de torta. Nem, para tentar enganar o corretor, escrever um trecho sobre outro assunto, só para atingir o mínimo de linhas exigido.

9- Escrever o próprio nome, assinar, colocar um codinome ou rubricar na folha de redação. A assinatura deve ficar no local designado para ela.

10- Fazer a redação em um idioma estrangeiro.

11- Deixar a folha de redação em branco. Mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho, ele não conta para a nota da prova.

Motivos do ‘zero’ no Enem 2018

Das 4.148.264 redações no Enem 2018, 111.990 tiveram nota zero. No gráfico abaixo, confira o porquê de terem recebido a nota mínima:

E o respeito aos direitos humanos?

Na edição de 2018, o Inep divulgou a “Cartilha da Redação”, um manual que detalha os critérios de correção da prova. Pela primeira vez, o material retirou o trecho que afirmava que desrespeitar os direitos humanos acarretaria nota zero.

Isso não significa, no entanto, que o candidato deva defender práticas como o linchamento ou a perda de direitos civis. Ele não tirará zero por causa disso, mas também não receberá a nota máxima. Em uma das competências avaliadas no Enem, o estudante deve “Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos”.

É necessário “não romper com os valores de cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural”, segundo o manual.

Fonte: https://g1.globo.com/educacao/enem/2019/


Escola da Assembleia promove mais um curso no interior potiguar

A Escola da Assembleia realizou, nesta sexta-feira (25), mais um curso de capacitação profissional em parceria com a AMSO – Associação dos Municípios da Microrregião do Seridó Oriental – RN.

Desta vez, o curso ofertado foi “Eventos e Cerimonial”, ministrado pela professora Zuleide Gonçalves Vieira, que tem como objetivo compreender a dinâmica do planejamento, organização e realização de diversos eventos; entender os atos formais incluindo a Ordem Geral de Precedência para condução de Cerimônias Públicas.

O diretor da Escola da Assembleia, Professor João Maria de Lima, tem firmado parcerias com instituições e entidades com o intuito de difundir a educação e capacitação de servidores dos legislativos municipais e da sociedade. “A Escola da Assembleia pertence ao RN e estamos levando qualificação, conhecimento e capacitação também para o interior do Estado. Além dos projetos Conexão Parlamento e Conexão Enem, formamos parcerias com entidades, abrangendo as possibilidades e ofertas de cursos diversos”, afirma João Maria de Lima.

A professora Zuleide Vieira explicou e colocou em prática conceitos sobre eventos, cerimonial, protocolo e etiqueta relacionados a realização de eventos e solenidades. O curso aconteceu na sede da AMSO, localizada no município de Currais Novos.

Assessoria

Policiais civis do RN fazem protesto contra proposta do governo para mudanças na carreira

Policiais civis do RN fazem protesto contra proposta de reformulação de carreira. — Foto: Thyago Macedo

Policiais Civis do Rio Grande do Norte fizeram um protesto, na manhã desta sexta-feira (25) contra uma proposta apresentada pelo Governo do Estado que, segundo a categoria, causaria redução de até R$ 400 no salário de parte dos servidores. A manifestação ocorreu um dia após uma reunião entre a administração estadual e o sindicato que representa os policiais.

O ato ocorreu na Delegacia Geral de Polícia (Degepol), durante um evento que celebra o aniversário de 38 anos da corporação. A governadora Fátima Bezerra (PT), que participava do evento, conversou os manifestantes e uma nova reunião foi marcada.

De acordo com o Sindicato dos Policiais Civil e Servidores da Segurança (Sinpol) a reunião que aconteceu na quinta-feira (24) com o Gabinete Civil tinha programada a apresentação de uma contraproposta do governo aos pedidos de reestruturação da carreira dos Policiais Civis.

Atualmente, os policiais contam com promoções na carreira a cada 5 anos – dentro de cada classe, eles ainda passam por variados níveis, de acordo com cursos realizados e outros parâmetros. Os policiais haviam apresentado uma proposta para que essas promoções fossem realizadas ano a ano, ao longo de 15 anos. Porém, o governo teria apresentado uma versão em que as promoções ocorreriam a cada três anos – em alguns casos, sem aumento de salários.

Policiais civis fazem protesto com caixão no Rio Grande do Norte — Foto: Thyago Macedo
Policiais civis fazem protesto com caixão no Rio Grande do Norte — Foto: Thyago Macedo

“Foi proposta uma reformulação na carreira que acarreta em redução salarial para algumas classes de Agentes e Escrivães. Quando a gente pega a estrutura de quanto um policial ganha atualmente e compara com o que foi proposto nas projeções do Governo, é identificado em alguns casos redução de até R$ 400 no salário e aproximadamente 800 policiais seriam atingidos”, afirmou o presidente do sindicato, Nilton Arruda.


Durante o protesto, os manifestantes seguraram pires e entregaram, simbolicamente, os distintivos de policiais civis. Nilton Arruda lembrou que desde julho existe um termo de compromisso assinado entre o Governo do Estado e o sindicato estabelecendo o fim de outubro como limite para conclusão das negociações da reestruturação.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/

Dermatologista alerta sobre riscos de inflamações na pele e saúde após contato com óleo nas praias nordestinas

Alergias, dermatites na pele, doenças respiratórias e no trato digestivo. Esses são os risco de doenças após o contato com o óleo no litoral do Nordeste que vem sendo retirado das praias por voluntários sem cuidado apropriado. De acordo com o dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia no RN (SBDRN), Dr. Leonardo Ribeiro, a maior preocupação é com a pele, já que o contato direto com o óleo é prejudicial à saúde.

“Para retirar o óleo das praias é preciso estar com luvas, botas, máscaras e roupas adequadas ao manuseio, bloqueando o contato com o produto químico com componentes ainda não identificados. Só assim, podemos prevenir dermatites e alergias na pele e respiratórias”, aponta o médico.

A recomendação médica também é estendida a questão do banho no mar nos nove estados nordestinos atingidos pelo derramamento de óleo que contém componentes tóxicos. “Mesmo não estando visível no momento do banho, pode ocorrer a diluição do óleo na água do mar e o contato também é maléfico, em proporções diferentes. Há relatos sobre trato digestivo, respiratório e na pele”, destaca Dr. Leonardo. Ele também lembra que em caso de contato, o ideal é lavar a pele do corpo com abundância de água e sabão neutro.

Além das dermatites, a exposição ao óleo pode gerar vermelhidão, irritações, ressecamento, coceiras e até queimaduras na pele, podendo perdurar por semanas. Estudos apontam que o óleo também pode provocar obstrução nos poros e erupções na pele, identificadas por médicos dermatologistas.

É preciso lembrar que o petróleo contem compostos benzeno, tolueno e xileno e são questionados que a longo prazo podem desencadear outras doenças.

Dr. Leonardo também recomenda atenção no momento da retirada do óleo da pele, muitas vezes feita com uso de solventes como querosene, gasolina, álcool, acetona e produtos para móveis, que não devem ser utilizados na pele.

Entre as recomendações do dermatologista também estão de evitar contato direto com o óleo na água, areia e solo nas praias do litoral nordestino.

Dermatologista Dr. Leonardo Ribeiro

Assessoria

Assembleia Legislativa presta homenagem aos 83 anos do IBGE

O deputado Allyson Bezerra (Solidariedade) propôs sessão solene que homenageou os 83 anos de fundação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nesta quinta-feira (24), no auditório Cortez Pereira, na sede da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. O IBGE é um instituto público da administração federal brasileira criado em 1934 e instalado em 1936 com o nome de Instituto Nacional de Estatística; seu fundador e grande incentivador foi o estatístico Mário Augusto Teixeira de Freitas. O nome atual data de 1938. A sessão contou com a presença de servidores do IBGE que foram homenageados.

Allyson Bezerra falou da importância do IBGE para o estado e para o país e parabenizou os servidores que, segundo ele, vestem a camisa da instituição. “Fico feliz em ver pessoas que se dedicaram tanto tempo à instituição. Nós fizemos essa proposição para que a Casa Legislativa pudesse conhecer a importância que tem o IBGE para nossa população. Quando eu lembro do IBGE, eu lembro que ele passa na casa de todos nós brasileiros. Talvez muitas pessoas não saibam dizer o que ele faz, mas é certeza que o IBGE apresenta dados para cada uma dessas pessoas. O IBGE faz um trabalho que nenhum outro instituto do mundo acaba fazendo, que é analisar geografia com estatística”, disse.

Quem falou em nome do IBGE e representou os homenageados foi o chefe da Unidade Estadual do Instituto, Damião Ernane de Souza, que aproveitou para mencionar o censo demográfico 2020, onde mais de um milhão de lares potiguares serão visitados. “O que de mais nobre o IBGE faz é cumprir sua missão de retratar o Brasil. O IBGE conta com a contribuição primordial da sociedade que os recebe em suas residências cotidianamente, além de contar com outros colaboradores. Os dados do IBGE têm um propósito fundamental de subsidiar os entes públicos e a sociedade na orientação e reorientação das políticas públicas brasileiras. A instituição realiza um conjunto de pesquisas e disponibiliza para a sociedade várias informações. Para se ter uma ideia, existe uma lei que obriga o brasileiro a prestar informações ao IBGE, mas a instituição não utiliza desse instrumento por gozar de forte credibilidade na sociedade brasileira”, discursou. Ele também falou da importância dos servidores que compõem o IBGE.

Assessoria

Prefeitura abre inscrições para cursos profissionalizantes gratuitos em Natal

Prefeitura abre inscrições para cursos profissionalizantes gratuitos em Natal — Foto: João Maria Alves

A Prefeitura de Natal vai disponibilizar, em novembro, 188 vagas em cursos profissionalizantes gratuitos em diferentes áreas. As inscrições foram abertas nesta quinta-feira (24) e as aulas vão acontecer nos turnos matutino e vespertino. O “Programa de Qualificação Técnica, Tecnológica, Social, Profissional Continuada” atinge todas as regiões da capital potiguar.

Há cursos nas áreas de design de sobrancelhas, arte em biscuit, chocolateria, artesanato em feltro, maquiagem, escova e penteados, aperfeiçoamento de corte de cabelo, entre outras.

A iniciativa é destinada aos cidadãos atendidos pelas instituições que compõem a rede sócio-assistencial do Município, bem como aos desempregados, jovens acima de 16 anos e idosos que almejam a reinserção no mercado de trabalho.

Quem quiser participar dos cursos, deve buscar os órgãos da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas) mais próximos do seu bairro. Os locais para efetuar as inscrições são: Centro Público de emprego, trabalho e renda – Unidade – II (Praça Padre João Maria –R. João Pessoa, 78 – Cidade Alta –; Centro de Referência de Qualificação Profissional para o Trabalho – Unidade I (Rua Bariri, S/N – Gramoré); Centro de Referência de Qualificação Profissional para o Trabalho – Unidade II (Rua Manoel Miranda, 1860 – Quintas); Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda – Unidade I (Rua Fonseca e Silva, 1122 – Alecrim).

Os interessados devem se apresentar para efetuar a inscrição com os seguintes documentos: xerox do RG e originais do CPF, PIS, NIS, Carteira de Trabalho, Comprovante de Residência, Comprovante de Escolaridade, Comprovação de conhecimentos técnicos quando o curso exigir.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/

Deputados aprovam projeto que reajusta em 23% salários de PMs e bombeiros do RN

Deputados aprovam projeto que reajusta em 23% salários de PMs e bombeiros do RN — Foto: Demis Roussos/Governo do RN

Foi aprovado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte o projeto de lei enviado pelo Governo do Estado que concede reajuste salarial para os policiais e bombeiros militares. O aumento previsto é de 23%, sendo parcelado em seis vezes, de forma gradativa, até 2022. O PL agora aguarda sanção da governadora Fátima Bezerra.

O projeto também prevê redução do tempo para que os militares alcancem promoções dentro de suas respectivas corporações. Pela proposta, por exemplo, um soldado da PM que atualmente precisa de 10 anos para subir ao posto de cabo, teria a promoção conquistada com 8 anos de serviço. Entenda abaixo as mudanças:

Salários

Praças

  • Soldado: R$ 3.571,82
  • Cabo: R$ 4.464,78
  • 3º Sargento: R$ 5.357,74
  • 2º Sargento: R$ 6.250,69
  • 1º Sargento: R$ 7.143,65
  • Subtenente: R$ 8.929,56

Oficiais

  • 2º Tenente: R$ 9.822,51
  • 1º Tenente: R$ 10.715,47
  • Capitão: R$ 12.501,38
  • Major: R$ 14.287,29
  • Tenente-coronel: R$ 16.073,21
  • Coronel: R$ 17.859,12
  • No final da carreira, um coronel pode chegar a receber R$ 23.302,10

Parcelas

Fica o reajuste parcelado da seguinte forma:

  • 2,5% a partir de março de 2020
  • 2,5 % a partir de novembro de 2020
  • 3,50 % a partir de março de 2021
  • 3,50% a partir de novembro de 2021
  • 4,50% a partir de março de 2022
  • 4.58% a partir de novembro de 2022

Principais pontos contemplados na mensagem:

  • Redução dos interstícios dos praças;
  • Ex officio para os oficiais com o máximo de oito anos de permanência no posto;
  • Dispensa da obrigatoriedade de constar em três quadros de acesso para a promoção por requerimento do tenente coronel a coronel;
  • 23% de majoração do subsídio em seis parcelas, sendo: 2,5% em março e novembro de 2020; 3,5% em março e novembro de 2021; 4,5% em março de 2022 e 4,58% em novembro de 2022, totalizando o acumulado de 23% no período.

Interstícios

  • De soldados para cabo, passa de 5 ou 10 anos – para 4 ou 8 anos
  • De cabo pra 3º sargento de 3 ou 6 anos – para 3 ou 4 anos
  • De 3º sargento para 2° sargento de 2 ou 4 anos – para 2 ou 3 anos
  • De 2º sargento para 1º sargento, de 2 ou 4 anos – para 2 ou 3 anos
  • De 1º sargento para subtenente, de 2 ou 4 anos – para 2 ou 3 anos

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia

Deputados receberam prefeitos para debater alternativas ao projeto do Proedi

Um grupo com mais de 60 prefeitos ocupou as galerias do plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta quinta-feira (24), em protesto contra o decreto do Governo do Estado que instituiu o Programa de Estímulo ao Desenvolvimento Industrial do Rio Grande do Norte (Proedi). Os deputados interromperam a sessão para ouvir os gestores municipais, que buscam soluções para evitar redução dos recursos destinados aos municípios por meio do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

De acordo com o deputado José Dias (PSDB) o decreto, sob o ponto de vista jurídico, é ilegal e inconstitucional. “Os 25% dos municípios são deles e não do Estado. É uma crueldade com os municípios, não se concebe que um ente use a sua força de forma ilegal para sufocar quem já não está podendo mais viver. Caminhos para resolver há: essa casa pode sustar esse ato ilegal, temos que fazer esse gesto de coragem. O outro caminho é os prefeitos irem a justiça isoladamente”, sugeriu o parlamentar.

O prefeito do município de Brejinho, João Gomes, foi enfático ao protestar e questionar o decreto editado pelo governo. “Estamos aqui fazendo um pedido de socorro a esta casa. O país está passando por uma crise e nos municípios a situação não é diferente. Estamos amargando sucessivas quedas de receita e precisamos salvar os municípios”, argumentou João Gomes.

Mara Cavalcante, prefeita do município de Riachuelo, descreveu as obrigações que as prefeituras assumem referentes a despesas que são responsabilidade constitucional do governo Estadual. “Temos que levar em consideração que os municípios estão arcando com despesas como alimentação, moradia, estrutura de posto policial e combustível para a Polícia Militar. Na saúde, a Farmácia Básica tem 7 anos que o Governo não paga e agora quer pagar com o que já é nosso. Somos a favor do Proedi e da geração de emprego, mas não podemos perder além do que já perdemos sob pena dessa crise crescer ainda mais, ” explicou prefeita.

Sally Araújo, prefeito de Cruzeta e presidente da Associação dos Municípios da Microrregião do Seridó Oriental, acompanhou o discurso do deputado José Dias e falou sobre o ponto de vista jurídico do decreto governamental. “Esse decreto é inconstitucional e não pode se sobrepor a lei. O estado quer fazer com que as empresas voltem, mas ouçam o nosso grito de socorro. Já falamos com a governadora e com a comissão. Estamos aqui dando o último grito de socorro: salvem a vida dos municípios do Rio Grande do Norte”, disse.

Como presidente da Frente Parlamentar Municipalista, o deputado Dr. Bernardo (AVANTE), defendeu a causa municipalista. “Temos que ter o cuidado para não sermos vistos como ser contra o Proedi. Já fiz uma proposta para a permanência do programa desde que os municípios não sejam prejudicados, para que haja uma compensação. Não somos contra o programa, não somos contra a indústria e os empregos, mas somos contra a redução das receitas municipais, que já são insuficientes”, argumentou o deputado.

Os deputados Getúlio Rêgo (DEM) e Tomba Farias (PSDB) também defenderam uma compensação para os municípios. “O Governo tem a possibilidade de resolver esse impasse por meio de uma lei criando um programa de compensação para os municípios. Tem que haver um mecanismo de compensação. O governo errou quando não discutiu com os municípios”, disse Getúlio Rêgo.

O deputado Kelps Lima (SDD) defendeu compensação por meio de lei que prevê sequestro financeiro em conta bancária do Estado. “Nós somos deputados e podemos intervir em matéria de ordem tributária. Para isso não precisa de iniciativa do governo. Proponho repetir os termos do decreto para não prejudicar, mas incluir a compensação dos municípios e a gente resolve aqui. É só acrescentar no projeto de lei a compensação”, sugeriu o deputado.

Francisco do PT demonstrou preocupação com a causa municipalista e defendeu um entendimento entre o Governo e os Municípios. “A busca de um diálogo é o melhor caminho.  Esse entendimento é preciso porque o estado precisa de emprego. Eu estou do lado de quem quer gerar emprego e não há como construir alternativa sem o governo. Portanto, o melhor caminho é a busca do diálogo para encaminhar da melhor maneira possível, sem diálogo não se resolve nada”, defendeu o parlamentar. 

Líder do Governo na Assembleia, o deputado George Soares (PL) fez um apelo aos prefeitos e deputados para não politizar o debate. “Não podemos politizar o tema. Não é intenção do governo enfraquecer os prefeitos, uma vez que, tem prefeitos do PT, além de aliados de outros partidos. Porém, o Proadi, que foi feito por decreto ficou arcaico. Se esse novo decreto for cancelado o Estado fica sem nenhum projeto de desenvolvimento. Lembro ainda que o governo não se recusou a debater com os prefeitos e que esse é um projeto técnico que visa recuperar a geração de empregos”, argumentou George Soares.

Assessoria

Petróleo extra-pesado é o pior entre todos os que poderiam cair no mar; entenda análise do ‘DNA do óleo’

Mancha de óleo encontrada na praia do Farol da Barra em Salvador (BA) nesta quinta-feira — Foto: Divulgação/Marinha

A origem das manchas de óleo que atingem todos os nove estados do Nordeste continua um mistério, mas pesquisadores estão estudando e analisando o material encontrado nas praias. Exames laboratoriais mostram que a substância é petróleo cru de nacionalidade venezuelana, mas ainda não há informações sobre como ela veio parar na costa brasileira.

Segundo um estudo da UFRJ, a origem do vazamento pode estar em um ponto a 700 km do litoral de Alagoas e Sergipe. As hipóteses mais prováveis estão relacionadas a vazamentos provocados ou acidentais em embarcações que navegam por águas internacionais.

O G1 conversou com geólogos, engenheiros e químicos para entender como são feitas as análises de petróleo cru e quais as principais características dessa substância. Para eles, o óleo que atinge o Nordeste, do tipo extra-pesado, é o mais prejudicial ao meio ambiente.

“Ele tem mais frações tóxicas do que um óleo leve, cujos componentes seriam vaporizados mais facilmente”, diz Gonçalves, da FEI. “Enquanto ele está no mar você ainda pode retirá-lo com uma separação do tipo líquido-líquido. Mas, depois que ele entra em contato com a areia, a remoção torna-se muito mais difícil.”

Veja abaixo as principais dúvidas sobre o tema esclarecidas por especialistas:

O que é petróleo cru e quais são suas principais características?

O petróleo é uma mistura de hidrocarbonetos e impurezas como enxofre e metais pesados. Ele é gerado ao longo do tempo a partir da decomposição de algas e plânctons em rochas sedimentares submetidas a altas temperaturas em grandes profundidades.

O petróleo cru, substância que foi encontrada nas praias do Nordeste, é o óleo bruto, produzido diretamente no reservatório geológico e posteriormente escoado para uma refinaria. Ele precisa ser processado para dar origem a subprodutos comerciais como gasolina, querosene, óleo diesel e lubrificantes.

Como é possível descobrir a nacionalidade de uma amostra de petróleo?

Cada amostra de petróleo possui sua própria composição físico-química. Essas características dependem das condições do local onde ele foi originado. Quando um novo ponto de exploração é criado, o óleo obtido naquele local precisa ser cadastrado. No Brasil, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) é responsável por catalogar, em sua biblioteca, todos os produtos da exploração e produção de petróleo e gás natural nas bacias sedimentares brasileiras.

“Cada óleo tem como se fosse um DNA, uma impressão digital que marca suas características”, explica Ronaldo Gonçalves, professor de engenharia química no Centro Universitário FEI e especialista em análise de petróleo.

Professor Ronaldo Gonçalves analisa amostra de petróleo cru em laboratório — Foto: Divulgação/Centro Universitário FEI
Professor Ronaldo Gonçalves analisa amostra de petróleo cru em laboratório — Foto: Divulgação/Centro Universitário FEI

Em linhas gerais a qualificação dos diferentes tipos de petróleo se dá com base em seis critérios:

  • Marcadores biológicos;
  • Composição química;
  • Acidez;
  • Densidade;
  • Volatilidade;
  • Estabilidade.

A partir de uma análise laboratorial é possível verificar as características da amostra em relação a esses seis critérios e comparar o produto às amostras já catalogadas. “Eu pego um perfil de composição registrado e eu comparo a amostra com essa biblioteca e vejo com qual óleo registrado ela está mais próximo. Pode ser 90% ou 95% de compatibilidade, por exemplo”, diz Gonçalves.

A densidade dos líquidos derivados do petróleo é uma das características mais importantes para identificar e diferenciar uma amostra de óleo. Ela compõe uma fração essencial de sua “impressão digital”.

Essa densidade é medida em escala de grau API (American Petroleum Institute, na sigla em inglês) e considera a densidade relativa do líquido em relação à água. O óleo extra-pesado, classificação atribuída à substância encontrada na costa brasileira, é aquele com °API maior que 19.

Como o petróleo cru se comporta no mar?

A reação do material ao entrar em contato com a água salgada do oceano varia de acordo com as características do óleo.

O petróleo cru que apareceu na costa brasileira é denso e pesado, o que faz com que ele se comporte de maneira diferente da que ocorre na maioria dos vazamentos, segundo os pesquisadores.

“Grande parte dos vazamentos de petróleo em mar são de óleo leve, que formam uma fina camada translúcida e iridescente que se espalha na superfície dos oceanos, uma vez que este tipo de óleo é menos denso que a água”, explica Clarissa Lovato Melo, geóloga e coordenadora de pesquisa do Instituto do Petróleo e dos Recursos Naturais (IPR) da PUC-RS.

“Entretanto, óleos extra-pesados formam plumas de contaminação mais densas que a água e que, portanto, submergem logo após o vazamento, não sendo aparentes superficialmente.”

Fonte: https://g1.globo.com/natureza/

Sistemas desenvolvidos pela Assembleia Legislativa são destaque em evento internacional

Representantes da Diretoria de Gestão Tecnológica da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte estão participando, ao longo dessa semana, do 1º Encontro de Quadros de Redação, Audiovisual e Arquivo da Associação dos Secretários-Gerais dos Parlamentos de Língua Portuguesa, que acontece em Brasília. Na manhã desta quinta-feira (24), o grupo apresentou aos participantes do evento o sistema para gestão de documentos, Legis Doc, e o sistema de gestão do acervo audiovisual, Legis Vídeo – sistemas desenvolvidos e implementados pelo legislativo potiguar.

“As nossas soluções tecnológicas de gestão tornaram-se referência para as demais Casas Legislativas do país, pois além da eficiência e transparência que esses sistemas conferem à administração, pesa também o fato dessas plataformas terem sido desenvolvidas pela equipe da própria Assembleia Legislativa do RN, ou seja, sem custos para a Casa”, destacou Mario Sérgio Gurgel, diretor de gestão tecnológica do parlamento estadual.

O evento busca compartilhar boas práticas que envolvam o registro, a publicação e a pesquisa de informações relacionadas a atividades legislativas, sejam em sessões plenárias, reuniões ou comissões técnicas. Além do diretor de gestão tecnológica, a equipe da Assembleia Legislativa no evento conta também com os desenvolvedores Kaio Max Marques e Wesley Steverson. Participam do encontro membros dos parlamentos do Brasil, Portugal, Cabo Verde, Angola, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial e Timor Leste.

Assessoria

Incêndios na Califórnia obrigam milhares de pessoas a deixarem suas casas

Motoristas dirigem em meio ao fogo na Califórnia nesta quinta-feira (24) — Foto: Noah Berger/AP Photo
Motoristas dirigem em meio ao fogo na Califórnia nesta quinta-feira (24) — Foto: Noah Berger/AP Photo

Incêndios florestais na Califórnia, Estados Unidos, forçaram a retirada nesta quinta-feira (24) de cerca de 50 mil pessoas que vivem ou trabalham no norte do estado. Ventos secos e quentes aumentaram o risco das queimadas, e companhias energéticas desligaram, mais uma vez, a eletricidade na região.

Os incêndios atingiram 39 km² de uma região vinícola no norte de San Francisco. Imagens mostram casas totalmente destruídas pelo fogo. Até a última atualização desta reportagem, não havia dados sobre mortos e feridos.

A situação é mais séria no vilarejo de Geyserville, no norte do estado. De acordo com o “Los Angeles Times”, vivem no local 929 pessoas.

Autoridades disseram à agência Associated Press que alguns dos moradores se recusaram a deixar suas propriedades. Em uma coletiva de imprensa, o xerife do condado de Sonoma, Mark Essick, implorou que obedecessem à ordem de evacuação.

“Realmente precisamos estar prontos para combater as chamas, mais do que em nos preocupar em resgatar vocês”, pediu.

Sem luz

Moradores de Geyserville, na Califórnia, estão sem luz por causa de desligamento preventivo diante de incêndios no estado — Foto: Noah Berger/AP Photo
Moradores de Geyserville, na Califórnia, estão sem luz por causa de desligamento preventivo diante de incêndios no estado — Foto: Noah Berger/AP Photo

As companhias energéticas da Califórnia iniciaram, desde o começo da temporada de incêndios, uma série de desligamentos preventivos. A medida serve para evitar que os ventos derrubem fios já danificados – as empresas passam por dificuldades financeiras – e, com o calor e tempo seco, deem origem aos incêndios.

Os apagões deixaram centenas de milhares de pessoas sem luz na Califórnia, especialmente na parte norte do estado. Há duas semanas, um desligamento semelhante fez cerca de 2 milhões ficarem sem eletricidade.

Fonte: https://g1.globo.com/mundo/noticia/