Archive for dezembro 14th, 2017

Brasil: o bandido tenta prender o delegado

CPMI resolveu não inquerir Janot – Geraldo Magela /Agência Senado

O que está acontecendo com o nosso Brasil?

Onde estão os valores éticos e sociais de nosso país?

As indagações acima aqui expressas pode não ter mais resposta, já que tudo é feito com o objetivo de mudar as verdades, os fatos que estão claramente expostos para a população, quando um bandido como o senhor Rodrigo Loure, do PMDB/PR, assessor especial do presidente da República do Brasil, Michel Temer (PMDB) foi flagrado conduzindo uma mala cheia de dinheiro de propina, meio milhão de Real, dão conta de que alguns políticos, principalmente do PMDB, como também do PT, estão tentando manchar a reputação das autoridades judiciária de nosso país.

Este é caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra senhor juiz federal Sérgio Moro. Lula está em todos os pré-comícios acusando-o por tê-lo condenado; por outro lado, o Ex-Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, está sendo acusado por uma CPMI instalada com objetivo exclusivo de contradizer os fatos já acima mencionados contra o Temer (PMDB). Onde o relator é o deputado federal, Carlos Marun, também do PMDB.

Tentam camuflar as notoriedades de que eles é que deveriam está respondendo criminalmente pelos crimes elencados em favor da quadrilha que planejaram a tomada do poder, juntos ao presidente Michel Temer. Por causa do privilégio da imunidade a justiça fica minguada perante os políticos com mandato.

O artifício usado pelos peemedebistas foi à instalação de uma CPMI com objetivo de inverterem os papéis institucionais, no caso, tentado constranger a atual Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, a oferecer denuncia contra Janot.

Na ânsia de se salvar das garras da justiça, esses políticos corruptos (não são todos) estão tentando virar os fatos contra a verdade. Quer dizer: “o bandido tenta prender o delegado”.

No entanto, as últimas notícias é de que a CPMI resolveu não oferecer denúncia contra Rodrigo Janot.

O desmantelo das articulações contra Janot foi um aconselhamento da parte do deputado federal, Delegado Francischini (SD-PR) que aconselhou a Marun de não incluir no texto nada contra Janot, por causa da PL. 7596/2017, que trata do tema de abuso de autoridade de membros do Ministério Público.

— Esse projeto é destinado a punir policiais e membros do Ministério Público — disse Francischini.

Luiz Gomes é destituído da presidência do PEN e deixa o partido

O advogado Luiz Gomes oficializou a desfiliação junto ao Partido Ecológico Nacional (PEN) após a direção nacional destituir o comando estadual do partido sem qualquer diálogo.
Luiz Gomes lembrou que a atitude foi desrespeitosa, antiética e desleal diante do trabalho feito durante os cinco últimos anos no Rio Grande do Norte, em que o partido, que não tinha representatividade, passou a estar presente com diretórios em 89 municípios e elegeu dezenas de vereadores em todo o estado nas últimas eleições.
“Com profunda decepção, tristeza e indignação, pela forma desprezível com que a direção nacional do partido tratou toda a trajetória da Executiva Estadual do PEN do RN, comunicamos nossa saída. O PEN já não existe mais. Não há razão de ser. A direção nacional mudou o nome da sigla, o estatuto, o programa, os ideais, tudo. Simplesmente se esqueceram da sua história”, contou.
O jurista lembrou que continuará lutando pelo caminho da renovação e participação na política, na defesa da democracia e no combate à corrupção, mas com um futuro que ainda está sendo estudado junto aos outros ex-integrantes da legenda.

O jogo das aparências por trás da crise na reforma da Previdência

camara-deputados-rodrigo-maia-20170215-028
Rodrigo Maia: “acho que hoje a gente tem uma situação bem melhor do que tinha nas últimas semanas e ela vai continuar melhorando”

Volta hoje à Praça dos Três Poderes o lema do governo Temer: “ares de normalidade”. Depois do bate-cabeça entre o Palácio do Planalto e o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), na noite de ontem, foi montada a operação abafa para amenizar os efeitos do adiamento da votação da reforma da Previdência no mercado e valorizar o início das discussões sobre a proposta, nesta quinta-feira.

O depende de Brasília começa no hospital paulistano Sírio Libanês. Michel Temer passará por nova avaliação na manhã desta quinta-feira, depois de procedimento cirúrgico para obstrução urinária, e, se liberado, ruma à capital para reunião com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

A nota do Palácio do Planalto, divulgada ontem para desautorizar Jucá, deixa em aberto a data para que a votação seja realizada, dizendo que se espera a leitura da emenda do deputado Arthur Maia (PPS-BA), programada para hoje. Os debates começam na próxima semana. Nesse vão, haveria a possibilidade de votar até o dia 21 de dezembro, quando deputados voltam a seus estados para o recesso de fim de ano.

Tudo indica, contudo, que Jucá, desautorizado ou não, é quem está com a contabilidade mais afiada. Para colocar o texto em Plenário, líderes da base querem ter de 320 a 330 votos favoráveis. Em enquetes feitas pelos jornais sobre a disposição de aprovar a reforma, os votos negativos chegaram a 244.

Sobram apenas 269 votos dos 308 necessários para aprovação da pauta. Prometeu-se para reverter o resultado pressão nos ministros pelo fechamento de questão e a liberação ainda este ano 2 bilhões de reais em emendas para as prefeituras. Até agora, sem muito efeito.

Quatro partidos fecharam questão (PMDB, PTB, PPS e PSDB), mas não garantem todos os votos da bancada em favor da reforma.

Outro que deve entrar na conta nos próximos dias é o DEM, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ). “Acho que hoje a gente tem uma situação bem melhor do que tinha nas últimas semanas e ela vai continuar melhorando. Com esse crescimento, chega a 308 votos”, disse Maia.

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/o-jogo-das-aparencias-da-reforma-da-previdencia/?bt_ee=kzDAz64BRip770tt3EWNVgZ/Psg555IKjNn/3Y47SZTVaqugKNvLhY+2fc0GQUSB&bt_ts=1513244445674

Projeto do Orçamento 2018 é aprovado na CFF com encarte de 361 emendas

Crédito das Fotos: Eduardo Maia

Com 361 emendas, sendo 346 individuais, 14 coletivas e uma de texto encartadas pelo relator da matéria, deputado Tomba Farias (PSB), a Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF) aprovou na tarde desta quarta-feira (13) o Projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA), que estima a receita e fixa as despesas do Estado para o exercício financeiro de 2018.

O orçamento aprovado está reduzido em R$ 2 milhões em relação ao que está sendo executado este ano. O valor total aprovado é de R$ 11 bilhões, 951 milhões, 189 mil, sendo R$ 9 bilhões, 972 milhões, 233 mil do Orçamento Fiscal e R$1 bilhão, 978 milhões e 456 mil do Orçamento da Seguridade Social.

“Para a dificuldade financeira que o Estado está enfrentando, essa peça orçamentária está mais real em relação a deste ano. É bom destacar de que os orçamentos dos outros poderes e órgãos participantes do OGE tiveram os seus repasses congelados. Agora o Executivo precisa entrar nessa realidade porque 64,3% são destinados à folha de pessoal e aos encargos. É lamentável que o Estado só tenha disponível 1,92%, ou seja, R$ 542 milhões para investimentos”, disse o relator da matéria, deputado Tomba Farias.

O parlamentar disse que foi um trabalho detalhado elaborar o orçamento porque somente na terça-feira (12) foi que a Comissão teve acesso ao sistema de controle orçamentário do Estado que mudou do SIAF para o SIGEF.

Tomba Farias disse ainda que as emendas foram destinadas para a saúde, educação, infraestrutura, educação e habitação. No projeto original o Executivo solicitava um percentual de 15% para o remanejamento de verbas, que não foi acatado pelo relator. O percentual para suplementação, sem a necessidade de solicitar autorização da Assembleia, ficou em 10%, conforme consta na Constituição Estadual.

Participaram da reunião os deputados Dison Lisboa (PSD), Tomba Farias (PSB), Getúlio Rêgo (DEM), George Soares (PR) e José Dias (PSDB).

Procon Legislativo atende população do bairro de Mãe Luíza nesta quinta-feira (14)

Foto: Eduardo Maia
O Procon Legislativo fará mais uma ação junto à população do Rio Grande do Norte. A partir das 8h desta quinta-feira (13), a unidade móvel do órgão estará em frente à sede do Conselho comunitário do bairro de Mãe Luíza, atendendo os consumidores e também comerciantes, empresários e prestadores de serviço.

“Nossa atuação vai além de ouvir a população sobre queixas de desrespeito ao Código de Defesa do Consumidor. O que buscamos é orientar cada um sobre os seus direitos e deveres, incluindo também os comerciantes do local e pessoas que prestam serviços”, explicou o coordenador do Procon Legislativo, Dary Dantas.

Para desenvolver o trabalho em Mãe Luíza, quatro funcionários do Procon Legislativo estarão de prontidão para fazer os atendimentos e a orientação à população. Em média, as ações do órgão nos bairros de Natal atende aproximadamente 100 pessoas por dia. Contudo, Dary Dantas reforça a disponibilidade para os atendimentos também na sede própria, na Rua Jundiaí.

“Vamos distribuir informativos, ímãs de geladeiras com os nossos contato e demonstraremos, mais uma vez, que o Procon Legislativo está à disposição para contribuir com a população durante todo ano, e não somente durante as nossas ações nos bairros”, disse Dary Dantas.

Marido que é acusado de matar a esposa fisiculturista vai juri popular nesta quinta (14)

Alexandre Furtado Paes está preso em Natal (Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução)
Alexandre Furtado Paes está preso em Natal (Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução)

Alexandre Paes, que era casado com Fabiana, vai a julgamento nesta quinta-feira (14). O júri acontece a partir das 8h no Fórum Miguel Seabra Fagundes, Zona Sul de Natal. Ele é acusado de matar a mulher por meio de estrangulamento. A atleta tinha 36 anos de idade quando foi assassinada, em dezembro de 2012, dentro de um hotel em Natal.

Dono de uma academia de musculação na cidade de Osasco, em São Paulo, Alexandre Paes passou mais de 2 anos sendo procurado pela polícia. Ele foi encontrado e preso no dia 30 de novembro de 2015 em Ibiúna, na Grande São Paulo. Depois, foi trazido à capital potiguar. Atualmente, está detido no Centro de Detenção Provisória de Parnamirim, na região metropolitana de Natal.

O caso

Segundo a versão de Alexandre Paes, na manhã de 27 de dezembro de 2012, a mulher estava tomando banho quando ela teria sofrido uma queda repentina. O Samu foi acionado e já encontrou a paulista desacordada.

No dia 2 de janeiro de 2013, no entanto, a fisiculturista morreu na UTI de um hospital particular da capital potiguar. Familiares disseram que ela, enquanto esteve internada, permaneceu o tempo todo em coma induzido.

Fabiana Caggiano era campeã de fisiculturismo (Foto: Reprodução/Facebook)
Fabiana Caggiano era campeã de fisiculturismo (Foto: Reprodução/Facebook)

Em razão da suposta queda, o corpo de Fabiana foi removido para necrópsia no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep). Laudos preliminares revelaram que a vítima havia sofrido asfixia mecânica, com características de estrangulamento.

No dia 23 de janeiro, após a conclusão dos laudos realizados pelo Itep, o delegado Frank Albuquerque confirmou que a fisioculturista havia sido assassinada. “As suspeitas foram confirmadas. Exames toxicológicos deram negativos. No entanto, os laudos complementares realmente apontam que Fabiana foi vítima de asfixia mecânica(estrangulamento)”, afirmou.

Fonte: https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/tem-que-pegar-pena-maxima-diz-mae-de-fisiculturista-morta-sobre-julgamento-de-acusado-no-rn.ghtml

Acusados de matar agente penitenciário federal em Mossoró vão a júri popular nesta quinta (14)

Veículo do agente foi encontrado completamente queimado (Foto: Marcelino Neto)
Veículo do agente foi encontrado completamente queimado (Foto: Marcelino Neto)

Está marcado para a manhã desta quinta-feira (14) em Mossoró, na região Oeste potiguar, o júri popular dos quatro acusados de participação no assassinato do agente penitenciário federal Lucas Barbosa Costa, de 22 anos. Natural de Teresina, no Piauí, ele foi encontrado morto no dia 17 de dezembro de 2012 na zona rural de Mossoró.

Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça Federal do RN, o julgamento está previsto para começar às 8h no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins, e será presidido pelo juiz federal Orlan Donato Rocha, titular da 8ª Vara Federal.

Sentam no banco dos réus:

  • Expedito Luís de Carvalho, mais conhecido como ‘Luizinho’
  • Emerson Ricardo Cândido de Moraes, o ‘Magão’
  • Luciedson Soares de Silva, chamado de ‘Pirrola’
  • Antônio Vieira Ribeiro Júnior, que atende pelo apelido de ‘Juninho Queimado’

Veja o caso no G1