Archive for março 21st, 2018

Aposentado de 82 anos se destaca como artesão na feirinha da Assembleia

O gosto pelo artesanato, característica de sua família, foi o caminho encontrado pelo comerciante aposentado Edson Renovato de Oliveira, que aos 82 anos de idade, e mesmo tendo sofrido um AVC, decidiu que não estava na hora de parar de trabalhar. Habilidoso, transforma canos de PVC em luminárias personalizadas, e tem circulado por feirinhas de artesanato para vender sua arte. Essa semana ele expõe e vende suas luminárias na feirinha que acontece no Salão Nobre Iberê Ferreira de Souza, na Assembleia Legislativa.

“Eu tenho carteira de artesão nacional”, disse orgulhoso o aposentado, que se inspirou em uma luminária que sua esposa ganhou de presente e sentiu que poderia fazer uma “muito mais bonita”. As luminárias ilustradas com imagens de santos, do Papa Francisco, de Yemanjá, e de pessoas, dependendo da escolha dos clientes, são vendidas a R$ 60,00. As feiras na árvore de Mirassol, no período natalino, e até a tradicional Brasil Mostra Brasil, já reservaram espaço para o trabalho do aposentado.

Essa é a segunda edição de 2018 da feirinha de artesanato da Assembleia Legislativa, que sob coordenação do Cerimonial da Casa, reúne a cada mês um grupo de artistas para expor seus trabalhos. Nessa edição, os artesãos estão expondo entre bonecas de pano, peças em cerâmica, bijuterias, objetos de casa e camisetas com apliques, peças decorativas referentes à Páscoa. A feirinha da Assembleia Legislativa funcionará até a terça-feira (27), sempre das 8h às 15h.

Assessoria

Polícia Civil apreende adolescente suspeito de participar da morte de advogado em Natal; dois homens ainda são procurados

O advogado Márcio Augusto Urbano Marinho foi assassinado em novembro de 2017, em Natal (Foto: Reprodução/Inter TV Cabugi)

Polícia Civil apreendeu um adolescente suspeito de participar da morte do advogado Márcio Augusto Urbano Marinho, de 59 anos, em novembro de 2017, na Zona Sul de Natal. Dois suspeitos do crime já tinham sido presos e outras duas pessoas que também teriam participado do crime são procuradas. Entre os foragidos, está o homem que seria o responsável pelos tiros na vítima.

Segundo o delegado Marcos Vinícius, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), ainda não foi possível definir a motivação do crime, mas considerou que o crime foi uma execução. “Precisamos da prisão desses outros suspeitos”, destacou, ao confirmar que cinco pessoas teriam participado do crime.

O adolescente apreendido agora seria o motorista de um dos carros usados no crime.

O homicídio do advogado aconteceu na manhã da quarta-feira 8 de novembro do ano passado. Segundo as investigações, um taxista ficou como vigia em uma esquina e fez um alerta aos ocupantes do outro carro no momento em que o advogado saia de casa.

Márcio Augusto Urbano Marinho era advogado e atuava principalmente na área de direito trabalhista. O delegado Marcos Vinícius considerou que o assassinato pode ter relação com a atuação profissional da vítima, mas isso ainda não está confirmado.

Fonte: https://g1.globo.com/rn

Ezequiel Ferreira requer instalação de torre de telefonia na região Agreste

Com o objetivo de promover o desenvolvimento das telecomunicações em todos os municípios do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), apresentou requerimento solicitando estudo de viabilidade técnica para a instalação de uma torre de telefonia celular no sítio Santa Cruz, no município de Vera Cruz.

“A população está enfrentando sérios problemas no que diz respeito à rede de telefonia celular, haja vista que muitos distritos e cidades vizinhas ao município de Vera Cruz, não possuem sinal de celular, pela ausência de torre de telefonia móvel”, justificou Ezequiel Ferreira de Souza.

Segundo o deputado, o sinal que chega até os municípios é de baixa qualidade e restrito apenas às operadoras Vivo e Oi Móvel. Além de Vera Cruz, pelo menos outros quatro municípios serão beneficiados com a instalação do equipamento: Boa Saúde, Lagoa Salgada, Senador Elói de Souza e Bom Jesus.

 

Assessoria

Servidor do Legislativo relata vitórias sobre o preconceito a Síndrome de Down

Em tempos de intolerância, o exemplo de quem prega a igualdade. O servidor da Assembleia Legislativa Felipe Medeiros (à direita na foto), 30 anos, ao contrário do que se imagina, não se limita. Neste Dia Internacional da Síndrome de Down, ele conta seus sonhos, que passam ao largo do preconceito, e desarma qualquer um quando lhe é pedido para deixar uma mensagem a quem tem Down e se limita. “Para quem tem Down? Por que? Deixo uma mensagem para todos: tenham mais alegria”, disse esboçando um largo sorriso. Medeiros chegou à Assembleia Legislativa em 2011, através do projeto de inclusão social de pessoas com deficiência, iniciativa pioneira no Brasil. Além dele, há outro servidor com Down, Stives Luiz da Silva, 25 anos. Ambos são lotados no Cerimonial.

Para o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), hoje é um dia para comemorarmos as conquistas contabilizadas pelas pessoas com Síndrome de Down, como os acessos ao ensino regular e ao mercado de trabalho. “Mas é preciso avançar mais e disseminar informações para promover a inclusão de todos na sociedade. A experiência da Assembleia Legislativa é uma demonstração clara disto”, disse o deputado Ezequiel Ferreira.

“Eu faço várias atividades, mas minhas preferidas são fazer os convites e ajudar no Plenário”, destacou Felipe, que encontrou na Assembleia Legislativa o impulso de que precisava para confiar mais em si”. Acrescentando em seguida: “Aqui, aprendi a ser mais eu, sou aceito”, disse ele, que relatou ter aprendido, a partir daí, a perceber que poderia confiar mais em si mesmo e não se importar com o julgamento alheio.

A confiança lhe permitiu arejar as ideias. Com pensamento fixo, Felipe agora ambiciona fazer a faculdade de odontologia. “Gosto de sorrir. Gosto de cuidar do sorriso. Quero ser dentista”, afirma com outro sorriso o futuro odontólogo.

 

Assessoria

Impasse no Supremo chega ao ápice: o que pode acontecer com a prisão em segunda instância?

Ministros STF
Ministros STF (José Cruz/ Agência Brasil)

O cancelamento da esperada reunião informal entre os ministros do Supremo Tribunal Federal, marcada para o fim da tarde da última terça-feira (20), para tratar da prisão após condenação em segunda instância, trouxe um novo “tiroteio” entre os magistrados através da imprensa e mais especulações sobre quais serão os próximos caminhos a serem seguidos no órgão máximo do Judiciário brasileiro.
Em um ambiente de ampla fragmentação na Corte, uma disputa dentre muitas ganhou destaque na figura da presidente Cármen Lúcia e o decano Celso de Mello. A primeira se nega a pautar a prisão em segunda instância em plenário, jurisprudência gerada por decisão tomada em 2016. Já o segundo reitera que tal interpretação afronta a Constituição e precisa ser rediscutida pelos magistrados.

Na última tarde, o decano disse que pediu uma reunião com os colegas para discutir uma solução para o impasse. Segundo ele, o encontro tinha como propósito evitar que a presidente do STF passasse por um constrangimento inédito no plenário, sendo cobrada para colocar em julgamento ações que tratam do tema. Cármen Lúcia, contudo, não deu sequência à agenda, assim como tampouco sinalizou disposição em permitir uma rediscussão do tema.

O debate entre presunção de inocência e início do cumprimento de pena após decisão colegiada divide os magistrados em dois blocos equilibrados. Levando-se em consideração as duas turmas definidas na Corte, no primeiro grupo predomina o apoio à atual jurisprudência, ao passo que no outro predomina a rejeição à interpretação vigente.

Também ontem, o ministro Edson Fachin rejeitou embargos de declaração contra decisão que possibilitou o cumprimento de pena após decisão em segunda instância. O recurso havia sido impetrado pelo Instituto Ibero Americano de Direito Público no último dia 14 de março. Esta era mais uma das estratégias adotadas por quem quer alterar a atual jurisprudência de levar a questão a plenário.

 

Fonte: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7340892/impasse-supremo-chega-apice-que-pode-acontecer-com-prisao-segunda

Atividades sobre a Paz e outros temas marcam Fórum Infantil da LBV

Hoje, 21, milhares de crianças que frequentam as escolas e Centros Comunitários de Assistência Social da Legião da Boa Vontade vão participar das atividades que abrirão o 16º Fórum Infantil promovido pela LBV.
O evento inaugura uma série de atividades e reflexões acerca do tema “Guardião do Amor Fraterno, eu sou! Unir os corações, eu vou!”, que trará à discussão as seguintes temáticas: “Sou importante sim!”, “Diferentes, mas iguais!”, “Boas escolhas me fazem feliz!”, “Ecumenismo: nossa Bandeira de Paz!”, “Bom mesmo é reconhecer e aprender!”, “Com os outros, eu também aprendo sobre mim!”, “Você é meu(minha) irmão(ã) também!”, “A Paz nasce do nosso coração!” e “Um caminho para todos nós!”
Protagonizado pelas próprias crianças, o fórum promoverá rodas de conversa, debates, dinâmicas, jogos, apresentações teatrais, coreográficas e musicais, painéis temáticos e mostras culturais que prosseguirão até março de 2019.
O ponto alto da programação ocorrerá no sábado (24/3), às 16 horas, com a mensagem fraterna e ecumênica do diretor-presidente da LBV, José de Paiva Netto, dirigida ao coração de todas as crianças e famílias.
Sobre o evento
Criado pelo educador Paiva Netto, o Fórum Internacional dos Soldadinhos de Deus, da LBV (como carinhosamente são chamadas as crianças na Instituição) tem o objetivo de promover o protagonismo infantojuvenil e visa mobilizar as crianças a utilizar a criatividade, a aprender e a refletir sobre temas atuais da sociedade, incluindo nas ações a vivência de valores espirituais, éticos e ecumênicos.
O Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua dos Caicos, 2148 – Dix-Sept Rosado. Informações: (84) 3613-1655. Ou acesse: www.lbv.org

PROFESSOR DA UFRN DENUNCIA USUÁRIOS E TRAFICANTES DE DROGAS NAS DEPENDÊNCIAS DA UNIVERSIDADE

Resultado de imagem para Maconha
Foto: Da Internet
Da SOS RN NOTÍCIAS
O professor Alípio de Sousa Filho, do Departamento de Ciências Sociais da UFRN, denunciou que alunos e professores da universidade se drogam nas dependências da instituição. Além disso, o docente disse que há traficantes que atuam dentro da universidade.
“Esses estudantes (usuários) encontram apoio em certos professores que, usuários de drogas, saem fazendo a apologia e até levando seus traficantes-mor para dentro do Campus para a venda de drogas a estudantes”, escreveu o professor em artigo publicado no site Carta Potiguar, em 8 de março.
Alípio Filho é o mesmo que dois dias antes da publicação do artigo se desentendeu com uma universitária que estava na aula dele com a filha de cinco anos. O texto no qual se defendeu da confusão em que seu nome se meteu acabou por revelar o consumo de droga na UFRN, o que foi confirmado por fontes ouvidas pela reportagem, e que não quiseram ter os nomes revelados.
Perguntado se já viu pessoas consumirem drogas na universidade, o aluno de iniciais G.H.D.L foi enfático: “Sou do Setor II. Aqui a gente vê isso todo dia”. A região do campus em que o universitário estuda é a mesma à qual o professor se referiu, e onde a estudante E.B.D afirma ver “até professor fumando maconha”, o que confirma o relato de Alípio Filho.
“Várias vezes saí da sala com as luzes dos corredores todas apagadas e só dava para ver as ‘luzinhas’ dos cigarros e o cheiro forte de maconha”, narrou o estudante H.M.
Os alunos contaram à reportagem que o consumo de maconha, a única droga que dizem ver na UFRN, tem se espalhado pelo campus. De acordo com eles, já é “bem comum” encontrar usuários pelo Setor I.
A reportagem procurou a reitoria da UFRN, mas o contato não foi retornado até o fechamento da publicação.